Arquivo da categoria: Livros

A casa assombrada por um passado escravagista

Imaginário popular, terror e um retrato do Brasil se encontram em novo suspense sobrenatural do escritor carioca Jefferson Sarmento

(Foto: divulgação)

Localizada nas serras de Mata Atlântica da região de Juiz de Fora, Minas Gerais, a Fazenda Santa Clara abriga história e um dos locais mais emblemáticos do período escravocrata. Foi a propriedade, em que homens negros moldaram nas próprias coxas as telhas da casa com 365 janelas, que inspirou o escritor Jefferson Sarmento em seu quinto livro de terror.

O enredo de A Casa das 100 janelas gira em torno do fictício Solar dos Fortes, uma velha construção que remete às antigas fazendas localizadas entre o Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. Os elementos do passado colonial e escravagista brasileiro são a base para contar uma jornada de remissão e de horror fantástico nos dias atuais.

O protagonista desta história é Chico Rezende, um homem negro que, quando criança, deixou a cidade após seu pai ser acusado de assassinar Adélia Fortes, a esposa do patrão. Ele volta a Bel Parque depois de 30 anos para recuperar o passado perdido e redimir os pecados e horrores que assombram uma velha casa amaldiçoada.

Ele não respondeu. Dani continuou seguindo na direção da porta.
Ganhou o corredor. Os gemidos vinham do banheiro no fim. Passou
pela porta do quarto do filho — estava fechada, ele tinha um sono de
pedra; ela achava. A luz do banheiro estava acesa.
Quando abriu a porta, viu o marido encolhido no chão entre o vaso
e a pia. Ele tremia, abraçado a si mesmo, chorando. Mordia os lábios e
saía sangue de sua boca. (A Casa das 100 Janelas, p. 130)

Ao trazer o imaginário popular e a história brasileira como ponto de partida para o thriller, o autor promove e contribui para a ainda tímida literatura nacional do gênero. “É uma história de horror numa cidade brasileira, com todas as características que identificam esse lugar, com vínculo no nosso passado histórico, dramas familiares e sociais presentes no cotidiano”, comenta.

Jefferson Sarmento aprendeu a gostar de histórias de horror com O Fortim, de F. Paul Wilson, mas foi com Stephen King que veio a maior inspiração – de Cemitério a It, A Coisa, passando por O Iluminado e A Hora do Vampiro. E são adultos como ele – adolescentes na década de 1980 – e o público jovem aficionado pela literatura de horror de quem o autor espera maior adesão.

Ficha técnica
Título: A Casa das 100 Janelas
Autor: Jefferson Sarmento
Editora: Tramatura
ISBN: 9786500217500
Páginas: 512
Formato: 16x23cm
Preço: R$ 71,00 e R$ 9,90 (eBook)
Link de venda: Amazon

Sinopse: Ao voltar para sua cidade natal, depois de trinta anos que seu pai foi acusado de assassinato, Chico Rezende precisa literalmente enfrentar seus velhos fantasmas – e os da cidade – para recuperar seu passado perdido e redimir os pecados e horrores que assombram uma velha casa amaldiçoada.

Rocco lança livro de Pete Townshend, guitarrista e compositor da banda The Who

Concebido como uma ópera rock, “A era da ansiedade” é o romance de estreia do músico

(Foto: divulgação)

Em seu romance de estreia, a lenda do rock Pete Townshend explora a ansiedade e a loucura da vida moderna através de duas gerações de uma família londrina, seus amantes, colaboradores e amigos. O livro “A era da ansiedade”, que teve sua história concebida para ser uma ópera rock, será lançado no Brasil pela editora Rocco no dia 30 de julho.

Impulsionados pela paixão e pela ambição musical, quatro vidas se encontram em uma espiral fora de controle – drogas leves, drogas pesadas, amores perdidos e reencontrados, famílias desfeitas e refeitas. Alucinações e paisagens sonoras assombram a narrativa, nos revelando uma meditação profunda sobre o mundo atual, loucura e genialidade, além do lado obscuro da arte e da criatividade.

