Arquivo da tag: Adega

Villa Brunholi completa 30 anos de turismo e gastronomia em Jundiaí

Reconhecido pela culinária italiana e vinhos tradicionais, complexo também tem inovado portfólio e é o primeiro exportador de caipirinha 100% natural

Há 30 anos, a família Brunholi iniciava a empreitada de transformar as terras que abrigavam plantações de uva para fabricação de vinhos e sucos em algo maior – um complexo que reuniria restaurante, turismo e uma lojinha para vender as delícias fabricadas no local: vinhos, licores, geleias, sucos, doces e massas. O que iniciou como um pequeno negócio inovador, é hoje um dos principais pontos do turismo de enogastronomia do interior de São Paulo, tendo em torno de 100 colaboradores e produtos premiados internacionalmente.

Ao longo dos anos, a Villa Brunholi expandiu e se tornou um complexo de turismo completo: serve almoço e jantar à la carte durante a semana, às sextas a noite, os clientes ainda podem aproveitar o Festival de Massas, que, com um valor único por pessoa é possível provar vários pratos do menu. Aos finais de semana, um café colonial com pães, bolos, geleias, antepastos e várias delícias produzidas no local. A opção é um verdadeiro convite a um descanso no redário após a refeição e uma caminhada pelo pomar e mini-fazenda, que depois pede uma nova parada no restaurante para um almoço autenticamente italiano: molhos e massas produzidos no local, e as ervas do molho pesto são colhidas diretamente na horta da Villa Brunholi, com um perfume e sabor irresistíveis.

Viila Brunholi completa 30 anos. (Fotos; Edu Guimarães)

Para Sandra e Paulo Brunholi, irmãos e quarta geração à frente do empreendimento familiar, o crescimento do local sempre foi gradativo e constante. “Tudo começou com a venda dos vinhos, depois iniciamos uma pequena loja, 10 anos depois, reformamos e se tornou uma adega. Na sequência, inauguramos o restaurante, depois veio a fábrica de bebidas, ampliamos a adega e construímos o Museu do Vinho. É um crescimento que nunca para, sempre de olho nas tendências e nos turistas, buscando oferecer diferenciais e comodidades, como é o caso da nossa brinquedoteca que tem um espaço amplo e várias atrações para as crianças”, relembra Paulo, que é também engenheiro químico e criador de bebidas autênticas da casa.

Apesar da tradição do local estar ligada aos vinhos Brunholi, a inovação não poderia ficar de fora, e a Villa Brunholi tem uma linha de cachaças premiadas, como é o caso da Cachaça Ouro, que recebeu medalha de ouro no Festival de Bruxelas, e a Cachaça Premium Envelhecida, que ganhou medalha de ouro no Concurso Nacional de Destilados do Brasil. O portfólio de bebidas também ganha destaque com o gin Decreto 89 e a estrela da adega: a Caipirinha Brunholi, que é 100% natural e conquista turistas de todas as partes, sendo a primeira caipirinha engarrafada que leva apenas três ingredientes: cachaça, limão e açúcar. A novidade já tem sido exportada e vem conquistando espaço na República Dominicana, Reino Unido e Portugal.

Enoturismo é na Villa Brunholi. (Fotos; Edu Guimarães)

Com o intuito de comemorar o marco de 30 anos, a Adega Brunholi lança, em setembro, a nova bebida do portfólio: o Limoncello Brunholi, trazendo uma homenagem às raízes italianas, já que a bebida é quase “uma caipirinha italiana”. Também foram desenvolvidos pratos e sobremesas que harmonizem com a novidade, deixando o menu do restaurante com pedidos especiais para marcar essa nova fase.

Festa especial acontece em setembro

No dia 21, a partir das 20h, é comemorada a festa de 30 anos da Villa Brunholi, com menu desenvolvido pelo chef Gilli Lima, reconhecido pelo trabalho internacional na Itália e Grécia, com entrada, prato principal, sobremesa, água e vinho Brunholi inclusos. O valor para participar do jantar é de R$150 (individual) ou R$250 (casal) e a festa conta com músicas italianas do I Cantanti D´Italia, um grupo tradicional de Jundiaí, que resgata as tradições italianas. Informações pelos telefones: (11) 4584-1219 e (11) 4584-7619.

