“A Piada Mortal” leva adaptação dos quadrinhos para a tela

Por Rodrigo Bocatti

Com previsão de lançamento para agosto e única exibição no cinema na última segunda-feira (25), a adaptação da HQ A Piada Mortal é um clássico das histórias da DC Comics e do Batman, além de mostrar a origem mais aceita do Coringa. A animação encheu os olhos do público, que vê o esforço da editora para surpreender e agradar os fãs com suas animações.

"A Piada Mortal" virou animação fiel aos quadrinhos. (Foto: Divulgação)
“A Piada Mortal” virou animação fiel aos quadrinhos. (Foto: Divulgação)

A história de Alan Moore, de 1988, foi fielmente adaptada para as telas e tem tudo para encher de orgulhos os fãs mais antigos e os mais novos admiradores de Batman, além disso as vozes do Batman e do Coringa são de Mark Hamill e Kevin Conroy, dubladores dos personagens em “Batman: A Série Animada”.

Ainda que a DC Comics tenha decidido trazer um arco tão importante de suas histórias, algumas coisas foram adicionadas para explicar aos fãs que não acompanham todas as aventuras do Homem-Morcego,  como Bárbara Gordon se transformou no “Oráculo”, por exemplo.

A trama gira em torno das aventuras de Batman e Batgirl pelas ruas de Gotham, quando após uma de suas intervenções, um dos criminosos se encanta pela ajudante de Bruce Wayne. E após esse deslumbre pela mulher por trás da máscara, ele elimina seu tio e vai deixando algumas pistas para Bárbara encontrá-lo.

Vendo que está envolvida emocionalmente no caso, Batman a retira da jogada e diz que ela pode estar indo para o abismo, como em alguns momentos ele mesmo já foi. E mesmo sem estar no caso, Batgirl vai até o local onde Batman está perseguindo os criminosos e ao ver o homem que gosta baleado ela se descontrola e quase mata o criminoso. Ao ver que quase ultrapassou a linha e chegou no abismo ela aposenta seu traje e decide viver apenas como bibliotecária.

Somente após isso a verdadeira história de “A Piada Mortal” se inicia, com Batman descobrindo que seu grande inimigo, o Coringa, fugiu de Arkham. Durante flashbacks é mostrada a origem mais aceita do Palhaço do Crime e ele quer provar que todos podem enlouquecer se tiverem um dia ruim. Para isso, ele vai até a casa de Bárbara Gordon, atira à queima roupa, a deixa paraplégica e a estupra. Seu pai, o Comissário Gordon, é levado a um parque de diversões onde encontra os seres mais bizarros possíveis que o torturam psicologicamente.

Ao descobrir o endereço do cativeiro, Batman vai até o local e acaba com os capangas do Coringa, porém ,antes de ir atrás de seu arqui-inimigo, o Comissário diz que quer o palhaço preso e pelas regras dele e não a do Batman. Ao confrontar o vilão, o Homem-Morcego afirma que apesar de tudo que sofreu, o Comissário continua com a mente sã e prova que nem todos são iguais ao Coringa, que se transformou no que é após apenas um dia em que nada deu certo. O final é deixado em aberto, o que não tira o brilho desta incrível adaptação para as telonas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s