Arquivo da categoria: Cinema

o fim da saga star wars

“Star Wars: Ascensão de Skywlaker” encerra uma das maiores sagas da cultura pop. (Foto: Divulgação)

Por André Pistarini

Dirigido por J.J Abrams e com roteiro de Chris Terrio, “Star Wars: A ascensão de Skywalker” em seus 141 minutos possui as difíceis missões de dar uma conclusão e ao mesmo tempo se aprofundar nos novos personagens criados, gerar algo novo tão revolucionário quanto em 1977, porém sem se distanciar de sua essência, e a mais difícil de todas:

Atender a todas as expectativas dos fãs de Star Wars.

O filme decorre há um ano após a batalha entre a Resistência e A Primeira Ordem, em Crait. Rey segue treinando com a General Leia para se tornar uma Jedi, quando todos são surpreendidos pela confirmação do retorno de Darth Sidius

A partir deste momento é atribuído a Rey, Poe e Finn a missão de encontrar as coordenadas do planeta Sith Exegol e pôr um fim aos planos de Palpatine. Este, possui uma frota de destroyers capazes de dizimar planetas inteiros que fazem oposição a nova ordem.

O enredo ganha um perfil acelerado com a perseguição de informações sobre Exegol, enquanto ao mesmo tempo tenta de maneira muito rápida se aprofundar nos personagens do trio principal. Por outro lado, Kylo Ren ciente dos planos de Palpatine, tenta persuadir Rey ao lado negro da força.

É perceptível um esforço do roteiro em criar um “reboot” das ideias geradas em “Os últimos Jedi” dando a impressão em determinados momentos que o capitulo VIII nem mesmo exista na trilogia. A personagem Rose Tico por exemplo, após todas as polemicas e ataques maldosos gerados por fãs nas redes sociais tem um papel bem reduzido no longa, já o personagem de Luke Skywalkwer foi retomado com os ideais da trilogia clássica e possui uma grande relevância para elucidar Rey em seus conflitos internos.

Vale ressaltar as ótimas cenas da batalha entre Rey e Kylo, assim como todo trabalho para incluir a Leia (Carrie Fischer) que faleceu antes das filmagens. Sua memória com certeza foi condecorada com uma das cenas mais emocianantes/ dramáticas de Star Wars protagonizadas pelo nosso amigo Chewbacca.

Sobre sua conclusão, foram atribuídos muitos aspectos do capitulo VI “O retorno de Jedi” assim como retomado o princípio de todo o conflito de Star Wars; que nas palavras do próprio Geroge Lucas:

“Sempre foi mais uma novela de família “.

Sendo ele apresentado de um ponto de vista mais contemporâneo, este ponto foi o atenuante para fazer a ligação entre Rey, Kylo e até mesmo Palpatine assim como uma tentativa de aproximar essa nova trilogia ao todo.

J. J Abrams parece fazer um apelo a coerência dos fãs de Star Wars, pois se as inovações não foram bem aceitas pela opnião pública, este filme é a representação de todos os bons pontos da trilogia clássica.

E comercialmente este tipo de decisão é correta pois, por mais que fique aquela sensação de “ mais do mesmo” eu como você, fã de longa data desta série, continuará consumindo produtos Star Wars

5 filmes nada convencionais para entrar no clima de Natal

Cena de “Anna and the Apocalypse (2017 ). (Foto: Divulgação)

Para quem quer fugir dos óbvios ‘Esqueceram de Mim’, ‘O Grinch’ e companhia, a lista traz longas imperdíveis, desde clássicos da década de 1980 até comédias mais atuais 

Histórias de amor e redenção, renascimento e muitos momentos em família são características fiéis de boa parte dos filmes de Natal, que são queridinhos para reunir os amantes de cinema e já entrar no clima da data. Mas, esse universo natalino vai longe. Além dos lançamentos de mainstream festivos, como os da Netflix, ou até a saga ‘Esqueceram de Mim’, existem também longas clássicos e undergrounds que celebram o feriado e, muitas vezes, ficam esquecidos pelo público. Assim, aos apaixonados pela temática que querem fugir desses óbvios, o diretor de cinema e fundador da Dodô Filmes, Gui Pereira, preparou uma lista com 5 dicas de filmes nada convencionais e imperdíveis. 

