Arquivo da tag: Alentejo

Conheça a fascinante vila de Evoramonte, no Alentejo

Charmoso recanto português reúne belas paisagens e monumentos militares que remetem aos tempos medievais

Recheada de histórias fabulosas sobre os tempos da reconquista, a pequena Evoramonte brinda seus visitantes com muito charme, vastas planícies douradas e um belo castelo que coroa o topo da Serra D’Ossa, na região do Alentejo, em Portugal. O destino acaba de ser indicado na lista das ‘15 aldeias históricas mais encantadoras de Portugal’, elaborada pelo site Skyscanner. 

Paco Ducal de Evoramonte - Credito Turismo do Alentejo.jpg
Evoramonte possui charme e história. (Foto: Turismo de Alentejo)

A apenas 26 quilômetros da cidade de Évora, a vila é dividida entre a zona baixa, onde vivem a maioria de seus habitantes, e a vila medieval, localizada no alto de uma colina de 400 metros de altitude e rodeada por muralhas. A fortificação militar é de encher os olhos e conta com quatro portas dionisinas originais: Porta do Freixo, Porta do Sol, Porta de São Brás e a Porta de São Sebastião.

Os turistas se surpreendem com o imponente castelo ou Paço Ducal de Evoramonte. Muito distinta das tantas outras edificadas na mesma época, a obra é uma reconstrução do projeto original, que foi destruído em decorrência de um terremoto em 1531. O castelo é formado por quatro torreões dispostos em formato quadrangular, que lhe dão um aspecto de baluarte militar. O local tem a sua importância na história do país, pois é onde foi assinada a Convenção de Evoramonte, documento que deu fim à Guerra Civil Portuguesa em 1834. Aproveite para ver do terraço a impressionante vista dos campos alentejanos, iluminadospor um belo pôr do sol.

Ainda na vila antiga, que praticamente parou no tempo, passeie por suas pequenas ruas decoradas com casinhas brancas típicas. Muitas vezes, os rodapés e contornos de portas e janelas são pintados de amarelo ou azul, dando um colorido especial ao cenário pitoresco. Vale uma visita à Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição, que reúne estilos gótico e barroco, além das lojinhas de artesanato na Rua Santa Maria.

Desfrute o inverno em terras alentejanas

Clima frio e paisagens pitorescas convidam a um roteiro fascinante pela região portuguesa

O inverno reserva ótimas surpresas nos cenários pitorescos do Alentejo, em Portugal. A estação mais fria do ano é a época ideal para relaxar próximo à lareira e se deliciar com pratos quentes e premiados vinhos que só os alentejanos são capazes de produzir. Para aqueles que querem fugir do calor tropical, separe um bom agasalho e embarque em uma adorável viagem pela maior e mais encantadora região de Portugal.

Alentejo - Credito Manuel Gomes da Costa.JPG
Alentejo oferece diversas opções no inverno europeu. (Foto: Manuel Gomes da Costa)

Mesmo com as baixas temperaturas, os constantes dias de sol convidam para atividades ao ar livre. Uma ótima opção é explorar as planícies com campos de plantações que aguardam a mudança de estação durante a tarde. O passeio é a certeza de presenciar um deslumbrante pôr do sol.

Os amantes de esportes podem realizar um passeio de bicicleta, moto ou jipe para aproveitar as paisagens bucólicas que ganham um tom mais opaco durante o inverno, mas sem perder o seu charme. Também é possível praticar caminhada, slide, rapel e até mesmo escalada. Cidades como Mértola, Beja, Alandroal e Serpa são os pontos mais procurados pelos visitantes para essas atividades.

O clima frio e úmido também é perfeito para provar os pratos quentes típicos da culinária alentejana, como o ensopado de borrego – como é chamado o cordeiro com menos de um ano. Antes da adoção da carne de porco, era o carneiro que predominava na gastronomia regional, principalmente em ensopados, cozidos e guisados. É uma verdadeira iguaria, temperado com hortelã e ervas aromáticas.

É nessa estação que se pode visitar os olivais centenários e ainda ver de perto o lugar onde os frutos são processados e dão origem ao azeite, parte fundamental da cozinha local. Vale uma visita ao Largar do Marmelo, em Ferreira do Alentejo, que já atingiu os 10 milhões de oliveiras e exibe um edifício de arquitetura moderna e tecnologia de ponta.

