Arquivo da tag: Bebidas

8 lugares para beber cerveja artesanal em Curitiba

A capital paranaense se transformou no principal polo cervejeiro nacional e conta com ótimas opções para quem curte aquela “bera” diferenciada

As temperaturas estão subindo e nada melhor do que uma bela cerveja artesanal. Em Curitiba, diversas cervejarias que trabalham com muita excelência, entre elas as premiadíssimas Way Beer e Bodebrown, formaram um público consumidor fiel, transformando a capital paranaense em um dos principais polos cervejeiros nacionais. Esse mercado cada vez mais aquecido deu origem a muitos bares que apostam nos rótulos artesanais, fortalecendo ainda mais o segmento.

Agora que tal aproveitar os dias quentes para saborear uma bela cerveja artesanal local? Separamos 8 empreendimentos curitibanos que oferecem rótulos de cervejarias curitibanas de maneira prática, democrática e descolada em locais espalhados por algumas das principais regiões da capital.

Chope do Vila Urbana. (Foto: Divulgação)

Sirène Fish & Chips: a maior rede de fish n’ chips do Brasil trouxe o conceito inglês do filé de peixe empanado com batatas para país, e hoje é um dos maiores sucessos da noite curitibana. Apesar de variar de acordo com cada unidade, a casa conta com diversas opções de cervejas artesanais, com preços que variam de R$ 8 a R$ 15, sempre valorizando a produção regional em seus mais variados estilos. A loja conceito do Sirène (Rua Trajano Reis, 150) é um verdadeiro paraíso para quem ama cervejas.

Beer Stop: implantada no FRESH Live Market (Alameda Doutor Carlos de Carvalho, 1652), um dos empreendimentos gastronômicos mais descolados de Curitiba, a casa de cervejas artesanais conta com dezenas de opções de chopes, além de disponibilizar linhas de growlers para quem gosta de levar a bebida para casa.

Bávaro: o empreendimento, um dos mais tradicionais da Rua 24 Horas (Rua Visconde de Nácar, sem número – Centro), conta com várias opções de hambúrgueres deliciosos e comidas de boteco, preparos que podem ser harmonizados com uma grande variedade de chopes artesanais curitibanos.

Porks – Porco & Chope: um dos grandes fenômenos da gastronomia curitibana, o Porks reúne milhares de pessoas por dia em suas unidades espalhadas pela cidade. Com os dias de sol, uma ótima opção é a unidade que fica em frente ao Museu Oscar Niemeyer (MON), perfeita para quem quer curtir o dia com os amigos. No local, é possível saborear muito chope artesanal com promoções especiais.

O Barba: uma das hamburguerias mais tradicionais de Curitiba, O Barba (Avenida Vicente Machado, nº 578) também é conhecido pelo seu trabalho com cervejas artesanais curitibanas. Há anos o empreendimento valoriza a produção local com rótulos de muita qualidade e com preços especiais.

Shopping Hauer: localizado no bairro Batel, esquina da Coronel Dulcídio com a Avenida do Batel, o Hauer é atualmente um dos locais mais badalados da capital paranaense. Com dezenas de operações, o polo de entretenimento oferece preparos de diferentes vertentes gastronômicas a um custo mais acessível. Para harmonizar com essas delícias, existe uma grande quantidade de rótulos de cervejas e chopes artesanais, com destaque absoluto para a produção cervejeira paranaense. No local, são comercializados mais de 50 mil litros de cerveja por mês.

Espaço Havilá: no mais novo complexo gastronômico da região sul da cidade, localizado entre os bairros Novo Mundo e Xaxim, com entrada pela BR-116 (nº 15739), o público pode aproveitar dezenas de operações em uma área de 10 mil metros quadrados, com estacionamento para aproximadamente 300 vagas. Lá, os clientes podem fazer uma viagem por ótimas cervejas artesanais e comerciais.

Vila Urbana: localizada no Centro de Curitiba (Rua Mal. Deodoro, 686), a Vila Urbana é perfeita para quem busca um dia agradável com muita comida e, logicamente, chope artesanal. No Hop Nation, operação especializada em cervejas, o público tem à disposição dezenas de torneiras com o melhor da produção local.

