Arquivo da tag: Cachaça

Rabo de Galo ganhará fama mundial ao lado da Caipirinha

Bebida será o segundo coquetel brasileiro à base de Cachaça a ser inserido em lista internacional, que conta com quase 100 drinks considerados os clássicos do mundo

É cocktail, mas pode chamar de Rabo de Galo, como é popularmente conhecido nos balcões dos bares do Brasil afora. Há 65 anos, este drink entrou para a história do país e se tornou um patrimônio cultural, assim como a Caipirinha.

Passados mais de seis décadas, agora o drink ganhará status internacional e ficará páreo a páreo com a tradicionalíssima Caipirinha. Segundo Derivan Ferreira de Souza, conhecido como Mestre Derivan, uma das principais referências do setor de bebidas e responsável número 1 pelo reconhecimento do Rabo de Galo no cenário mundial, a bebida foi aprovada pelo comitê organizador do IBA – International Bartenders Association – e entrará ainda em 2019 na importante lista internacional da entidade, que conta com quase 100 drinks considerados os clássicos do mundo.

Assim, a bebida será o segundo coquetel brasileiro à base de Cachaça com fama mundial. “Todo barman no Brasil e no mundo precisará conhecer e saber fazer o Rabo de Galo, que agora estará presente na carta oficial da International Bartenders Association. O nosso país já consta nessa listagem com a Caipirinha, que é um drink muito apreciado e conhecido mundialmente, sendo a responsável pela disseminação do consumo de Cachaça no mercado internacional”,explica Mestre Derivan.

Rabo de Galo fica famoso com caipirinha. (Foto: Divulgação)

A trajetória do Rabo de Galo teve início na cidade de São Paulo com a chegada de uma fábrica de bebidas, nos anos 50. A indústria queria atender os anseios alcoólicos dos imigrantes italianos, no entanto, estes consumidores, encantados pela Cachaça, deixaram de consumir o Vermute para apreciar o “ouro líquido brasileiro”.

Assim, foi criada uma mistura dos dois, utilizando um copo apropriado que continha marcação das doses. Segundo relatos, o fundo do copo era mais grosso para aguentar a batida no balcão, na volta do gole. Inclusive, a bebida era para ser chamada de Cocktail, mas a idéia foi rapidamente descartada e substituída pela tradução da palavra, que significa Rabo de Galo.  

O Rabo de Galo, que inicialmente tinha em sua proporção original 2/3 de Cachaça para 1/3 de Vermute, nos dias de hoje não tem uma receita exata e nem há uma técnica fixa de preparo: as bebidas podem ser misturadas num mixing glasscom gelo ou no próprio copo de servir. Com essas nuances de preparo, tornou-se o drink mais consumido pela boemia no Brasil.

A mistura de Vermute com Cachaça é um grande sucesso. Por isso, a bebida vem despertando o interesse dos bartenders e mixologistas, que estudam a origem da Coquetelaria Brasileira.

Para chamar ainda mais a atenção desses profissionais e das empresas do setor de bebidas em relação ao potencial do Rabo de Galo, duas referências mundiais do segmento juntaram-se para promover o Concurso Nacional do Rabo de Galo: o primeiro é o Mestre Derivan, e o segundo, seu “braço direito”, o bartender Daniel Júlio.

“Em 2018, o concurso foi um verdadeiro sucesso e movimentou a capital paulista. Foram mais de 40 bartenders de todo país inscritos e que prepararam receitas inéditas da bebida. O público pôde acompanhar a disputa ao mesmo tempo que degustava gratuitamente as Cachaças expostas no evento”, conta Daniel Júlio.

Por conta do sucesso, a organização vai repetir a dose em 2019. Neste ano, o evento acontecerá em 19 de agosto, das 13h às 20h, no Leques Brasil Hotel Escola, na rua São Joaquim, 216, no bairro da Liberdade, em São Paulo. O concurso conta com o importante patrocínio do IBRAC – Instituto Brasileiro da Cachaça – e apoio da Cúpula da Cachaça, Confraria Paulista da Cachaça, Escola da Cachaça, Viva Cachaça, Bartender Store, Cachaciê e SolutionPara mais informações, acesse: www.instagram.com/rabodegalo.oficialbrasil/.

