Arquivo da tag: Cinemas

Sessão de cinema exclusiva para até 20 pessoas é grande diferencial oferecido pela Rede UCI de Cinemas

Programa é ótima opção para as férias de julho

(Foto: divulgação)

Que tal aproveitar as férias com uma sessão exclusiva de cinema para até 20 pessoas? Essa é a proposta da Sessão Amigos, um grande diferencial da Rede UCI de Cinemas que proporciona aos clientes uma experiência divertida e privada com toda a segurança na prevenção da Covid-19 e protocolos de higiene rígidos. Entre os filmes em cartaz no circuito em julho, seis opções estão disponíveis na Sessão Amigos: “Viúva Negra”“Velozes e Furiosos 9”“Space Jam: Um Novo Legado”, “Os Croods 2”“Um Lugar Silencioso – Parte II” (a partir de 22/07) e “Jungle Cruise” (a partir de 29/07).

Grandes sucessos já lançados como “Mulher Maravilha 1984”“Coringa”“Raya e o Último Dragão”“O Rei Leão”“A Bela e a Fera”“Tenet”“Capitão Marvel”, entre outros, também são opções para os que querem reunir amigos e família no cinema com privacidade. Desde outubro de 2020, já foram realizadas mais de 120 Sessões Amigos em toda a rede UCI. A reserva precisa ser feita com pelo menos dez dias de antecedência e a locação da salas podem ser realizadas de segunda a quinta-feira, entre 15h e 17h. Os valores variam de R$ 200 a R$ 600. Para comprar os ingressos é só acessar ucicinemas.com.br/sessaoamigos.

SEGURANÇA E CONFORTO

A Rede UCI tem como missão oferecer aos seus clientes a melhor experiência no cinema e, desde o início da pandemia, vem aprimorando os protocolos de segurança para prevenção da Covid-19. O seu principal diferencial está na implementação de um sistema exclusivo de ar condicionado nas suas salas de todo o Brasil: o iWave, um sofisticado equipamento com polarizadores de íons que destrói qualquer tipo de microorganismo e vírus. Além disso, a rede segue à risca o protocolo obrigatório recomendado pelas autoridades de cada cidade e pela OMS (Organização Mundial de Saúde). A higienização das salas é intensificada a cada sessão e conta com dispensers de álcool em gel espalhados pelos complexos. Além da utilização de máscaras ser obrigatória para funcionários e clientes, as bilheterias e bombonières estão equipadas com escudos de acrílico de proteção. Para evitar aglomerações, as vendas são controladas por um sistema que bloqueia automaticamente os assentos próximos aos já ocupados. O espaçamento ideal entre os clientes também é indicado com marcadores de piso na bombonière, na bilheteria, nos terminais de autoatendimento e no acesso às salas. Neste link, mais informações sobre os protocolos de segurança adotados pela Rede UCI: http://www.ucicinemas.com.br/protocolo

MORTAL KOMBAT REUNE OS MAIORES GUERREIROS DO UNIVERSO EM UM COMBATE VIOLENTO E SANGUINÁRIO – A HISTÓRIA COMPLETA

Por Luigi Buratto

As lutas do novo Mortal Kombat surpreendem. (Foto: divulgação)

Primeiro de tudo: não acredite em tudo que você lê na internet. Parece um jeito meio bizarro de iniciar uma crítica que será postada na internet, mas eu digo isso porque cada espectador precisa ter suas próprias conclusões a respeito do filme, e se você tiver lido algumas matérias, por conta do lançamento antecipado na HBO Max (que ainda não tá disponível no Brasil), provavelmente se deparou com muito ódio e negatividade, notas absurdamente ruins e talvez tenha até perdido a vontade de assistir.

Pois eu lhes digo, fui ao cinema com essa mesma sensação de medo e me surpreendi. O filme não é uma obra de arte, digna de entrar para a história das bilheterias, mas tem seus pontos fortes, que na minha opinião, superam os fracos.

Então dê uma chance para Mortal Kombat e leia a nossa crítica completa, passo a passo do filme, para relembrar quem já viu, e dar spoilers pra quem quer saber como é o filme.

ATENÇÃO, O TEXTO A SEGUIR CONTÉM SPOILERS SOBRE O NOVO FILME “MORTAL KOMBAT”.

VOCÊ FOI AVISADO!

Sub-zero é o grande vilão do novo Mortal Kombat. (Foto: divulgação)

PRÓLOGO – A QUEDA DE HANZO HASASHI

O filme começa no Japão Feudal, em 1617, mostrando a família de Hanzo Hasashi (Hiroyuki Sanada), líder do clã Shirai Ryu, sendo brutalmente assassinada por Bi-Han (Joe Taslim), do clã Lin Kuei. Como rivais, o objetivo de Bi-Han era exterminar toda a linhagem de Hanzo, pois ele era considerado o ninja mais poderoso que existia. No entanto, no momento do massacre, ele não estava na aldeia, estava buscando água em um riacho próximo. Quando volta e percebe a chacina e vê sua esposa e filho mais velho assassinados, Hanzo entra em um frenesi assassino e promete se vingar de Bi-Han, matando um por um de seus companheiros, mas eventualmente acaba perdendo a luta, já que seu rival possui poderes místicos de gelo. Nestes primeiros minutos do filme, já somos agraciados com ótimas cenas de luta, com artes marciais e muito sangue.

Quando Bi-Han acha que finalmente eliminou toda o legado da família Hasashi e se livrou de uma vez por toda dos Shirai Ryu, ele parte, deixando o corpo de Hanzo pra trás. O que ele não sabe, é que a alma de Hanzo é enviada ao submundo, prometendo vingança e aguardando ser libertada.

Raiden (Tadanobu Asano) que é considerado um Deus Ancestral então aparece e observa a marca onde estava o corpo de Hanzo. Ele entra na cabana de sua família e ouve o choro de uma criança. Quando abre um baú escondido, encontra a filha bebê que foi colocada lá por sua mulher, antes de ser friamente assassinada (literalmente).

Ele então pega essa criança e desaparece num portal de raios, prometendo proteger ela e sua linhagem.

Jax com seus braços de metal. (Foto: divulgação)

O ÍNICIO – O TRIO IMPROVÁVEL

Cole Young (Lewis Tan) é o nosso protagonista. Um ex-lutador de MMA que agora vive ganhando uma pechincha aceitando umas rinhas de quinta categoria e ainda perde as lutas por não ter muita técnica. Ele é o único personagem que não está nos jogos e foi introduzido no universo do filme, justamente para representar os espectadores leigos, que assim como ele, não sabem nada sobre Mortal Kombat… Ainda.