MENU DE BEBIDAS DO ALTTO RISTORANTE & LOUNGE BAR APRESENTA NOVOS DRINQUES PARA A PRIMAVERA-VERÃO

Versões diferenciadas elaboradas com gin ganham destaque no espaço gourmet do Hotel Vila d’este, em Búzios

Em dias de primavera e com o verão à vista, que tal se refrescar com drinques especialmente elaborados com gin em um cenário de grande beleza? Esta é a proposta do Altto Ristorante & Lounge Bar, o espaço gourmet do Vila d’este ‘handmade hospitality hotel’ que se encontra no topo do Morro do Humaitá, em plena Orla Bardot, e debruçado sobre a Baía da Armação.

Concebida por Sodré, o head bartender do hotel, a nova carta de drinques incorpora um menu de gin que abriga criações exclusivas e clássicos como: Negrone, o delicioso Gin Mule (versão do Moscow Mule, porém com gin), o Spicy Heaven e o Smoked Sour (uma releitura de clássico sour, mas com o toque do alecrim defumado na hora).  Entre eles, o que leva a assinatura da casa é o Spicy Heaven, cujo nome brinca com o Altto e o céu e é preparado com cítricos, gin infusionado com pimenta dedo de moça e espuma de gengibre. Para quem degusta, a sensação é de um puro frescor que promove uma ligeira subida aos céus acompanhada de um leve toque picante do gengibre com a pimenta, o qual se dissipa lentamente e libera o paladar. 

Hotel Vila D’este lança drinks celebrativos para a primavera. (Foto: Divulgação)

A nova carta também propõe releituras de itens clássicos do cardápio com a inserção de ingredientes locais, como aroeira e pitanga. Em relação às famosas ‘caipis’ – como são chamadas as caipirinhas da casa –, agora elas também embarcam na viagem da criação e chegam ao bar com itens contemporâneos, como hibisco, manjericão e carambola.

Toda essa criatividade está embasada nos mais de 20 anos de experiência de Sodré atrás dos balcões. Após passar por diversas casas renomadas, em sua trajetória ele passou a dominar a arte dos drinques de maneira incrível. Sempre antenado nas tendências mundiais da coquetelaria, ele sabe – como poucos – identificar o que irá agradar o paladar de seus clientes e imprime seu toque autoral, o qual mescla frescor na medida certa e doses generosas de brasilidade.

Depois de bebericar, a dica é se deliciar com o cardápio do Altto, que brinda o paladar de seus habitués com um requintado festival de aromas e sabores. Aos sábados, a dica é a lounge session, comandada pelo DJ residente, entre 16h e 22h.

ALTTO RISTORANTE & LOUNGE BAR
Endereço:
 Alto do Humaitá, 11, Búzios – RJ [Dentro do hotel Vila d´este]
Site: www.alttobuzios.com.br

Reservas: (22) 2623-1546 ou altto@alttobuzios.com.br

Cerveja Sour: conheça as cervejas ácidas

Beer Sommelier explica o processo de produção das brejas azedinhas e fala os principais estilos

O consumo de cerveja aumentou, de acordo com a pesquisa da Kantar Worldpanel. O estudo aponta que a quantidade domicílios brasileiros que consomem cerveja aumenta mais de 1% a cada ano. Fazendo parte do universo cervejeiro, a sour chegou para conquistar o paladar dos brasileiros com seu gosto azedinho e único.

De acordo com o sommelier de cervejas Eduardo Meira, à frente do Beer Club, cervejas sour são ótimas para enfrentar no calor. “As sour são refrescantes por conta do seu teor cítrico. São centenas de opções de combinações e sabores. As mais comuns são as sour com goiaba e maracujá, que causam uma explosão de sabores na boca. Existem algumas que exploram mais o sabor adocicado, como é o caso das com manga, mas que não perdem sua essência cítrica”, explica Eduardo.

Beer Sommelier apresenta as cervejas ácidas. (Foto: Divulgação)

Segundo o especialista, o processo de fabricação é complicado. “Todas as sour são produzidas com leveduras selvagens e o processo de fabricação não é barato. Essas cervejas demoram mais para fermentar e isso torna o processo mais longo. Há cervejas sour fermentadas naturalmente e artificialmente, mas eu prefiro as naturais”, diz o sommelier.

