O Novo Rei do Beleléu

Em 2014 a Cia. Ouro Velho estreou sua primeira montagem com o espetáculo O LUGAR DE ONDE SE VÊ, que se propunha a apresentar o universo teatral para as crianças, revelando seus princípios básicos – como a importância da imaginação e da brincadeira infantil – e introduzindo personagens clássicos da dramaturgia mundial como Hamlet, Cyrano de Bergerac e Arlequim. Obteve com esse trabalho diversas críticas positivas, nas revistas Crescer e 03 estrelas da Veja SP.

"O Novo Rei do Beleléu" estreia no Teatro Sérgio Cardoso no dia 16 de janeiro. (Foto: Divulgação)
“O Novo Rei do Beleléu” estreia no Teatro Sérgio Cardoso no dia 16 de janeiro. (Foto: Divulgação)

A Cia. prepara agora a estreia de sua nova peça O NOVO REI DE BELELÉU que nasce, trilhando caminhos parecidos. Desta vez, busca na cultura popular brasileira reafirmar a importância da Arte em nosso dia-a-dia. Baseada no universo dos folguedos populares – como a Folia de Reis e o Boi-Bumbá – a fábula de Lara Hassum e Paulo Marcos propõe uma reflexão sobre o lugar da Arte e dos sonhos em um mundo cada vez mais gerido por valores duvidosos, como a ganância, a intolerância e a indiferença.

O espetáculo dirigido por Paulo Marcos estreia dia 16 de janeiro na sala Paschoal Carlos Magno, do Teatro Sérgio Cardoso e tem um elenco formado por Aline Gonçalves, Tássia Melo, Lara Lassum, Aline Penteado, Taís Luna e Danilla Figueiredo.

Em termos dramatúrgicos, O NOVO REI DE BELELÉU pode ser classificado como um Auto Pastoril moderno. A trama revela pastores, reis magos, cortejos, a estrela guia e, por fim, o nascimento de um bebê. Trata-se, portanto, de uma representação típica do mito da Natividade.  Por se tratar do elemento central da fábula, a encenação foi buscar referências a esse mito na cultura popular brasileira, adentrando o universo dos folguedos tradicionais, como as diversas formas de Reisados, Bois Bumbá, Festas do Divino e manifestações relacionadas como o Coco, a Ciranda, o Maracatu e o Repente, além de algumas formas estéticas já reelaboradas, como o Movimento Armorial.

Desse modo, a criação musical e coreográfica do espetáculo baseia-se diretamente nesses ritmos e danças tradicionais, executados ao vivo pelo próprio elenco.  A ambientação cênica e a caracterização de personagens, com figurinos, adereços e maquiagens, remetem à arte da xilogravura e às capas do cordel, tão valorizadas pelo Movimento Armorial.

SINOPSE: As coisas não vão nada bem no Reino de Beleléu. O Velho Rei morreu e uma terrível epidemia de Tanto-Faz atingiu a população. Os únicos que podem salvar a pátria são os poucos Sonhos que restaram, mas para isso eles precisam encontrar aquele que está predestinado a ser o Novo Rei de Beleléu.

FICHA TÉCNICA:

Dramaturgia: Lara Hassum e Paulo Marcos

Direção geral e musical: Paulo Marcos

Elenco: Aline Gonçalves, Tássia Melo, Lara Lassum, Aline Penteado, Taís Luna e Danilla Figueiredo.

Preparação Corporal: Lu Carion

Figurino, adereços e maquiagem: Mônica Sanches

Iluminação: Carlos Gaúcho

Danças Brasileira: Erika Coracini

Percussão: Rômulo Nardes

Coordenação de marketing: Marcel Soares e Taís Luna

Assessoria de Imprensa: Fabio Camara

SERVIÇO:

 LOCAL: Sala Paschoal Carlos Magno – Teatro Sérgio Cardoso (Rua Rui Barbosa 153 – Bela Vista), 144 lugares.

DATA: 16/01 até 21/02 (Sábado e Domingo 16h). Apresentação extra no dia 25 de janeiro às 16h. Não haverá apresentação no carnaval dias 06 e 07 de fevereiro.

INFORMAÇÕES: 3288 0136

INGRESSOS: R$ 20,00

DURAÇÃO: 60 min

CLASSIFICAÇÃO: 14 anos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s