O personagem possui uma peculiar marca de nascença no formato de um dragão na barriga, e isso traz à tona a curiosidade de nosso antagonista preferido, Bi-Han, que após séculos, ainda continua vivo e agora utiliza o nome de Sub-Zero, trajando uma roupa diferente e uma máscara. Ele está caçando todos os humanos que possuem a marca do dragão, para que sejam impedidos de lutar no torneio do Mortal Kombat, a mando do feiticeiro Shang Tsung (Chin Han), que será explicado melhor em breve.

Do lado dos mocinhos, tentando proteger estes humanos com a marca de dragão temos o sargento militar Jax Briggs (Mehcad Brooks), que estava seguindo Cole na tentativa de recrutá-lo e então adquirir mais conhecimento sobre as pessoas com marca de dragão. Ele consegue salvá-lo bem no momento em que Sub-Zero entra em cena, utilizando seus poderes criogênicos, em uma ótima cena cheia de efeitos visuais incríveis, fazendo chover pedaços enormes de gelo, que matam qualquer um que estiver em seu caminho.

Quando são encurralados, Jax avisa Cole para que leve sua família para longe dali, pois seriam mortos sem pestanejar, e dá o endereço de uma amiga que pode explicar tudo que está acontecendo, ela é Sonya Blade (Jessica McNamee), sua parceira do exército, que está estudando e rastreando as pessoas com essa marca, pois assim como Cole, Jax também possui uma.

Cole é o protagonista de Mortal Kombat. (Foto: divulgação)

Cole então parte do local, fugindo com sua família para longe, enquanto Jax se dispõe para enfrentar o temível inimigo. Sub-zero o atrai para um prédio abandonado, onde após alguns minutos de luta, realiza o primeiro “fatality” do filme, congelando e arrancando os braços do soldado e o deixando para morrer. Essa cena é de arrepiar e lembra muito os jogos, é brutal e visceral, nos fazendo dar um sorriso macabro de quem identifica as referências dos movimentos iguais ao game.

Quando Cole chega ao local de encontro, após deixar sua família em segurança em uma fazenda, ele encontra Sonya em um trailer, juntamente com Kano (Josh Lawson), um mercenário, traficante, líder de uma organização criminosa conhecida como ‘O Dragão Negro’, o personagem mais cômico e com personalidade do filme inteiro. Ele foi preso após matar um dos humanos com a marca de dragão que ela estava perseguindo.

Ao contrário de Cole, que é o único humano até então que nasceu com a marca do dragão, devido à sua linhagem desconhecida, todo o resto que a possui roubou de alguém derrotando esse oponente em batalha. Logo, Kano agora possui a tal marca também.

Sonya então explica a Cole toda a história envolvendo as marcas e conta que quem as possui é convocado para um torneio, chamado Mortal Kombat, na qual deverão lutar até a morte com os campeões da Exoterra (que é outro mundo) para proteger o plano terreno. Tudo isso ela evidência em um mural de investigações, que fica na parede de seu trailer, e mostra várias referências de deuses ancestrais como Shinok e o guerreiro Shao Kahn. Ali você tem que pausar bem pra pegar todos os “Easter Eggs”.

Em outra cena, vemos Sub-Zero retornando para a Exoterra (local onde está o tal feiticeiro Shang Tsung) e avisando que não conseguiu pegar Cole, mas que eliminou mais um humano com a tal marca (o Jax). Shang Tsung então pede para que outro oponente, Syzoth, vá até o local onde os humanos estão (e eu não faço ideia de como ele sempre sabe o paradeiro deles). Este novo guerreiro é de uma raça de homens lagartos e sua aparência é bem diferente do que os fãs estavam esperando, lembrando que ele é o nome do ninja Reptile nos games. O personagem está com um aspecto mais animalesco, o que na minha opinião ficou muito legal, pois a cena de combate a seguir é ótima e me lembra o “Alien vs Predador”.

O plano de Shang Tsung é eliminar os competidores humanos antes da competição iniciar, para então ganharem de W.O e ele finalmente conseguir tomar o controle da Terra, pois já estão a nove torneios invictos e aparentemente, de acordo com as regras, mais uma vitória, garantiria a ele este direito.

Então Reptile chega ao Q.G onde estão nossos mocinhos e aí começa uma porradaria animal entre Sonya e Cole com um lagartão invisível que cospe ácido. Eles são rapidamente derrotados, mas para sua salvação, Kano consegue utilizar o ácido do oponente pra derreter as correntes que o prendia, e então consegue derrota-lo realizando um segundo “fatality” e dizendo a famosa frase “Kano Wins”. Essa luta é espetacular e nos faz cada vez mais gostar do personagem, apesar de ele ser um babaca.

Mortal Kombat chega hoje aos cinemas. (Foto: divulgação)

MEIO – VOCÊ DEVE ACHAR SUA ARCANA

Sonya conta para a dupla que os guerreiros que possuem a marca devem se encontrar no grande templo do mestre Raiden, porém não faz a menor ideia de como chegar lá. Então somos surpreendidos mais uma vez por Kano, que revela já ter feito alguns negócios ilegais por essas bandas. Porém, só aceita guia-los até o local após ser comprado com a promessa de três milhões de dólares (que é uma total farsa de Sonya).

Eles chegam no deserto e rola uma luta besta entre Sonya e Kano, onde a loira vence e fica a ponto de matá-lo com a ponta da faca em seu pescoço, mas logo são interrompidos quando Liu Kang (Ludi Lin) os acha e diz que esperava os guerreiros havia algum tempo.

Eles são introduzidos ao templo e mais algumas explicações sobre o torneio são dadas. Sonya encontra Jax desacordado e sem os braços em uma maca e Liu Kang explica que estava rastreando-o, porém chegou tarde demais. Mas ele continuava vivo e os monges do local estavam fazendo tudo que podiam para trazê-lo de volta.

Mais um discípulo do mestre Raiden é revelado, Kung Lao (Max Huang), como sendo praticamente irmão de consideração de Liu Kang, um nobre vindo de uma longa linhagem de ganhadores do torneio. Mestre Raiden enfim dá as caras e percebe que sua equipe do plano terreno não tem a menor chance de derrotar os campeões da Exoterra, afinal de contas eles tem um soldado sem braços, um ex-lutador que vive perdendo e sem técnica, uma combatente militar que nem possui a marca do dragão e um mercenário falastrão que não pode ser confiável, fora seus dois melhores guerreiros shaolin.

Neste meio tempo, enquanto tá rolando introduções dos personagens, os peões de Shang Tsung se movimentam mais uma vez e são teleportados junto com o feiticeiro para o templo de Raiden, numa tentativa de acabar logo com a competição, antes deles aprenderem a lutar e formar uma equipe decente. Mas esse plano é logo frustrado pois Raiden ativa um campo mágico ao redor do templo que impede que seus inimigos avancem sobre o seu território. Ameaçador e hostil, Shang Tsung diz que sabe que aquilo não vai durar muito tempo, debocha da equipe capenga que Raiden possui e então desaparece com sua trupe.

