Arquivo da tag: Cachorro

DISNEY+ LANÇA TRAILER OFICIAL DA PRÓXIMA SÉRIE ORIGINAL “TURNER & HOOCH”

A série estará disponível a partir de 21 de julho no Disney+  

Hoje, o Disney+ lançou o trailer oficial e o pôster de Turner & Hooch, a série original que estreará no dia 21 de julho, quarta-feira. Quando um ambicioso e reservado investigador herda um cachorro grande e indisciplinado, logo percebe que o cão, que ele não queria, pode ser o parceiro de quem ele precisa. Turner & Hooch é estrelado por Josh Peck como Scott Turner, filho do Detetive Scott Turner interpretado por Tom Hanks no filme Uma Dupla Quase Perfeita de 1989.

A série também é estrelada por Carra Patterson como Jessica Baxter, a esperta e corajosa parceira de Scott; Brandon Jay McLaren como Xavier Wilson, um tranquilo e enigmático ex-fuzileiro naval que se tornou investigador; Anthony Ruivivar como Chefe James Mendez, o chefe de Scott com um favoritismo secreto para o Hooch, o novo cachorro de Scott; Lyndsy Fonseca como Laura Turner, a doce irmã de Scott que ama os animais; Jeremy Maguire como Matthew Garland, filho da Laura, apaixonado por cães; e Vanessa Lengies como Erica Mouniere, a peculiar chefe do programa de treinamento de cães da US Marshals – o Serviço de Delegados dos Estados Unidos. Cinco mastins franceses também estrelam como Hooch, o adorável e babão mastim francês de Scott.

Turner & Hooch é uma série original Disney+ produzida pela 20th Television. Matt Nix é o criador, produtor executivo e roteirista da série. McG é produtor executivo e dirigiu a estreia da série. Michael Horowitz, Robbie Duncan McNeill e Mary Viola também atuam como produtores executivos e Josh Levy atua como coprodutor executivo.

COMO CÃES E GATOS 3: PELUDOS UNIDOS! GANHA TRAILER E PÔSTER OFICIAL

Longa para toda a família é o terceiro da trilogia que chega aos cinemas

(Foto: divulgação)

A Warner Bros. Pictures divulga o novo trailer e pôster de Como Cães e Gatos 3: Peludos Unidos!, filme do diretor Sean McNamara (“Soul Surfer – Coragem de Viver”) e escrito por Scott Bindley (“O Último Verão”). O filme traz a continuidade da aventura entre os mundos rivais dos cães e gatos, quando um vilão tecnológico decide aparecer e um novo conflito surge.

O elenco de dubladores brasileiros conta com Renan Freitas (Roger), Aline Ghezzi (Gwen), Hercules Franco (Pablo), Isabelle Cunha (Zoe), Dudu Drumond (Max), José Leonardo (Ollie), Eduardo Borgerth (Velho Ed), Malta Júnior (Schnauzer), Oziel Monteiro (Zeek), Marcio Simões (Buck), Isis Koschdoski (Suzan) e Jackie Melo (Tarântula).

Sobre o filme
Já se passaram 10 anos desde a criação da Grande Trégua, um elaborado sistema de vigilância conjunta de espécies projetado e monitorado por cães e gatos para manter a paz quando surgem conflitos. Mas quando um vilão tecnológico invade as redes sem fio para usar as frequências ouvidas apenas por cães e gatos, ele as manipula para o conflito, e a batalha mundial entre cães e gatos ESTÁ DE VOLTA. Agora, uma equipe de agentes inexperientes e nunca testados terá que usar seus instintos animais à moda antiga para restaurar a ordem e a paz entre cães e gatos em todos os lugares.

Como Cães e Gatos 3: Peludos Unidos! apresenta grandes estrelas da comédia emprestando suas vozes para esta nova geração de amigos de quatro patas e duas asas, incluindo Melissa Rauch (“Big Bang: A Teoria”) como a gata Gwen, Max Greenfield (“The Neighbourhood”, “New Girl”) como o cachorro Roger, e George Lopez (Rio 2) como o papagaio Pablo.

O filme foi dirigido por Sean McNamara (“Soul Surfer – Coragem de Viver”) e escrito por Scott Bindley (“O Último Verão”), baseado em personagens criados por John Requa & Glenn Ficarra. Os produtores são Andrew Lazar (“Cats & Dogs, Get Smart”) e David Fliegel.

A equipe criativa de McNamara incluiu o diretor de fotografia Adam Sliwinski, o designer de produção Daren luc Sasges, o editor Simon Davidson, a figurinista Valerie Halverson e o compositor John Coda.

A Warner Bros. Home Entertainment apresenta uma produção de Mad Chance, Como Cães e Gatos 3: Peludos Unidos! . O filme conta com distribuição da Warner Bros. Pictures em territórios selecionados.

