Crítica Nasce uma estrela

Por Marcela França

O primeiro filme de Lady Gaga como atriz não se trata de um filme novo, como muitos pensam. Na verdade Nasce uma Estrela trata-se de um filme de 1937, mas também não se trata de apenas uma refilmagem. Na verdade o filme é a terceira refilmagem da versão original de 37 – estrelada por Janet Gaynor e Fredric March –, além de uma adaptação do musical de 1954 estrelado por Judy Garland e James Mason e uma sequência ao musical de rock de 1976 estrelado por Barbra Streisand e Kris Kristofferson. Porém apesar de se tratar de uma refilmagem, a nova versão tem maiores semelhanças com a de 77. Nas duas primeiras, o casal principal era formado por dois atores. Na atual, assim como na de Barbra, tratam-se de cantores.
 
O  filme conta a história de Ally, Lady Gaga, uma jovem que trabalha num restaurante para pagar as contas enquanto que sonha em ser uma grande cantora. Vira e mexe ela se apresenta num clube noturno fazendo algumas apresentações. Certo dia o clube recebe a visita de Jackson Maine, Bradley Cooper. A jovem chama à atenção de Jackson, que decide ajudá-la em sua carreira. Ao mesmo tempo, se apaixonam.  Enquanto vemos Ally crescendo em sua carreira, por outro lado vemos Jack se perdendo na luta contra o alcoolismo e o vício em drogas. Eles tentam se apoiar e lutar contra o vício de Jack, mas isso acaba se tornando algo mais complicado do que o esperado. 
lady-gaga-nasce-uma-estrela.jpg
Lady Gaga se destaca em seu primeiro filme. (Foto: Divulgação)
 
Bradley Cooper consegue em seu primeiro filme como diretor e roteirista surpreender com uma qualidade incrível de direção. Essa trágica história de amor consegue sensibilizar e emocionar, além de mostrar com uma visão única e imersiva de como é a estrada e a vida musical. É possível sentir a sensação que os artistas sentem ao se apresentar à milhares de pessoas, como suas perspectivas entre os palcos e bastidores. Como ator, Bradley consegue fazer desse filme ser um dos melhores filmes de sua carreira. Ele consegue abraçar a depressão de seu personagem e envolver o público de uma maneira tão intensa e pessoal que é possível sentir o seu desespero e sofrimento com simples gestos. Não é necessário uma gritaria ou grandes surtos como geralmente é mostrado nos filmes. Um simples olhar ou o tom da voz já consegue mostrar a imensa luta que seu personagem vive. Enquanto Gaga, que faz sua estréia no mundo cinematográfico, consegue mostrar toda a sua grandeza como cantora em performances de arrepiar e nos entrega como atriz uma atuação verdadeira, sensível e convincente. A dupla Cooper e Gaga possuem uma química incrível e que faz com que o público se apaixone e torça por esse jovem casal. 
 
Nasce uma Estrela é impactante, emocionante e único. E marca o nascimento de Gaga nos cinema e de Cooper como diretor. Com uma trilha sonora incrível e impecável, o filme consegue sensibilizar os fãs nessa última releitura dessa história de amor. Fazendo com que esse longa-metragem musical seja um filme digno ao Oscar 2019 nas categorias de Melhor Filme, Melhor Ator, Melhor Trilha Sonora e Melhor Canção Original. 
Nota 9

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s