O mestre do templo então reúne seu pessoal e, mesmo insatisfeito com a equipe, ordena que eles iniciem o treinamento de imediato, pois o torneio seria em poucas semanas e eles deveriam estar prontos para defender seu lar. Raiden explica que não pode interferir nos assuntos do plano terreno, por causa das regras dos deuses ancestrais e por isso não veremos cenas de luta com o Deus dos Trovões.

Kano percebe que logo na primeira aparição de Liu Kang, ele soltou bolas de fogo com as mãos, e manipulava o fogo facilmente, então ficou intrigado com a possibilidade de também possuir algum poder, já que compartilhava da marca do dragão, assim como o guerreiro.

Eu já falei e repito, o Kano é o melhor personagem do filme por conta do alívio cômico e suas falas ácidas e a total falta de noção e respeito com os demais membros, inclusive com o Deus Raiden, que na primeira oportunidade já o insultou e como resultado levou uma coça pra aprender a não mexer com quem não pode.

Então os discípulos explicam que quem possui a marca do dragão, recebe um dom especial que é liberado em situações onde a verdadeira natureza da pessoa é revelada. É um poder interior que desperta e essa magia é chamada de Arcana. Eu achei bem legal a forma como eles introduziram esse papo de super poder, já que no jogo nós não temos a menor ideia de onde surgiram. Liu Kang explica que conseguiu sua Arcana, a dominação do fogo, quando caçou e matou um traficante de humanos, em especial crianças, das quais ele torturava e matava.

Kung Lao, como vem de uma família cuja herança sempre teve a marca do Dragão, provavelmente nasceu com ela, assim como Cole, e o Jax conseguiu a marca dele derrotando um oponente em combate, enquanto ainda estava no exército.

Após explicado como a Arcana funciona, o treinamento de Cole e Kano começa, já que Sonya não possui a marca e não poderia enfrentar os campeões no torneio e Jax ainda não estava acordado.

O treinamento em si não é lá grandes coisas, não espere aquelas sessões diárias de muita surra, de ensinamentos grandiosos e técnicas de combate malucas do tipo “Tira casaco, bota casaco”. É mais um exercício diário de porrada sem muita lição. Acho que o slogan do templo do mestre Raiden deveria ser: “Aqui você aprende na marra”.

Após passados alguns dias frustrantes, ambos não obtiveram sucesso desbloqueando sua Arcana, e Jax acorda de seu coma percebendo que os monges conseguiram salvar sua vida e lhe deram braços de metal. No entanto, estes braços são muito fininhos e mal suportam a força que Jax tinha antes de sofrer a mutilação. Ele até tenta treinar dando alguns socos em um saco de pancadas, mas não adianta, ele sabe que seria apenas um peso no torneio.

Em uma das cenas, os lutadores estão jantando e Kano está sendo… É… Ele tá sendo o Kano e irritando absolutamente todo mundo à mesa, tirando sarro de Kung Lao e seu chapéu. O shaolin decide então revidar os insultos e detona o mercenário, o rebaixando ao mesmo nível que um verme. Liu Kang percebe o que o seu amigo está fazendo e como isso está deixando Kano irritado e então também começa a insultá-lo e ambos fazem ele ficar possesso. O líder do Dragão Negro começa a ficar muito irritado, dizendo que eles não sabem com quem estão mexendo e fica consumido pela raiva, prometendo que iria acabar com os dois e todos presentes naquele templo, então a íris de seu olho direito começa a incandescer, uma luz vermelha começa a se propagar do seu olho e de repente ele solta um raio laser direto no peito de Kung Lao, que se defende usando seu chapéu de metal.

Kung Lao então diz que ele havia acabado de liberar sua Arcana, e sua motivação era a raiva. Kano fica muito feliz com o resultado daquilo e faz questão de esfregar na cara de seus companheiros que ele era superior pois havia desbloqueado seu poder antes deles.

Em meio a um treinamento sem resultados, o mestre Raiden decide conversar com Cole para explicar sua linhagem. Ele diz que seu sangue é compartilhado com um dos maiores guerreiros que já viveu, Hanzo Hasashi, e então explica que ele achou o bebê naquela noite do atentado e o deixou protegido em um dos lugares mais seguros que conhecia. Neste diálogo não é explicado quem era o bebê de Hanzo, mas deixa claro que Cole é seu último descendente, e não um órfão do sul de Chicago como ele achava.

Descontente com o treinamento, Raiden oferece ao lutador uma chance de retornar para sua casa, para ficar com sua família e Cole então aceita pois não acredita no seu próprio potencial.

Existe uma profecia que conta que “um grupo novo de campeões da terra serão unidos pela ascensão do sangue de Hanzo Hasashi” e enfim derrotarão os atuais campeões do torneio.

E é exatamente por conta dessa profecia, que Shang Tsung está reunindo seus melhores campeões. Entre eles estão Mileena, Nitara, o Principe dos Shokan Goro, Reiku, Sub-Zero e Kabal, cujas origens não são explicadas no filme devido ao tempo de tela.

Como eu disse anteriormente, eu não faço ideia de como o Shang Tsung sempre sabe o paradeiro dos heróis, mas ele envia Goro para eliminar Cole que agora havia saído da proteção do mestre Raiden e retornado para sua esposa e filha.

Kabal revela conhecer Kano e diz que ele faria qualquer coisa pela quantia certa, então se oferece em uma missão para tentar seduzir o mercenário com uma proposta, para que ele então traia seus companheiros e abaixe o escudo levantado por Raiden.

Dito e feito, é exatamente o que acontece. O escudo é derrubado e as forças do feiticeiro chegam com tudo, resultando em uma série de embates rápidos que resulta em uma derrota dos heróis, que são pegos de surpresa. Mas não antes de vermos mais um fatality, talvez o melhor do filme, em uma vitória perfeita do campeão Kung Lao contra a caçadora Nitara, abrindo-a ao meio com seu chapéu, idêntico ao golpe dos jogos.

Em outra cena, Cole que está de volta com sua família, desmotivado pois sabe que foi apenas um fardo para os heróis. Chega então Goro, um guerreiro gigante de quatro braços que foi enviado num propósito assassino. Aqui rola uma luta injusta,  já que ele é um dos melhores combatentes de MK, um campeão do torneio e, infelizmente ele é descartado muito rápido neste filme, por um novato que mal sabia como lutar.