Para o Instituto Brasileiro da Cachaça, entidade que trabalha pela valorização da Cachaça no mercado brasileiro e internacional, é uma honra patrocinar o III Concurso Nacional Rabo de Galo. A quantidade de atributos da Cachaça (ingrediente principal do Rabo de Galo) e sua versatilidade fazem da bebida um destilado distinto dos demais, contribuindo para que o drink conquiste novos fãs no Brasil e no mundo. A iniciativa do Concurso é louvável, uma vez que resgata uma bebida tradicional do país, valoriza a Cachaça e eleva o Rabo de Galo ao cenário da coquetelaria internacional”, declara Carlos Lima, diretor executivo do Instituto Brasileiro da Cachaça (IBRAC).

Boteco sem cachaça, não é boteco!

Boteco Zé Mané em Florianópolis reúne 60 opções de cachaças e um rótulo próprio

Cachaça, aguardente, cana ou pinga, seja qual for o nome, a verdade é que um bom e tradicional boteco tem que ter cachaça! Genuinamente brasileira, a cachaça, assim como o vinho e a cerveja, reúne apreciadores por todos os lugares. Em Florianópolis, o Boteco Zé Mané, localizado na via gastronômica de Coqueiros, dispõe de 60 rótulos da bebida, com opções para todos os gostos e que harmonizam com vários pratos da casa.

Boteco Zé Mané tem a própria marca de cachaça. (Foto: Divulgação)

A casa, referência em comida de boteco na região, também possui uma cachaça própria, produzida pela Intisica de Blumenau; a bebida é utilizada na produção das famosas e originais caipirinhas da casa. Para uma das sócias, Leila Cristiane Pinheiro, a cachaça é um ingrediente que não pode faltar em um boteco, seja ela a branquinha, amarela ou dourada, pura ou preparada. “A cachaça harmoniza muito bem com as comidas de boteco. Aqui na casa, elas combinam, por exemplo, com a coxinha de feijoada, o varal de peixe, bolinho de mandioca com carne seca, bolinho de arroz, e claro, com a nossa tradicional feijoada servida aos sábados”, destaca Leila.

O Boteco Zé Mané reúne rótulos de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Belo Horizonte, Rio Grande do Norte, Ceará e de várias cidades catarinenses. Entre as dezenas de opções, os rótulos mais pedidos são:

  • Saliníssima (Bálsamo) – 42% – Salinas, MG
  • Terra Dourada Ouro (Carvalho) – 38% – Luiz Alves, SC
  • Providência (Amburana e Carvalho) – 43% – Buenópolis – MG
  • Seleta (Amburana) – 42% – Salinas, MG
  • Fogo da Cana Prata – 40% – Braço do Trombudo, SC

As cachaças no Boteco Zé Mané são vendidas em doses e também na tábua de degustação, com seis tipos/sabores. Já a cachaça da casa, além de doses, pode ser adquirida em garrafa – é uma ótima opção para presentear. Os valores das doses variam entre R$ 5 e R$ 11.

Pirajá comemora 20 anos com nova cachaça Santo Grau

Edição especial tem blend criado por especialistas e entusiastas da ‘marvada’

Com blend colaborativo desenvolvido com a ajuda de especialistas, a cachaça Santo Grau Pirajá Blend Coletivo 2018 chega ao mercado para marcar os 20 anos da esquina mais carioca de São Paulo. Criado novamente em parceria com a Santo Grau, marca das outras cachaças próprias da casa, o blend é intenso e vibrante, com toques de carvalho de barris selecionados de diferentes idades, que potencializam sua complexidade.

piraja.jpeg
Cachaça Santo Grau ganha garrafa comemorativa. (Foto: Divulgação)

O blend especial foi criado durante um evento no bar com a presença de grandes nomes da coquetelaria e gastronomia paulistana como Jean Ponce (Guarita), Nina Bastos (Jiquitaia), Paulo Carvalho (Mocotó), Luísa Saliba (Rota do Acarajé), Leandro Batista (Butique Umas e Outras), Paulo Leite (Sagarana), Manoel Beato (Fasano), Heloisa Bacelar (Lá da Venda), Maurício Maia (Cúpula da Cachaça), Rafael Welbert (Balaio), entre outros como os representantes da Santo Grau, Luis Henrique Munhoz e Glauco Mariano, e o próprio produtor do engenho da marca em Paraty, Eduardo Mello.

