Crítica – Sonic 2: O Filme

Continuação do primeiro live-action mantém fiel ao game da SEGA com muita ação e toques de comédia

Antonio Lemos

(Foto: divulgação)

Filmes baseados em videogames têm um longo histórico de decepcionar os fãs. Assistimos, torcemos os nossos narizes e saímos do cinema com aquela cara de que não gostou. No entanto, há luz no fim do túnel, Brasil! A parceria SEGA e Paramount rendeu bons frutos com  ‘Sonic: O Filme’ (2020) ao conquistar o público apostando em uma aventura simples e divertido para toda família. Dois anos depois, a receita é a mesma com sua continuidade ‘Sonic 2: O Filme’, com boas pitadas de ação e comédia para atrair nossas atenções. 

Depois dos eventos do primeiro filme, Sonic decidiu ficar em Green Hills e agora quer ser um herói chamado Justiça Azul, porém, é imaturo demais para exercer tal função. O ouriço mais rápido dos games é adotado pelo casal Tom (James Marsden) e Maddie (Tika Sumpter), que o acolheram em sua casa como um filho, porém, o retorno do excêntrico Dr. Ivo Robotnik (Jim Carrey) deixa tudo de cabeça para baixo.

Além do personagem de Carrey, Knuckles, um guerreiro equidna também chega com o objetivo de destruir Sonic. Para impedir a dupla, Tails, uma raposa (bem inteligente, diga-se de passagem) vem de outro mundo com o objetivo de ajudá-lo e conhecer o seu herói.

A narrativa da história é simples: há um diamante poderosíssimo perdido em algum lugar do Planeta, onde, quem possuir terá grandes poderes. Sonic tem o mapa, e com a ajuda de Tails, tenta chegar antes dos vilões. Para quem gosta dos games, a adição desses personagens deixa a aventura mais próxima do clássico da SEGA, como fugir de drones, mísseis e duelos corporais. Temos a sensação de estarmos dentro do jogo e subindo cada nível até o objetivo final.

Em termos técnicos, o roteiro escrito por John Whittington, Pat Casey e Josh Miller traz um lado cômico com referências à cultura pop, uma pitada de clichês e humor no ponto certo para que o elenco se destaque, como é o caso de Jim Carrey, que mesmo interpretando um vilão continua sendo engraçado como sempre.

No geral, ‘Sonic 2: O Filme’ é um bom passatempo para todos os públicos, com a produção fazendo o simples e sem invenção, ainda mais quando há uma cena pós-créditos para prender todo mundo e aquela sensação de termos o terceiro longa. Sim galera, teremos o ‘Sonic 3’, de acordo com o diretor Jeff Fowler. Enquanto a continuação não chega, as aventuras do ouriço azul mais rápido dos games estreia nos cinemas em 7 de abril.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s