Assim que a família de Cole é ameaçada pelo príncipe Shokan, sua Arcana enfim é revelada, uma armadura dourada surge como um peitoral, que acumula energia dos golpes recebidos e a libera durante os ataques, e duas tonfas, uma com lâmina, que surgem em suas mãos. Com esse novo poder, Cole consegue derrotar Goro, aplicando mais um Fatality, cortando uma de suas mãos, abrindo seu estômago e enfiando a lâmina em seu olho.

Raiden enfim se movimenta e dá uma chance de Cole se redimir, agora que ganhou sua Arcana, fazendo um portal de volta ao templo para que ele possa ajudar os guerreiros em combate.

De volta ao templo, Kano trai Sonya e Jax utilizando seu novo poder e os derrota, deixando-os à beira da morte, enquanto decepa o braço de uma estátua de pedra, que cai em cima deles. Jax não é atingido pelos escombros e se levanta procurando sua parceira, e vê que ela está debaixo de um pedregulho enorme. Utilizando de toda a força que dispõe, ele e seus pequenos braços de metal tentam levantar a pedra, mas sem sucesso, o metal de seus braços começa a quebrar e a pedra nem se movimenta. É nessa hora que a Arcana de Jax é finalmente revelada, ele continua se esforçando para tirar sua amiga debaixo do pedregulho fazendo força, então seus braços de metal começam a desenvolver partes novas, muito mais tecnológicas de robótica, assemelhando às cenas do “Homem de Ferro” quando ele assimila sua armadura ao redor do seu corpo. Fazendo jus ao porte de homem forte que ele é, os braços são muito maiores que os anteriores e resistentes, dão a ele uma super força e possibilitando levantar a pedra e salvar sua amiga.

Neste momento, Raiden percebe que não terão chance de ganhar deles ali e utiliza mais uma vez seus portais para removê-los daquele confronto desnecessário, tirando um por um da jogada. Porém quando cria um portal para Cole, Sub-Zero o ataca e interrompe o teleporte, fazendo com que ele fique pra trás. Kung Lao então desiste de entrar em seu portal e resolve ajudar o novato, jogando seu chapéu em Sub-zero e salvando o novato de uma possível morte. Shang Tsung percebe a oportunidade e avança em direção a Kung Lao despercebido, que infelizmente perece, tendo sua alma sugada pelo feiticeiro, adicionando à sua coleção.

Liu Kang que ainda estava por lá tenta salvá-lo, mas é tarde demais, Cole o puxa em direção ao último portal de Raiden e eles desaparecem.

Scorpion rouba o final do filme e sua origem é explicada. (Foto: divulgação)

FINAL – COMBATES 1×1 E SUBZERO VS SCORPION

A partir de agora, todas as cenas de luta acontecem em demasiada pressa, o filme já está no final e tudo é muito rápido.

Raiden reuniu o restante de seus campeões e os levou para o vazio, uma realidade onde não existe nada, portanto eles não podem ser atacados. Eles devem se reorganizar e pensar em uma última estratégia de combate para acabar de uma vez por todas com as ameaças das forças de Shang Tsung.

Liu Kang está descrente após a morte de seu companheiro e irmão e toda a equipe está com as esperanças baixas. Cabe então ao nosso protagonista levantar o espirito e a moral da galera e bolar um plano onde eles separariam a equipe em combates 1×1 e deixariam o mais forte, Sub-Zero para ser derrotado em equipe depois.

Raiden concorda com o plano e começa a criar portais, tanto para seus campeões, quanto para os lacaios de Shang Tsung, os juntando em locais isolados, para que eles tenham a chance de lutar mano a mano, mas antes ele dá a adaga de Hanzo Hasashi para Cole, explicando que o sangue que há nela é de seu ancestral e o instrui a lutar usando-a, dizendo que o espirito de Hanzo lutaria ao seu lado, o fortalecendo.

O plano é posto em ação, e Jax, agora confiante pois liberou sua Arcana e possui braços robóticos gigantes, é enviado junto com Reiko para um combate em um lugar que parece ser um dos cenários mais icônicos dos jogos, o Fosso. A luta é rápida, e em questão de segundos Jax aplica um fatality em Reiko, explodindo sua cabeça com uma palmada atômica. Confesso que pensei que ia rolar um “upercut” ali e Reiko ia cair da ponte direto nos espinhos que ficam logo abaixo, mas não foi dessa vez.

O próximo combate é entre Liu Kang e Kabal. A luta fica bem acirrada, mostrando ótimos golpes de ambos os campeões, Liu Kang acaba aplicando seu clássico combo de chutes voadores e deixa o oponente numa espécie de piche, aproveitando para dar seu fatality invocando o grande dragão de fogo, que consome o inimigo e o deixa torrado.

Logo depois Sonya é enviada junto a Kano de volta em seu trailer. A veterana de guerra possui algumas cartas na manga e, mesmo sem a marca do dragão, ela consegue vencer Kano neste duelo, utilizando esconderijos em seu próprio habitat, inutilizando o poderoso olho laser o atingindo com acetona e por fim, enfiando um gnomo de jardim nele. Ela consegue ganhar a marca do dragão após derrotar Kano.

Cole é enviado para enfrentar Mileena e aqui está mais um caso de luta injusta e morte rápida de um personagem icônico da saga. A luta em si é totalmente a favor da guerreira, ela arrebenta o protagonista, que até então perdeu praticamente quase todas as lutas, a não ser contra Goro. Quando ele está à beira da morte pela guerreira tarkatanea, Sonya Blade aparece misteriosamente já com a sua Arcana revelada, uma arma de pulso de energia, que com um único disparo, atravessa Mileena em mais um fatality onde seu corpo é deixado com um buraco enorme e através dele podemos ver Sonya ao fundo. Nessa luta eu confesso que fiquei um pouco desapontado com o rápido resultado, poderiam ter utilizado qualquer outro guerreiro pra morrer dessa maneira, não uma das personagens favoritas dos fãs.

Enfim, chegamos ao desfecho da saga. A luta final contra Sub-Zero. Enquanto os guerreiros realizavam seu plano de combates mano a mano, Sub-Zero jogou sujo novamente e foi atrás da família de Cole, os sequestrando e então aparecendo no momento após a sua luta contra Mileena apenas para provoca-lo para o seguir sozinho, o que de fato acontece.

Ele congela inteiramente o ringue onde o campeão costumava treinar, e sua filha e esposa estão à beira da morte congeladas na parede, já com aspecto de sem vida. Cole então parte pra cima do ninja, porém não é páreo para ele. Em uma última tentativa de tentar atingir Sub-Zero, nosso herói utiliza a adaga de Hanzo, porém em vão, e ele acaba se cortando. No momento que o sangue de Cole se junta ao sangue contido na lâmina, o espírito do guerreiro se liberta, e agora ele não é mais Hanzo Hasashi e sim Scorpion, um demônio mantido vivo no submundo apenas para cumprir sua promessa de retornar para enfrentar seu rival, Sub-Zero.

