Arquivo da categoria: Livros

Produtora de viagens lança clube de leitura online “Volta ao Mundo Literária”

Os inscritos vão participar de uma comunidade virtual que propõe uma viagem irresistível pelo mundo tendo como ponto de partida a literatura

Literatura te fará viajar pelo mundo nessa época de quarentena. (Foto: Divulgação)

Nos últimos meses, o mundo parou, as viagens tiveram que ser canceladas, as pessoas se distanciaram, as relações de trabalho foram alteradas e as nossas vidas passaram a ter a dimensão de nossas casas. Mas que tal aproveitar o tempo de isolamento voluntário ou obrigatório para soltar a imaginação e fazer uma viagem pelo mundo sem sair do lugar, tendo como ponto de partida a literatura? Essa é a ideia do clube de leitura online “Volta ao Mundo Literária”, idealizado pela produtora de viagens NomadRoots – Viagem e Conhecimento.

“Somos um Clube de Leitura inspirado em viagens. A cada livro aberto, abrimos também o nosso mundo. Entramos nos trechos mais estreitos da imaginação para visitar lugares emocionantes. Nesse trajeto de infinitas passagens, contaremos com mediadores experientes que nos ajudam a aumentar a bagagem, sem perder a leveza dos encontros. Há muitos países por visitar – dentro e fora da gente. Todos eles se alinham em páginas que leremos juntos neste clube onde toda história é um destino”, comenta Paola Gulin, fundadora do clube de leitura “Volta Ao Mundo Literária”.

Os inscritos no “Volta ao Mundo Literária”, de qualquer canto do mundo, terão encontros virtuais ao vivo, realizados por meio da plataforma Zoom, de 15 em 15 dias, fazendo uma incrível viagem através da literatura. O clube literário, que será mediado pelo professor e escritor Francisco Escorsim, especialista em educação da imaginação e formação do imaginário, trará informações sobre o país, sua cultura, história, período histórico em que o livro se passa e muitas outras curiosidades, além de discutir conteúdos sobre o autor e estilo literário. Além disso, os encontros contarão com convidados especiais, que deixarão a experiência ainda mais enriquecedora.

Os participantes terão acesso, também, a vários conteúdos exclusivos para aprofundar os estudos em cada obra e país, entre eles dicas de filmes, séries, outras opções de livros, reportagens, documentários e playlists musicais. “Para cada encontro, o grupo vai combinar previamente qual é o trecho do livro que deve ser lido. Compartilharemos nossas impressões, comentários e dúvidas sobre o que lemos e o Francisco Escorsim, nosso mediador de leitura, orientará nossa conversa e para enriquecer ainda mais esse momento. Em geral, temos entre 2 e 4 encontros por livro/destino, dependendo da complexidade do livro”, explica Paola Gulin.

Para começar, hoje, dia 08 de junho, o clube de leitura vai iniciar a viagem pela Inglaterra, com o livro Orgulho e Preconceito, de Jane Austen. Na sequência, serão trabalhadas as obras: O Nome da Rosa, de Umberto Eco (Itália), a partir de 20 de julho; Kyoto, de Yasunari Kawabata (Japão), a partir de 30 de agosto; e Crime e Castigo, de Fiódor Dostoiévski (Rússia), a partir de 28 de setembro. Os encontros e livros não acabam por aí! A viagem sempre continua. O projeto terá muitas outras obras discutidas, que serão escolhidas por votação do grupo. Cada encontro terá em média 2h de duração.

“As obras discutidas no clube de leitura são criteriosamente escolhidas para trazer mais sobre a cultura do país, além de serem escritas por escritores renomados, de muito destaque em seus países. Tudo isso para que o nosso público tenha uma verdadeira experiência de vida e repleta de conhecimentos, que trarão uma nova visão de mundo, além de promover momentos de relaxamento em um momento em que a tensão toma conta do planeta”, completa Paola Gulin.