Entre os personagens está um cultuado e decadente astro do rock, que desaparece na região montanhosa da Cúmbri, se tornando um pintor ermitão cujas obras evocam visões apocalípticas; um negociante de arte, sob efeito de drogas pesadas, que tem visões de rostos demoníacos gritando na guarda de sua cama; uma bela jovem irlandesa, que ainda criança esfaqueou o próprio pai para salvar a irmã de abusos recorrentes, e está determinada a conquistar o marido de sua melhor amiga; e um jovem compositor inglês em ascensão que começa a ter alucinações auditivas durante seus shows e crê estar ouvindo as manifestações de medo e ansiedade de seu próprio público.

RADIOATIVOS: Marie & Pierre Curie, uma história de amor e contaminação, de Lauren Redniss

Livro que deu origem a Radioactive, filme da Netflix estrelado por Rosamund Pike e dirigido por Marjane Satrapi, autora da graphic novel Persépolis, Radioativos é uma belíssima biografia ilustrada que conta a trajetória espetacular da física Marie Curie e de seu marido Pierre

(Foto: divulgação)

Radioativos conta a história de Marie Curie, a física polonesa radicada na França famosa por seu trabalho com a radioatividade – e a primeira pessoa a ganhar o Nobel duas vezes. O livro mostra sua infância, sua história de amor e colaboração científica com o marido Pierre, e a maneira como suas descobertas, que incluíam o rádio e o polônio, os envenenaram em câmera lenta.

Para as ilustrações, a autora usou um processo chamado impressão cianotipada, em que um desenho, através de um processo químico que envolve luz solar, se transforma numa espécie de negativo brilhante do original. E a partir de entrevistas com cientistas, engenheiros, sobreviventes de bombas atômicas e a neta de Marie e Pierre Curie, Redniss recriou com fidelidade a atmosfera e os embates científicos da Paris fin de siècle. Com um texto extraordinário e ilustrações deslumbrantes, Radioativos é uma narrativa vibrante, uma história de amor cheia de emoção e, sobretudo, uma obra de arte perfeita.

“De repente, as cores florescem com uma força intensa, a história se contrai em um par de figuras alongadas fechadas num abraço, depois se expande novamente numa explosão de palavras. Neste livro totalmente original sobre paixão e descoberta, Lauren Redniss inventou uma forma única de contar uma história.” – Nicole Krauss

“Pura genialidade imaginativa.” – Malcolm Gladwell

FICHA TÉCNICA

Título original: Radioactive: Marie & Pierre Curie: A Tale of Love and Fallout

Tradução: Antônio Xerxenesky

Páginas: 208

Selo: Quadrinhos na Cia

LANÇAMENTO: “Devoradores de estrelas”, de Andy Weir

Neste novo thriller científico de Andy Weir, autor best-seller de Perdido em Marte, um astronauta precisa encontrar sozinho um jeito de salvar a Terra da destruição. Direitos já foram vendidos para o cinema e filme será estrelado por Ryan Gosling

(Foto: divulgação)

Ryland Grace é o único sobrevivente de uma desesperada missão de emergência — se ele falhar, toda a humanidade e o planeta Terra serão destruídos.

Mas no momento ele não sabe disso. Ryland não se lembra nem do próprio nome, muito menos de sua missão ou de como cumpri-la. Tudo o que ele sabe é que dormiu por muito, muito tempo. E que despertou a milhões de quilômetros de casa, com apenas dois cadáveres como companhia.

Com os colegas de tripulação mortos e as memórias confusas retornando aos poucos, Ryland vai perceber a tarefa impossível que tem nas mãos. Viajando pelo espaço em sua pequena nave, cabe a ele descobrir a resposta para um enorme mistério científico — e derrotar a ameaça de extinção da nossa espécie.

O tempo está acabando, e o humano mais próximo está a anos-luz de distância, então Ryland terá que fazer tudo isso sozinho.

Ou será que não?

“Dois mundos em perigo, um astronauta competente (mas humano e cheio de falhas), inúmeros mistérios científicos para resolver, e toda a humanidade em risco. Qualquer fã de ficção científica das antigas (como eu) vai amar.” — George R.R. Martin, autor de A guerra dos tronos

“Ler Devoradores de estrelas é como ir em uma excursão ao espaço sideral com o melhor professor de Ciências que existe — e a tarefa da sua turma é salvar o mundo. Uma das viagens mais originais, envolventes e divertidas que já fiz.” — Ernest Cline, autor de Jogador Nnº 1

“Sempre fico impressionado com a forma como Weir escreve ficção científica de um jeito maravilhosamente acessível, sem comprometer nem a ciência nem a ficção. Um livro que posso indicar para qualquer pessoa com a certeza de que ela vai adorar.” — Brandon Sanderson, autor de Mistborn

ANDY WEIR mora na Califórnia e trabalhou por vinte anos como engenheiro de software, até que o sucesso de seu primeiro livro, Perdido em Marte, lhe permitiu realizar o sonho de se tornar escritor em tempo integral. Apaixonado pelo espaço desde sempre, seus hobbies incluem estudar teoria da relatividade, mecânica celeste e a história de voos espaciais tripulados. Ele também faz ótimos coquetéis.

