Arquivo da tag: Alentejo

Turismo rural: descanso absoluto e experiências únicas no Alentejo

Região portuguesa tem hotéis acolhedores e inesquecíveis em meio ao campo

Para quem não conhece o termo, o turismo rural pode lembrar longas tardes ensolaradas passadas no sítio de um avô, com direito a cochilos na rede e muito calor. Mas o conceito desse tipo de viagem vai muito além do cenário campestre: ele tem a intenção de colocar as pessoas em contato com a natureza por meio de experiências autênticas e tradicionais do local.

O Alentejo, maior região de Portugal, é um importante destino de turismo rural, com diversas propriedades com muito verde e sossego, localizadas bem longe de grandes cidades. Muito diferentes de redes de hotéis e resorts, essas opções de hospedagem alojam poucas pessoas por vez, garantindo acolhimento, tranquilidade e a deliciosa experiência de sentir-se em casa, mesmo em outro continente.

Turismo rural é uma das opções em Alentejo. (Foto: Divulgação)

Hospedar-se em uma propriedade rural nada tem de tedioso. Claro, são lugares excelentes para a prática do dolce far niente – ou ócio prazeroso. Longe do trabalho, dos estudos e das obrigações, é maravilhoso deixar de lado o celular e junto com ele as preocupações, e simplesmente aproveitar o sol, o som dos pássaros, um bom livro ou um momento de descanso absoluto.

No entanto, essas não são as únicas opções. No Agroturismo Monte Alto, que fica em Campo Maior, próximo à fronteira com a Espanha, há uma deliciosa piscina para curtir no verão. Já o Monte do Giestal, perto de Santiago do Cacém, conta com um excelente spa para garantir que seus hóspedes relaxem, com hidromassagem, sauna, banho turco, massagens e muito mais.

Também em Santiago do Cacém está o Santiago Hotel Cooking & Nature, que se dedica à gastronomia. Todos os dias, de manhã e à tarde, há workshops planejados pelo chef Daniel Censi, que ensinam uma variedade de coisas, como a fazer sobremesas, smoothies ou preparar refeições no forno a lenha.

Na Herdade da Matinha, em Cercal do Alentejo, o destaque são os cavalos, criados com tanto cuidado e carinho que são considerados membros da família. É possível explorar os arredores com eles ou participar de workshops que são verdadeiras jornadas de autoconhecimento. A herdade ainda oferece aulas de ioga e piqueniques, além de experiências de agricultura sustentável, como colher ingredientes na horta biológica ou plantar uma árvore.

Próximo a Beja está o Vila Galé Clube de Campo, onde é possível sobrevoar os campos em um passeio de balão. Há também safáris de jipe, tiro aos pratos, moto 4, paintball, canoagem e muito mais.

Além de todas as possibilidades oferecidas pelos hotéis e herdades do Alentejo, vale lembrar que também é possível explorar as atrações turísticas da região, que incluem patrimônios históricos e naturais impressionantes.

Um roteiro de fé pelo Alentejo

Maior região portuguesa guarda igrejas e museus importantes para a religião católica

Portugal é um importante destino para o turismo religioso, com diversos patrimônios significativos para os cristãos. O Alentejo, maior região do país, não é diferente. Por isso, separamos os pontos do território que não podem ficar de fora de um tradicional roteiro de fé. O ideal é alugar um carro para percorrer esses destinos com liberdade.

Sé de Évora. (Foto: Victor Carvalho)

O itinerário começa em Évora, a 1h30 de Lisboa, a maior cidade do Alentejo. É lá que fica a Sé de Évora, a maior catedral medieval do país. Seu nome verdadeiro é Basílica Sé de Nossa Senhora da Assunção, e ela foi construída em granito, marcada pela transição do estilo romântico para o gótico. Esta igreja possui um belíssimo crucifixo chamado “Pai dos Cristos”, que se encontra acima de uma pintura de Nossa Senhora da Assunção, os bustos de São Pedro e São Paulo e um espetacular órgão do período renascentista.

Dirigindo por quarenta minutos, é possível chegar em Estremoz e conhecer o fascinante Convento dos Congregados, que foi construído onde antes havia um palácio. A arquitetura barroca tem fortes influências italianas, e o interior possui incríveis painéis de azulejos. Atualmente, também abriga a Câmara Municipal, uma biblioteca e um Museu de Arte Sacra.