Alguns estilos são mais famosos no mundo das sour. “Lambic é o estilo mais famoso entre as sour. Ele se caracteriza pela fermentação natural e permanecem de 2 a 3 anos maturando no barril de carvalho. Essas cervejas não produzem espuma por não serem carbonatadas. As colorações das Lambic podem variar do amarelo claro ao dourado fechado e seu sabor é bem cítrico”, fala Meira.

Outro estilo famoso é o Berliner Weisse. “Estilo tradicional de Berlim, a Berliner Weisse possui ¼ de trigo e sua coloração é amarelo esbranquiçada. Essa cerveja não é filtrada e possui amargor quase zero. Seus sabores podem variar, mas são preferencialmente frutadas e podem ser servidas com suco limão e xarope de framboesa”, conclui Edu.

Serviço
Beer Club
Endereço: CLS 403, Bloco D, loja 28
Horário de funcionamento: De terça a quinta, das 17h às 1h30. Sextas e sábados, das 12h às 1h30.
Telefone: (61) 3254-6222
@beerclubbrasilia

Way Beer lança nova cerveja para expandir o mercado artesanal e formar novos consumidores

A Wayzinha, grande novidade da cervejaria paranaense nos últimos anos, chegará ao mercado nacional nos próximos dias com uma receita cheia de personalidade e preço especial

Com quase 10 anos de história, a cervejaria paranaense Way Beer, uma das principais referências do mercado nacional de cervejas artesanais, sempre se posicionou como uma das melhores e mais inovadoras empresas do segmento. Prezando sempre pela excelência de seus rótulos, a Way lançou estilos e tendências no país, se posicionando como revolucionária em um mercado em franca expansão. Só em 2018, a cervejaria produziu 54 rótulos diferentes.

Agora, visando a expansão do mercado artesanal, a empresa paranaense prepara o lançamento de uma das maiores novidades de sua história: a Wayzinha. A cerveja, uma Revolution Lager, será comercializada em latas de 310ml pelo preço sugerido de R$ 4,99 nos canais de autosserviço. “Nossa ideia é oferecer uma lager com muita personalidade, com a cara da Way Beer, e que tenha um preço acessível, abrindo o mercado das cervejas artesanais para um número cada vez maior de pessoas”, comenta Alessandro Oliveira, sócio proprietário e cervejeiro da Way Beer.

Wayzinha é a novidade da Way Beer. (Foto: Priscilla Fiedler)

A Wayzinha, uma cerveja artesanal de altíssima qualidade, puro malte, apresenta 4,2% de teor alcoólico e 20 de IBU (unidade de amargor). A bebida passou por um Late Hopping com lúpulos Saaz e Saphir, garantindo sabores e características únicas. “A Wayzinha passou por um longo período de testes, tudo para que chegássemos ao mercado com uma cerveja que tivesse a cara e, principalmente, toda excelência da Way Beer. Dificilmente o público vai encontrar no Brasil uma cerveja com características, qualidade e valor tão interessantes. Ela chega para ser a melhor opção do segmento”, completa Alessandro Oliveira.

Expansão

A Wayzinha deverá potencializar consideravelmente os números da Way Beer no mercado nacional. A expectativa é de que a novidade represente um aumento de até 20% no faturamento da cervejaria paranaense, que tem sede na cidade de Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, nos próximos anos.

A Wayzinha estará disponível nos próximos dias em bares, mercados e casas de cervejas artesanais de todo Brasil. Para mais informações sobre a linha completa da Way Beer, ligue para (41) 3653-8853 ou acesse o site www.waybeer.com.br.

Villa Brunholi completa 30 anos de turismo e gastronomia em Jundiaí

Reconhecido pela culinária italiana e vinhos tradicionais, complexo também tem inovado portfólio e é o primeiro exportador de caipirinha 100% natural

Há 30 anos, a família Brunholi iniciava a empreitada de transformar as terras que abrigavam plantações de uva para fabricação de vinhos e sucos em algo maior – um complexo que reuniria restaurante, turismo e uma lojinha para vender as delícias fabricadas no local: vinhos, licores, geleias, sucos, doces e massas. O que iniciou como um pequeno negócio inovador, é hoje um dos principais pontos do turismo de enogastronomia do interior de São Paulo, tendo em torno de 100 colaboradores e produtos premiados internacionalmente.