Os Dálmatas mais conhecidos da Disney voltam a ser destaque nos Clássicos Inesquecíveis

Editora Melhoramentos traz edição especial “101 Dálmatas” e “A Pequena Sereia”

(Foto: divulgação)

´´101 Dálmatas``, da coleção Clássicos Inesquecíveis, traz uma edição com capa dura e lindas ilustrações desta grande aventura da Disney. Na história, os filhotes de Pongo e Perdita são sequestrados pela malvada Cruella De Vil e precisam de ajuda para se salvar. A trama reforça valores familiares e apresenta personagens interessantes com atributos como determinação, coragem e criatividade.

A obra da Editora Melhoramentos é uma combinação perfeita para atrair grandes e pequenos leitores, além de ser uma ótima opção de presente para crianças e para os fãs da trilogia Descendentes da Disney, que traz Cameron Boyce como filho da Cruella de Vil na trama. Acabou de ser lançado também o live action ´´Cruella“, com Emma Stone no papel da vilã.

(Foto: divulgação

Completando a nostalgia de quem viveu a década de 90, a Editora Melhoramentos traz ainda a sereia mais famosa do universo infantil, criada pelo escritor dinamarquês Hans Christian Andersen: a Ariel. ´´A Pequena Sereia“, da coleção Clássicos Inesquecíveis, conta a história da valente e apaixonada sereia que, em busca do amor, abandona o mar para encontrar seu príncipe Eric na terra.

Após 32 anos do primeiro filme, essa história de amor repleta de momentos divertidos, em sua maioria por causa do falante e atrapalhado caranguejo Sebastião, volta para encantar as crianças da nova geração e proporcionar momentos especiais em família.

Ficha técnica

Obra: Clássicos Inesquecíveis 101 Dálmatas
Autor: Disney
Tradutor: Melhoramentos
Número de páginas: 68
Altura: 28,5 cm
Largura: 23,5 cm
ISBN: 978-65-5539-234-0
Preço sugerido: R﹩ 49,00

Obra: A Pequena Sereia
Autor: Disney
Tradutor: Melhoramentos
Número de páginas: 72
Altura: 28,5 cm
Largura: 23,5 cm
ISBN: 978-65-5539-235-7
Preço sugerido: R﹩ 49,00

Lançamento Geektopia – “Godzilla: O maior monstro da historia”

A edição exclusiva apresenta uma história que dosa adequadamente os momentos de drama, ação e suspense, além de contar com o prefácio de Mauricio Muniz, reconhecido como jornalista e editor do mundo geek

(Foto: divulgação)

Em breve, a Geektopia um dos selos do Grupo Novo Século trará o lançamento da maior criatura das telinhas, “Godzilla: O maior monstro da história”. A nova HQ apresenta uma grande aventura que será dividida em dois volumes.

Nessa obra, os seres humanos estão tentando se adaptar ao novo cenário que está repleto de criaturas estranhas e assustadoras, que a qualquer instante podem causar grandes estragos e diversas mortes. Mas nem tudo está perdido, quatro amigos corajosos se juntaram para caçar e deter esses peculiares bichos.

Contudo, a editora dá início a mais um capítulo dessa história de quase setenta anos do grande monstruoso.

O Godzilla é um enorme monstro fictício, que surgiu nos filmes japoneses de terror e de ficção cientifica. O monstro surgiu por uma explosão nuclear, seu tamanho e sua grande força evocam a fúria das bombas atômicas lançadas em Nagasaki e Hiroshima. Ele é conhecido por conta de sua semelhança a um dinossauro, quase indestrutível e capaz de lançar uma forma de fogo ou raio pela boca. Apareceu pela primeira vez no filme “Gojira” em 1954.  