A partir daí, começa a melhor luta do filme todo e a mais aguardada pelos fãs. A luta já inicia num “Get over here” insano do ninja amarelo puxando seu rival, e então o restante se desenrola magistralmente num show de golpes de gelo, e cortes de lâmina. Golpes muito conhecidos são utilizados como a parede e o clone de gelo, e até um novo golpe irado em que o Sub-Zero congela o próprio sangue e o transforma numa lâmina, e esfaqueia seu oponente. Enquanto os dois lutam, Cole tenta impedir que sua mulher e filha congelem até a morte, tentando quebrar o gelo que se forma ao redor com suas tonfas e socos. Sub-zero percebe o esforço do rapaz e tenta impedi-lo, fazendo com que a luta fique 2×1. Após uma ótima sequência entre Scorpion e Cole, onde a única linha de fala entre eles é “Pelo Shirai Ryu”, eles acabam derrotando o oponente, e então o último fatality do filme é realizado por Scorpion, que remove sua máscara e solta fogo pela boca, referenciando um clássico golpe dos jogos, e mostrando que ele aprendeu a controlar o fogo do inferno.

Assim que a batalha acaba, uma voz misteriosa surge dizendo “É hora de voltar Scorpion”, deixando todo fã com uma pulga atrás da orelha se este seria o Quan Chi, que controla o submundo e deixou Scorpion vivo para realizar sua promessa, sendo agora utilizado como seu escravo. E então ele desaparece, deixando Cole com sua família e os demais lutadores chegando em seu auxílio.

Após o desfecho, Shang Tsung aparece para Raiden e o confronta uma última vez, dizendo que eles podem ter sido derrotados, mas que a morte nunca é permanente e envolve o corpo de seus soldados em um portal, dando a entender que eles provavelmente voltariam ressuscitados, ou amaldiçoados numa possível sequência, então Raiden o silencia mandando-o de volta para a Exoterra.

Passado algum tempo, após a vitória dos humanos, não se sabe ao certo se ainda haverá um torneio, ou se eles foram venceram por W.O, mas Cole está saindo de Chicago e indo para Hollywood em buscar de um novo recruta para a equipe deles, o ator Johnny Cage.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

O filme bebe do material da origem e traz à tona grandes nomes da franquia de videogame para a tela do cinema e faz isso com maestria. As cenas de luta são grandiosas, os efeitos especiais estão perfeitos e o roteiro até que não é ruim. O grande problema acredito ser o protagonista inventado, falta carisma nele e também habilidade durante as batalhas. O filme começa muito bem, mas termina apressado, fazendo com que as principais batalhas tenham poucos segundos apenas e “matando” personagens muito importantes com muita facilidade.

No geral, eu acredito que os fãs de Mortal Kombat deveriam se orgulhar, pois por mais que não tenha rolado o grande torneio, o roteiro deu uma desculpa plausível e deixou claro que isso é plano para uma sequência.

Então vamos dar uma chance para que haja uma sequência e a gente reveja estes personagens, inclusive os que morreram, com mais tempo de ação, mais história por parte dos vilões que nos foram apresentados e novos rostos como Johnny Cage e tantos outros lutadores.

NOTA DO FILME 4

WALT DISNEY ANIMATION STUDIOS APRESENTA NOVO TRAILER DE “RAYA E O ÚLTIMO DRAGÃO”

A nova animação da Disney chegará aos cinemas* e ao Disney+ com Premier Access a partir de 5 de março em toda América Latina 

A Walt Disney Animation Studios divulgou, internacionalmente, novo trailer, pôster e imagens inéditas de RAYA E O ÚLTIMO DRAGÃO, nova animação que apresenta Kelly Marie Tran como a voz original da guerreira Raya, na versão em inglês.   

Completam o elenco de dubladores Awkwafina, como o lendário dragão fêmea Sisu; Gemma Chann como Namaari, nêmesis de Raya; Daniel Dae Kim como Benja, o pai visionário de Raya; Sandra Oh como Virana, a poderosa mãe de Namaari; Benedict Wong como Tong, um temível gigante; Izaac Wang como Boun, um emprendedor de 10 anos de idade; Thalia Tran como a pequena espevitada Noi; Alan Tudyk como Tuk Tuk, o melhor amigo e fiél escudeiro de Raya; Lucille Soong como Dang Hu, líder das terras de Talón; Patti Harrison como a chefe das terras de Cola; e Ross Butler como o líder das terras de Columna.  

RAYA E O ÚLTIMO DRAGÃO é o primeiro filme da Disney a ter lançamento simultâneo nos cinemas e no Disney+ com Premier Access, o que amplia as opções do consumidor, dando-lhe a possibilidade de escolher como e onde curtir o novo lançamento. Efetuando a opção Premier Access, que estará disponível por tempo limitado por um preço único, os assinantes Disney+ poderão ver o filmequantas vezes quiser, em seus dispositivos favoritos, a partir do dia 5 de março.

O preço do acesso antecipado para RAYA E O ÚLTIMO DRAGÃO por meio do Premier Access no Disney+ será anunciado em breve, expresso em moeda local, em países onde a assinatura Disney+ é paga na moeda local.

Raya e o Último Dragão chega em março. (Foto:

RAYA E O ÚLTIMO DRAGÃO, do Walt Disney Animation Studios, apresenta uma jornada fantástica ao reino de Kumandra, onde humanos e dragões viveram juntos em harmonia, até que monstros sinistros, conhecidos como Drunn, ameaçaram o mundo e os dragões tiveram que se sacrificar para salvar a humanidade. 500 anos depois, esses mesmos monstros retornaram, e a humanidade depende de um guerreira independente chamada Raya para encontrar o último dragão e parar os Druuns para sempre. Ao longo de sua jornada, Raya aprenderá que é preciso mais do que magia de dragão para salvar o mundo – também é preciso confiança.

O filme é dirigido por Don Hall e Carlos López Estrada, com Paul Briggs e John Ripa como codiretores. Osnat Shurer e Peter Del Vecho são os produtores e Qui Nguyen e Adele Lim são os roteiristas do projeto.

RAYA E O ÚLTIMO DRAGÃO chegará aos cinemas* e no Disney+ com Premier Access em 5 de março em toda a América Latina.

*A estreia nos cinemas estará sujeita à abertura das salas de acordo com a regulamentação local de cada país.