Ao longo dos anos, a Villa Brunholi expandiu e se tornou um complexo de turismo completo: serve almoço e jantar à la carte durante a semana, às sextas a noite, os clientes ainda podem aproveitar o Festival de Massas, que, com um valor único por pessoa é possível provar vários pratos do menu. Aos finais de semana, um café colonial com pães, bolos, geleias, antepastos e várias delícias produzidas no local. A opção é um verdadeiro convite a um descanso no redário após a refeição e uma caminhada pelo pomar e mini-fazenda, que depois pede uma nova parada no restaurante para um almoço autenticamente italiano: molhos e massas produzidos no local, e as ervas do molho pesto são colhidas diretamente na horta da Villa Brunholi, com um perfume e sabor irresistíveis.

Viila Brunholi completa 30 anos. (Fotos; Edu Guimarães)

Para Sandra e Paulo Brunholi, irmãos e quarta geração à frente do empreendimento familiar, o crescimento do local sempre foi gradativo e constante. “Tudo começou com a venda dos vinhos, depois iniciamos uma pequena loja, 10 anos depois, reformamos e se tornou uma adega. Na sequência, inauguramos o restaurante, depois veio a fábrica de bebidas, ampliamos a adega e construímos o Museu do Vinho. É um crescimento que nunca para, sempre de olho nas tendências e nos turistas, buscando oferecer diferenciais e comodidades, como é o caso da nossa brinquedoteca que tem um espaço amplo e várias atrações para as crianças”, relembra Paulo, que é também engenheiro químico e criador de bebidas autênticas da casa.

Apesar da tradição do local estar ligada aos vinhos Brunholi, a inovação não poderia ficar de fora, e a Villa Brunholi tem uma linha de cachaças premiadas, como é o caso da Cachaça Ouro, que recebeu medalha de ouro no Festival de Bruxelas, e a Cachaça Premium Envelhecida, que ganhou medalha de ouro no Concurso Nacional de Destilados do Brasil. O portfólio de bebidas também ganha destaque com o gin Decreto 89 e a estrela da adega: a Caipirinha Brunholi, que é 100% natural e conquista turistas de todas as partes, sendo a primeira caipirinha engarrafada que leva apenas três ingredientes: cachaça, limão e açúcar. A novidade já tem sido exportada e vem conquistando espaço na República Dominicana, Reino Unido e Portugal.

Enoturismo é na Villa Brunholi. (Fotos; Edu Guimarães)

Com o intuito de comemorar o marco de 30 anos, a Adega Brunholi lança, em setembro, a nova bebida do portfólio: o Limoncello Brunholi, trazendo uma homenagem às raízes italianas, já que a bebida é quase “uma caipirinha italiana”. Também foram desenvolvidos pratos e sobremesas que harmonizem com a novidade, deixando o menu do restaurante com pedidos especiais para marcar essa nova fase.

Festa especial acontece em setembro

No dia 21, a partir das 20h, é comemorada a festa de 30 anos da Villa Brunholi, com menu desenvolvido pelo chef Gilli Lima, reconhecido pelo trabalho internacional na Itália e Grécia, com entrada, prato principal, sobremesa, água e vinho Brunholi inclusos. O valor para participar do jantar é de R$150 (individual) ou R$250 (casal) e a festa conta com músicas italianas do I Cantanti D´Italia, um grupo tradicional de Jundiaí, que resgata as tradições italianas. Informações pelos telefones: (11) 4584-1219 e (11) 4584-7619.

Confira o menu:

Mesa de pães e antepastos de entrada – pão italiano, focaccia, ciabata, grissini, corniccione ao limone, salame italiano e lombo defumado, provolone, parmesão, gorgonzola e brie com mel, sardela, alichela, antepasto de berinjela e azeitonas

Pratos principais (empratado em serviço sequencial) – risoto da casa com linguiça calabresa fresca ao alecrim, abóbora kabocha e pimenta biquinho; rondelle de espinafre com ricota, mozarela, catupiry e tomate seco ao molho branco; cordeiro ao molho de vinho branco, acompanhado de coalhada seca com hortelã e batatas rústicas.