Pouco mais de meia hora de viagem separa Estremoz de Elvas, lar da Igreja Nossa Senhora da Assunção. Ela chama atenção por seu design, principalmente pelas portas laterais manuelinas, a capela mor barroca e os altares barrocos de talha dourada e de mármore. A sacristia e o órgão de tubos dão um tom temporal a esta bela e antiga construção. Anexo a este templo, é possível visitar também um museu de arte sacra.

Há muitos museus do tipo espalhados pela região, e a próxima atração do roteiro é um deles: o Museu de Arte Sacra de Moura. Um pouco mais distante, a cidadezinha fica a quase duas horas de Elvas, e o museu está instalado na antiga Igreja de São Pedro, um edifício que conta com um fascinante revestimento de azulejos do século 17 em seu interior. Aberto desde 2004, tem exposições do patrimônio eclesiástico, com centenas de peças que demonstram as tradições religiosas locais.

Depois disso, parta para Serpa, a 45 minutos dali. Em meio às belas paisagens da Serra de São Gens, a dois quilômetros de Serpa, fica a Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe. Com o estilo mudéjar típico da Península Ibérica, de arquitetura simples e sem riquezas decorativas, a ermida é um pequeno refúgio que abriga a imagem da santa, homenageada anualmente em uma festa que começa na Páscoa e dura cinco dias.

O próximo destino é Mértola e sua Igreja Nossa Senhora da Anunciação. Praticamente vizinha do castelo da cidade, é uma igreja peculiar, uma vez que a construção era originalmente uma mesquita islâmica. Foi adaptada e se tornou uma igreja cristã, mas ainda é possível ver características góticas, muçulmanas, manuelinas e renascentistas na edificação. Entre as modificações, o altar principal foi deslocado para a parede na direção norte e o qibla, que indicava a direção para Meca, foi retirado. A grande diferença desta igreja está na posição da entrada, que fica na parede da direita em relação à nave.

Siga então para Castro Verde. A pequena cidade tem uma igreja que, por fora, é uma bela construção, mas é seu interior que realmente encanta. A Basílica Real de Castro Verde tem as paredes interiores revestidas inteiramente dos tradicionais azulejos portugueses e um incrível altar-mor de talha dourada.

A última parada fica no litoral, em Sines. A Igreja Nossa Senhora das Salas guarda a imagem da padroeira da cidade, que todo dia 15 de agosto é levada em procissão pela baía em um barco. A construção tem quase 500 anos e hoje possui um tesouro, um museu que exibe joias, vestidos da antiga nobreza portuguesa e objetos de prata utilizados nas missas. Encerrando o roteiro em Sines, em cerca de 1h15 é possível estar novamente no ponto de partida: Lisboa.

6 razões para visitar o Alentejo na primavera

Turismo pela região portuguesa fica ainda mais atrativo na estação que, na Europa, vai de março a junho

O Alentejo tem cidades encantadoras, restaurantes deliciosos e hotéis de primeira. Ainda assim, é uma região rural de Portugal, e sua maior riqueza é a natureza, que vai de belíssimas praias no litoral a campos verdejantes no interior. Sendo assim, a primavera se mostra como uma época perfeita para visitar este destino.

Porto Covo é uma das alternativas de Alentejo, na primavera. (Foto; Victor Carvalho)

Confira alguns motivos para isso:

1. O clima
Entre março e junho, a primavera europeia, o Alentejo apresenta temperaturas amenas e com pouca amplitude térmica. Isso garante passeios muito agradáveis, que não são prejudicados pelo excesso de calor, sol intenso ou a necessidade de carregar vários casacos que só são necessários em alguns momentos do dia.

2. As paisagens
Os cenários alentejanos são tomados por uma explosão de cores, aromas e muita vida nesta época do ano. No trajeto entre dois vilarejos, é impossível não apreciar as árvores frondosas e a abundância de folhagens e flores locais.

3. As caminhadas
Esta é uma atividade popular no Alentejo, uma vez que existem várias trilhas bonitas por todo seu território. A Rota Vicentina, por exemplo, é um projeto que soma 450 quilômetros de percursos que atravessam os campos ou margeiam o litoral. A primavera, além de ter o clima ideal para esse tipo de exercício ao ar livre, ainda garante os melhores cenários.