Para uma completa programação de inverno no Alentejo, é claro que uma verdadeira experiência em vinhos não pode ficar de fora. Uma taça de um bom tinto encorpado produzido na região é irresistível, principalmente nas baixas temperaturas. A grande variedade de vinícolas oferece a chance de degustar excelentes opções da bebida, além de visitas às caves e adegas.

6 razões para visitar as vinícolas do Alentejo

Confira os motivos para conhecer a vasta oferta enoturística da região portuguesa

Já se sabe que o Alentejo é um dos mais importantes destinos do mundo quando o assunto é enoturismo. Com seus cenários pitorescos e campos dourados, o destino reúne os mais premiados rótulos, além de uma vasta oferta de vinícolas por todo o seu território.

São mais de 250 produtores e vinhas que se estendem por mais de 20 mil hectares, com muitas variedades de uvas e tipos de produção, que resultam em aromas e notas exclusivos. O ideal é aproveitar as pequenas distâncias, percorrer o maior número de lugares e vivenciar experiências únicas.

Confira abaixo os principais motivos para se esbaldar e visitar mais de uma vinícola durante sua estadia na maior região portuguesa.

Quinta do Quetzal - CREDITO GONCALO VILLAVERDE.JPG
Alentejo possui rota de vinho para os apaixonados. (Foto: Gonçalo Villaverde)

1) Apreciar as melhores paisagens do Alentejo
Em cada canto da região há uma vinícola a ser descoberta. Em sua maioria, as propriedades estão localizadas um pouco mais distantes das cidades alentejanas e impressionam por seus campos de vinhas e outros tipos de vegetação. Por isso, esta é a oportunidade perfeita para se deslumbrar nos panoramas bucólicos e desvendar os pequenos tesouros ao longo das estradas alentejanas.

2) Conhecer os variados tipos de produção
Prepare-se para ver os variados processos da fabricação do vinho. Há vinícolas com produção em grande escala e outras que prezam pela simplicidade de uma técnica centenária e muito mais lenta. Para o estágio de armazenamento, há métodos distintos também: o mais comum é usar barris de carvalho francês. Porém, algumas fazem a fermentação em depósitos de inox, o que dá um sabor diferente à bebida. A Herdade do Rocim, na pequena vila de Cuba, utiliza a talha – técnica ancestral de fermentação em grandes recipientes feitos de barro – e a Adega Ervideira envelhece um de seus mais famosos vinhos nas águas do Lago Alqueva.

3) Em cada vinícola uma atração diferente
Além das visitas guiadas às caves e adegas, são inúmeras as atividades para se fazer nas vinícolas. Na Quinta do Quetzal, nos arredores de Beja, os visitantes são brindados com exposições de arte contemporânea. Já a Adega Mayor, em Campo Maior, proporciona passeios de balão de ar quente e piqueniques. Em meados de setembro, os visitantes podem colocar a mão na massa e participar das vindimas, o período de colheita, e da pisa das uvas.

4) Degustar os pratos da gastronomia singular
Na região do Alentejo, ‘bebe-se bem’, mas ‘come-se’ melhor ainda. Uma das mais autênticas gastronomias de Portugal, a experiência em vinhos fica ainda mais completa quando estes são harmonizados com as deliciosas comidas típicas, como carne de porco e cordeiro. A Herdade da Malhadinha Nova, em Albernoa, conta com um restaurante com pratos sofisticados, todos inspirados na culinária local. A Adega Cartuxa, em Évora, famosa devido ao conceituado Pêra-Manca, tem um cardápio perfeito para acompanhar a degustação.

5) Vinhas a perder de vista
Quanto mais vinícolas visitar, mais irá aprender sobre as influências de sabores. Uma das características do vinho alentejano é a mescla de diferentes frutos da vinha. A Herdade do Esporão, em Reguengos de Monsaraz, planta mais de 40 tipos para produzir suas marcas. Entre as castas mais 
usadas estão Aragonês, Trincadeira e Touriga Nacional, entre os tintos; e Antão Vaz, Roupeiro e Arinto, nos brancos. As variedades de solos encontrados no destino também determinam esses sabores.