As assinaturas do clube de leitura “Volta ao Mundo Literária” custam R$ 59 por mês e podem ser feitas pelo site www.voltaaomundoliteraria.com.br. As atividades, que têm vagas limitadas, serão realizadas sempre em segundas-feiras, no período da noite (19h). Mais informações no site www.voltaaomundoliteraria.com.br ou no perfil oficial do projeto no Instagram (@voltaaomundoliteraria).

Reencontro com o passado: acerto de contas para um novo amanhecer

Autora paulista referência em romances de época questiona o poder do amor contra mentiras, traições e desencontros ao explorar a profundidade emocional de personagens em obra ambientada na Inglaterra

(Foto: Divulgação)

Seja bem-vinda à literatura de Aline Galeote, autora brasileira referência em romances de época. Coloque o seu melhor vestido de baile, guarde a sua tinderbox e garanta entrada no Almack’s com a leitura de Até o Último Amanhecer.

A pequena caixinha de estanho e os prestigiados salões de bailes de Londres não são novidades para os leitores de Aline. A rica e extensa pesquisa sobre os costumes da Inglaterra no século XIX é um dos diferenciais na produção da escritora. O lançamento Até o Último Amanhecer mescla ficção e realidade ao abordar fatos históricos com o romance de Olivia Chadwick, protagonista da obra.

Prestes a ser apresentada aos olhares críticos da sociedade londrina, tudo o que Olivia mais deseja é aproveitar o que resta de sua liberdade. Quando encontra Simon Northan, tudo parece caminhar para um agradável cortejo entre os dois… mas não é o que acontece. Um inesperado escândalo envolvendo a família do marquês se transforma no assunto mais comentado da sociedade. Em uma sequência de trágicos acontecimentos, Olivia é separada do homem que seu coração escolheu amar.

Sete anos depois, o destino os coloca frente a frente para um delicado e dolorido acerto de contas com o passado. É possível que esse amor tenha sobrevivido a tantas mentiras, traições e desencontros?

“Por um momento, observou a imensa vastidão do céu com os braços circundados ao redor do corpo. As últimas palavras escritas por Simon retornaram ao seu pensamento. Por toda a eternidade teriam aquele instante único em que seus olhares se encontraram e suas almas se reconheceram ao amanhecer.” (Até o Último Amanhecer, pág. 166)

Além do contexto histórico, a profundidade da trama e dos personagens é também o que enriquece a literatura de Aline Galeote. Os traumas da guerra, luto, perdão e a redenção de personagens são elementos que diferenciam a obra de outros romances de época.

Para fãs declaradas de Jane Austen ou Julia Quinn, a obra aquece o coração de leitoras carentes de novos romances de épocas ambientados na Inglaterra do começo do século XIX. Até o Último Amanhecer é o segundo título da série Consequências, um conjunto de cinco livros que a escritora pretende lançar nos próximos anos.

Ficha Técnica:
Título
: Até o Último Amanhecer
Autor: Aline Galeote
ISIN: B085ZRLHS2
Páginas: 502
Formato: e-Book
Preço: R$8,99
Link de venda e-book: https://amzn.to/2TjIyca

Sinopse: Prestes a ser apresentada aos olhares críticos da sociedade londrina, tudo o que Olivia Chadwick mais deseja é aproveitar o que resta de sua liberdade e vencer as apostas ousadas de seu irmão. Na propriedade de seus pais em Gloucestershire, Olivia é apresentada ao enigmático herdeiro do Duque de Bendington, a quem julga como um cavalheiro arrogante e inalcançável. Disposta a não compactuar com as artimanhas casamenteiras de sua mãe, fará todo o possível para evitar a sua presença e os perscrutadores olhos cinzentos.

Simon Northam, marquês de Campbell, estava acostumado a enxergar o mundo através de uma cínica máscara de indiferença. Ao aceitar o convite de seu amigo para uma estadia no campo, acredita que finalmente irá desfrutar de um momento de paz. Porém, não demora a perceber que existe uma aborrecida trama em andamento para fisgá-lo.