Cinemark: a magia do cinema com os protocolos de segurança validados pelo Hospital Israelita Albert Einstein

REDE TERÁ MEDIÇÃO DE TEMPERATURA, ESPAÇAMENTO ENTRE POLTRONAS E FILAS DE ESPERA VIRTUAIS, ENTRE OUTRAS MEDIDAS

Cinemark começa reabertura de salas com protocolos de segurança. (Foto:  Gustavo Ferrari)

Para quem estava com saudades de ir ao cinema, a espera está prestes a acabar. Acompanhando o movimento #JuntosPeloCinema e as determinações das prefeituras locais das cidades em que opera, a Cinemark irá reabrir seus complexos paulatinamente. Com um rígido protocolo de segurança e programação assinado pelo Festival de Volta Para o Cinema, os cinemas estão preparados para receber o público. Para conferir os detalhes, os materiais informativos e as salas em operação, acesse  http://www.cinemark.com.br/protocolo

Com o objetivo de tornar a jornada do espectador nos complexos totalmente segura e garantir um ambiente saudável para os colaboradores, a Cinemark fechou parceria com o Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo.  Um grupo de infectologistas visitou salas da Rede na capital paulista para acompanhar todo o percurso que seria feito pelos cliente e funcionários, trazendo sugestões e desenhando em conjunto com a Rede os protocolos. 

“Nós nos preparamos, durante todo esse tempo, para reencontrar o nosso público com toda a segurança necessária. Nossos protocolos foram pensados e desenhados, em detalhes, buscando proteção dos nossos clientes e colaboradores. Estamos satisfeitos em poder receber a todos com o nível qualidade da Cinemark”, afirma Marcelo Bertini, Presidente da Cinemark Brasil. 

Entre os procedimentos adotados pela Cinemark estão a medição de temperatura antes da entrada para as salas, a vedação física das poltronas interditadas (garantindo a ocupação máxima permitida) e filas de espera virtuais para compras de bomboniére. Os processos de higienização também foram totalmente reformulados: haverá totens de álcool em gel 70% nas dependências, limpeza rigorosa e com curto espaço de tempo nos banheiros, além do uso de EPIs pelas equipes de limpeza. Nas salas, as principais áreas de contato de todas as poltronas serão higienizadas manualmente nos intervalos entre cada sessão. 

A tecnologia será outra aliada da Cinemark no processo de reabertura, garantindo o distanciamento social em toda a jornada do cliente ao evitar filas e aglomerações. Os ingressos poderão ser comprados pelo aplicativo da Rede ou escaneando o QR Code diretamente nas comunicações do cinema. Aqueles que comprarem entradas e combos pelo celular, diretamente no cinema, não terão custo extra. Os ATMs, localizados próximos às bilheterias, também realizarão a venda de ingressos. Apenas um caixa estará aberto, exclusivo para pagamentos em dinheiro.

Para quem quer sentir de novo o gostinho do cinema, as pipocas e produtos da Cinemark poderão ser adquiridos também pelo aplicativo e nos ATMs. Quando o cliente desejar que o pedido seja preparado, basta acessar o QR Code presente nos materiais de comunicação, que irá direcioná-lo para o número de Whatsapp da Rede, por onde poderá enviar o número pedido. O espectador também pode optar por se dirigir aos caixas indicados para a liberação das solicitações. Para retirar os pedidos na bombonière, basta aguardar até ser chamado no painel eletrônico – outro recurso para evitar filas e aglomerações. Os alimentos só poderão ser consumidos dentro das salas.

A sinalização das salas e complexos também foi reformulada, com o objetivo de garantir o distanciamento necessário nas áreas comuns e o uso de máscaras em todos os ambientes. Para atender os protocolos nacionais com o objetivo de obter a melhor qualidade do ar possível, a limpeza do ar-condicionado será realizada com frequência, assim como a troca do sistema de filtragem e a renovação do ar. Os colaboradores da Rede passaram por amplo treinamento, tanto para reforçar a segurança das equipes quanto para tirar as dúvidas dos espectadores.  

Mogi das Cruzes (SP) é a primeira cidade com um complexo da Cinemark reaberto. As demais salas da Rede seguirão fechadas, acompanhando as definições das prefeituras locais e passando pelas adequações necessárias. Além de estreias, a programação contará também com Festival De Volta Para o Cinema, que fez uma seleção de filmes com versões legendadas e dubladas nos gêneros de ação, comédia, ficção científica, terror, fantasia, suspense e drama. Entre os títulos estão “Harry Potter e a Pedra Filosofal, “Os Vingadores”, Divertida Mente” e “Minha Mãe É Uma Peça”.

O ROUBO DO SÉCULO ESTREIA EM CINEMAS SELECIONADOS NESTA QUINTA-FEIRA

Produção inédita no Brasil integra calendário de estreias da retomada do setor e entra em cartaz em circuito drive-in e complexos em funcionamento de acordo com liberação de órgãos responsáveis

Longa argentino ‘O Roubo do Século’ estreia nos cinemas e drive-ins. (Foto: divulgação)

Protagonizado por Guillermo Francella (de “O Segredo dos Seus Olhos”) e Diego Peretti (de “O Médico Alemão”), o longa argentino O Roubo do Século, inédito no Brasil, estreia a partir desta quinta-feira (27/8). Com distribuição da Warner Bros. Pictures, a produção baseada em acontecimentos reais está presente no calendário de lançamentos da retomada do setor cinematográfico, e chegará ao público brasileiro, neste primeiro momento, nos municípios de Parauapebas (PA), Alfenas (MG), Manaus (AM) e Várzea Grande (MT), em cinemas com funcionamento liberado nestas cidades, e em Itajubá (MG), Nova Lima (MG), Guarapuava (PR), São Paulo (SP), Brasília (DF) e Barbacena (MG) no formato drive-in. Nas próximas semanas, o longa terá seu circuito de estreia ampliado, à medida que os cinemas reabrirem.

Dirigido por Ariel Winograd (de “Sem Filhos”), O Roubo do Século traz a história de um grupo de ladrões sem precedentes criminais que realizou um dos assaltos a bancos mais famosos da história da Argentina em 2006. Filmado na região metropolitana de Buenos Aires e na província de San Juan, o filme também reúne no elenco Luis Luque, Pablo Rago, Rafael Ferro e Mariano Argento.

Circuito de Estreia no Cinema – A partir de quinta-feira, 27 de agosto

Circuito de Estreia Drive In – A partir de quinta-feira, 27 de agosto

Sobre o filme
Chove torrencialmente e as ruas estão vazias. Araujo se abriga sob a marquise de uma loja fechada. Há poças d’água espalhadas pela avenida. Ele vê um luminoso refletido nesses espelhos formados pela água. Araujo olha para cima e se depara com a fachada do banco Río.