1 – Os Fantasmas Contra Atacam (1988) 

Protagonizada por Bill Murray e Karen Allen, essa comédia norte-americana é baseada na obra clássica ‘A Christmas Carol’ com um toque mórbido. No longa, o executivo de TV Frank Cross é um homem cruel, que não se importa com o espírito natalino e faz questão de denegri-lo em rede nacional. Porém, ele recebe a surpresa de três fantasmas – passado, presente e futuro – que o fazem encarar cada fase de sua vida e mostrar a pessoa odiosa que se tornou. 

2 – Trocando as Bolas (1983)

Nessa outra comédia clássica da década de 1980, Dan Aykroyd e Eddie Murphy se encontram em uma versão moderna do romance de Mark Twain do século XIX, O Príncipe e o Mendigo, com muita confusão durante a festa de Natal da empresa. O longa possui uma trilha sonora recheada de canções natalinas e foi indicado como melhor filme de comédia ou musical no Globo de Ouro.

3 – Sexo, Drogas e Jingle Bells (2015)

Já nas produções mais recentes, essa comédia dramática tem Joseph Gordon-Levitt, Seth Rogen e Anthony Mackie no elenco. Os três amigos mantém a tradição de passar a véspera do Natal juntos desde que um deles perdeu os pais na infância. Mas, com o passar do tempo, manter a tradição foi ficando cada mais difícil e eles decidem fazer uma despedida de respeito. 

4 – Gremlins (1984)

Um clássico das comédias de terror, esse filme de Steven Spielberg conta história de Rand Peltzer, um “inventor” que, ao tentar dar um presente de Natal único para seu filho, Billy Peltzer, compra em Chinatown um Mogwai, um ser aparentemente gracioso, que carrega diversos segredos. 

5 – Anna and the Apocalypse (2017)

Para finalizar a lista dicas, esse longa de apocalipse zumbi se passa na cidadezinha de Little Haven durante o Natal, quando Anna e seus amigos precisam lutar, cantar e dançar para tentar sobreviver à ameaça. Eles podem apenas confiar uns aos outros para superar essa fase. 

"A Favorita", "A Bela e A Fera" e "Liga Da Justiça": confira as novidades de dezembro no streaming do Telecine

Liga da Justiça chega ao streaming do Tele Cine no domingo (16). (Foto: Divulgação)

Rainhas e heróis se encontram no Telecine para celebrar o último mês do ano com direito a toda a elegância da realeza e fantasia do universo heróico. Entre os destaques do mês, está o filme “A Favorita”, com Olivia Colman no papel da excêntrica rainha Anne, personagem que lhe rendeu o Oscar de Melhor Atriz. O filme também conta com Emma Stone e Rachel Weisz no elenco. 

A Bela e A Fera também são convidados de honra do Telecine e trazem ao streaming toda a magia e romance de uma das histórias de amor mais marcantes dos contos de fadas. Emma Watson e Dan Stevens são os protagonistas da produção.

O filme “Duas Rainhas” também está entre as estreias do mês de dezembro e traz Margot Robbie no papel da monarca inglesa Elizabeth I e Saoirse Ronan como a jovem rainha escocesa Mary. Indicado ao Oscar De Melhor Maquiagem e Figurino, o título chega ao Telecine no dia 13. Para os fãs de aventura, vale a pena conferir “Jumanji: Bem Vindo à Selva”, com a nova versão da história do jogo que aprisiona seus participantes em um mundo mágico. Com The Rock e Jack Black no elenco, quatro estudantes são sugados por um videogame e assumem a forma dos personagens que escolheram em um universo cheio de aventura. 

E a partir do dia 15 de dezembro, a “Liga Da Justiça” também chega ao streaming do Telecine para lutar contra uma ameaça e impedir o fim da humanidade. O filme conta com um elenco de peso, com Gal Gadot na pele da Mulher Maravilha, Henry Cavill como Super-Homem, e Ben Affleck como Batman.

‘Yesterday’ e ‘Meu Amor por Grace’ estreiam no Looke

Filme com roteiro sobre os Beatles e outros lançamentos da semana na plataforma

Confira os filmes recém-saídos do cinema e outros lançamentos que estreiam até esta quinta-feira (12) no Looke, serviço brasileiro de streaming. Tem também novidade no Vídeo Club, área da plataforma destinada aos assinantes.