Rocco lança “O Conto da Aia” e “Os Testamentos” em edição especial

A Rocco vai lançar no dia 30 de maio, edições em capa dura, nova diagramação e guarda fitilho de “O Conto da Aia” e “Os Testamentos”, da Margaret Atwood. O primeiro livro tem posfácio inédito da autora. A lateral das folhas também são coloridas, o que deixa a edição ainda mais especial.

Os exemplares também acompanham um marcador e um card com as frases  “Nolite te bastardes carborundorum” (que significa “Não permita que os bastardos reduzam você a cinzas”) e “Liberdade para as mulheres de Gilead”.

No texto inédito, Atwood reflete sobre as perguntas que mais fazem para ela. Uma delas é se o livro é uma previsão e ela responde: “Não, não é uma previsão, porque é impossível prever o futuro: existe um número grande demais de variáveis e de possibilidades imprevistas. Digamos que é uma antiprevisão: se este futuro pode ser descrito em detalhes, talvez ele não aconteça. Mas não podemos também confiar neste pensamento otimista.”

A quarta temporada de “Handmaid’s Tale”, série inspirada em “O Conto da Aia”, foi lançada este mês na Paramount.

LANÇAMENTO: “Não existe amanhã”, segundo volume da trilogia que deu origem à série “Killing Eve”

No segundo volume desta sedutora trilogia de espionagem que deu origem à série Killing Eve, Villanelle e Eve se preparam para um confronto inesquecível

(Foto: divulgação)

Em um quarto de hotel em Veneza, onde acabou de concluir um assassinato de rotina, Villanelle recebe um telefonema tarde da noite.

Eve Polastri, a funcionária do governo inglês que está em seu encalço há meses, conseguiu rastrear um oficial do MI5 a serviço dos Doze e está prestes a levá-lo a interrogatório. Enquanto Eve se prepara para procurar respostas, tentando desesperadamente encaixar as peças de um terrível quebra-cabeça, Villanelle avança para o abate.

O duelo entre as duas mulheres se intensifica, assim como sua obsessão mútua, com a ação passando dos altos picos do Tirol até o coração da Rússia. Eve enfim começa a desvendar o enigma da identidade de sua adversária, e Villanelle se pega correndo riscos cada vez maiores para se aproximar da mulher que pode ser sua ruína.

Um thriller cheio de descrições chocantes e também sensuais, Não existe amanhã é brilhante ao narrar a mente psicótica de uma assassina e a caçada apaixonada de sua nêmesis, aproximando duas rivais a ponto de não saberem mais se estão uma contra a outra… ou mais unidas do que nunca. 

“Um thriller inebriante e tremendamente divertido.” — The Guardian

“Divertido, inteligente e com um humor sombrio.” — The New York Times

“Um livro cativante, que monta habilmente um desfecho em que as duas mulheres precisam desafiar seus chefes homens e as organizações por trás deles.” — The Sunday Times

“Este livro é ainda melhor que a série de TV. Inspirado em clássicos thrillers de espionagem, Luke Jennings oferece novamente um banquete ao leitor.” — The Evening Standard

LUKE JENNINGS é autor do livro de memórias Blood Knots, finalista dos prêmios Samuel Johnson e William Hill, e de diversos romances, incluindo Atlantic, finalista do Man Booker Prize. Como jornalista, já escreveu para The Observer, Vanity Fair, The New Yorker e Time. Visite seu site: lukejennings.com

Rocco lança no Brasil “Nomadland – Sobrevivendo na América do século XXI”, da premiada jornalista Jessica Bruder

Livro-reportagem que deu origem ao grande ganhador do Oscar de 2021 conta a história de norte-americanos que perderam suas casas e passaram a viver como nômades após a crise de 2008

(Foto: divulgação)

 A Editora Rocco lança em maio “Nomadland – Sobrevivendo na América do século XXI”, da premiada jornalista Jessica Bruder. Nele a autora acompanha diferentes personagens que, após a grande recessão econômica de 2008, passaram a viver em trailers, ônibus e vans, formando uma crescente comunidade de nômades. O livro-reportagem inspirou o longa-metragem de mesmo nome, estrelado por Frances McDormand e dirigido pela chinesa Chloé Zhao, e foi vencedor do Oscar de Melhor Filme e outras estatuetas como Melhor Atriz e Melhor Direção.