Traído por suas próprias emoções em uma inocente troca de olhares ao amanhecer, Simon descobre que será impossível ignorar seus mais profundos sentimentos enquanto é cativado por um par de olhos castanhos e lábios da cor da cereja. Quando tudo parecia caminhar para um agradável cortejo — e sinos badalando na prestigiosa igreja de St. George — um inesperado escândalo envolvendo a família do marquês se transforma no assunto mais comentado da sociedade.

Em uma sequência de trágicos acontecimentos, Olivia é separada do homem a quem seu coração escolhera amar. Sete anos depois, o destino os colocará frente a frente para um delicado acerto de contas com o passado. Poderá o amor sobreviver a tantas mentiras, traições e desencontros?

“Star Wars: A Arma de Um Jedi” – Uma história simples e divertida

Por Allan Dionízio

(Foto: Divulgação)

Revisitamos uma galáxia muito, muito distante, após os acontecimentos de Uma Nova Esperança e antes de O Império Contra-Ataca, onde encontramos Luke Skywalker já reconhecido como o herói que conseguiu destruir a Estrela da Morte, realizando missões para a expansão da Aliança Rebelde, acompanhado de C-3PO e R2-D2.

Sua principal dificuldade é como conseguir seguir com seu treinamento Jedi e se aperfeiçoar nos caminhos da Força sem um mestre para guiá-lo, tendo como base somente as poucas lições básicas que Obi-wan conseguiu lhe ensinar no breve período que ficaram juntos. Atraído pela Força para o planeta Devalon, Luke vai conseguir continuar um pouco de sua jornada dentro de um antigo templo Jedi.

Uma boa e rápida história, não espere nenhum grande aprofundamento nos personagens, ou grandes reviravoltas, nem nada do tipo. Leitura ideal para dar uma descansada entre livros mais densos.”

J.K Rowling lança nova história original com capítulos disponíveis online e gratuitamente para crianças em isolamento social

(Foto: Site The Ickabog)

J.K. Rowling anunciou na última terça-feira, 26 de maio, em seu site (www.jkrowling.com) e nas suas redes sociais a publicação online e gratuita de O Ickabog, obra escrita há mais de dez anos como uma história de ninar para seus filhos mais novos. Rowling decidiu compartilhar a história favorita de sua família para ajudar a entreter crianças, pais e cuidadores confinados em casa durante o isolamento social provocado pelo Coronavírus.

A história foi lançada às 11h (no horário de Brasília) e dois dos primeiros capítulos já foram publicados no site www.theickabog.com. Serão 34 capítulos no total, publicados todos os dias úteis da semana até 10 de julho. Escrito para ser lido em voz alta, O Ickabog é um conto de fadas ambientado em uma terra imaginária. É uma história independente, não relacionada a qualquer outra obra de J.K Rowling e vai agradar crianças e jovens, assim como toda a família. A história será traduzida para outros idiomas e disponibilizada no site logo após a estreia da versão em Inglês.

Em novembro de 2020, O Ickabog será publicado nas versões impressa, e-book e audiolivro. J.K. Rowling irá ceder os royalties das vendas do livro a projetos e organizações que ajudam os grupos mais afetados pela COVID-19 – mais detalhes serão anunciados posteriormente.

Para que as crianças se envolvam enquanto a história se desenrola, J.K. Rowling convida pequenos e jovens artistas a ilustrar o enredo e seus vívidos personagens. Os pais e responsáveis são convidados a submeter as artes de seus filhos em uma competição oficial de ilustrações realizada pelas editoras que publicam J.K Rowling em todo o mundo. Os desenhos escolhidos em cada país irão ilustrar o livro publicado em seus territórios. A competição tem lançamento hoje no Reino Unido, Irlanda, Austrália, Nova Zelândia, Índia, EUA e Canadá e, em breve, será lançada nos demais países, em uma colaboração verdadeiramente internacional entre a autora e jovens artistas de todo o mundo. J.K. Rowling não fará parte do processo de seleção, mas fará sugestões de cenas e personagens a serem desenhados diariamente durante a publicação dos capítulos online.