4. Os rios e lagos
Os belos dias desta estação são perfeitos para desfrutar das águas da região, como o lago Alqueva ou o rio Guadiana. É possível fazer passeios de barco, praticar stand-up paddle ou curtir o ambiente e tirar fotos da margem.

5. O litoral
O litoral também é uma atração do Alentejo, principalmente quando o clima está quente. Na primavera, as praias costumam estar mais desertas e ainda mais agradáveis. Vale admirar as praias de areia dourada e mar de azul profundo rodeadas por impressionantes falésias, mas também curtir os dias de sol.

6. As experiências em vinícolas
Não será uma boa viagem ao Alentejo se não houver vinho. Os turistas podem mergulhar na cultura vinícola da região, aproveitando experiências como degustações e visitas às adegas. Algumas propriedades produtoras investiram em experiências ligadas à natureza, como piqueniques ao ar livre com iguarias e vinhos, passeios de bicicleta pelas vinhas e voos de balão, que são ainda melhores na estação das flores.

Cinco experiências imperdíveis em uma viagem pelo Alentejo

Maior região de Portugal proporciona vivências fascinantes aos seus visitantes

O Alentejo, em Portugal, tem muito bem preservado não só o seu patrimônio histórico, grande parte reconhecido pela UNESCO, mas também a autenticidade da cultura. Tudo combinado a paisagens de cair o queixo, que o transformam no destino perfeito para as próximas férias. Para se preparar, conheça algumas experiências imperdíveis para aproveitar em terras alentejanas.

Pousada de Arraiolos.jpg
Alentejo oferece experiências incríveis. (Foto: Divulgação)

Hospedar-se em um edifício medieval
O destino pode proporcionar hospedagem em muitos edifícios de centenas de anos, que fazem parte do acervo histórico e que atualmente abrigam hotéis elegantes e de puro conforto. São antigos conventos e palácios que permitem vivenciar o estilo e arquitetura da Idade Média, como a Pousada de Arraiolos, do século 14, que mescla a arte barroca à mobília minimalista e requintada.   

Ver as planícies e vilas alentejanas do alto
A paisagem natural alentejana é um brilho para os olhos, com planícies douradas a perder de vista. O voo de balão de ar quente é uma das maneiras mais românticas e, ao mesmo tempo, aventureira de ver toda a beleza da região. Dá para levar a família toda para o passeio, já que alguns cestos, como os da empresa Up Alentejo, chegam a acomodar até 12 pessoas. Podem ser realizados o ano inteiro e deve-se considerar o período de até cinco horas para toda a experiência. 

Provar os vinhos premiados
A região é uma verdadeira Meca para os amantes da bebida e as opções de enoturismo são muitas. São cerca de 300 vinícolas em seu território, que produzem variações como tintos, brancos, espumantes e talha, e alguns rótulos estão entre os mais premiados do mundo. Em lugares como a CARMIM, é possível conhecer o processo de produção, aprender mais sobre os vinhos e ainda degustar as melhores seleções.

Visitar uma herdade
Nas herdades do Alentejo, você irá descobrir tradições e sabores que só as regiões mais rurais podem proporcionar. Essas propriedades familiares típicas são excelentes alternativas para vivenciar a cultura e a produção dos deliciosos ingredientes da culinária local. Algumas dispõem de charmosos alojamentos e restaurantes fabulosos, como a Herdade da Malhadinha Nova, nos arredores de Beja.

Fazer stand-up paddle entre os sobreiros
Para aqueles que buscam atividades de bem-estar e lazer em meio à natureza, praticar stand-up paddle é a maneira perfeita de contemplar as belezas naturais do Alentejo. A Corktour realiza passeios que permitem a prática em lagoas rodeadas de sobreiros (árvore que fornece a cortiça) combinada a experiências de provas de vinhos e degustação de produtos regionais.