Yesterday (Comédia, Musical): Após sofrer um acidente, um cantor e compositor acorda em uma estranha realidade em que ele é a única pessoa que lembra dos Beatles. Com as músicas de seus ídolos, ele se transforma em um grande sucesso, mas a fama tem seu preço.

(Foto: Divulgação)

Meu Amor por Grace (Romance): Em 1920, tempos de segregação racial nos campos de café do Havaí, o órfão Jo é adotado por Doc, novo médico do vilarejo. Conhecido por ser mais rápido que o vento, Jo passa a correr pela região distribuindo medicamentos. Quando conhece Grace, filha de um rico dono de plantação, ele passa a enfrentar preconceitos raciais e sociais para lutar pelo amor proibido que surge entre os dois.

(Foto: Divulgação)

Os Piores Padrinhos (Comédia): Ainda se recuperando de um colapso pela perda de sua mãe, o mundo de Anna é abalado novamente quando sua irmã mais nova Claire, anuncia que está noiva. Convencida de que sua irmã está se casando pelas razões erradas, ela se une ao padrinho, que acredita que seu amigo também está cometendo um grande erro, para fazer o que for preciso para sabotar o noivado.

(Foto: Divulgação)

WARNER BROS. PICTURES ANUNCIA TÍTULO DO NOVO FILME DA FRANQUIA INVOCAÇÃO DO MAL NA CCXP 2019

“Invocação do mal 3” tem título revelado. (Foto: Divulgação)

Os atores Vera Farmiga e Patrick Wilson se reúnem novamente em Invocação do Mal 3 – A Ordem do Demônio

Os demonologistas Lorraine e Ed Warren voltam para os cinemas em 2020 em Invocação do Mal 3 – A Ordem do Demônio. O anúncio do título em português do novo longa do universo de terror foi feito com exclusividade durante o painel da Warner Bros Pictures na CCXP 2019 no último domingo, 8/12. Além do título, o público ainda pode conferir a exibição inédita das primeiras cenas do filme. Logo após o painel, o produtor James Wan revelou o título na versão original (“The Conjuring – The Devil Made Me Do It”) por meio de seu Instagram.

Com estreia prevista para 10 de setembro de 2020, Invocação do Mal 3 – A Ordem do Demônio traz novamente Patrick Wilson e Vera Farmiga como Ed e Lorraine Warren, sob a direção de Michael Chaves.

Sobre o filme

Invocação do Mal 3 – A Ordem do Demônio revela uma história assustadora de terror, assassinato e um desconhecido mal que chocou até os experientes investigadores de atividades paranormais Ed e Lorraine Warren. Um dos casos mais sensacionais de seus arquivos, começa com uma luta pela alma de um garoto, depois os leva para além de tudo o que já haviam visto antes, para marcar a primeira vez na história dos Estados Unidos que um suspeito de assassinato alegar ter tido uma possessão demoníaca como defesa.

Patrick Wilson e Vera Farmiga voltam a estrelar como Ed e Lorraine Warren, sob a direção de Michael Chaves. O filme também é estrelado por Ruairi O’Connor, Sarah Catherine Hook e Julian Hilliard.

Invocação do Mal 3 – A Ordem do Demônio foi produzido por James Wan e Peter Safran, que colaboraram em todos os filmes do universo Invocação do Mal. Chaves (“A Maldição da Chorona”), dirigiu o roteiro de David Leslie Johnson-McGoldrick (“Invocação do Mal 2” e “Aquaman”), história de James Wan e David Leslie Johnson-McGoldrick. Richard Brener, Dave Neustadter, Victoria Palmeri, Michael Clear, Judson Scott e Michelle Morrissey estão como produtores executivos.

A equipe criativa por trás dos bastidores reúne colaboradores do universo Invocação do Mal, incluindo o diretor de fotografia Michael Burgess, a designer de produção Jennifer Spence, a figurinista Leah Butler e o compositor Joseph Bishara, junto com o diretor de direção de “A maldição da Chorona”, Peter Gvozdas.