Sobremesa – Trilogia de chocolate -três mini sobremesas especiais da casa (cannoli de Nutella, tiramissu e chocoterapia, um exclusivo brownie, mergulhado em ganache de chocolate e coberto com chantilly e farofa de pistache, servido com sorvete de creme).

CHOPERIA INÉDITA CHEGA A SÃO PAULO

Primeira Choperia em estádio da cidade será no Morumbi

A CHOPERIA Nº1 é um bar e camarote dentro do Estádio do Morumbi. O estabelecimento é parte de um novo projeto da Cervejaria Brahma e Ambev que reúne as duas paixões do brasileiro: futebol e chope.

O bar contará com dez tipos de chopes da Ambev em seu cardápio. Além do cremoso Brahma a Choperia terá outros rótulos da Ambev como a Colorado, Wals, Patagonia e Hoegaarden. Para comer haverá porções, sanduíches, e um almoço repleto de pratos da cozinha botequeira paulistana, que os clientes poderão provar enquanto assistem diversos esportes transmitidos nas TVs espalhadas pelo local.

Choperia Nº1 abre primeira unidade no estádio do Morumbi. (Foto: Divulgação)

Em dias de jogos, a CHOPERIA Nº1 funcionará como camarote vip. A vista deslumbrante para o gramado e toda a sua estrutura proporcionará ao torcedor uma experiência inédita, com o espaço ideal para ver o seu time jogar .

Esse novo conceito de cervejaria é uma tendência europeia, que concentra bares e restaurantes nos grandes estádios e arenas. Agora, chegou a vez dos paulistanos terem essa experiência com a primeira CHOPERIA Nº1 da cidade, que funcionará todos os dias, no horário do almoço e à noite, dentro do Estádio do Morumbi, no Concept Hall onde ficam os camarotes, academias e restaurantes. A entrada do público é livre. 

DIAS 07 E 08 DE SETEMBRO TEM FESTIVAL DE CERVEJA ARTESANAL NO MEMORIAL DA AMÉRICA LATINA

O evento que tem cervejas premiadas e chopes, acontece das 11h às 21h, com entrada gratuita para todos aqueles que apreciam uma boa cerveja ou querem experimentar novos sabores 

Você se considera um cervejeiro de carteirinha? Gosta de apreciar novos sabores e aprender mais sobre esse universo de uma das bebidas mais antiga do mundo? E que tal aproveitar o feriado para encontrar os amigos com uma boa breja? Saiba quais são as 18 cervejarias que confirmaram presença no evento: Bigorna, Brotas Beer, Caipira, Cevada Pura, Doktor Bräu, Dortmund, Fifties Beer, Hausen Beer, Hettwer Bier, Koch Beer, Leuven, Madalena, Quinta do Malte, Paraska, Pedra Grande, Sapucaí, Tarantino e Villa Alemã. Então, anote na agenda: dias 07 e 08 de setembro, das 11h às 21h, no Memorial da América Latina. Os chopes de 300ml serão comercializados em copos descartáveis (a partir de R$ 8,00), mas também tem opções de canecas de vidro, canecas de alumínio, garrafas, growlers e até kits para levar para casa.

Festival de Cerveja acontece esse fim de semana, no Memorial de América Latina. (Foto: Divulgação)

 No Festival, você vai encontrar mais de 50 estilos de cerveja/chope, dentre eles: Amber, American IPA, American Lager, APA, Belga, Belgian Strong Ale, Black, Bock, Brown Porter, Double IPA, Dunkel, German, Imperial IPA, Irish Red, Lager, Pale Ale, Pilsen ,Pilsen Extra, Porter, Puro Malte, Red Ale, Red IPA, Session IPA, Stout, Summer Ale, Trippel, Vienna Lager, Weiss, Weizen, Witbier e outras.

