Arquivo da tag: Companhia das Letras

RADIOATIVOS: Marie & Pierre Curie, uma história de amor e contaminação, de Lauren Redniss

Livro que deu origem a Radioactive, filme da Netflix estrelado por Rosamund Pike e dirigido por Marjane Satrapi, autora da graphic novel Persépolis, Radioativos é uma belíssima biografia ilustrada que conta a trajetória espetacular da física Marie Curie e de seu marido Pierre

(Foto: divulgação)

Radioativos conta a história de Marie Curie, a física polonesa radicada na França famosa por seu trabalho com a radioatividade – e a primeira pessoa a ganhar o Nobel duas vezes. O livro mostra sua infância, sua história de amor e colaboração científica com o marido Pierre, e a maneira como suas descobertas, que incluíam o rádio e o polônio, os envenenaram em câmera lenta.

Para as ilustrações, a autora usou um processo chamado impressão cianotipada, em que um desenho, através de um processo químico que envolve luz solar, se transforma numa espécie de negativo brilhante do original. E a partir de entrevistas com cientistas, engenheiros, sobreviventes de bombas atômicas e a neta de Marie e Pierre Curie, Redniss recriou com fidelidade a atmosfera e os embates científicos da Paris fin de siècle. Com um texto extraordinário e ilustrações deslumbrantes, Radioativos é uma narrativa vibrante, uma história de amor cheia de emoção e, sobretudo, uma obra de arte perfeita.

“De repente, as cores florescem com uma força intensa, a história se contrai em um par de figuras alongadas fechadas num abraço, depois se expande novamente numa explosão de palavras. Neste livro totalmente original sobre paixão e descoberta, Lauren Redniss inventou uma forma única de contar uma história.” – Nicole Krauss

“Pura genialidade imaginativa.” – Malcolm Gladwell

FICHA TÉCNICA

Título original: Radioactive: Marie & Pierre Curie: A Tale of Love and Fallout

Tradução: Antônio Xerxenesky

Páginas: 208

Selo: Quadrinhos na Cia

LANÇAMENTO: “Devoradores de estrelas”, de Andy Weir

Neste novo thriller científico de Andy Weir, autor best-seller de Perdido em Marte, um astronauta precisa encontrar sozinho um jeito de salvar a Terra da destruição. Direitos já foram vendidos para o cinema e filme será estrelado por Ryan Gosling

(Foto: divulgação)

Ryland Grace é o único sobrevivente de uma desesperada missão de emergência — se ele falhar, toda a humanidade e o planeta Terra serão destruídos.

Mas no momento ele não sabe disso. Ryland não se lembra nem do próprio nome, muito menos de sua missão ou de como cumpri-la. Tudo o que ele sabe é que dormiu por muito, muito tempo. E que despertou a milhões de quilômetros de casa, com apenas dois cadáveres como companhia.

Com os colegas de tripulação mortos e as memórias confusas retornando aos poucos, Ryland vai perceber a tarefa impossível que tem nas mãos. Viajando pelo espaço em sua pequena nave, cabe a ele descobrir a resposta para um enorme mistério científico — e derrotar a ameaça de extinção da nossa espécie.

O tempo está acabando, e o humano mais próximo está a anos-luz de distância, então Ryland terá que fazer tudo isso sozinho.

Ou será que não?

“Dois mundos em perigo, um astronauta competente (mas humano e cheio de falhas), inúmeros mistérios científicos para resolver, e toda a humanidade em risco. Qualquer fã de ficção científica das antigas (como eu) vai amar.” — George R.R. Martin, autor de A guerra dos tronos

“Ler Devoradores de estrelas é como ir em uma excursão ao espaço sideral com o melhor professor de Ciências que existe — e a tarefa da sua turma é salvar o mundo. Uma das viagens mais originais, envolventes e divertidas que já fiz.” — Ernest Cline, autor de Jogador Nnº 1