6) Quanto mais vinho, melhor
Experimentar uma boa taça de vinho é uma experiência fascinante que permite conhecer o sabor, a textura e o aroma das bebidas de alta qualidade, como as produzidas no Alentejo. Para os apreciadores desta iguaria, a prova vínica já é uma boa razão para ir a diferentes locais e saborear das mais diversas marcas e tipos, como tintos, rosés e brancos. Os iniciantes ainda podem aprender mais sobre como degustar, usando todos os sentidos para obter sensações únicas que só o vinho alentejano proporciona.

No Alentejo, Festival Músicas do Mundo celebra diversidade musical

19ª edição do evento acontece entre 21 e 29 de julho na cidade de Sines, no litoral alentejano

De 21 a 29 de julho, a cidade alentejana de Sines, em Portugal, se tornará palco de um dos espetáculos mais impressionantes para os amantes da música, o Festival Músicas do Mundo (FMM). Com a promessa de ser tão marcante quanto as edições anteriores, o evento reunirá artistas de todos os cantos do globo para mostrarem seu talento entre as belezas do litoral alentejano.

Gustavito & A Bicicleta - Créditos de Henrique Bocelli.jpg
Gustavito & A Bicicleta se apresentam no Festival Músicas do Mundo. (Foto: Henrique Bocelli)

Tocando do jazz ao folk, o FMM já atraiu quase um milhão espectadores com a motivação de celebrar as diferentes culturas musicais. Já são 34 atrações confirmadas, incluindo artistas brasileiros, durante os nove dias de evento que terão muita diversão e música boa.

O rapper Emicida, cultuado por suas rimas sobre a complexidade de ser negro no Brasil, as bandas Metá Metá e Gustavito & A Bicicleta, e o cantor Makely Ka integram as participações brasileiras. Artistas do Equador, Cabo Verde, Coreia do Sul e Costa do Marfim também irão agitar o festival.

Os palcos serão montados nos principais pontos turísticos de Sines e na aldeia de Porto Covo – que faz parte do mesmo distrito – e incluem o Castelo de Sines, a Avenida Vasco da Gama, o Centro de Artes de Sines e o Largo Marquês de Pombal.

Confira a agenda completo e mais informações do festival no site www.fmmsines.pt.

Serviço

Data: 21 a 29 de julho
Cidade: Sines (Alentejo – Portugal)
Palcos:
Castelo de Sines
Av. Vasco da Gama
Largo Marquês de Pombal, em Porto Covo
Centro de Artes de Sines

Do Douro ao Alentejo, Portugal oferece grande diversidade de roteiros enoturísticos

Conheça as principais rotas de vinhos do país luso e suas especificidades

É impossível falar de Portugal e não lembrar da extensa variedade de vinhos que já é marca registrada em todo o mundo. Afinal, são mais de 250 castas de uvas que proporcionam ampla oferta de todos os tipos. A grande presença de regiões vinícolas de norte a sul coloca o país no mapa do enoturismo e tem atraído cada vez mais visitantes que desejam não apenas experimentar os sabores, mas também conhecer todo o processo de fabricação e sentir o vinho.

Apesar de sua curta extensão, Portugal oferece uma série de roteiros que proporcionam a ampla dimensão do enoturismo, que inclui não somente as adegas, vinhas e caves portuguesas, mas também uma viagem cultural pelas tradições e costumes das regiões, quintas e casarões históricos, desfrutando vinhos e outros produtos de produção própria, como os frutos e compotas, queijos, azeites e doçaria artesanal. No fim do verão, há também as emblemáticas vindimas, o período da colheita e de celebrações típicas.

Tudo isso em hotéis e acomodações que, embora sejam frequentemente associadas ao turismo rural, possuem a infraestrutura e tecnologia que dão a Portugal o status de um país autêntico, genuíno e moderno.

image002.jpg
Alentejo possui rotas para conhecer os melhores vinhos de Portugal. (Foto: Divulgação)

 

De norte a sul

Duas regiões concentram os maiores espaços dedicados ao enoturismo português. No Norte, o Vale do Douro é a grande referência em produção vinícola e naturalmente possui uma tradição em receber turistas, sobretudo o Alto Douro Vinhateiro, Patrimônio Mundial da Unesco, onde se produz o famoso vinho do Porto. Além das vinhas e adegas, a região traz um misto de vilas calmas e aprazíveis com paisagens de vinhedos, castelos e outros lugares onde vale muita a pena fazer uma parada e olhar o horizonte.