Cinco curiosidades sobre o Alentejo

Região mais autêntica de Portugal guarda muitas surpresas

Conhecida como a região mais autêntica de Portugal, o Alentejo surpreende os turistas. Além dos belos cenários, vinhos deliciosos e hotéis sem igual, suas cidades e vilas abrigam curiosidades que vão desde o segredo para a carne de porco perfeita ao motivo que levou o céu local a receber um prêmio. Veja abaixo:

Observacao de Estrelas - Monsaraz - Turismo do Alentejo _ Crédito Divulgação Reserva Dark Sky Alqueva.jpg
Céu de Alentejo é um dos mais belo da Europa. (Foto: Reserva Dark Sky Alqueva)

1. Bolota alentejana
Você verá muitas azinheiras pelos campos do Alentejo, árvores que podem chegar a dez metros de altura e que têm frutos ovais e marrons, conhecidos como bolotas. São as tais bolotas que alimentam o porco alentejano, servido em praticamente todas as mesas da região. O resultado é uma carne comprovadamente mais saudável que a do porco tradicional, com menos gordura, calorias e colesterol.

2. Carnes de caça
O cardápio tradicional brasileiro inclui muita carne, mas elas não são muito variadas, girando em torno de gado, frango e peixe. No Alentejo, a dieta é bem diferente, garantindo a oportunidade de o viajante provar outros tipos, como carne de javali, veado, lebre, pato ou perdiz.

3. Céu premiado
Talvez você nunca tenha visto o céu receber prêmios, mas a região do lago Alqueva foi o primeiro destino do mundo a ter a certificação Starlight Tourism Destination da UNESCO, que atesta a sua qualidade para observação de estrelas. Esqueça a poluição luminosa e aproveite a oportunidade de viajar pelo universo sem nem precisar de um telescópio. E ainda dá para fazer isso enquanto passeia de barco, a cavalo ou em um piquenique à luz do luar.

4. Alqueva
O Alqueva é uma atração importante do Alentejo, com 250 quilômetros quadrados e muitos pontos de interesse, como os castelos de Juromenha, Alandroal, Terena, Monsaraz e Portel na margem direita e Mourão e Moura na margem esquerda. A curiosidade é que o grande lago é artificial e foi construído sobre o rio Guadiana, tendo alterado significativamente a paisagem local.

5. Pêra-Manca
O Alentejo é famoso por seus vinhos, que estão entre os melhores do mundo. Mas o Pêra-Manca é absolutamente icônico, tendo recebido diversos prêmios ao longo dos anos. A edição de 2011 é considerada a melhor safra portuguesa do século, contando até mesmo com um selo de segurança desenvolvido pela Casa da Moeda de Portugal.

Conheça os vestígios romanos no Alentejo

Região portuguesa guarda evidências da presença da maior civilização da história ocidental

O Império Romano foi a maior civilização da história ocidental, tendo estendido seu território por boa parte do que hoje é a Europa, inclusive por Portugal. Por isso, o Alentejo, maior região do país, guarda diversos vestígios dessa época, o que acrescenta ainda mais charme aos seus pequenos vilarejos e cidades.

O período romano no Alentejo deu-se entre os séculos 2 a.C. e 5 d.C., época da queda do Império. Neste período, a região foi um importante provedor de trigo para Roma. Localizado no coração de Évora está o Templo Romano, o maior ícone desta dinastia em terras alentejanas. Parte das muralhas da cidade, conhecidas como Cerca Velha, também carrega herança desse povo antigo, como a Porta de D. Isabel e a Casa dos Burgos, que possui uma domus romana encravada no subsolo.

Templo Romano - Credito Turismo do Alentejo.jpg
Templo romano em Alentejo. (Foto: Turismo de Alentejo)

O tema é abordado com profundidade no Museu de Évora, onde os destaques são a estátua de um sileno, um dos seguidores de Dioniso na mitologia romana, e fragmentos recém-descobertos de uma mão feminina segurando um fruto. Na Câmara Municipal da cidade, por sua vez, foi encontrada a estrutura de enormes Termas Romanas, locais que eram destinados aos banhos públicos. Outro complexo termal está em Vila Romana de Tourega e tem 500 metros quadrados, com diversas salas e tanques de banho.

Nos arredores de Marvão, as Civitas de Ammaia, a ponte de Vila Formosa, a vila de Torre de Palma e o Núcleo Museológico da Igreja da Madalena apresentam vários vestígios romanos. Em Beja, por sua vez, vale observar os detalhes de Vila Ruiva, a vila de S. Cucufate e Casa do Arco, além das Portas de Évora e de Avis, os gigantescos capitéis junto ao Museu Regional da cidade e o Núcleo Museológico Romano.