Usando a hashtag #TheIckabog, as crianças (ou pais/responsáveis no caso das crianças menores de 13 anos) são incentivadas a postar pinturas e desenhos nas redes sociais. J.K. Rowling poderá aparecer no Twitter ocasionalmente para comentar algumas de suas ilustrações favoritas. Uma seleção de imagens também será publicada em uma galeria no site de O Ickabog.

Mais informações sobre a história, seus capítulos e links para as competições de ilustração podem ser encontradas em www.theickabog.com.

J.K. Rowling apresenta sua história em www.jkrowling.com/j-k-rowling-introduces-the-ickabog/

“A ideia para O Ickabog me ocorreu enquanto eu ainda escrevia Harry Potter. Escrevi a maior parte do primeiro rascunho entre meus intervalos nos livros da série com a intenção de publicá-lo depois de Harry Potter e as Relíquias da Morte.

No entanto, após o último livro de Potter, eu quis fazer uma pausa nas publicações, o que acabou durando cinco anos. Naquela época, escrevi Morte Súbita, sob o pseudônimo de Robert Galbraith, escrevi O Chamado do Cuco (The Cuckoo’s Calling). Depois de um pouco de hesitação (e também após o meu paciente agente registrar The Ickabog – desculpe, Neil), decidi que queria me afastar dos livros infantis por um tempo. Foi assim que o primeiro rascunho de O Ickabog subiu para o sótão, onde permaneceu por quase uma década. Com o tempo, passei a pensar nele como uma história que pertencia aos meus dois filhos mais novos, porque eu lia para eles à noite quando eram pequenos, o que sempre foi uma lembrança feliz da família.

Algumas semanas atrás, durante o jantar, considerei timidamente a ideia de tirar O Ickabog do sótão e publicá-lo gratuitamente para crianças em isolamento social. Meus filhos, agora adolescentes, ficaram emocionados e entusiasmados com a ideia. Então a caixa empoeirada com os rascunhos desceu as escadas e, nas últimas semanas, estive imersa em um mundo fictício que nunca imaginei visitar novamente. Enquanto trabalhava para terminar o livro, comecei a reler os capítulos todas as noites para a família. Essa foi uma das experiências mais extraordinárias da minha vida de escritora, pois os dois primeiros leitores do Ickabog me contaram do que se lembravam quando eram pequenos e exigiram a reposição das partes que mais gostavam (e eu obedeci).

Acho que O Ickabog funciona como série porque foi escrito como um livro para ser lido em voz alta (talvez tenha sido moldado inconscientemente pelo modo como o li para meus próprios filhos), mas é adequado para que crianças de 7 a 9 anos leiam sozinhas.

Postarei um capítulo (ou dois ou três) todos os dias úteis entre 26 de maio e 10 de julho no site do Ickabog. Planejamos publicar algumas traduções em breve, inclusive em português, e divulgaremos mais detalhes no site quando estiverem disponíveis.

O Ickabog é uma história sobre a verdade e o abuso de poder. E para evitar uma pergunta óbvia: a ideia me surgiu há mais de uma década, por isso não tem a pretensão de ser lida como uma resposta a qualquer coisa que esteja acontecendo no mundo neste momento. Os temas são atemporais e podem se aplicar a qualquer época ou país.

Ao decidir publicar, pensei em como seria maravilhoso se as crianças confinadas ou que precisassem de distração durante este tempo estranho e difícil que estamos vivendo ilustrassem a história para mim. Haverá sugestões sobre as ilustrações que precisamos para cada capítulo no site do Ickabog, mas ninguém deve se sentir limitado por essas ideias. Eu quero ver a imaginação correr solta! Criatividade, inventividade e empenho são as coisas mais importantes: não estamos necessariamente procurando a habilidade mais técnica!