A parceria entre a Santo Grau e o Pirajá não é de hoje. Escolhido a dedo pela sinergia com o bar e em homenagem às tradições e raízes culturais do Rio de Janeiro e do samba, o engenho da Santo Grau localizado em Paraty é o responsável pela produção artesanal de todas as cachaças Pirajá. Além do novo Blend Coletivo 2018, são produzidas no local a Santo Grau Pirajá e a Santo Grau Pirajá Velha Guarda, que recebeu recentemente medalha de ouro no Concurso Mundial de Bruxelas – Edição Brasil.

 

A Editora Senac São Paulo tem o livro ideal para cada perfil de pai

O Dia dos Pais está chegando e você já sabe como presentear uma das pessoas mais importantes da sua vida? Não é fácil retribuir todo o amor e segurança que os pais oferecem, mas uma boa forma de fazer isso é surpreende-lo com um livro que tem tudo a ver com ele.

A Editora Senac São Paulo selecionou obras para diversos tipos de pais: do mais sofisticado ao que adora falar dos tempos de infância. Confira:

Imagem Masculina (pocket – lançamento)

capa_imagem_masculina.indd

Para os papais estilosos e modernos, o livro Imagem Masculina, do consultor de imagem Alexandre Taleb, é uma ótima opção. Agora na versão pocket, a obra reúne dicas de Taleb para todos os tipos de homem, identificando cada estilo, seus traços físicos e sugerindo as melhores peças para valorizar e transmitir a mensagem correta, sem perder o conforto.

Escrito por: Alexandre Taleb

Editora: Editora Senac São Paulo

Número de páginas: 123

Preço: R$ 35

Cachaça – História, Gastronomia e Turismo

cachaça

Lançamento da Editora Senac São Paulo, Cachaça, História, Gastronomia e Turismo traz conteúdo abrangente e aprofundado para o pai que deseja aprender mais sobre a bebida típica mais apreciada do Brasil, para aqueles que desejam montar um alambique e iniciar sua produção ou ainda para quem se interessa em conhecer as principais regiões produtoras do destilado no Brasil.

Escrito por: Jairo Martins da Silva

Editora: Editora Senac São Paulo

Número de páginas: 314

Preço: R$ 61

Cerveja com Design

cerveja com design

Os pais que gostam de lugares interessantes para tomar cerveja vão adorar Cerveja com Design. Com fotos de choperias ou pubs significativos de países como Alemanha, Austrália, Bélgica, França, Inglaterra, Irlanda, República Checa e também do Brasil, o livro trata, além da história e do processo de produção da cerveja, dos aspectos do design que fazem desses estabelecimentos locais de sucesso, como ergonomia, funcionalidade, cores, ambiente, clima e apelo visual, aliados ao atendimento e à cerveja de qualidade.

Escrito por: Miriam Gurgel e José Márcio Fernandez da Cunha

Editora: Editora Senac São Paulo

Número de páginas: 202

Preço: R$ 79

Whisky: o guia mundial definitivo

whisky

Para os pais que sabem apreciar um bom Whisky e querem entender mais sobre a forma de preparo, história e pratos que combinam e receitas, esse é o livro perfeito. Quais são o clima e a geografia da destilaria? Qual é o tipo de grão usado e como ele é preparado para fermentação? Como funciona o alambique? Que tipo de carvalho é usado no barril e por quanto tempo a bebida é envelhecida? Todas essas perguntas são respondidas em uma seleção de ensaios e fotografias em Whisky: o guia mundial definitivo.

Escrito por: Michael Jackson

Editora: Editora Senac São Paulo

Número de páginas: 288

Preço: R$ 110

A Mesa do Mestre Cervejeiro

a mesa

Para os pais que não recusam cerveja de qualidade, esse livro traz o processo de fabricação, história e os mais diferentes estilos de cerveja de todo o mundo pelos olhos de Garret Oliver, mestre cervejeiro e a maior autoridade em cerveja nos EUA. Um livro para quem adora cerveja e culinária.