Outro roteiro imperdível é a visita às dezenas de caves do vinho do Porto, onde é possível conhecer detalhes históricos da fabricação da bebida (desde a colheita das uvas ao processo de envelhecimento), além da emblemática degustação de vinhos. Elas ficam abertas para visitação durante todo o ano. Ainda no Douro, há a região de Favaios, que é sinônimo de Moscatel, com visitas guiadas por adegas e caves.

A Rota dos Vinhos Verdes também é destaque turístico no Norte, na região do Minho. Além de descobrir as origens e sabores da milenar cultura vinícola, quem optar por esse roteiro poderá aproveitar desde praias a montanhas, vales e rios, além de uma paisagem única onde o verde, que dá nome ao vinho, é a cor dominante.

O outro grande ponto enoturístico de Portugal é o Alentejo, no Sul do país, onde se encontram vários dos principais produtores nacionais, considerada como a melhor região vinícola do mundo para visitar em 2014. A vinha corre ao longo de extensas planícies e acompanha olivais e florestas. É nesta paisagem de vastos horizontes que se inserem quintas e herdades produtoras de vinho com créditos firmados na hospitalidade e na gastronomia por que são conhecidas, sobretudo em Évora, que também é Patrimônio Mundial, e em outras sete localidades: Portalegre, Borba, Redondo, Reguengos, Vidigueira, Amareleja/Granja e Moura.

Mas o enoturismo em Portugal não se resume ao Alentejo e ao Norte. No Centro, ao redor de cidades como Viseu, Coimbra e Aveiro, há propriedades de antigas caves portuguesas, embora todas elas tenham acompanhado as atuais tendências de produção vínica e desfrutem dos mais modernos métodos de produção. São casas que trazem um legado histórico, por vezes até com núcleos museológicos.

Na região de Lisboa, mais precisamente no Vale do Tejo, estão concentrados alguns dos melhores produtores e também ótimos roteiros turísticos, a se destacar os percursos do Tesouro Gótico, Touros e Cavalos, Beira Tejo e Tesouro Manuelino, todos com uma série de adegas e quintas para visitação. Nos arredores da capital, há de se lembrar também das regiões de Carcavelos, Colares e Bucelas, cidade que abriga o Museu do Vinho e da Vinha.

Perto de Lisboa fica Lourinhã, a única região demarcada para a produção de aguardente vínica em Portugal, e uma das três no mundo (ao lado de Cognac e Armagnac, na França), o que por si só é um grande atrativo para o enoturismo.

Mais ao sul, a Rota da Península de Setúbal tem visitas a adegas, mas também proporciona contato direto com a natureza. A visita a castelos e fortalezas, em Setúbal, Palmela e Sesimbra, ao palácio da Bacalhôa ou a espaços culturais, como o Museu Agrícola da Quinta da Atalaia ou o Museu do Queijo de Azeitão, são características desta região com história, que apresenta sabores dos vinhos branco, tinto, rosé ou o Moscatel de Setúbal, produtos de excelência da península.

Nas ilhas também há excelentes roteiros enoturísticos. Nos Açores, não há como deixar de mencionar a Paisagem da Cultura da Vinha da Ilha do Pico, Patrimônio Mundial da UNESCO, um misto de natureza vulcânica e práticas culturais ancestrais.

Ainda no Atlântico, destaca-se o Vinho Madeira que nos mais variados pontos do globo ganhou fama e prestígio. Das mais de 30 castas diferentes, destaque para as mais nobres – Sercial, Boal, Verdelho e Malvasia, este último representando o vinho doce, encorpado de perfume intenso e cor vermelha.  As vinhas, dispostas nas encostas, sustentadas por paredes de pedra, fazem lembrar escadarias, que em partes da ilha ligam o mar à serra em paisagens deslumbrantes.

