“Os Defensores”, primeiro grande crossover das séries Marvel-Netflix

Por Rodrigo Bocatti

Depois de “Daredevil” (Demolidor), “Jéssica Jones”, “Luke Cage” e “Iron First” (Punho de Ferro) a parceria Marvel-Netflix liberou o aguardado “Os Defensores”! E pelos trailers a nova série prometia muito, afinal iria juntar os quatro heróis que atuam em diferentes áreas de Nova York para combater um inimigo em comum.

series_television_verano_2017_470501715_1000x668.jpg
Demolidor, Jessica Jones, Punho de Ferro e Luke Cage se unem em “Os Defensores”. (Foto: Divulgação)

Mas, vamos voltar no começo dessa parceria, quando anunciaram a série do Homem Sem Medo, que teve um filme (muito ruim por sinal) em 2003, e por alguns fãs ficaram ressabiados com uma nova versão live-action. E quando foram divulgadas imagens e teaser e todos ficamos animados. E quando estreou todos ficaram muito satisfeitos, não só pela caracterização do herói, fiel a sua história de origem, mas também pelo enredo e pelas cenas de luta, que foram de tirar o fôlego (o que foi aquela luta no corredor). A segunda temporada foi melhor ainda, com a inclusão do Justiceiro (que ganhará uma série em 2018).

Depois veio “Jessica Jones”, uma personagem desconhecia da maioria do público, e foi uma grande surpresa. A série teve um enredo bem interessante, onde apresentou os personagens ao público de uma maneira bem concreta, para conhecermos de fato a heroína problemática e o vilão Kilgrave, que amamos odiar. Conquistado novos fãs.

“Luke Cage” contou a história de origem do herói, prestou uma homenagem aos quadrinhos, com seu primeiro uniforme. Porém, a história apesar de ser boa e o enredo interessante, em alguns momentos se arrastava muito. Mas, os diálogos eram interessantes, as interações dos personagens idem e as cenas de luta incríveis.

Já “Punho de Ferro” veio com uma expectativa alta, que o mundo místico seria inserido nas séries da Marvel, porém o que se viu foi um roteiro um pouco confuso, sem empolgação e previsível. Nem as cenas de lutas se salvaram, com exceção de algumas. Porém, foi necessário pois foi o ponto que faltava para “Os Defensores”.

A nova série traz pontos que foram deixados soltos em “Punho de Ferro” e começamos a entender a história do herói com a organização criminosa “Tentáculo”. Com um enredo bem escrito, temos sempre a sensação de que o episódio acabou e queremos o próximo. O encontro dos personagens é inteligente e mais ainda mostrando que eles não se dão bem e tem suas desconfianças.

A interação entre o Matt Murdock (Charlie Cox) e Jéssica Jones (Kristen Ritter) é uma das melhores coisas de “Defensores”. Assim como as cenas de luta, que são bem coreografadas. Elektra (Élodie Yung) presta um fan-service com seu uniforme e é um destaque também, com as cenas de luta com o Demolidor, além do conflito interno que ela sofre. A grande vilã, Alexandra (Sigourmey Weaver), não poupa esforços para alcançar seu objetivo e não se importa com quantos de seu clã irão morrer para isso, e a atuação de Weaver é incrível.

“Os Defensores” acertou em entrelaçar todas as histórias e amarrar algumas pontas soltas em outras séries, e também por ser oito episódios, vai direto ao ponto sem muita enrolação. Agora resta esperarmos para saber como os acontecimentos vão influenciar a vida dos heróis.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s