Escrito por: Garrett Oliver

Editora: Editora Senac São Paulo

Número de páginas: 548

Preço: R$ 128

Cachaça Mazzaropi: do copo à mesa

A bebida artesanal e diversas vezes premiada, que vai muito bem nas tradicionais caipirinhas, pode também ser um ingrediente especial para diferentes pratos. Confira 5 receitas

Genuinamente brasileira, a cachaça é perfeita tanto para uma caipirinha, quanto como ingrediente culinário. Pensando nisso e tendo em mãos um produto de qualidade indiscutível, o Grupo Mazzaropi destaca algumas dicas de drinques e receitas que levam em sua composição a Cachaça Mazzaropi, premiada diversas vezes e produzida artesanalmente desde 1985.

Licorosa e com ardência moderada, esta cachaça é reconhecida por oferecer uma sensação de ingestão aveludada. Por isso, nas caipirinhas ela combina perfeitamente com frutas mais cítricas como é o caso da mexerica e do limão, ou ainda com a doce jabuticaba.

Cachaça Mazzaropi 2 baixa
Cachaça Mazzaropi dá dicas de drinques. (Foto: Divulgação)

 

Para deixar os drinques diferentes, a mistura dos sabores é uma ótima pedida. Para a caipirinha de tangerina, algumas folhas de manjericão freso dão um toque especial; já para a tradicional de limão, uma mistura de limões (cravo, taiti e siciliano) oferece novas sensações.

Por sua composição aromática de tons amadeirados intensos de caramelo, castanhas, especiarias e frutas secas, a Cachaça Mazzaropi também é excelente como a chave para um flambado de camarões temperados com sal e pimenta e dourados com alho e manteiga.

Por fim, a bebida é essencial para o sucesso de outro item originalmente brasileiro, o pastel. Quando colocada na massa na proporção correta – quatro doses (200ml) para um quilo de farinha – a cachaça garante que o pastel fique sequinho e crocante depois de frito.

As receitas podem ser encontradas na íntegra nos links http://www.cachacamazzaropi.com.br/receitas/ ehttp://www.mazzaropi.com.br/o-hotel/massa-para-pastel-com-cachaça-mazzaropi

Adega Casarão – o lugar da verdadeira cachaça

Por Italo Cappello e Vanessa Alsberg

De um hobby em fazer cachaça, dentro do hotel Casarão – primeiro hotel de Brotas – a Adega Casarão iniciou suas atividades na fabricação de cachaça abrindo ao público, para venda de sua tradicional bebida, souvenirs e um passeio incrível pela Adega para visitação e degustação.

Ao chegarmos, fomos recebidos pelo Fred, dono da Adega, muito atencioso, iniciou o tour conosco com uma pequena aula de como se fazer uma verdadeira e boa cachaça.

Logo no térreo da loja, ele nos mostrou uma parede da estrutura original da construção, feita de barro, enquanto nos contava um pouco de como deu início às atividades da Adega que antes era apenas a área de café da manhã do hotel e um porão. Devido a curiosidade dos hóspedes do hotel, o local foi adaptado para receber clientes e turistas de Brotas.

Descemos ao subsolo da Adega para conhecermos mais sobre a produção e o armazenamento das bebidas. O lugar possui diversos barris de diferentes madeiras como Carvalho, Amendoim, Pereira, Castanheira, Umburana, etc, que armazenam 10mil litros de cachaça. A mais velha, possui cinco anos.

WhatsApp Image 2018-01-10 at 23.37.31
Adega Casarão possui diversos sabores de cachaças. (Foto: Vanessa Alsberg)

80% da qualidade da cachaça vem do envelhecimento correto da bebida, ela deve conter aroma e sabor de madeira, caso não tenha, não foi envelhecida corretamente.