Vinhos de Portugal

O tradicional bonde lisboeta “Prazeres 28”, um dos ícones culturais e turísticos de Portugal e da cidade de Lisboa, está presente no evento Vinhos de Portugal 2017, que acontece na cidade do Rio de Janeiro nos dias 2, 3 e 4 de junho, no CasaShopping, com uma série de iniciativas que visam promover o enoturismo. Na semana seguinte, o evento chega ao Shopping JK Iguatemi, em São Paulo (9, 10 e 11 de junho).

Conhecido em várias cidades do país e referência em Lisboa, o bondinho faz um verdadeiro passeio por um país moderno e diversificado, mas que mantém as suas raízes. Quem tomar assento estará embarcando em uma viagem pelas regiões vinícolas de Portugal, dando a conhecer castas e vinhos memoráveis, que já são marcas registradas da terra de Camões em todo o planeta.

Durante os dias do evento, quem visitar o bonde pode testar uma mesa interativa, onde os visitantes manipularão aromas e texturas. O foco é a diversidade dos vinhos portugueses para que os participantes possam ter uma experiência real e sensorial. Serão igualmente conduzidas três palestras por dia de 30 minutos cada, em formato ‘storytelling’, onde intervenientes poderão degustar vinhos de Portugal, para sentirem no copo o que viram na mesa de aromas.

O ‘storytelling’ será todo voltado ao Vinho Português (contar a magia do vinho, o equilíbrio das castas e que cada vinícola tem uma história diferente). Encantar o consumidor dizendo por que o vinho português é tão especial (e no final, dar dicas de harmonização). Serão degustados quatro vinhos por palestra.

Dentro do amarelinho, quem embarcar vai encontrar um aplicativo com informações sobre os vinhos de Portugal, com perguntas mais frequentes, gastronomia e guia do viajante com curiosidades.

5 passeios de aventura no Alentejo, em Portugal

Maior região do país é conhecida pelas opções esportivas e contato com a natureza

O Alentejo possui inúmeros destinos para serem visitados e explorados. Entre um vilarejo e outro, os viajantes se deparam com extensas planícies em uma terra repleta de natureza e monumentos naturais intocados. Seja por terra, ar ou água, aventurar-se pela maior região portuguesa é uma experiência única. Confira cinco maneiras emocionantes de desbravar essas paisagens hipnotizantes:

1. Passeio de Balão

Passeio de balão pelo Alentejo_Crédito - Torre de Palma Wine Hotel
(Foto: Torre de Palma Wine Hotel)

O silêncio e a tranquilidade dos ares esperam por você em um passeio sem igual pelo Alentejo. Se a vista com traços de verde e dourado já impressiona do solo, o visual fica ainda melhor dentro de um balão. Os contrastes e cores se destacam e ficam ainda mais belos durante o nascer ou o pôr do sol, criando um verdadeiro espetáculo que só a natureza pode proporcionar. O passeio está disponível em diversos locais da região, como em Monforte, no Torre de Palma Wine Hotel, e muitos outros operadores de turismo regionais.

2. Adrenalina em quatro rodas

Passeio de quadriciclo pelo Alentejo_Crédito - Vila Galé Clube de Campo
(Foto: Vila Galé Clube de Campo)

No Vila Galé Clube de Campo, em Beja, é possível conhecer as riquezas dos vinhedos alentejanos em um quadriciclo. A adrenalina ao percorrer diversos tipos de terreno se une ao intenso sentimento de liberdade, estimulando sensações que ficarão na memória dos aventureiros. Combine com a família ou os amigos e explore os campos alentejanos por cerca de 1h30. Se você nunca dirigiu um veículo desse tipo, não se preocupe: há um treinamento antes de iniciar o trajeto e o passeio é acompanhado por um guia especializado.

3. Desafio de bike

Vista do lago Alqueva, no Alentejo_Crédito - Luxury on Two Wheels
(Foto: Luxury on Two Wheels)

Além de desafiador, fazer um tour de bicicleta pelo Alentejo é uma maneira simples e ao mesmo tempo saudável de conhecer o povo e a cultura local. Durante o passeio, o aventureiro irá desvendar as charmosas vilas com casas pintadas de branco e visitar imponentes castelos medievais. Vinhedos, planícies e habitantes acolhedores complementam a aventura. Diversas empresas promovem este tipo de passeio no destino.