Outras cidades também têm o que mostrar, como a vila de Pisões em Penedo-Gordo; o Museu da Lucerna, em Castro Verde; e o Núcleo Museológico Romano, em Mértola.

No litoral alentejano, descubra a Estação Arqueológica de Miróbriga, em Santiago do Cacém, e a Cripta Arqueológica do Castelo, em Alcácer do Sal. Esta última está localizada no subsolo do antigo Convento de Aracoeli, atual Pousada D. Afonso II, e contém ruínas de habitações da Idade do Ferro, além de um importante santuário romano do século 2 d.C.

 

Dez vinhos para provar durante as vindimas do Alentejo

Região portuguesa é notória produtora da bebida e garante rótulos de muita qualidade

É tempo de vindimas no Alentejo, a região mais autêntica de Portugal. É no mês de setembro que os produtores do excelente vinho local colhem as uvas e dão início a um processo que resulta em algumas das melhores bebidas do mundo. Nesta época, o destino fica cheio de programações exclusivas, que vão desde a colheita até a pisa das uvas.

Tudo é feito com muito carinho e alegria, até porque o período das vindimas é um momento de festa para aqueles que cuidaram das vinhas o ano todo. E que tal aproveitar esta fase para provar alguns dos rótulos alentejanos? Listamos dez deles abaixo.

Prova de Vinhos 2 - Herdade dos Grous - Credito Turismo do Alentejo.JPG
Alentejo também é conhecida por seus vinhos. (Foto: Divulgação)

Malhadinha
É o mais famoso rótulo da Herdade da Malhadinha Nova, que nasceu com o sonho de produzir o melhor vinho do mundo. Se ainda não chegaram lá, estão perto, e o Malhadinha tinto é prova disso: feito a partir de diversas castas, apresenta um aroma complexo de paladar cheio.

Torre de Palma
Em Monforte, o Torre de Palma mostra que é possível, sim, ser muito bom em várias coisas. É um hotel de primeira linha, que oferece muita qualidade e conforto aos seus hóspedes, mas também é o orgulhoso produtor de vinhos inesquecíveis, sejam eles tintos ou brancos.

Torre
O Esporão é um respeitado produtor de vinhos, que está entre os mais conhecidos da região alentejana, e o Torre é um de seus rótulos tintos, memorável, icônico e muito original. Feito com uvas colhidas manualmente e envelhecidas em barricas de madeira francesa, garante um sabor único.

Equinócio
Um branco de personalidade, o Equinócio é uma bebida que encanta ainda mais quando se conhece onde e como ele foi criado: o Cabeças do Reguengo. É uma propriedade fascinante, empenhada em fazer slow wines. Esta quinta familiar recupera o sistema agrícola tradicional e aposta nos elementos da natureza.

Invisível
O Invisível é um dos projetos originais da Ervideira. A curiosidade é que ele consiste em um vinho branco feito com uvas tintas. Isso é possível pois utilizam apenas a “lágrima” da uva, gotas de suco que se tiram da mesma sem esmagá-la nem usar a casca. Impossível não ficar curioso para provar.

Monte dos Amigos
Fáceis de beber, os vinhos Monte dos Amigos foram desenvolvidos pela Casa Relvas para celebrar a amizade. Tinto, branco ou rosé são perfeitos para acompanhar uma roda de conversa com aquelas companhias queridas.

Monsaraz
Este rótulo da CARMIM conta com diversas variações de tinto. Se o clássico é macio e redondo, o Monsaraz Millennium tem taninos firmes e final de prova prolongado. O Reserva, por sua vez, é amplo e profundo, enquanto o Cabernet Sauvignon é potente e fresco. São inúmeras opções para agradar qualquer enófilo.

Arché
Este não é um vinho, mas uma aguardente vínica, produzida pela Herdade do Sobroso. Feita com destilação lenta e harmoniosa e envelhecida durante mais de 10 anos em barricas de carvalho francês, tem alto teor alcoólico, aroma de vinho e notas de especiarias.

Herdade dos Grous Moon Harvested
Esta edição nasce da aplicação de conhecimentos ancestrais, que dizem que os ciclos da lua interagem com o desenvolvimento das plantas. Por isso, suas uvas foram colhidas manualmente na fase lunar mais adequada, resultando em uma bebida de cor rubi profunda e sabor rico.