WhatsApp Image 2018-01-10 at 23.33.33
Envelhecimento das cachaças define amora e sabor. (Foto: Vanessa Alsberg)

Além das cachaças você pode encontrar embutidos, frios, souvenirs de parceiros que vão além de Brotas. Provamos um pedaço de queijo Meia Cura muito saboroso, e uma mortadela caseira super suave e agradabilíssima ao paladar.

WhatsApp Image 2018-01-10 at 23.34.40
Adega oferece diversos artesanatos para os turistas. (Foto: Vanessa Alsberg)

Vale a pena a visita para levar uma lembrancinha de Brotas e uma cachaça de verdade!

Coquetéis clássicos abrasileirados para comemorar o Dia Nacional da Cachaça

Para brindar o dia 13 de setembro, data oficial de celebração do brasileiríssimo destilado, o Bar Original conta com sugestão de respeito: sua recém-lançada carta de coquetéis tradicionais executados com seis variedades da tradicional cachaça Santo Grau. A seleção conta com oito releituras de drinques clássicos da coquetelaria mundial criadas pelo bartender Rogério Souza, Frajola para íntimos. Entre elas estão o Cachaça Negroni (R$ 23), que leva a Santo Grau Solera Pedro Ximenes, envelhecida em barris utilizados na produção do vinho de Jerez, o que resulta em uma bebida naturalmente adoçada pela essência da fruta. Já o Cachaça&Tonic (R$23) tem como protagonista a cachaça fruto da parceria com o Bar Pirajá, a esquina carioca em São Paulo, elaborada a partir de safras selecionadas, da casta mais nobre da fermentação, que entrega aroma e sabor intensos que são combinados harmoniosamente a citricidade do limão e perfume do zimbro. Completam a seleção Cachaça SourBloodyMary (R$23), Cachaça Mojito (R$23), Solera Manhattan (R$23), French 75 (R$23), e Cachaça Mule (R$23).

santo grau-59.jpeg
Cachaça Santo Grau sugere dias para o Dia da Cachaça. (Foto: Divulgação)

Serviço:

Bar Original

Rua Graúna, 137 – Moema – (11) 5093-9486

Funcionamento: 2º a 4º das 17h30 às 2h, 5ª e 6ª das 17h30 às 03h, sáb. das 12h às 03h e dom. de 12h às  22h

www.baroriginal.com.br

 

Bar Original abrasileira coquetelaria clássica

Para dar uma “quebrada” no gelo do chope, casa inova e cria seleção de oito drinques com cachaça Santo Grau 

Quem curte o chope cremoso e tirado à perfeição do bar Original, gosta às vezes de bebericar um “quente” para dar uma quebrada no gelo. Para além da cachacinha pura, a casa há mais de 20 anos começou a revolução que transformou o mercado do chope tradicional, inova e apresenta com pioneirismo uma carta de coquetéis tradicionais “abrasileirados”, isto é, todos tendo como base ela mesma, a cachaça. São adaptações criadas pelo bartender Rogério Souza, Frajola para íntimos, que levam seis variedades da marca Santo Grau. No decorrer dos meses, os cinco drinks mais pedidos entram para a seleção fixa da casa.

O Cachaça Negroni (R$ 23), por exemplo, leva a Santo Grau Solera Pedro Ximenes, envelhecida em barris utilizados na produção do vinho de Jerez, o que resulta em uma bebida naturalmente adoçada pela essência da fruta. Já o Cachaça Mule (R$23) tem como protagonista a Santo Grau Itirapuã, de aroma suavemente amadeirado e sabor aveludado e macio. O Cachaça Tonic (R$23) teve como protagonista a cachaça fruto da parceria com o Bar Pirajá, a esquina carioca em São Paulo, elaborada a partir de safras selecionadas, da casta mais nobre da fermentação, que entrega aroma e sabor intensos que são combinados harmoniosamente a citricidade do limão e perfume do zimbro. Para o refrescante French 75 (R$23), a escolhida foi a Santo Grau Coronel Xavier Chaves, de aroma intenso e sabor doce, casa bem com a acidez do limão e o frescor do espumante, usados no preparo. Completam a seleção Cachaça Sour, Bloody Mary, Cachaça Mojito, e Solera Manhattan.
 