4. Canoagem no Rio Guadiana

Canoagem a dois no Alentejo_Crédito - Turismo do Alentejo
(Foto: Turismo do Alentejo)

Tente desbravar o famoso Rio Guadiana que atravessa o Alentejo a bordo de um pequeno caiaque e você irá viver momentos de pura emoção. Caso não tenha experiência nessa atividade, pode ficar tranquilo, pois todo o percurso é propício para iniciantes, sendo acompanhado por uma equipe de profissionais prontos para te auxiliar sempre que precisar. A Emotion Sports, em Beja, é uma das empresas oferecem essa aventura.

5. A grande rota do Castelo de Vide

Castelo de Vide, no Alentejo_Crédito - Turismo do Alentejo
(Foto: Turismo do Alentejo)

Para aqueles que gostam de testar os próprios limites, essa trilha com 61 quilômetros de extensão é o desafio ideal. Partindo da Barragem da Póvoa e seguindo para a vila de Castelo de Vide, o viajante irá se deparar com o vasto patrimônio megalítico, incluindo o imponente Menir da Meada, descoberto em 1965. No caminho ainda é possível ver várias espécies de aves e atravessar passagens aquáticas cruzando as poldras – pequenas pontes feitas com pedras no leito de riachos e rios. Após visitar a impressionante Castelo de Vide, é hora de retornar acompanhando as margens da represa de Póvoa e apreciando a vista. A trilha é feita em grupo e acompanhada por guias especializados.

Conheça os encantos da cidade alentejana de Monsaraz

Local é cercado pelas muralhas de seu castelo e possui paisagens de tirar o fôlego

Monsaraz é uma pequena vila medieval localizada na região do Alentejo, em Portugal. Suas ruas estreitas de pedra e as casas pintadas de branco agregam encanto à cidade e seus habitantes. Ao passar pelas muralhas que protegem o povoado, entramos em uma viagem pelo tempo em um vilarejo que é puro charme. Rodeado por planícies que se estendem até perder de vista e diversos cenários românticos e fascinantes, é o destino perfeito para conhecer acompanhado da pessoa amada ou da família.

Céu noturno em Alqueva 2 - região do Alentejo em Portugal_Crédito - Divulgação Reserva Dark Sky Alqueva.jpg
Paisagens em Monsaraz deixa turistas deslumbrados. (Foto: Reserva Dark Sky Alqueva)

Principal atração turística, o Castelo de Monsaraz é bem preservado e conta muito da história do país. No topo da construção do século 14, é possível ter uma vista panorâmica dos campos e do Alqueva, um dos maiores lagos artificiais da Europa, construído sobre o Rio Guadiana. Contempla ótimas condições para atividades ao ar livre e a prática de esportes aquáticos, como vela, ski, wakeboard ou passeios de barco.

Até o céu noturno de Monsaraz é um convite para os olhos. A região onde está situada foi a primeira a receber a certificação Starlight, que atesta a sua qualidade para a observação de estrelas. O Observatório do Lago Alqueva é um lugar agradável e protegido da poluição luminosa das grandes cidades, onde os turistas podem descobrir e explorar o universo de forma única, acompanhados de um bom vinho alentejano.

Durante o mês de julho, é realizada a bienal “Monsaraz Museu Aberto”, uma oportunidade para conhecer os hábitos e costumes alentejanos no artesanato, na gastronomia e nos vários espetáculos culturais, incluindo a música, o teatro, a dança e exposições de artes plásticas.

O destino fica ainda melhor nas festas de fim de ano. Suas ruas são povoadas com um presépio em tamanho real, com esculturas belíssimas em partes diferentes da vila. Vale lembrar que o local também conta com mostras de arte na Igreja de Santiago, um museu sobre a cultura judaica na região, a Casa da Inquisição, e excelentes lojas de artesanato e souvenires.

Descubra mais sobre Monsaraz assistindo ao tour digital.

Desfrute um roteiro de enoturismo pelo Alentejo

Premiada por suas vinícolas, região portuguesa proporciona as melhores experiências aos apaixonados por vinhos

Com seus cenários bucólicos e patrimônio histórico sem igual, o Alentejo oferece muitas opções de entretenimento, principalmente para os amantes dos vinhos. Uma das maiores regiões vitivinícolas de Portugal e uma das mais importantes do mundo, o lugar origina as melhores marcas da bebida e conta com uma vasta oferta de enoturismo, experiência essencial para quem visita o destino.