No livro, Jessica Bruder conta a história de pessoas “sem casa”, em sua maioria idosos como Linda May, que com uma aposentadoria de apenas 500 dólares, não pode pagar um aluguel ou uma hipoteca. Assim como outros, ela vive em um automóvel e roda pelas estradas dos Estados Unidos em busca de trabalhos temporários. Dos campos de beterraba da Dakota do Norte aos acampamentos da Floresta Nacional de San Bernardino, na Califórnia, empregadores descobriram nesse grupo de nômades uma nova força de trabalho educada, disposta e de baixo custo.

Recusando o rótulo de “sem teto”, os nômades compartilham seus sonhos e a vida em comunidade – se ajudam na montagem dos veículos e com as refeições do dia, por exemplo. Apesar da maioria serem idosos, há alguns jovens também com dívidas estudantis e sem dinheiro para construir suas vidas.

A bordo de um veículo de segunda mão, Bruder segue os passos dessas pessoas e percorre vários estados, encontrando personagens como um ex-professor, um ministro, um administrador de faculdade, uma ex- garçonete, entre tantos outros.

NOMADLAND – Sobrevivendo na América do século XXI

Jessica Bruder

Tradução: Ryta Vinagre

Número de páginas: 304

Dimensões: 16 x 3 x 23 cm

Preço: R$ 59,90

Elogiado por Stephen King, ‘Meu amor absoluto’ e sua heroína inesquecível chegam ao Brasil

Com uma linguagem marcante em um ambiente natural e feroz, Meu amor absoluto (Verus), de Gabriel Tallent, é uma leitura profunda e comovente contada com urgência e marca a estreia de um novo e extraordinário escritor. Best-seller do New York Times, a história tem tudo para arrebatar os leitores e as leitoras brasileiras

(Foto: divulgação)

Muito elogiado e merecedor de destaque na imprensa internacional à época de seu lançamento, Meu Amor Absoluto traz novamente um conflito antigo da literatura, o drama de amadurecer, mas narrado por Gabriel Tallent, escritor nascido no Novo México e criado por duas mães, o que poderia ser um clichê reproduzido ganha ares de novidade e originalidade. É o que destaca a crítica, por exemplo, do The Times. Para ser bem objetivo, Meu amor absoluto é uma leitura brilhante, imersiva e arrebatadora sobre a luta de uma garota por sua própria alma. A leitura fluida e arrebatora de Tallent nos conduz pelas páginas a descobrir não só os caminhos de Turtle, a protagonista, mas também uma ambiciosa personagem da literatura: uma nova heroína, por assim dizer, de sua geração.

Turtle Alveston é uma sobrevivente. Aos catorze anos, ela perambula pela floresta ao longo da costa norte da Califórnia. Os riachos, as poças e as ilhas rochosas são seus refúgios e seus esconderijos. Mas, enquanto seu mundo físico é amplo, seu mundo pessoal é pequeno e traiçoeiro: desde a morte de sua mãe, Turtle vive isolada, com seu pai, Martin, que a tortura e ao mesmo tempo a ama. Sua existência social se resume ao ensino médio (onde ela afasta qualquer pessoa, estudante ou professor, que possa se interessar por sua vida) e ao seu pai.

Então Turtle conhece Jacob, um garoto do ensino médio que conta piadas, vive em uma casa grande e limpa e olha para Turtle como se ela fosse o nascer do sol. E, pela primeira vez, o mundo começa a entrar em foco: sua vida com Martin não é segura.

Motivada por suas primeiras amizade real e paixão adolescente, Turtle começa a imaginar uma fuga, usando as habilidades de sobrevivência que seu pai se dedicou a ensiná-la. O que se segue é uma história angustiante de bravura e redenção. Com os crescentes atos de coragem física e emocional de Turtle, o leitor assiste, angustiado, a luta da adolescente para se tornar seu próprio herói — e, no processo, se torna nosso também.

SOBRE O AUTOR

Gabriel Tallent nasceu no Novo México e foi criado na costa de Mendocino por duas mães. Estudou na Universidade de Willamette em 2010 e, após a graduação, passou duas temporadas liderando equipes de trilha para jovens no interior do noroeste do Pacífico. Tallent vive em Salt Lake City.

MEU AMOR ABSOLUTO

Gabriel Tallent

Título original: My absolute Darling

Tradução: Cecília Carmargo Bartalotti

Páginas: 378

Preço: R$54,90

Verus Editora | Grupo Editorial Record