Serviço:
Bar Original
Rua Graúna, 137 – Moema – (11) 5093-9486
Funcionamento: 2º a 4º das 17h30 às 2h, 5ª e 6ª das 17h30 às 03h, sáb. das 12h às 03h e dom. de 12h às  22h
 

Campari lança Negroni pronto para beber

Clássico drinque ganha versão “ready to enjoy”, em uma opção que traz a mistura perfeita de Campari, gin e vermute

image002 (1).jpgNão é de hoje que o interesse dos brasileiros pela coquetelaria vem crescendo. Com o aumento do número de bares e bartenders, principalmente no eixo Rio-São Paulo, é cada vez maior a quantidade de pessoas que buscam novas experiências quando o assunto é um bom drinque.

Com a retomada dos grandes clássicos, o Negroni se tornou um dos mais queridos, entrando definitivamente nos cardápios dos melhores estabelecimentos do país. Outro forte movimento dentro do segmento são os prontos para o consumo, com renomados bares e restaurantes preparando versões engarrafadas de seus drinques mais famosos.

Seguindo a tendência de consumidores que cada vez mais estão envolvidos na arte da coquetelaria e trazendo isso para dentro de casa, a Campari criou o Negroni Ready to Enjoy, que chega ao Brasil esse mês. Pronto para beber, basta colocar a bebida em um copo baixo com gelo e uma rodela de laranja.

Negroni RTE é um coquetel premium que mistura ingredientes de qualidade, respeitando uma receita tradicional criada em 1919 pelo conde Camilo Negroni e catalogada na “bíblia dos bartenders”, o IBA (International Bartenders Association), na qual Campari é o único ingrediente original.

O equilíbrio perfeito entre o sabor do gim, o doce do vermute e o inigualável contraponto de Campari – afinal, não existe Negroni sem Campari – virou uma verdadeira febre entre aqueles que apreciam a mixologia.

Proporcionando uma experiência única e exclusiva para brindar com poucos e bons amigos, o Negroni Ready to Enjoy possui uma cor vermelha envelhecida e toques de âmbar característicos, além de um sabor marcante com as notas de ervas e o amargor do Campari, somados ao zimbro do gim e o típico gosto do vermute doce no final.

Produzido na Itália, berço da marca Campari, a bebida também é uma ótima sugestão de presente e pode ser encontrado nas lojas de varejo especial. O preço sugerido da garrafa, que serve até sete doses, é de R$ 150.

 

SAGATIBA LANÇA SABOR MEL, LIMA E LIMÃO

image008.pngCom uma proposta totalmente inovadora, Sagatiba reinventa uma tradicional mistura brasileira e apresenta uma nova categoria de saborizadas no mercado nacional. Sagatiba Mel, Lima e Limão introduz o sabor da lima como diferencial com criatividade e modernidade. Além do sabor da lima, o produto tem como base a cachaça Sagatiba Cristalina, que é multidestilada, um processo de produção que destila o líquido mais de uma vez, eliminando qualquer impureza e garantindo um sabor único.

A novidade chega às lojas e bares ainda em fevereiro e faz parte da estratégia de reposicionamento da marca iniciado em 2016 com a reformulação das embalagens dos produtos Sagatiba Envelhecida e Sagatiba Cristalina. Além do novo sabor – que levou cerca de um ano para ser desenvolvido –, a embalagem é um diferencial. Colorida e chamativa, a garrafa não vai passar desapercebida pelos consumidores.

Pronta para beber, Sagatiba Mel, Lima e Limão deve ser consumida bem gelada ou com gelo. A garrafa de 700ml com preço sugerido de R$40,00, é uma pedida perfeita para curtir o Carnaval e também para compartilhar no churrasco, no esquenta, na praia, no happy hour, em qualquer época do ano.

Sagatiba dá um toque de inovação em tudo o que faz. Foi assim logo em seu lançamento há 12 anos, quando a bebida ficou conhecida por trazer uma abordagem diferente para a categoria, com um posicionamento premium, uma garrafa moderna, um líquido de alta qualidade e pureza. Agora a ideia é ampliar a família Sagatiba para o consumidor trazendo mais criatividade e reinventando o segmento”, explica Marina Santos, diretora de marketing doGruppo Campari.