O ADORÁVEL SHOOT-EM-AU-AU ‘PROTOCORGI’ CHEGANDO PARA PC E SWITCH EM NOVEMBRO

Shoot-em-au-au chega em novembro. (Foto: Divulgação)

A Kemono Games e a Deep Silver anunciam que será lançado em novembro ProtoCorgi, o adorável, mas perigosamente fofinho, “Shoot-em-au-au” que apresenta o filhote cibernético mais fofo da história dos videogames.

Conheça Bullet, um filhote cibernético classe C3 (Corgi, Cibernético e Cut-cut) que pode ser adorável por fora, mas essa fofura está longe de ser seu único propósito. Ele é um experimento militar e armado até os dentes. E precisará de todo o seu poder e de seus latidos para salvar sua criadora,a brilhante cientista Nixie, das garras das forças alienígenas do mal.

ProtoCorgi estará disponível a partir de novembro de 2020 para PC e para Nintendo Switch em breve.

O trailer dá uma idéia da destruição que Bullet é capaz e dos inimigos que esse herói fofíssimo deve enfrentar. Assista o trailer aqui.

Sobre ProtoCorgi –

ProtoCorgi é um shoot-em-up horizontal no estilo retro-pixel, com gameplay arcade que coloca o jogador no controle de Bullet, um filhote cibernético classe  C3 (Corgi, Cibernético e Cut-cut). (Corgi Cósmico de Combate também é aceitável)

Quando Bullet descobre que Nixie foi sequestrada por forças alienígenas malignas que buscam dominação galáctica, a fofa e mortal Corgi parte em uma missão para salvá-la. A aventura pela frente enche sua tela com pixel arte retrô totalmente animado e permite que você experimente as lutas de Bullet com controles precisos, jogabilidade sólida e história envolvente. Atire, desvie e lata pelo seu caminho neste adorável shoot-em-au-au lançado ainda este ano.

A Caminho de Casa – Uma odisseia canina

Por Andre Luigi

Baseado no livro de W. Bruce Cameron, o filme “A Caminho de Casa”, dirigido por Charles Martin Smith e produzido por Gavin Polone, estreou na quinta-feira (28) nos cinemas brasileiros.

O longa nos apresenta vários temas: a relação de amor e lealdade entre um ser humano e seu cachorro, veteranos de guerra com estresse pós-traumático, animais abandonados entre outros. Embora o filme possa parecer clichê à primeira vista e o final seja um tanto quanto previsível, ele nos mostra uma jornada interessante.

(Foto: Divulgação)

O filme nos introduz Bella (Bryce Dallas Howard) uma cachorrinha que acaba de ser resgatada por seres humanos e é adotada e amada por eles. Em Denver, pitbulls são proibidos por lei, obrigando que seu dono Lucas (Jonah Hauer-King) procure um lugar no interior para abrigar Bella até ele achar uma outra cidade para se mudarem.

A premissa é interessante, pois essa lei é extremamente polêmica, com razões para muitos ataques e também defesas.  O filme se desenrola após Bella fugir de seu abrigo no interior e tenta retornar para Lucas, que está a vários quilómetros de distância, a jornada de Bella não é nada fácil, tendo vários encontros e desencontros ao longo do caminho, a cachorrinha vai criando diversos laços no processo.

O filme tem um ar mais “infantil”, que a princípio pode incomodar quem erroneamente esperava com uma pegada mais dramática. No entanto no decorrer da história, o tom da narrativa acaba conquistando o espectador e gerando emoção nos momentos certos, causar tensão nos momentos de perigo e de nos fazer rir com as brincadeiras e travessuras da cachorrinha.

A trilha sonora instrumental de Mychael Danna (que trabalhou em 500 Dias Com Ela) e outras músicas pop que aparecem ao longo do enredo são importantes aliadas para nos transmitir a emoção das cenas e mexer com a emoção dos espectadores. Como todo filme sobre animais o que causa a comoção no público são os closes que conseguem capturar a doçura dos cachorros que fazem parte da história. Do olhar triste de Bella quando está separada de sua família a momentos excitação por estar perto de quem gosta. O filme também conta com Ashley Judd e Alexandra Shipp, nomes conhecidos do grande público, mas que não conseguem se sobressair na trama. Apenas cumprem os seus papeis de forma justa e se despedem sem nenhuma cena memorável. Falando de cena memorável, não dá para deixar de fora um detalhe comovente e bonito da trama, que é a amizade que Bella desenvolve com uma Puma que ela chama de “Gatona”. A puma fora representada e criada totalmente por computação gráfica. E é essa relação entre as duas que inicialmente dá a Bella uma nova sensação de pertencer a algo, de ter uma família que a faz não só cuidar da “gatona” como de persistir em seu objetivo de voltar para Lucas.

Mas nem tudo são flores, pois as conveniências de roteiro na parte final nos dão a sensação de que não havia mais tempo para resolver o conflito principal, e procurando qualquer solução conveniente e rápida para fechar a trama. Mesmo com seus defeitos, A Caminho de Casa nos proporciona momentos divertidos, tristes e com certeza emocionantes, e consegue atingir seu objetivo de mexer com os sentimentos do espectador, o filme se encerra como uma experiência agradável e tocante para quem tem amor por cães.