“Sempre fico impressionado com a forma como Weir escreve ficção científica de um jeito maravilhosamente acessível, sem comprometer nem a ciência nem a ficção. Um livro que posso indicar para qualquer pessoa com a certeza de que ela vai adorar.” — Brandon Sanderson, autor de Mistborn

ANDY WEIR mora na Califórnia e trabalhou por vinte anos como engenheiro de software, até que o sucesso de seu primeiro livro, Perdido em Marte, lhe permitiu realizar o sonho de se tornar escritor em tempo integral. Apaixonado pelo espaço desde sempre, seus hobbies incluem estudar teoria da relatividade, mecânica celeste e a história de voos espaciais tripulados. Ele também faz ótimos coquetéis.

LANÇAMENTO: “Não existe amanhã”, segundo volume da trilogia que deu origem à série “Killing Eve”

No segundo volume desta sedutora trilogia de espionagem que deu origem à série Killing Eve, Villanelle e Eve se preparam para um confronto inesquecível

(Foto: divulgação)

Em um quarto de hotel em Veneza, onde acabou de concluir um assassinato de rotina, Villanelle recebe um telefonema tarde da noite.

Eve Polastri, a funcionária do governo inglês que está em seu encalço há meses, conseguiu rastrear um oficial do MI5 a serviço dos Doze e está prestes a levá-lo a interrogatório. Enquanto Eve se prepara para procurar respostas, tentando desesperadamente encaixar as peças de um terrível quebra-cabeça, Villanelle avança para o abate.

O duelo entre as duas mulheres se intensifica, assim como sua obsessão mútua, com a ação passando dos altos picos do Tirol até o coração da Rússia. Eve enfim começa a desvendar o enigma da identidade de sua adversária, e Villanelle se pega correndo riscos cada vez maiores para se aproximar da mulher que pode ser sua ruína.

Um thriller cheio de descrições chocantes e também sensuais, Não existe amanhã é brilhante ao narrar a mente psicótica de uma assassina e a caçada apaixonada de sua nêmesis, aproximando duas rivais a ponto de não saberem mais se estão uma contra a outra… ou mais unidas do que nunca. 

“Um thriller inebriante e tremendamente divertido.” — The Guardian

“Divertido, inteligente e com um humor sombrio.” — The New York Times

“Um livro cativante, que monta habilmente um desfecho em que as duas mulheres precisam desafiar seus chefes homens e as organizações por trás deles.” — The Sunday Times

“Este livro é ainda melhor que a série de TV. Inspirado em clássicos thrillers de espionagem, Luke Jennings oferece novamente um banquete ao leitor.” — The Evening Standard

LUKE JENNINGS é autor do livro de memórias Blood Knots, finalista dos prêmios Samuel Johnson e William Hill, e de diversos romances, incluindo Atlantic, finalista do Man Booker Prize. Como jornalista, já escreveu para The Observer, Vanity Fair, The New Yorker e Time. Visite seu site: lukejennings.com

Stephen King volta as livrarias brasileiras com Mr. Mercedes

Ainda é madrugada e, em uma falida cidade do Meio-Oeste, centenas de pessoas fazem fila em uma feira de empregos, desesperadas para conseguir trabalho. De repente, um único carro surge, avançando para a multidão. O Mercedes atropela vários inocentes, antes de recuar e fazer outra investida. Oito pessoas são mortas e várias ficam feridas. O assassino escapa.

image002

Meses depois, o detetive Bill Hodges ainda é atormentado pelo fracasso na resolução do caso, e passa os dias em frente à TV, contemplando a ideia de se matar. Ao receber uma carta de alguém que se autodenomina o Assassino do Mercedes, Hodges desperta da aposentadoria deprimida, decidido a encontrar o culpado.

Mr. Mercedes narra uma guerra entre o bem e o mal, e o mergulho de Stephen King na mente obsessiva e psicótica desse assassino é tão arrepiante quanto inesquecível.