Invocação do Mal 3 – A Ordem do Demônio é o sétimo filme do universo Invocação do Mal, a maior franquia de terror da história, que arrecadou mais de US $ 1,8 bilhão em todo o mundo. Inclui os dois primeiros filmes de Invocação do Mal, bem como “Annabelle” e “Annabelle: A Criação do Mal”, “A Freira” e “Annabelle 3 – De Volta Para Casa”.

O filme estreia nos cinemas brasileiros em 10 de setembro de 2020. É uma apresentação da New Line Cinema que será distribuída pela Warner Bros. Pictures.

Elenco de “Aves de Rapina (Arlequina e sua emancipação fabulosa)” falam sobre o filme, em coletiva

Por Luigi Buratto e Thuane Piccolo

Na quinta-feira, 05 de Dezembro de 2019, a CCXP abriu o seu primeiro dia, com ingressos esgotados, o evento contou com a presença de diversas e ilustres celebridades. Dentre elas, o elenco de “Aves de Rapina”, novo filme produzido pela diretora Cathy Yan, e estrelado por ninguém menos que Margot Robbie, a nossa anti-heroína favorita, a Arlequina. 

O filme mostra a trajetória da Harley Quinn após os acontecimentos de “Esquadrão Suicida”, a suposta separação entre ela e o Coringa e, então, sua emancipação fantabulosa, onde ela tenta descobrir sua própria identidade e acaba conhecendo um grupo de garotas com um mesmo objetivo. 

No dia seguinte, tivemos a oportunidade de participar da coletiva de imprensa, reunindo todo o elenco novamente, produtores e diretora. 

“Me apaixonei pela personagem desde Esquadrão Suicida, e senti que ela merecia ser melhor explorada”, disse Margot Robbie ao ser perguntada sobre o retorno da personagem. 

Durante a coletiva de imprensa com o elenco de Aves de Rapina, a diretora Cathy Yan, e produtores. (Foto: Thuane Piccolo)

Ainda completou “Foi uma honra trabalhar com a roteirista Christina Hodson, ela tem a capacidade de pegar ideias abstratas e dar um jeito de fazê-las acontecerem.”   

A atriz nos conta como foi o processo para dar vida a uma Gotham colorida e animada, mostrada de dia, diferente das versões sombrias da cidade de Bruce Wayne, que estamos acostumados a ver. 

FÃS COMO A GENTE

Quando perguntadas sobre como se sentiam participando desse icônico universo da DC nos cinemas, as atrizes se dividiram em respostas que remetiam suas infâncias, os filmes do Batman, as HQs e antes de tudo, como já eram fãs desse universo. “Eu conheci a Canário Negro pela primeira vez, jogando Injustice 2, no videogame”, disse Jurnee Smollett-Bell, mostrando seu lado nerd, falando sobre sua personagem no filme e como ela se sentiu honrada com o convite para interpretá-la. 

Rosie Perez complementa: “O fato de sermos mulheres fortes, independentes e estarmos arrebentando pela cidade, é a cereja do bolo” 

PREPARAÇÃO FÍSICA 

A diretora contou um pouco sobre como foram feitas as cenas de ação do filme. As atrizes tiveram um treinamento árduo, trabalharam por cinco meses, deixando as cenas muito mais realistas e bem coreografadas. Elas foram instruídas a fazer o máximo de cenas que conseguissem sozinhas, entretanto, o elenco foi auxiliado pela 87 Eleven, uma ótima companhia de dublês, que já trabalhou com grandes filmes como John Wick.  

Rosie comentou “Eu já tenho uma certa idade e no primeiro dia de treinamento, eu senti meu joelho falhar… Fui aconselhada a ser levada para o hospital ou então continuar treinando e fortalecendo meus outros músculos, e me senti inspirada a continuar …foi uma experiência transformadora. Eu estou numa forma física muito melhor do que já estive em 15 anos” 

As atrizes contaram como foi difícil realizar algumas cenas, pois a diretora insistia para que elas gravassem lutas de um a dois minutos ininterruptos e caso alguém errasse, seria necessário que gravar tudo novamente. Jurnee lembrou de uma vez, na qual haviam gravado uma longa cena, várias vezes, e Cathy dizia “Meninas, me perdoem, mas eu vou precisar que vocês gravem mais uma vez” e Margot respondia indignada “Porquêêê?”. A diretora reiterava que fazia as cobranças, pois sabia que as garotas eram capazes de aguentar. 