Em novembro de 2020, O Ickabog será publicado em inglês nos formatos impresso, e-book e audiolivro, seguido pelas edições em outros idiomas. Os melhores desenhos de cada território serão incluídos nos livros publicados em seus respectivos países. Como os editores de cada local precisarão decidir quais imagens funcionam melhor para suas próprias edições, não julgarei pessoalmente as ilustrações. No entanto, se pais e responsáveis postarem o desenho de seus filhos no Twitter usando a hashtag #TheIckabog, poderei compartilhar e comentar! Para saber mais sobre o concurso de ilustrações, acesse o site The Ickabog quando for lançado em seu território.

Prometo ceder todos os direitos autorais de O Ickabog, quando publicado, para ajudar grupos particularmente afetados pela pandemia da Covid-19. Mais detalhes estarão disponíveis no final do ano.”

Infelizmente, é ficção: personagem encontra cura para todas doenças mundiais

 O fim da indústria farmacêutica tradicional e a salvação para todos os doentes está no livro do jornalista Carlo Antico, escritor premiado nos EUA

A cura pra todas as doenças pode envolver um grande segredo. (Foto: Divulgação)

Qual seria o impacto mundial com a descoberta da cura de todas as doenças?! Com medo que a informação caísse em “mãos erradas”, seis cientistas esconderam esse tesouro a cinco chaves. Quem revela esse cenário que, infelizmente, está presente somente na literatura, é o jornalista e tradutor Carlo Antico, na obra Cinco Máscaras.

Prince Lafitte, personagem principal dessa história, é apaixonado por bandeiras desde criança. Na vida adulta o hobby virou profissão: a vexilologia, estudo de bandeiras, é a realização profissional do protagonista. Não podia ele imaginar que o conhecimento seria essencial na busca de uma lenda perdida.

Tal busca inicia após Prince perder uma de suas melhores amigas para o câncer e, ainda de luto, descobrir que outro companheiro terá de enfrentar a mesma luta pela vida. A única chance de salvar o amigo é seguir pistas espalhadas pelo mundo e usar toda a sua experiência como vexilologista. O objetivo é encontrar cinco máscaras, chaves que abrem um tesouro escondido que guarda a cura.

“— O que é isso? — perguntou a mulher com sotaque francês.

— Chaves — respondeu Henrik. — Essas cinco máscaras são na verdade chaves. Juntas, e apenas juntas, elas abrem o compartimento secreto que construí em um lugar sigiloso. É onde esconderei o tubo. No momento, está aberto, mas assim que eu voltar, colocá-lo lá e fechar, apenas com as cinco máscaras alguém será capaz de abri-lo novamente.” (Cinco Máscaras, pág. 13 e 14)

História, mistério, fantasia e ação recheiam a obra Cinco Máscaras, segundo livro do autor e primeiro título publicado no Brasil. “Straight and Lethal”, produção que lançou Carlo nos Estados Unidos, ganhou o NABE Pinnacle Awards, premiação literária do Estado do Oregon.

Ficha Técnica:
Título
: Cinco Máscaras
Autor: Carlo Antico
Editora: Labrador
ISBN: 978-8587740-64-9
Páginas: 207
Formato: 23 x 16
Preço: R$39,60
Link de venda: https://amzn.to/3dW5fLA

Sinopse: O vexilologista Prince Lafitte acabou de perder uma de suas melhores amigas para o câncer e, ainda de luto, descobre que outro companheiro terá que enfrentar a mesma luta pela vida. Prince agora se encontra em uma encruzilhada: pode assistir seu amigo definhar ou pode correr atrás de uma lenda há muito esquecida pelo tempo, que prometia curar todas as doenças. Esse milagre, entretanto, foi muito bem escondido por seus pesquisadores, que temiam que sua descoberta caísse em mãos erradas. A única chance de Prince salvar seu amigo é seguir as pistas espalhadas pelo mundo, usando todo o seu conhecimento sobre bandeiras, e reunir as cinco máscaras, as chaves que abrem o tesouro escondido para, enfim, encontrar a cura.

