Arquivo da tag: A.C. Meyer

Novo livro de A.C. Meyer pela Galera, ‘O tipo certo de garota errada’ narra história de amor cheia de percalços

image003 (2).jpgMalu Bragança é um ponto fora da curva no que diz respeito a estereótipos de boa moça. Se comporta como bem entende entre cores de cabelo e tatuagens pelo corpo, e não tem medo de enfrentar os pais conservadores em busca do que realmente quer. Malu abandona a faculdade de direito e resolve se tornar artista plástica, decepcionando a família do juiz Bragança. Ao lutar por sua felicidade, Malu precisa se sustentar e viver uma vida independente, superando os desafios da vida adulta. O único problema que a menina parece não estar pronta para enfrentar é o sentimento por Rafa, seu melhor amigo e grande paixão, com quem divide a narrativa entre os capítulos dessa obra embalada por música, amigos e uma bela história de amor.

Ao se deparar com problemas de saúde, Malu muda a vida de todos a sua volta e eleva a relação com Rafa, com a melhor amiga Clara, o apaixonado Gabriel e a família que a rejeita por escolher viver de arte, a um alto nível de maturidade, cumplicidade e emoção. Capaz de inspirar os leitores com sua personalidade forte, Malu lida com todos os percalços com muita sobriedade e vontade de viver, principalmente quando precisa decidir entre viver um grande amor ou deixá-lo ir.

Especialista em romances repletos de músicas para todos os gostos, a autora apresenta aos leitores uma playlist de 34 faixas ao final do livro, para ajudar o leitor a embarcar na viagem que é a vida de Malu.

A.C. Meyer mora no Rio de Janeiro e é viciada em livros. Sua série After Dark é um enorme sucesso entre os leitores. Seu primeiro romance pela Galera Record foi “Cadu & Mari”, também publicado nos Estados Unidos em versão eletrônica.

Coletânea de contos reúne três referências do romance para falar de amor

image004.jpgCorrespondido ou não, desejado, inesperado ou platônico, amor nunca é demais e nem sai de moda. E é por isso que ele é o protagonista desta coletânea de contos que reúne três referências do romance na atualidade. A.C. Meyer, Brittainy Cherry e Camila Moreira escrevem sobre encontros e desencontros da vida quando o sentimento verdadeiro sempre fala mais alto.

Em “Doce reencontro”, A.C. Meyer faz do amor o tempero mais importante para unir dois corações distanciados pelo tempo. Isso porque Jade e Alex se apaixonaram rapidamente, mas ele passou para um concurso em outro estado e, na época, investir na carreira pareceu mais certo que continuar um namoro que mal havia começado. Anos depois, Jade abre uma famosa loja de bolos para festas e Alex, já desiludido com o trabalho, retorna à cidade para recomeçar. Jade é a boleira do casamento da irmã de Alex e é nos preparativos para o grande dia que eles se reencontram e descobrem que o amor que um dia sentiram estava apenas adormecido.

“As cartas que escrevemos” é de autoria da americana Brittainy C. Cherry. A história gira em torno de Jake, um jovem promissor ator de Hollywood que retorna ao interior do Kansas para o casamento de sua ex-namorada. Ana e Jake sempre formaram o casal ideal. Mas ela descobre que está com câncer na mesma época em que ele consegue seu primeiro papel em um filme. Jake estava decidido a largar o seu sonho nos cinemas para ficar com Ana, mas ela recusa a ideia e pede para que terminem o relacionamento.  Anos depois, eles se encontram às vésperas do grande dia de Ana e tentam resolver tudo o que ficou pendente no passado.

A antologia se encerra com “Além das cores”, de Camila Moreira. Alice está vivendo um dos piores dias da sua vida. Como se não bastasse ser demitida, ela pega o seu noivo na cama com sua melhor amiga. Para completar, ela chega atrasada para a divisão de um trabalho importante na faculdade e agora vai ter que ficar com o tema que sobrou: fazer uma biografia de um pintor esnobe que odeia qualquer tipo de entrevista.  Mas a sua proximidade com Leandro, um prodígio da arte, vai mostrar que ele pode ser muito gentil além de ser bem atraente.

A.C Meyer mora no Rio de Janeiro e é viciada em livros. Sua série After dark é um enorme sucesso entre os leitores. Também lançou, pela Galera, Cadu e Mari.

Brittainy C. Cherry é formada em artes cênicas, com especialização em escrita criativa pela Carroll University, em Wisconsin. É autora de Sr Daniels e O ar que ele respira, da Record. Atualmente mora em Milwaukee, Wisconsin.

Camila Moreira nasceu em Jaguará, Goiás, mas também se considera mato-grossense. É autora de O amor não tem leis e O amor não tem leis- o julgamento final, que tiveram repercussão internacional. Camila foi citada no jornal americano The Washington Post como referência na literatura erótica brasileira.

A.C. Meyer estreia na Galera com romance ambientado no Rio de Janeiro

 “Cadu e Mari” narra história de amor de um casal que precisa superar suas experiências de vida diferentes

image005 (1).jpgSucesso com a série de livros “After dark”, a escritora carioca A. C. Meyer estreia na Galera com uma história romântica embalada por muitas referências musicais e pelas paisagens do Rio de Janeiro. Em “Cadu e Mari”, ela narra a história de amor de um casal que vive em mundos totalmente separados, e que vai ter que superar essas diferenças.

Mariana é assistente do diretor de uma das mais importantes revistas de moda do país. Competentíssima e superinteligente, ela atravessa a cidade diariamente da Zona Norte à Zona Sul para trabalhar. Ela adora seu emprego, mas sempre precisa lidar com os comentários maldosos, já que não tem exatamente o padrão de beleza das mulheres que circulam por lá, e que aparecem nas revistas de moda. Ela também tem uma queda indisfarçável pelo chefe.

Carlos Eduardo é o chefe. Herdeiro de uma família que controla várias revistas, ele suou para mostrar ao pai que tinha capacidade para ser diretor de uma delas. Ele adora o trabalho de sua assistente, até que um dia passa a olhá-la de forma diferente. Eles se envolvem e, fora da empresa, passam a ser Cadu e Mari. Mas o casal vai ter que enfrentar percalços: ela, insegura com o corpo e com sua origem simples, acha que não está à altura das modelos com as quais Cadu costuma sair; ele é pressionado pela família por sair com uma garota humilde, que pode ser mais uma interesseira.

Usando músicas como títulos de seus capítulos e muitas referências musicais nos diálogos de seus protagonistas, a autora narra a relação de altos e baixos do casal tendo o Rio de Janeiro como cenário, do Leblon ao Méier, dando um pulinho na Barra e na vizinha Itaipava.

 

A. C. Meyer mora no Rio de Janeiro, tem trinta e poucos anos e é viciada em livros. Escreveu a série “After dark”, publicada pela editora Universo dos livros, e foi um enorme sucesso entre os leitores.