ÍCONES DE EMPODERAMENTO

De uns tempos pra cá, as mulheres estão cada vez mais se tornando um símbolo de justiça, igualdade e resistência. Nós podemos observar isso através do cinema, quando vemos grandes filmes sendo estrelados  por personagens femininos.

Margot nos fala que nunca imaginou que a personagem dela um dia pudesse virar um ícone de luta pelo feminismo, pois a Harley é emocionalmente desequilibrada, e acabou de sair de uma relação tóxica, tão cheia de falhas. 

“É difícil porque eu me sinto responsável por sempre passar uma mensagem positiva para este mundo, em todos os meus projetos, eu sempre tento ser a melhor pessoa que posso, e ao mesmo tempo, temos que nos manter fiéis aos personagens, à nossa história… Então eu ainda não entendo o porque as pessoas se identificam com a personagem, eu sei o porque elas a amam, mas talvez seja justamente por causa das suas imperfeições. E talvez seja exatamente isso que o cinema precisa mostrar com mais frequência, as falhas e imperfeições dos personagens principais”, falou Margot

Perez menciona como foi interpretar sua personagem, a detetive Montoya, em um cenário machista, onde ela precisava se reinventar todos os dias, ser forte e nunca desistir. Por várias vezes, ela era dispensada dos casos, se sentia frágil e injustiçada. Acho que a melhor mensagem sobre o feminismo é justamente o fato dela não desistir, ela continuava indo para o trabalho todos os dias, e então, ela finalmente achou as forças necessárias para se demitir, e fez isso de cabeça erguida. Feminismo não é só sobre as mulheres. É sobre igualdade”

MATERIAL FIEL AS ORIGENS?

Cathy diz que o filme não é totalmente baseado em alguma edição específica dos quadrinhos, porém teve suas inspirações nos Novos 52, e que o grupo Aves de Rapina segue uma linha de roteiro original, sem perder os traços dos personagens.

A diretora e roteiristas tiveram o trabalho de trilhar uma aventura inédita que tivesse sentido nessa nova fase do universo DC e da personalidade de Harley. “A Arlequina é uma anti-heroína, porém ela não é má.” diz Margot Robbie, citando uma de suas HQs favoritas, Blue Eyes, e fazendo relação com sua personagem.

MULHER-MARAVILHA 1984: GAL GADOT E PATTY JENKINS CONTAM SOBRE O FILME

Por Luigi Buratto e Thuane Piccolo

No dia 08 de Dezembro de 2019, na CCXP 2019, foi lançado o trailer oficial do novo filme da Mulher-Maravilha. Os produtores fizeram um ótimo trabalho em manter as informações em sigilo, pois até agora, não foi divulgada nem a sinopse dele.

Nesse mesmo dia a diretora, Patty Jenkins, e a atriz, Gal Gadot, estavam na coletiva de imprensa, da qual tivemos o privilégio de participar, e você pode conferir logo abaixo, os melhores tópicos dessa entrevista.

Sessão de fotos antes da coletiva. (Foto: Thuane Piccolo)

SEGUINDO AS PEGADAS DO PASSADO

Patty Jenkins, a diretora do filme, nos conta como foi diferente realizar o segundo filme, pois não havia mais aquele clima tenso da Primeira Guerra Mundial e ela pode trazer um aspecto mais colorido, vibrante e animado para uma ambientação moderna. “Foi muito divertido fazer essas cenas, onde a Mulher-Maravilha se encontrava num mundo moderno, junto com Steve (Chris Pine), e todos estes maravilhosos vilões…”

“Um dos elementos mais incríveis de poder fazer um filme que se passa nos anos 80, é que tudo é muito autêntico, parece que nós realmente voltamos no tempo. Foi uma ótima escolha de fazer este filme nessa época”, comenta Gal Gadot.

GIRL POWER

Além de ser um ícone feminista, e inspiração de muitas mulheres, Patty nos diz que Diana é uma personagem que luta não somente pelas mulheres, mas assim como Super-Homem, é um símbolo de força e igualdade para todo o mundo. “Ela vive em tempos machistas, onde as mulheres precisam ser protegidas, no entanto ela não precisa disso, pois ela é fodona.”

