J.K Rowling lança nova história original com capítulos disponíveis online e gratuitamente para crianças em isolamento social

(Foto: Site The Ickabog)

J.K. Rowling anunciou na última terça-feira, 26 de maio, em seu site (www.jkrowling.com) e nas suas redes sociais a publicação online e gratuita de O Ickabog, obra escrita há mais de dez anos como uma história de ninar para seus filhos mais novos. Rowling decidiu compartilhar a história favorita de sua família para ajudar a entreter crianças, pais e cuidadores confinados em casa durante o isolamento social provocado pelo Coronavírus.

A história foi lançada às 11h (no horário de Brasília) e dois dos primeiros capítulos já foram publicados no site www.theickabog.com. Serão 34 capítulos no total, publicados todos os dias úteis da semana até 10 de julho. Escrito para ser lido em voz alta, O Ickabog é um conto de fadas ambientado em uma terra imaginária. É uma história independente, não relacionada a qualquer outra obra de J.K Rowling e vai agradar crianças e jovens, assim como toda a família. A história será traduzida para outros idiomas e disponibilizada no site logo após a estreia da versão em Inglês.

Em novembro de 2020, O Ickabog será publicado nas versões impressa, e-book e audiolivro. J.K. Rowling irá ceder os royalties das vendas do livro a projetos e organizações que ajudam os grupos mais afetados pela COVID-19 – mais detalhes serão anunciados posteriormente.

Para que as crianças se envolvam enquanto a história se desenrola, J.K. Rowling convida pequenos e jovens artistas a ilustrar o enredo e seus vívidos personagens. Os pais e responsáveis são convidados a submeter as artes de seus filhos em uma competição oficial de ilustrações realizada pelas editoras que publicam J.K Rowling em todo o mundo. Os desenhos escolhidos em cada país irão ilustrar o livro publicado em seus territórios. A competição tem lançamento hoje no Reino Unido, Irlanda, Austrália, Nova Zelândia, Índia, EUA e Canadá e, em breve, será lançada nos demais países, em uma colaboração verdadeiramente internacional entre a autora e jovens artistas de todo o mundo. J.K. Rowling não fará parte do processo de seleção, mas fará sugestões de cenas e personagens a serem desenhados diariamente durante a publicação dos capítulos online.

Usando a hashtag #TheIckabog, as crianças (ou pais/responsáveis no caso das crianças menores de 13 anos) são incentivadas a postar pinturas e desenhos nas redes sociais. J.K. Rowling poderá aparecer no Twitter ocasionalmente para comentar algumas de suas ilustrações favoritas. Uma seleção de imagens também será publicada em uma galeria no site de O Ickabog.

Mais informações sobre a história, seus capítulos e links para as competições de ilustração podem ser encontradas em www.theickabog.com.

J.K. Rowling apresenta sua história em www.jkrowling.com/j-k-rowling-introduces-the-ickabog/

“A ideia para O Ickabog me ocorreu enquanto eu ainda escrevia Harry Potter. Escrevi a maior parte do primeiro rascunho entre meus intervalos nos livros da série com a intenção de publicá-lo depois de Harry Potter e as Relíquias da Morte.

No entanto, após o último livro de Potter, eu quis fazer uma pausa nas publicações, o que acabou durando cinco anos. Naquela época, escrevi Morte Súbita, sob o pseudônimo de Robert Galbraith, escrevi O Chamado do Cuco (The Cuckoo’s Calling). Depois de um pouco de hesitação (e também após o meu paciente agente registrar The Ickabog – desculpe, Neil), decidi que queria me afastar dos livros infantis por um tempo. Foi assim que o primeiro rascunho de O Ickabog subiu para o sótão, onde permaneceu por quase uma década. Com o tempo, passei a pensar nele como uma história que pertencia aos meus dois filhos mais novos, porque eu lia para eles à noite quando eram pequenos, o que sempre foi uma lembrança feliz da família.

Algumas semanas atrás, durante o jantar, considerei timidamente a ideia de tirar O Ickabog do sótão e publicá-lo gratuitamente para crianças em isolamento social. Meus filhos, agora adolescentes, ficaram emocionados e entusiasmados com a ideia. Então a caixa empoeirada com os rascunhos desceu as escadas e, nas últimas semanas, estive imersa em um mundo fictício que nunca imaginei visitar novamente. Enquanto trabalhava para terminar o livro, comecei a reler os capítulos todas as noites para a família. Essa foi uma das experiências mais extraordinárias da minha vida de escritora, pois os dois primeiros leitores do Ickabog me contaram do que se lembravam quando eram pequenos e exigiram a reposição das partes que mais gostavam (e eu obedeci).

Acho que O Ickabog funciona como série porque foi escrito como um livro para ser lido em voz alta (talvez tenha sido moldado inconscientemente pelo modo como o li para meus próprios filhos), mas é adequado para que crianças de 7 a 9 anos leiam sozinhas.

Postarei um capítulo (ou dois ou três) todos os dias úteis entre 26 de maio e 10 de julho no site do Ickabog. Planejamos publicar algumas traduções em breve, inclusive em português, e divulgaremos mais detalhes no site quando estiverem disponíveis.

O Ickabog é uma história sobre a verdade e o abuso de poder. E para evitar uma pergunta óbvia: a ideia me surgiu há mais de uma década, por isso não tem a pretensão de ser lida como uma resposta a qualquer coisa que esteja acontecendo no mundo neste momento. Os temas são atemporais e podem se aplicar a qualquer época ou país.

Ao decidir publicar, pensei em como seria maravilhoso se as crianças confinadas ou que precisassem de distração durante este tempo estranho e difícil que estamos vivendo ilustrassem a história para mim. Haverá sugestões sobre as ilustrações que precisamos para cada capítulo no site do Ickabog, mas ninguém deve se sentir limitado por essas ideias. Eu quero ver a imaginação correr solta! Criatividade, inventividade e empenho são as coisas mais importantes: não estamos necessariamente procurando a habilidade mais técnica!

Em novembro de 2020, O Ickabog será publicado em inglês nos formatos impresso, e-book e audiolivro, seguido pelas edições em outros idiomas. Os melhores desenhos de cada território serão incluídos nos livros publicados em seus respectivos países. Como os editores de cada local precisarão decidir quais imagens funcionam melhor para suas próprias edições, não julgarei pessoalmente as ilustrações. No entanto, se pais e responsáveis postarem o desenho de seus filhos no Twitter usando a hashtag #TheIckabog, poderei compartilhar e comentar! Para saber mais sobre o concurso de ilustrações, acesse o site The Ickabog quando for lançado em seu território.

Prometo ceder todos os direitos autorais de O Ickabog, quando publicado, para ajudar grupos particularmente afetados pela pandemia da Covid-19. Mais detalhes estarão disponíveis no final do ano.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s