Confira o menu:

Mesa de pães e antepastos de entrada – pão italiano, focaccia, ciabata, grissini, corniccione ao limone, salame italiano e lombo defumado, provolone, parmesão, gorgonzola e brie com mel, sardela, alichela, antepasto de berinjela e azeitonas

Pratos principais (empratado em serviço sequencial) – risoto da casa com linguiça calabresa fresca ao alecrim, abóbora kabocha e pimenta biquinho; rondelle de espinafre com ricota, mozarela, catupiry e tomate seco ao molho branco; cordeiro ao molho de vinho branco, acompanhado de coalhada seca com hortelã e batatas rústicas.

Sobremesa – Trilogia de chocolate -três mini sobremesas especiais da casa (cannoli de Nutella, tiramissu e chocoterapia, um exclusivo brownie, mergulhado em ganache de chocolate e coberto com chantilly e farofa de pistache, servido com sorvete de creme).

Tradição do Vinho dos Mortos mistura cultura, sabores e mistério em São Roque/SP

Adega e restaurante Quinta do Olivardo promove mensalmente esta tradição nascida em 1807 em Portugal

O nome causa estranheza e até um certo espanto, porém quando se conhece a fundo a rica história do Vinho dos Mortos, com todos seus detalhes, sabores e aromas, é impossível não querer vivenciar e degustar esta iguaria.

A tradição do Vinho dos Mortos surgiu em Portugal, no ano de 1807, durante a Guerra Peninsular. Conta a história que após a invasão das tropas francesas em Trás os Montes e Beira Alta, as vilas foram saqueadas. Toda a produção de vinho e os alimentos colhidos no campo eram levados pelos invasores.

Quinta do Olivardo promove festival tradicional português. (Foto: Divulgação)
Quinta do Olivardo promove festival tradicional português. (Foto: Divulgação)

Tentando impedir o saque dos vinhos, os colonos enterraram suas garrafas entre as pastagens, plantações de uva e debaixo das adegas e fugiram para salvar suas famílias.

Quando a guerra terminou e eles puderam voltar para casa se surpreenderam com o que encontraram. Ao desenterrarem as garrafas de vinho já esperavam que a bebida estivesse estragada. Porém, não foi o que ocorreu. O enterro das bebidas deixou o vinho ainda mais saboroso, pois a terra possibilitou que as garrafas ficassem em um ambiente perfeito: escuro e com temperatura constante.

Esta tradição é relembrada e vivenciada todo o terceiro sábado de cada mês na adega e restaurante Quinta do Olivardo, em São Roque (SP). A quinta, especializada na culinária portuguesa possui uma produção própria de vinho e mensalmente convida os turistas para vivenciarem esta grande experiência.

Segundo Olivardo Saqui, proprietário da Quinta do Olivardo, o turista é convidado a enterrar uma garrafa numerada e depois de seis meses ele pode voltar, abrir as covas e desenterrar sua garrafa, degustando a iguaria. “É uma noite mágica. Deixamos a casa iluminada apenas com velas e tochas para deixar o ambiente semelhante ao período de 1807 e, ao som dos tradicionais fados portugueses, interpretados em voz, violão e guitarra portuguesa, conduzimos os turistas entre nossos parreirais que ladeiam a propriedade para enterrar ou desenterrar o vinho. É uma experiência única! ”, frisa Olivardo.

Como Chegar

A Adega e Restaurante Quinta do Olivardo está localizada no km 4 da Estrada do Vinho, em São Roque (SP), com acesso pelo km 58,5 da Rodovia Raposo Tavares (SP-270). Fica a 60 km de São Paulo e a 45 km de Sorocaba. As reservas de mesas podem ser feitas pelos telefones: (11) 4711-1100 e 4711-1923. Informações adicionais, fotos e vídeos estão disponíveis no sitewww.quintadoolivardo.com.br.