“Eu sou uma mulher forte, independente, e quando me perguntavam que tipo de papel eu queria interpretar, eu sempre dizia exatamente isso. E é engraçado, porque se você olhar para trás, você não vê muitos filmes assim.”, disse Gal, quando questionada sobre o ícone que a Mulher-Maravilha havia se tornado.

Ela contou que teve uma experiência única ao assistir pela primeira vez o filme “Teve uma cena que me tocou muito e eu estava assistindo não como Gal Gadot, a atriz, mas como Gal, a menina que nasceu no subúrbio de Israel. Eu fiquei tão emocionada que comecei a chorar e, chegando em casa, falei para o meu marido: eu sei que você vai adorar o filme, mas quando chegar nessa parte, tenho certeza que não vai te tocar do mesmo jeito que me tocou. Porque você viveu essa emoção a vida toda, sendo um homem, mas eu não e poder agora fazer parte de um trabalho tão grande, é incrível.”

Além de ser uma atriz completa, Gal quando mais jovem já serviu o exército de Israel. Nas forças armadas por dois anos após completar o colegial. Isso serviu como exemplo para compor a personagem, que possui cenas de lutas complexas, e mostrar o quanto ela é dedicada e impecável.

A atriz encerrou o tópico encorajando todas as mulheres a serem fortes e nunca desistirem de seus sonhos e ainda deixa um recado para todas aquelas que já sofreram ou sofrem abusos. Busquem ajuda sempre, seja contando pra sua família, polícia, ou amigos, não lutem sozinhas”.

Patty Jenkins e Gal Gadot na coletiva de imprensa de Mulher Maravilha 1984. (Foto: Luigi Buratto)

PROXIMOS PASSOS

A diretora disse que sempre imaginou uma trilogia para a história da Diana Prince e que já andou discutindo algumas ideias com a Gal, sobre um possível terceiro filme. Claro, muitas dessas ideias só serão implementadas caso MM84 seja um sucesso de bilheteria, mesmo assim, ela se mostra otimista e animada para encerrar seu trabalho de forma magistral.

Citando uma das últimas falas do primeiro filme, Diana diz “Eu ficarei aqui e vou lutar pela humanidade”, e é exatamente isso que podemos esperar nessa sequência.

Patty nos dá um spoiler sobre um novo filme que está produzindo, um spin-off do universo da Mulher-Maravilha, e teremos como personagens principais as Amazonas. Esse não contará com a presença de Gal Gadot, mas Patty afirma que está muito ansiosa para poder mostrar a sua visão destas magníficas guerreiras de Themyscira.

Quando questionada sobre qual outro super-herói ela gostaria de fazer um filme, ela respondeu “Meu segundo herói favorito é o Superman, então, nunca se sabe… Mas eu amo minha Mulher Maravilha”

Gal fala sobre como está sendo a evolução da sua personagem do primeiro filme, onde Diana se mostrava perdida no mundo dos homens, e pouco a pouco foi aprendendo sobre as complexidades humanas, ganhando a confiança deles e se tornando cada vez mais envolvida nesse mundo. Já na continuação, após algumas décadas, ela se vê trabalhando sozinha, nas sombras, sem amigos, pois todos se foram com o passar dos anos, e ela continua ajudando a proteger os seres humanos da melhor forma possível.

MANO A MANO

Gadot se pronuncia sobre a ausência de armas usadas pela Diana no novo filme “Nós nos livramos da espada, pois isso remete à violência e a Diana não precisa disso. Também achamos desnecessário o uso do escudo, pois ela é uma Deusa, super forte e sabe se defender. Ela tem seus braceletes e seu laço e é tudo que ela precisa.

Ou seja, neste novo filme, podemos esperar cenas de ação mais intensas, melhor coreografadas e muito mais corpo à corpo.

Cartaz oficial do novo filme Mulher Maravilha 1984, estréia Junho de 2020. (Foto: Thuane Piccolo)

STEVE TREVOR DE VOLTA?

Após sua possível morte no primeiro filme, Steve Trevor nos deixa apenas uma memória de que o par romântico de Diana se foi. Porém, Patty nos afirma que ele estará de volta, e que esta medida foi premeditada já durante as gravações do primeiro. “Nós temos uma ótima razão para trazer o Steve de volta, e ele é uma parte fundamental para esta sequência. Não o trouxemos apenas porque ele fez sucesso, mas sim pois ele complementa o arco desta nova história”.