Percy Jackson ganhará série no Disney+

Rick Riordan já está escrevendo o roteiro do episódio piloto da série de Percy Jackson. (Foto: Reprodução Instagram)

Por Rodrigo Bocatti

Está semana, Rick Riordan anunciou em suas redes sociais que está escrevendo o roteiro para a série do Percy Jackson, que será produzida pelo serviço de streaming Disney+, que tem previsão para chegar ao público brasileiro ainda em 2020.

Para quem não conhece, Percy Jackson é uma série de livros (que já tem 14) que tem como pano de fundo a mitologia greco-romana. E são divididos em, por enquanto, três série com cinco livros cada.

Em 2010, a FOX lançou o primeiro filme da saga “Percy Jackson e o Ladrão de Raios”, porém foi massacrado por crítica e fãs, pois a história era muito diferente que a do livro. Em 2013, veio o “ápice” com “Percy Jackson e o Mar de Mosntros”. Com os livros começando a ganhar fama, os fãs começaram a pedir algumas coisas essenciais para o longa, porém a FOX manteve a ideia original deles e mais uma vez foi um desastre e cancelou qualquer chance de continuação.

Depois disso, muitos fãs pediram à Netflix que adquirisse os direitos dos livros para fazer uma série, porém nunca foi pra frente. E quando a FOX foi comprada pela Disney, os pedidos foram enormes também. E quando menos esperávamos, o autor da saga Rick Riordan anunciou que teremos a aguardada série e ele já está escrevendo o roteiro para o episódio piloto.

Agora é aguardar a série, mas como fã espero que seja fiel ao livro (não completamente, mas o máximo possível), tenha atores jovem que vá crescendo junto com a produção, explore a mitologia e suas vertentes, tenha um elenco que misture experiência e juventude e não falte aventura e romance. 

A série vai demorar para ver a luz do dia, mas nós do Diver já estamos ansiosos e vocês?

Livro infantil de Pablo Bernasconi fala sobre estereótipos em história lúdica

“Vaca branca, mancha preta” é um lançamento da Catapulta Editores

Capa do livro. (Foto: Divulgação)

Trabalhar as diferenças e combater estereótipos no imaginário dos pequenos é a proposta do título “Vaca branca, mancha preta”. A obra é um lançamento da Catapulta Editores, voltado para crianças a partir de cinco anos, e apresenta a história de uma vaquinha que se vê diferente das demais.

Na narrativa, a vaca mais vaidosa de uma fazenda se dá conta que tem o corpo cheio de manchas pretas. A partir disso, as crianças acompanham como a personagem se descobre diferente no meio em que está e o processo de autoconhecimento pelo qual a vaquinha passa.

A história e as ilustrações são de autoria de Pablo Bernasconi, conhecido mundialmente por técnicas de desenho e colagem. Além de livros infantis, Bernasconi contribui para veículos de imprensa, como The New York Times, dos Estados Unidos, e La Nación, da Argentina.

O título contém 32 páginas e traz aos pequenos o tema da diferença, de maneira lúdica. Com preço sugerido de R$ 34,90, o livro está disponível nas principais livrarias do país, em lojas físicas e online. Além disso, é possível encontrar a obra no e-commerce da Catapulta Editores. Acesse https://www.catapultalivros.com.br/ e saiba mais.

Editora Todavia lança livros de J. D. Salinger em ebooks pela primeira vez no Brasil

As novas edições de O apanhador no campo de centeio (1951), Nove histórias (1953) e Franny & Zooey (1961), publicadas pela Todavia no ano passado e traduzidas por Caetano W. Galindo, já estão disponíveis em formato e-book nas principais plataformas. É a primeira vez no Brasil que as publicações do grande autor norte-americano ganham versão digital. 

Reverenciado por milhares de leitores, J. D. Salinger cativou o público com histórias que capturam toda a irrefreável energia da juventude, os dilemas familiares, sociais e espirituais da vida moderna, bem como as angústias e alegrias do amor, da indiferença e da liberdade. Agora, em versão digital, um dos maiores escritores do século XX chegará às mãos de mais leitores. 