Marquês de Borba Branco
Para preservar a frescura, as uvas são colhidas de manhã cedo e vão direto para pequenas caixas, começando assim a produção de um vinho branco de acidez bem marcada e casada, desenvolvido pela adega João Portugal Pramos.

Quatro destinos para descobrir no Alentejo em 2018

Explore pequenos refúgios encantadores na maior região de Portugal

O Alentejo proporciona experiências únicas a seus visitantes, com seus impressionantes cenários bucólicos e rico patrimônio histórico. Uma das melhores formas de conhecer toda essa beleza é descobrir cada detalhe de suas pequenas cidades e vilarejos.

Por isso, separamos abaixo quatro destinos imperdíveis da mais autêntica região de Portugal.

Marvão

Castelo de Marvão 4 - Crédito VictorCarvalho.com.br
Castelo de Marvão. (Foto: Victor Carvalho)

Situada no ponto mais alto da Serra de São Mamede, Marvão é uma das mais charmosas vilas alentejanas. Por sua localização estratégica, teve um papel fundamental em grandes conflitos militares no passado. No interior de suas muralhas de pedras, é possível notar a arquitetura típica do Alentejo, com arcos góticos, janelas manuelinas, varandas de ferro forjado e muito granito. Já do lado de fora, aprecie a vista deslumbrante dos campos verde e dourado. Não deixe de visitar a Igreja de Santa Maria, a Igreja de Santiago, a Capela Renascentista do Espírito Santo e o Convento de Nossa Senhora da Estrela.

 

Vila Viçosa

Palacio Ducal de Vila Viçosa - Alentejo 4

Palácio Ducal de Viçosa. (Foto: Divulgação)

A cidade de Vila Viçosa abriga um dos edifícios mais emblemáticos e luxuosos de Portugal, o Paço Ducal, que durante séculos foi o favorito da família real portuguesa, os duques de Bragança. A impressionante fachada de 110 metros é toda revestida em mármore, matéria-prima com importante papel na economia local. O acervo do palácio inclui o antigo mobiliário da realeza portuguesa distribuído em 50 salas abertas aos visitantes. De arquitetura medieval, o castelo da cidade guarda o Santuário de Nossa Senhora da Conceição, padroeira de Portugal. Não deixe de conhecer também o Museu da Arqueologia e o Museu do Mármore.

 

Comporta

Praia da Comporta - Credito Turismo do Alentejo

Praia da Comporta. (Foto: Turismo do Alentejo)

Com areia branca e mar com águas cristalinas, a praia da Comporta é uma das mais badaladas do litoral alentejano, visitada por celebridades nacionais e internacionais. Apesar disso, o destino ainda é um paraíso pouco conhecido pelas multidões de turistas e seus visitantes podem desfrutar de uma experiência tranquila e agradável. Há excelentes opções de bares e restaurantes com o melhor da gastronomia alentejana. Vale também uma visita à pequena vila, com suas casinhas caiadas de branco, e ao Museu do Arroz.

 

Arraiolos

Castelo de Arraiolos - Credito Victor Carvalho
Castelo de Arraiolos. (Foto: Victor Carvalho)

De fascinante tradição e história, Arraiolos tem cenários magníficos de ruas estreitas de pedra, casinhas brancas e inúmeras lojas de tapetes, artesanato local produzido com lã pura e que é uma verdadeira obra de arte. No alto de uma colina, a imponente muralha circular protege o castelo de estilo românico-gótico construído no século 14. Para conhecer ainda mais de sua história, o Convento de Nossa Senhora de Assunção acumula estilos arquitetônicos como manuelino-mudéjar e barroco seiscentista. Seu interior é todo revestido em azulejos típicos portugueses. Visite também a Fonte de Pedra e o Jardim Público do município.

Conheça a fascinante vila de Evoramonte, no Alentejo

Charmoso recanto português reúne belas paisagens e monumentos militares que remetem aos tempos medievais

Recheada de histórias fabulosas sobre os tempos da reconquista, a pequena Evoramonte brinda seus visitantes com muito charme, vastas planícies douradas e um belo castelo que coroa o topo da Serra D’Ossa, na região do Alentejo, em Portugal. O destino acaba de ser indicado na lista das ‘15 aldeias históricas mais encantadoras de Portugal’, elaborada pelo site Skyscanner. 