Confira abaixo o trailer, que foi lançado com exclusividade na CCXP, durante o painel de MM84.

O FIM DE UMA ERA! CINÉPOLIS ANUNCIA COMBO EXCLUSIVO DE STAR WARS: A ASCENSÃO SKYWALKER, A CONCLUSÃO DA SAGA ÉPICA

Combo do Cinépolis para o último filme da saga Star Wars. (Foto: Divulgação)

As vendas do combo começam dia 12 de dezembro, em todos os complexos da rede

A rede Cinépolis, maior operadora de cinemas da América Latina e segunda maior do mundo em ingressos vendidos, anuncia que as vendas do combo promocional do filme “Star Wars: A Ascensão Skywalker” começam no dia 12 de dezembro, com um balde exclusivo em 3D no formato da cabeça do novo Sith Trooper, um dos soldados da Primeira Ordem.   

O combo é composto por duas bebidas, que podem ser refrigerante ou suco, uma pipoca grande e um balde 3D exclusivo do filme.

Concluindo a famosa história da família Skywalker, “Star Wars: A Ascensão Skywalker” apresenta a conclusão épica da saga de uma galáxia muito muito distante. O episódio 9 trará a tão esperada batalha final entre a Primeira Ordem e a Resistência, e a conclusão da nova trilogia que começou em 2015, com “Star Wars: O Despertar da Força”

Com direção de J.J. Abrams, “Star Wars: A Ascensão Skywalker” chega ao Brasil em 19 de dezembro.

Os fãs da saga “Star Wars” já podem adquirir os ingressos na pré-venda por meio do link: https://www.cinepolis.com.br/pre-vendas/.

SINOPSE
A Lucasfilm e o diretor J.J. Abrams unem forças mais uma vez para levar os espectadores em uma jornada épica por uma galáxia muito, muito distante com Star Wars: A Ascensão Skywalker, a eletrizante conclusão da inspiradora saga Skywalker, onde novas lendas nascerão e a batalha final pela liberdade ainda está por vir

Ficha Técnica
Star Wars: A Ascensão Skywalker
EUA, 2019.
Ação| Fantasia
Diretor: J.J. Abrams
Elenco:  Adam Driver, Daisy Ridley, Domhnall Gleeson, John Boyega, Keri Russell, Mark Hamill, Oscar Isaac, Lupita Nyong´o, Carrie Fisher, Ian McDiarmid, Billy Dee Williams, Joonas Suotamo, Anthony Daniels, Jimmy Vee
Duração: 155 minutos.
Distribuidora: Disney / Buena Vista

‘Rambo – Até o Fim’ e os lançamentos da semana no Looke

(Foto: Divulgação)

Confira os filmes recém-saídos do cinema e outros lançamentos que estreiam até esta quinta-feira (5) no Looke, serviço brasileiro de streaming. Tem também novidade no Vídeo Club, área da plataforma destinada aos assinantes.

  • Rambo – Até o Fim (Ação, Drama): O tempo passou para Rambo (Sylvester Stallone) e agora ele vive recluso e trabalha em um rancho que fica na fronteira entre os Estados Unidos e o México. Sua vida antiga marcada por lutas violentas, mas quase sempre vitoriosas, ficou no passado. No entanto, quando a filha de um amigo é sequestrada, Rambo não consegue controlar seu ímpeto por justiça e resolve enfrentar um dos mais perigosos cartéis do México.
  • Acho que Matei minha Chefe (Comédia): Paige Davis acaba de ser promovida a presidente de vendas em seu trabalho. Depois de uma noite de festa, Paige e suas amigas surpreendentemente acordam com sua chefe morta.
  • Luta de Classes (Comédia, Drama): Sofia e Paul são os pais de Corentin, um menino que vê todos seus amigos de sala mudarem para outro colégio e agora está sofrendo. O casal terá que superar os conflitos ideológicos e enfrentar uma verdadeira “luta de classes” para que o filho recupere a alegria.
  • Apoteose Digital (Documentário): Um documentário sobre o submundo dos influenciadores digitais e a obsessão pelo sucesso virtual. Segue de perto a história de uma estudante de moda com o sonho de ser digital influencer.