De J. D. Salinger, a Todavia publicará ainda, no ano que vem, Erguei bem alto a viga, carpinteiros & Seymour: uma introdução (1963) – em livro físico e e-book. 

O APANHADOR NO CAMPO DE CENTEIO
O livro dos jovens de todas as gerações

É Natal, e Holden Caulfield foi expulso de mais uma escola. Com uns trocados e seu indefectível boné vermelho, ele traça um plano incerto: vagar três dias por Nova York. Este livro marcou gerações com sua visão crua da adolescência, sua prosa ágil e desbocada, seu humor feroz e anárquico e a inimitável voz do adolescente raivoso e idealista que quer desbancar o mundo.

NOVE HISTÓRIAS 
O livro que redefiniu a arte do conto

Nas nove narrativas curtas aqui reunidas os Estados Unidos do pós-guerra aparecem com inédito frescor literário conforme acompanhamos os efeitos, às vezes sutis, do conflito na vida de indivíduos e famílias. Do cultuado “Um dia perfeito para peixes-banana”, ao emocionante “Para Esmé — com amor e sordidez”, os contos dão a justa medida do talento inesgotável de Salinger.

FRANNY & ZOOEY 
Um retrato da vida em família e do fim da infância

Salinger continua a explorar os meandros da família Glass. Em “Franny”, a mais jovem dos Glass se encontra com o namorado, mas o que prometia ser um fim de semana aprazível acaba se tornando uma descida ao mal-estar espiritual que a domina. Em “Zooey”, encontramos Franny em meio a um colapso nervoso, e cabe a seu irmão tentar ajudá-la.

Psicóloga lança livro e leitores têm acesso ao livro gratuitamente durante o isolamento social

Lúcia Moyses lança sétimo livro da coleção DeZequilíbrios. (Foto: Divulgação)

Lucia Moyses, psicóloga e neuropsicóloga paulistana lança “A Outra”, o sétimo livro da coleção DeZequlíbrios – composta por 10 livros independentes entre si que explora a mente humana e os relacionamentos pessoais. Durante o isolamento social, os amantes da literatura podem conferir a obra gratuitamente no www.luciamoyses.com.br na aba notícias.

A mulher abriu a porta e o homem entrou, com um ramalhete de flores na mão. O que parecia ser apenas um gesto romântico se transformou em violência e morte. O que realmente aconteceu naquele dia? O que deu errado naquele encontro? O sétimo livro da coleção DeZequilíbrios conta a história de Amanda, uma linda mulher com o rosto de anjo. Seria ela uma vítima acusada injustamente ou uma assassina fria e cruel? Enquanto enfrenta este novo desafio, a doutora Renata precisa lidar com um favor que deu errado.

A cada volume a autora aborda um drama diferente que envolve um distúrbio psiquiátrico, tendo como elo o entrelaçamento da vida da personagem principal. A partir de uma história, Lucia usa o recurso temporal de flashback ou entrecruzamento de tempos para narrar as histórias que têm por objetivo desenhar um rosto, uma fisionomia para situações de limites psicológicos presentes na condição, questionando pressupostos e esclarecendo-os, para desvincular as doenças de estigmas e preconceitos.

Transtornos como síndrome do pânico, depressão, TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo) e anorexia passam a ser levados a partir da empatia e do prazer pela leitura, com os dramas, as vivências, as alegrias e os infortúnios da vida das personagens no cotidiano, até a irrupção de experiências psíquicas em seus limites.

“Os livros da coleção DeZequilíbrios misturam ficção e suspense tendo como pano de fundo, transtornos psiquiátricos que podem ser desconhecidos ou estigmatizados pela sociedade, derrubando mitos e entretendo o leitor com uma leitura leve, porém, nem por isso superficial. A intenção é que se aprenda um pouco sobre psicologia ao mesmo tempo, em que se envolve com as tramas dos personagens”, explica a escritora.