Curte cervejarias premiadas? Dentre elas, a Hausen Bier com 11 medalhas na Ingalerra estará com as cervejas Dunkel (medalha de ouro), APA (medalha de prata), Pilsen (medalha bronze), premiadas no Internacional Beer Challenge (IBC). As cervejas da Pedra Grande, premiadas no Expresso Bier Fest (Atibaia/SP), são Weiss (2º lugar 2016) e Belgian Pale Ale (3º lugar 2017). Da Dortmund tem a Hopfen, categoria Imperial IPA (medalha de prata) e da Brotas Beer a IPA (medalha bronze), premiadas na Copa Latinoamericana de Cervezas Artesanales realizada no Peru. A Doktor Bräucom as cervejas Endorphina e Psicose Espacial que conquistaram ouro no Mondial de la Biére em 2018 em São Paulo e a Cevada Pura no estilo Imperial com a Dona Dipa (ouro) e estilo Session com a Tropical Session IPA (ouro).

E para quem quer conhecer cervejas de sabores mais leves, poderá encontrar naQuinta do Malte a Orange Wheat, uma cerveja suave, com notas cítricas, que tem em sua composição malte de trigo e laranja. Na Koch Bier, cervejaria do Paraná, poderá experimentar a American Pale Ale, de aroma cítrico e frutado, podendo lembrar melão e manga proveniente do dry-hopping. De sabor frutado de banana e cravo, de amargor suave e cremosa, tem a Weiss Beer das cervejarias Hettwer Bier e Sapucaí. A Apacaxi da Caipira, é uma APA com abacaxi e capim limão. E ainda, com notas cítricas de casca de laranja e limão siciliano, com sutil dulçor do trigo e da cevada, a Witbier Witch da Leuven

Se a sua sede for grande, a Fifties Beer tem aquela caneca de responsa de 2 litros, em diversos estilos, no valor de R$ 45,00. E pela primeira vez no 4º ano do festival de cervejas artesanais da Art Shine Eventos, a Bigorna traz as opções IPA, Trippel, Weiss e a Helles que tem perfeita combinação com frutos do mar, sendo uma boa pedida para acompanhamento com os pratos à base de camarão que estarão no evento.

          As cervejarias estarão distribuídas pelo evento em mais de 20 pontos, entre bikes tendas, beer trucks e um beer bus instagramável da cervejaria Madalena, com as opções de Lager, IPA e Weiss, onde você pode saborear uma breja gelada e fazer aquele post bacana com hashtag #festivaldecervejaartshine.

          Além das cervejas, será possível apreciar a boa gastronomia com o Festival de Camarão e Paella. E claro, como todo bom evento pede, a música ao vivo não pode faltar! Ela começa a partir das 13h. Para que ninguém fique de fora, o local possui área kids (R$ 6,00), fraldário, e local não tem restrição em relação aos pets; muito pelo contrário, eles são muito bem-vindos.

          O Memorial conta com acesso fácil por transporte público: está localizado ao lado da estação de metrô/trem Barra Funda e possui pontos de ônibus nas proximidades, assim é possível aproveitar o evento sem maiores preocupações. As outras opções são ciclofaixa com bicicletário no portão 9 e estacionamento para carros por R$ 25,00 nos portões 04 e 15. E também as opções dos aplicativos, pois se beber, não dirija!!!

Os shows começam às 13h, e a programação é bem eclética para que possa agradar todos os públicos.

Sábado – 07/09:

13h:00 –  KITO ROCHA – ROCK

15h:00 – CALANGO BRABO – ROCK DO SERTÃO

17h:00 – HORÁRIO NOBRE RETRO BAND – RETRO 80

19h:00  – ROCKSTRADA – ROCK

Domingo –  08/09:

13h:00 – WILSON TEIXEIRA – SERJANEJO

15h:00 – STEP’N SOUL – SOUL, POP, ROCK

17h:00 – COMITÊ DO SOUL – SOUL

19h:00 – ROCK’N ROLL RADIO – ROCK

Festival da Cerveja Artesanal é uma realização da Art Shine Promoções e Eventos com apoio cultural da Fundação Memorial da América Latina, Governo do Estado de São Paulo e Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo.