Eleita recentemente na categoria “Enoturismo do Ano” em premiação realizada pela Revista Wine, a Herdade do Esporão está localizada em Reguengos de Monsaraz e integrada à Rota Mundial dos Vinhos. Há quase 20 anos, milhares de visitantes desfrutam os passeios educativos e lúdicos pelas vinhas, a pé ou de bicicleta. Também é possível participar de degustações, visitar as caves e adega e ter experiências gastronômicas incríveis.

Vinícola do hotel Herdade da Malhadinha Nova, Alentejo_Crédito - Divulgação Turismo do Alentejo.jpg
Vinícolas de Alentejo são premiadas. (Foto: Divulgação)

Em Campo Maior, pouco mais ao norte da região, o viajante pode ter uma imersão completa, vendo de perto como são feitos os vinhos da Adega Mayor, conhecer suas vinícolas, aprender sobre a produção, degustar os vinhos e até participar das vindimas. Também pode-se fazer passeios de barco, bicicleta e até voos de balão.

Com uma adega moderna, um delicioso restaurante e um hotel de charme em Albernoa, a típica e familiar Herdade da Malhadinha Nova oferece atividades diversas, como degustação de até cinco vinhos, e ainda há a opção de almoçar ou jantar no restaurante. O local ainda proporciona experiências como o pacote Wine Class, com prova de vinhos às cegas, workshops de cozinha utilizando os vinhos da propriedade, entre outros.

Já a Quinta da Esperança, na pequena Estremoz, é onde nascem os vinhos Encostas de Estremoz. Com mais de 100 hectares e capacidade para receber até 70 pessoas, as visitas diárias garantem vistas inigualáveis da bela paisagem, e as provas oferecem vinhos aveludados e saborosos. A cidade também oferece um notável acervo cultural, como a feirinha realizada na praça principal Rossio Marquês de Pombal, com artesanato local, queijos, compotas de frutas e outros artigos típicos.

Mas o melhor é que as opções não acabam por aqui e se estendem por todo o território alentejano. Produtores como Quinta do Quetzal, Casa Agrícola Alexandre Relvas, Monte da Ravasqueira, Herdade de Coelheiros, Cartuxa, Carmim, Cabeças do Reguengo, Ervideira e Herdade do Sobroso, entre outros, também são fantásticas alternativas para conhecer a riqueza do enoturismo na maior região de Portugal.

Cinco lugares para visitar no Alentejo em 2017

Confira destinos que não podem ficar de fora em seu roteiro pela maior região portuguesa

O Alentejo é a maior região de Portugal, mas suas belezas mais marcantes estão em pequenos cantos e recantos espalhados por todo o seu território. São povoados, vilas e cidadezinhas encantadoras que contam histórias impressionantes, esbanjam arquitetura de outros tempos e atraem os viajantes com muito charme. Confira uma lista dos cinco lugares que você não pode deixar de visitar no Alentejo em 2017:

Vista do Castelo de Monsaraz.JPG
Alentejo oferece paisagens lindas para os turistas. (Foto: Divulgação)

1. Mértola

Situada em meio a um parque natural e com uma vista magnífica do rio Guadiana, Mértola tem tantas histórias para contar que os moradores brincam que não se pode cavar um buraco por ali sem achar um vestígio de centenas de anos – ou até mais. Antiga cidade muçulmana, preserva construções da época, como uma mesquita que hoje funciona como igreja católica. Esse lado da sua história é perfeitamente retratado durante o Festival Islâmico de Mértola, que acontece a cada dois anos no mês de maio e reúne o melhor dessa cultura. E a próxima edição é em 2017!

2. Monsaraz

Monsaraz é apaixonante demais para ficar de fora do roteiro. Suas ruas estreitas de pedra são uma verdadeira viagem no tempo, já que a vila preserva várias características medievais, como traços e construções. Além de atrações incríveis, como a Igreja de Santiago, onde hoje se realiza mostras de arte, o Castelo de Monsaraz e a Casa da Inquisição, um museu com a trajetória da cultura judaica na vila, está cheia de lojas de artesanato com artigos muito tentadores.