Sexta-feira, 13 de janeiro de 2006. Os atiradores do Grupo Halcón aguardam uma ordem. Mais de 300 policiais posicionados nas redondezas aguardam o comando de seu chefe. Miguel Sileo, o negociador, não tem mais esperança de que Vitette, um dos líderes do bando que invadiu a agência Acassuso do banco Río, dará algum sinal de vida. As pizzas que ele havia exigido já estão frias. Quando o Grupo Halcón é autorizado a invadir o local, eles encontram o inesperado. Armas de brinquedo e uma dúzia de reféns assustados os aguardam do lado de dentro. Não há sinal dos assaltantes. Conforme verificam os reféns para se certificar de que nenhum dos bandidos está disfarçado entre eles, os policiais descobrem que mais da metade dos cofres foi aberta e esvaziada. Pendurado dentro de um cofre, há um bilhete que diz: “Sem armas, sem ressentimentos; entre vizinhos ricos, trata-se somente de dinheiro, não amor”. Vitette, Araujo, De La Torre, Debauza, Marciano e El Paisa sumiram, como se fosse um truque digno de Houdini.

Só há um problema: meses após o roubo, Alicia Di Tulio, esposa de Beto De La Torre, ressentida pela fuga de seu marido com outra mulher para aproveitar sua nova fortuna, denuncia os seis integrantes do bando. Eles são capturados um a um, mas o dinheiro nunca aparece. Seria Alicia um revés em um plano perfeito, ou até isso foi planejado pelo arquiteto do Roubo do Século?

Campanha #JuntosPeloCinema lança filtros divertidos no Facebook e Instagram

Projeto conta com mais de 200 profissionais voluntários e apoia as empresas na preparação para o momento em que as salas de cinema vierem a reabrir

Filtros do movimento #JuntosPeloCinema. (Foto: divulgação)

O movimento #JuntosPeloCinema, que une pela primeira vez no mercado brasileiro, exibidores, distribuidores, produtores, criativos e grandes nomes da indústria, lança nesta terça-feira filtros para stories do Facebook e do Instagram que trazem referências a filmes clássicos e a situações rotineiras da quarentena. “O Massacre da Live Eterna”, “A Hora do Mercado”, “De Volta para o Sofá” e “Curtindo a Vida Trancado” são algumas das brincadeiras elaboradas para manter acesa a magia do cinema. Os filtros foram produzidos em conjunto com as agências que atuam no movimento. Confira aqui.

A campanha conta com diversas fases, sempre respeitando a individualidade de cada empresa e os protocolos aplicáveis de segurança e bem-estar já determinados ou em elaboração pelos governos locais. Quando as salas reabrirem, o Festival De Volta Para O Cinema dará as boas-vindas para o público com produções clássicas e sucessos de bilheteria e crítica. O festival foi idealizado pelo crítico, curador e apresentador Érico Borgo em parceria com distribuidores e exibidores.

Entre os parceiros que estão abrindo espaço para a divulgação dos materiais estão AdoroCinema, Adsmovil, AXN, Buzzfeed, Canal Brasil, Canal Like, Cineclick, Cinepop, Elemídia, Eletromídia, Facebook, Flix Media, Folha de S.Paulo, FSign, Gameloft, Globo através da Globo Filmes, Google, Ingresso.com, JCDecaux, Megapix, MPV7, O Globo, Omelete, OTIMA, Portal Hugo Gloss, Preshow, Primepass, Rádio JB FM, Rádio Metropolitana, Rede Mix de Rádio, RedeTV!, SBT, Seedtag, Sony Channel, Spotify, Tastemade, Telecine, TV BANDEIRANTES, UOL, Veja Rio, Veja São Paulo, Velox Tickets, Viacom/CBS, Waze, Webedia. Apoio Institucional: Academia Brasileira de Cinema, Ancine, Ministério do Turismo e RioFilme.

Acesse o site do movimento: https://www.juntospelocinema.com.br/

“LUCA”, NOVA ANIMAÇÃO ORIGINAL DA PIXAR, CONVIDA O PÚBLICO A PASSAR UM VERÃO INESQUECÍVEL NA RIVIERA ITALIANA

Nos cinemas do Brasil em junho de 2021

Situado em uma bela cidade costeira da Riviera Italiana, o novo filme original da Disney e Pixar, “LUCA”, é uma história da passagem da infância para a idade adulta de uma criança que vive um verão inesquecível cheio de sorvete, massas e inúmeras viagens de scooter. “LUCA” chegará aos cinemas do Brasil em junho de 2021 e é dirigido por Enrico Casarosa e produzido por Andrea Warren. (Foto: Disney / Pixar)

A Pixar Animation Studios anunciou que seu próximo lançamento nos cinemas será a animação “LUCA”. Enrico Casarosa, indicado ao Oscar®, dirigirá a nova história, que contará com produção de Andrea Warren.

Situado em uma bela cidade costeira da Riviera Italiana, este novo filme de animação original é a história da passagem da infância para a idade adulta de uma criança que vive um verão inesquecível, repleto de sorvete, massas e viagens intermináveis ​​de scooter. Luca compartilha essas aventuras com seu novo melhor amigo, mas toda a diversão é ameaçada por um segredo muito bem escondido: Luca é um monstro marinho de um mundo logo abaixo da superfície da água.

“Esta é uma história profundamente pessoal para mim, não apenas porque está localizada na Riviera Italiana, onde eu cresci, mas também porque o que está no centro desse filme é uma celebração da amizade. Muitas vezes, as amizades da infância determinam a direção das pessoas que queremos nos tornar, e esses laços estão no centro de nossa história em “LUCA”, disse o diretor Enrico Casarosa. “Então, além da beleza e charme da costa italiana, nosso filme apresentará uma aventura de verão inesquecível que mudará fundamentalmente Luca.”

WARNER BROS. PICTURES LANÇA TENET, DE CHRISTOPHER NOLAN, EM 10 DE SETEMBRO NOS CINEMAS BRASILEIROS

Relançamento especial do 10º aniversário do longa “A Origem”, de Nolan, chega às telonas dia 3 de setembro

‘Tenet’ será lançado em setembro. (Foto: Divulgação)

A Warner Bros. Pictures, em parceria com os exibidores, convida o público brasileiro para celebrar o relançamento do 10º aniversário do filme aclamado pela crítica e sensação de bilheteria de Christopher Nolan, “A Origem”, em 3 de setembro. Este evento especial de aniversário também servirá como um aquecimento para a estreia do aguardado filme de Nolan, Tenet, que chegará aos cinemas do Brasil na semana seguinte, em 10 de setembro.

John David Washington é o novo protagonista do espetáculo de ficção científica original de Christopher Nolan, Tenet. Armado com apenas uma palavra – Tenet – e lutando pela sobrevivência de todo o mundo, o protagonista viaja por um mundo crepuscular de espionagem internacional em uma missão que se desdobra em algo além do tempo real. Não é viagem no tempo. Inversão. O filme também conta com Robert Pattinson, Elizabeth Debicki, Dimple Kapadia, com Michael Caine e Kenneth Branagh.