Cervejaria curitibana investe cervejas criativas e inovadoras

Atuando há quase 10 anos no mercado, a Way Beer ganhou destaque nacional inserindo diferentes ingredientes e processos, mostrando não ter medo da rejeição

A criatividade é uma das bases das cervejarias artesanais, sejam as brasileiras ou as de outros países. E esse é um dos segredos do sucesso da cervejaria paranaense Way Beer, uma das grandes referências do mercado nacional. Para Alessandro Oliveira, sócio fundador da empresa, o importante é o foco na qualidade do produto, sem medo de inovar e encarar rejeições. “A indústria, por outro lado, procura aumentar o volume de venda. Para as cervejas artesanais, não há preocupação com a rejeição. Toda e qualquer cerveja com mais qualidade terá mais personalidade e chance de gerar rejeição, o que não é uma preocupação”, explica.

Um dos exemplos dessa inovação é o estilo Sour, de paladar azedo, introduzido no país há cinco anos pela Way Beer. De acordo com Oliveira, a inovação na produção de cerveja não ocorre só na descoberta ou apresentação de novos estilos, mas em seu processo de produção. “A inovação sempre vai existir no meio cervejeiro. Existem tendências e caminhos seguidos na proposta de inovação, seja em estilos ou em fermentações. Além disso, técnicas e estilos acabam renascendo com as tecnologias atuais”, analisa.

Embora ainda seja um mercado menos evoluído do que em outros países, especialmente os Estados Unidos e as nações europeias, o intervalo para que novidades cheguem ao Brasil é cada vez menor. “Hoje, no Brasil, as cervejarias estão até mais avançadas do que o paladar do próprio consumidor. Existe um nicho de mercado, ainda muito pequeno, ligado às novidades lançadas”, explica o sócio da Way Beer, que tem sua fábrica na cidade de Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, um dos polos brasileiros em cerveja artesanal.

Para Oliveira, o mercado brasileiro ainda pode evoluir muito – tanto na capacidade de absorver novos estilos quanto no consumo. “É um mercado muito novo. O momento de consumo de cerveja artesanal ainda é diferente no Brasil do que em outros países. Ainda há uma valorização no ato de consumo, porque se trata de um produto com preço maior, enquanto em outros países é algo do dia a dia. O legal de fincar a bandeira de inovação, de estar na vanguarda, é que se trata de uma forma de atender esse nicho que se dispõe a pagar por esses sabores”, reflete.

Considerada uma das principais cervejarias artesanais do Brasil, a Way Beer conta com diversos rótulos em seu portfólio: dos considerados de entrada, como Premium Lager e Half Pilsen; as já consagradas, caso da Avelã Porter, Amburana Lager, American Pale Ale, Red Ale e a Witbier;  além de 30 rótulos considerados premium, como a Brett IPA, a linha Sour Me Not, a Sou feia mas tô na moda, a Catarina e a Mandaçaia. Da fábrica da cervejaria já saíram bebidas produzidas com diversos ingredientes bem curiosos, entre eles banana, lactose, goiaba, melancia, morango e café.

Em crescimento

O setor de cervejas artesanais cresceu 23% no ano passado em comparação a 2017, de acordo com o Anuário da Cerveja no Brasil, elaborado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Em 2018, ao todo, o país contava com 889 cervejarias, capazes de produzir 16.968 produtos – sendo que 6,8 mil foram registrados somente no ano passado. Ou seja, no ano passado, o mercado cervejeiro cresceu 23%, com a abertura de 210 novas fábricas – quase uma a cada dois dias no país.

As estimativas da Associação Brasileira da Cerveja Artesanal (Abracerva) apontam um crescimento de 29% para o setor em 2019. Se os números parecem positivos, eles poderiam ser ainda mais representativos. Estima-se que nem sequer 1% do total de consumo da bebida no país seja responsabilidade das cervejarias artesanais. Como comparação, nos Estados Unidos, um dos mercados mais consolidados do planeta, as estatísticas mostram que as cervejas artesanais representam perto de 13% do volume total de vendas.

Para mais informações, acesse o site www.waybeer.com.br.