3. Elvas

Elvas é uma cidade-quartel, e não é à toa. Localizada nas proximidades da fronteira com a Espanha, foi muito atacada ao longo dos séculos, constituindo um ponto importante nas defesas portuguesas. Suas fortificações são consideradas Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO, contando com construções imponentes como os Fortes da Graça e de Santa Luzia, Fortins de São Mamede, São Domingo e São Pedro, suas muralhas seiscentistas e mais. Para completar, a vista do Castelo de Elvas é inigualável, e fica ainda melhor ao pôr do sol.

4. Sines

Essa antiga vila de pescadores fascina os amantes do mar. Com algumas das melhores praias da Europa – como São Torpes, adorada pelos surfistas, e a diminuta e intimista praia da Samoqueira –, Sines atrai visitantes com areia e mar, mas também com seu castelo e museu dedicados a Vasco da Gama, o navegador siniense. É lá também que acontece o Festival Músicas do Mundo, que há mais de 15 anos leva músicas miscigenadas de lugares diversos para seus palcos. A edição de 2017 já está marcada para julho!

5. Évora

Não tem jeito: Évora é um destino imperdível no Alentejo. A principal cidade da região tem atrações de sobra para os visitantes: o Templo Romano de Évora, construído no final do século 2, a recentemente restaurada Sé de Évora, a Igreja de São Francisco, com sua macabra Capela dos Ossos, entre outras. Além disso, é um bom lugar para comprar souvenires, já que é repleta de lojas que vendem produtos típicos alentejanos, como itens de cortiça.

Uma maneira nova de provar os vinhos alentejanos em Portugal

Além do enoturismo tradicional, região portuguesa oferece experiências vínicas especiais

O Alentejo, maior região de Portugal, é conhecido por muitas coisas: sua natureza e paisagens estonteantes, o rico patrimônio histórico, a gastronomia autêntica e, principalmente, os vinhos. Os vinhos alentejanos estão entre os melhores do mundo, e visitar este destino e não provar de sua produção é praticamente um pecado.

A Enoteca Cartuxa, inaugurada recentemente em Évora, a maior cidade da região, oferece uma experiência ímpar para quem quer conhecer não só os vinhos, mas também a gastronomia local.

Alentejo oferece passeios especiais por vinícolas. (Foto: Divulgação)
Alentejo oferece passeios especiais por vinícolas. (Foto: Divulgação)

Uma verdadeira biblioteca dos sabores alentejanos, a Enoteca serve em taça os famosos vinhos da conceituada Adega Cartuxa – quatro tintos e quatro brancos –, dando mais liberdade para harmonizá-los com os deliciosos petiscos oferecidos: tábuas de paio do lombo, bochechas de porco, pimentão da horta e cogumelos, além de bolachas, amêndoas e chocolates com recheio de vinho.

Além dos petiscos, também há pratos mais robustos, como a açorda de camarão. É um olhar contemporâneo sobre a culinária tradicional, idealizado pelo chef Vítor Sobral, que aposta em ervas aromáticas como tempero e sobremesas com menos açúcar.

Localizada no coração do centro histórico de Évora, próxima ao famoso templo romano e à Sé Catedral, a Enoteca é uma autêntica biblioteca gastronômica da região, que oferece aos turistas uma verdadeira aventura pelos sabores alentejanos.

Para completar, o espaço da loja vende queijos, mel, enchidos, ervas e os vinhos e azeites da Cartuxa. Assim, é possível levar um pouco do Alentejo para casa.

Há muitas outras maneiras de provar os vinhos alentejanos quando visitar a região. Na Vila Santa de João Portugal Ramos, por exemplo, além de ser possível provar os vinhos acompanhados de petiscos, você pode ser enólogo por um dia, fazer uma mistura de castas e criar seu próprio vinho! Na Quinta do Quetzal, o vinho é associado à arte. Participe das provas no delicioso restaurante, mas não deixe de passar no Centro de Arte, com mostras de arte contemporânea. Outra opção é a Herdade de São Miguel, com seus vinhos premiados e uma atenção especial ao meio ambiente e à sustentabilidade.