Paco Ducal de Evoramonte - Credito Turismo do Alentejo.jpg
Evoramonte possui charme e história. (Foto: Turismo de Alentejo)

A apenas 26 quilômetros da cidade de Évora, a vila é dividida entre a zona baixa, onde vivem a maioria de seus habitantes, e a vila medieval, localizada no alto de uma colina de 400 metros de altitude e rodeada por muralhas. A fortificação militar é de encher os olhos e conta com quatro portas dionisinas originais: Porta do Freixo, Porta do Sol, Porta de São Brás e a Porta de São Sebastião.

Os turistas se surpreendem com o imponente castelo ou Paço Ducal de Evoramonte. Muito distinta das tantas outras edificadas na mesma época, a obra é uma reconstrução do projeto original, que foi destruído em decorrência de um terremoto em 1531. O castelo é formado por quatro torreões dispostos em formato quadrangular, que lhe dão um aspecto de baluarte militar. O local tem a sua importância na história do país, pois é onde foi assinada a Convenção de Evoramonte, documento que deu fim à Guerra Civil Portuguesa em 1834. Aproveite para ver do terraço a impressionante vista dos campos alentejanos, iluminadospor um belo pôr do sol.

Ainda na vila antiga, que praticamente parou no tempo, passeie por suas pequenas ruas decoradas com casinhas brancas típicas. Muitas vezes, os rodapés e contornos de portas e janelas são pintados de amarelo ou azul, dando um colorido especial ao cenário pitoresco. Vale uma visita à Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição, que reúne estilos gótico e barroco, além das lojinhas de artesanato na Rua Santa Maria.

Desfrute o inverno em terras alentejanas

Clima frio e paisagens pitorescas convidam a um roteiro fascinante pela região portuguesa

O inverno reserva ótimas surpresas nos cenários pitorescos do Alentejo, em Portugal. A estação mais fria do ano é a época ideal para relaxar próximo à lareira e se deliciar com pratos quentes e premiados vinhos que só os alentejanos são capazes de produzir. Para aqueles que querem fugir do calor tropical, separe um bom agasalho e embarque em uma adorável viagem pela maior e mais encantadora região de Portugal.

Alentejo - Credito Manuel Gomes da Costa.JPG
Alentejo oferece diversas opções no inverno europeu. (Foto: Manuel Gomes da Costa)

Mesmo com as baixas temperaturas, os constantes dias de sol convidam para atividades ao ar livre. Uma ótima opção é explorar as planícies com campos de plantações que aguardam a mudança de estação durante a tarde. O passeio é a certeza de presenciar um deslumbrante pôr do sol.

Os amantes de esportes podem realizar um passeio de bicicleta, moto ou jipe para aproveitar as paisagens bucólicas que ganham um tom mais opaco durante o inverno, mas sem perder o seu charme. Também é possível praticar caminhada, slide, rapel e até mesmo escalada. Cidades como Mértola, Beja, Alandroal e Serpa são os pontos mais procurados pelos visitantes para essas atividades.

O clima frio e úmido também é perfeito para provar os pratos quentes típicos da culinária alentejana, como o ensopado de borrego – como é chamado o cordeiro com menos de um ano. Antes da adoção da carne de porco, era o carneiro que predominava na gastronomia regional, principalmente em ensopados, cozidos e guisados. É uma verdadeira iguaria, temperado com hortelã e ervas aromáticas.

É nessa estação que se pode visitar os olivais centenários e ainda ver de perto o lugar onde os frutos são processados e dão origem ao azeite, parte fundamental da cozinha local. Vale uma visita ao Largar do Marmelo, em Ferreira do Alentejo, que já atingiu os 10 milhões de oliveiras e exibe um edifício de arquitetura moderna e tecnologia de ponta.

Para uma completa programação de inverno no Alentejo, é claro que uma verdadeira experiência em vinhos não pode ficar de fora. Uma taça de um bom tinto encorpado produzido na região é irresistível, principalmente nas baixas temperaturas. A grande variedade de vinícolas oferece a chance de degustar excelentes opções da bebida, além de visitas às caves e adegas.