Cachaça Mazzaropi lança novas versões, com vários sabores do Brasil

De produção em alambique de cobre, as novas cachaças contam com notas de especiarias, aromas florais, frutados ou tostado de café e chocolate. Entre as novidades está o armazenamento, metade em tonéis de madeiras nacionais e o restante em barris de carvalho

A cachaça é um símbolo do Brasil. E, assim como o país é variado em suas regiões, os estilos da bebida espelham essa diversidade. E agora os tipos oferecidos pela Cachaça Mazzaropi, também. A marca, com produção em alambique de cobre, acaba de lançar oito variedades, com sabores que vão do cítrico ao caramelo.

Quatro delas, produzidas em 2011, foram armazenadas em tonéis de 20 mil litros. Enquanto a branca traz o gosto suave da cana de açúcar, a bálsamo presenteia o paladar com especiarias que lembram o anis. Já a tatajuba e a grápia, ambas com a tonalidade de um castanho intenso, tem, respectivamente, o adocicado de frutas maduras e um doce levemente cítrico.

Cachaça Mazzaropi lança novas versões. (Foto: Divulgação)

As outras variedades da Cachaça Mazzaropi são envelhecidas em barris. Produzida em 2006, a cachaça de 7 anos preenche a boca com uma mistura de chocolate, café, baunilha e amêndoas, com aromas florais. A umburana, armazenada em barris dessa madeira brasileira, tem um tom marcante de amarelo e aromas amendoados mais doces. Já o sabor de caramelo é intenso, com tostado de café e chocolate, na bebida envelhecida por cinco anos no carvalho francês. Pelo mesmo tempo, quando envelhecida em carvalho americano, a confere um sabor de caramelo suave, com notas de baunilha e coco.

Desde o período colonial, a cachaça se confunde com a história do país. Com cuidados e novas técnicas, a bebida popular foi elevada a exemplar de alta qualidade e pode ser encontrada em cartas de restaurantes e bares. A Cachaça Mazzaropi já recebeu vários prêmios, como o primeiro lugar para a cachaça de 7 anos no Concurso de Avaliação da Qualidade da Cachaça, promovido pela USP São Carlos, em 2012. As envelhecidas em carvalho francês e americano ficaram com o segundo lugar.

Parte do imaginário do brasileiro, a cachaça também aparece nos filmes de Amácio Mazzaropi, ator e cineasta que tão bem retratou a vida da gente do país. Essa proximidade com o tema levou os administradores dos Hotéis Mazzaropi a investirem na produção da bebida em alambique.

As diferentes versões da bebida podem ser compradas no Hotel Fazenda Mazzaropi e no Museu Mazzaropi (ambos em Taubaté), no Hotel Vila Inglesa (Campos do Jordão) e em diversos pontos no país. A lista completa e mais informações podem ser obtidas no site www.cachacamazzaropi.com.br ou pelo telefone (12) 3634.3481.

Bar do Urso chega ao bairro Vila Olímpia

Primeira unidade do bairro oferecerá cervejas e chopes direto de Ribeirão Preto, no formato de container o Bar da Colorado fará parte de um foodpark

Bairro nobre e badalado da Zona Sul de São Paulo, a Vila Olímpia, ganha seu primeiro Bar do Urso. O bar da Cervejaria Colorado está localizado na rua Tenerife, 74, em formato de container, dentro do Foodpark. São quatro torneiras de chope para oferecer o que a Colorado possui de melhor.

Bar do Urso chega na Vila Olímpia. (Foto: Divulgação)

Incentivando a economia compartilhada no Foodpark, o Bar do Urso da Vila Olímpia venderá chope, cerveja, acessórios e peças da Colorado. Quanto a comida e petiscos os clientes possuem à disposição uma grande variedade disponível no Foodpark, podendo escolher, ao seu paladar, o que melhor combina com seu chope ou cerveja.

No Bar do Urso, os rótulos mais famosos são Cauim (que leva mandioca), Appia (com trigo e mel), Indica (IPA que leva rapadura) e Demoiselle (com café). Elas  revezam em espaço e destaque com as cervejas frutadas Rosalia (de frutas vermelhas), Murica (suavidade de Cream Ale mais graviola), Nassau (IPA com maltes de trigo e caju) e Eugênia (IPA com a fruta Uvaia), juntamente com as criações sazonais da Colorado.

Bar do Urso – Vila Olímpia

Rua Tenerife, 74