“A Origem”, um filme de ação de ficção científica de 2010 escrito e dirigido por Nolan, que também produziu o filme com Emma Thomas, traz Leonardo DiCaprio como um ladrão profissional que rouba informações ao se infiltrar no subconsciente de seus alvos. Ele tem a chance de ter seu histórico criminal apagado como pagamento pela implantação da ideia de outra pessoa no subconsciente de um alvo. O elenco inclui Ken Watanabe, Joseph Gordon-Levitt, Marion Cotillard, Ellen Page, Tom Hardy, Dileep Rao, Cillian Murphy, Tom Berenger e Michael Caine.

“Jumanji: Próxima Fase” invade as salas especiais IMAX, XPLUS e 4DX da UCI Cinemas

(Foto: Divulgação)

Se você gosta de aventura com pitadas de comédia, a UCI Cinemas tem uma dica: “Jumanji: Próxima Fase” vem ai, cheio de efeitos! A partir desta quinta, 16 de janeiro, a sequência vai invadir com tudo as salas especiais XPLUS, IMAX e 4DX, que proporcionam experiências incomparáveis. Corra e aproveite a venda antecipada na rede!

E quem é cliente UNIQUE tem ainda mais motivos para ir ao cinema. O filme será o destaque da semana do programa de relacionamento da UCI, com direito a desconto no ingresso: Salas convencionais (2D – R$ 14 e 3D – R$ 16), XPLUS (2D – R$ 16 e 3D – R$ 18), IMAX (2D – R$ 18 e 3D – R$ 24) e DE LUX (2D – R$ 26 e 3D – R$ 27).

Se você é cliente Itaú (cartões de crédito Itaucard, cartões de débito Itaú, cartões Itaú Personnalité e cartões Itaú Uniclass), garante 50% de desconto em qualquer filme ou dia da semana! Confira mais informações aqui.

Nas salas IMAX, as telas são quatro vezes maiores do que as de projeção digital comum, geram imagens com muito mais brilho, nitidez e profundidade, e têm áudios superpotentes alinhados a laser, que são distribuídos por todo o ambiente através de 24 canais com 18.000 watts de potência. A tecnologia dos alto-falantes permite identificar a localização específica de cada ruído, possibilitando sensações indescritíveis.

A trilha sonora é ainda mais poderosa e potente nas salas XPLUS. Além das telas gigantes, com exibição em 3D, a tecnologia Dolby Atmos utiliza canais de áudio com até 128 deslocamentos simultâneos de objetos sonoros, proporcionando uma riqueza de detalhes e profundidade impressionantes, que criam a ilusão de um campo de som infinito ao redor do espectador. As caixas acústicas ficam localizadas inclusive no teto, para preencher a sala com o retrato sonoro mais preciso do filme, exatamente da maneira como o diretor o imaginou. A rede conta com as únicas salas XPLUS Laser do país, que torna ainda mais surpreendente a qualidade das imagens. A diferença de se assistir a um filme projetado a laser é enorme, com cores mais vibrantes, contraste mais profundo e brilho muito mais intenso. A tecnologia inovadora oferece a melhor qualidade de imagem e desempenho de cores disponíveis atualmente.

Com cadeiras que vibram e se movimentam, as salas 4DX (Rio de Janeiro e São Paulo) também contam com 20 efeitos especiais. Durante as exibições, dependendo das cenas, o espectador é impactado por diversas sensações e aromas. No UCI NYCC, no Rio, o público poderá perceber chuva, vendaval, neblina, trovão, bolhas d´água, luzes e tempestade (rainstorm), que combina ventos fortes com gotas de chuva e cria redemoinhos de água em cima do público. Mas, quem preferir sair seco da sessão, poderá desligar o botão “water”. Já no UCI Anália Franco, a sala especial conta ainda com o exclusivo efeito neve – o único no país.

As salas UCI DE LUX oferecem o que há de mais moderno no conceito de sala vip. O atendimento exclusivo vai desde a compra de ingressos em local especial, elevadores e um confortável lounge privativos, poltronas chaise longue de couro reclináveis eletronicamente e um cardápio diferenciado. Garçons ficam sempre à disposição para levar os pedidos para as salas de cinema.

Tentado em revisitar o mundo de Jumanji, Spencer (Alex Wolff) decide consertar o jogo de videogame, que permite que os jogadores sejam transportados ao local. Formado por Smolder (Dwayne Johnson), Moose (Kevin Hart), Shelly (Jack Black) e Ruby (Karen Gillan), o quarteto está de volta e, agora, comandado por outras pessoas: Danny DeVito e Danny Glover entram em cena e interpretam os avôs de Spencer e Fridge. A diversão está só começando!

Para garantir ingressos do filme, é só acessar www.ucicinemas.com.br ou canais Ingresso.com, além das máquinas de autoatendimento disponíveis no hall dos complexos.

Bruce Springsteen e “A Música da Minha Vida”

Por Renata Lakatos

Recheado de referências políticas, preconceito racial e aceitação de costumes forçada, o filme A Música da Minha Vida traz elementos estranhos àqueles que não estão acostumados com o choque cultural vivido por imigrantes, causando um misto de inquietação e incômodo aos espectadores.

Inspirado no livro de memórias do jornalista Sarfraz Manzoor (Greetings from Bury Park) o filme conta a história do adolescente Javed (Viveik Kalra) – um britânico filho de paquistaneses – da pequena cidade de Luton, Inglaterra, no final da década de 80.

“A música da minha vida” já está nos cinemas. (Foto: Divulgação)

Javed encontra na poesia uma fuga para escapar do preconceito e da intolerância, mas falta-lhe a coragem para enfrentar as inflexibilidades do pai (Kulvinder Ghir), um paquistanês bastante tradicional que deseja que o filho tenha uma vida boa, mas que obedeça às regras por ele estabelecidas sem discussão.

Na escola, seu colega Roops (Aaron Phagura) apresenta-lhe as músicas do “Chefe”, Bruce Springsteen, e Javed encontra nas letras do músico de New Jersey a inspiração que precisava para mudar sua vida, tomando as rédeas do seu pensamento e conseguindo enfrentar o pai para defender suas ideias. Ao mesmo tempo, o jovem se dá conta, com desgosto, dos abusos que sofrem da sociedade da época pelo simples fato de serem imigrantes, tendo que lidar com o ódio e provocações diariamente.

A Música da Minha Vida é um filme incrível, que traz uma trilha sonora magnífica como pano de fundo para uma história rica e muito bem construída.