Arquivo da tag: Coquetéis

Jungle Gin apresenta coquetéis excelentes para o inverno

Receitas fazem parte da carta de drinques do Axado Bar e são ótimas opções para espantar o frio

A marca de gim nacional mais premiado internacionalmente, Jungle Gin, está presente na receita de três saborosos e elegantes drinques que são servidos no Axado Bar, localizado no bôemio bairro da Vila Madalena. Coquetéis com amêndoas, mezcal e até com infusão de ismênia fazem parte das receitas feitas pelo renomado bartender Márcio Silva.

Entre os coquetéis temos o Zazulejo, que leva Jungle Gin com infusão de ismênia, licor dry curaçao, hibiscos e limão. O Pizón, outro drinque bem conhecido, é feito à base de Jungle Gin com infusão de gengibre, amêndoas, hortelã, limão e bitter angostura.

E por último, temos o Inconfidente, à base de Jungle Gin com tangerina e mel, mezcal, limão e especiarias. Todos os drinques acima saem por R$ 31 e estão disponíveis na carta de drinques da casa.

Jungle Gin é a novidade no Axado Bar. (Foto: Divulgação)

Outro famoso coquetel de Jungle Gin é o negroni engarrafado. Feito em parceria com a Bitter&Co, o mais famoso entre os drinques feitos com gim, vem pronto para beber. Basta apenas adicionar um gelo de qualidade e um twist de laranja para ter em mãos a receita mais clássica da coquetelaria. O Negroni está a venda no Carrefour por R$ 129,90 e em breve estará no Grupo Pão de Açúcar, Walmart, St Marche e Mambo.

Levando chocolate e gim como base, o Drunk Bunny foi feito como uma opção deliciosa para tomar em dias frios por se tratar de uma bebida mais encorpada. “A canela defumada e as notas da especiaria presentes na receita de Jungle fazem uma combinação incrível e saborosa para aproveitar o inverno”, diz David Twardovski, bartender  e embaixador de Jungle Gin. 

Aprenda a fazer:

Drunk Bunny

Ingredientes:

Caneca com borda de chocolate 

50 ml de Jungle Gin 

50 ml de licor de marula

50 ml creme de leite UHT sem soro

Finalizar com raspas de chocolate e canela defumada

Modo de preparo

Derreta chocolate ao leite e mergulhe a borda da caneca. Em uma coqueteleira, bata o gim, a amarula e o creme de leite, para que fiquem homogêneos. Ao finalizar, raspe chocolate em cima do drink e acresente um pau de canela defumada. A canela defumada pode ser feita com o auxílio de um maçarico, usando um pegador de material não condutor de calor e colocando fogo, até que comece a sair fumaça

Serviço:

Axado Bar

R. Dep. Lacerda Franco, 478, Vila Madalena

Tel: (11) 3819-1304

Terça a quinta e domingo, das 18h às 23h; sábado, das 15h30 às 02h e aos domingos das 15h30 às 23h30

Frank Bar lança nova carta de drinques com viagem aos primórdios da coquetelaria

Com referências de ícones dos séculos XIX e XX, Spencer Amereno cria mais uma curiosa seleção de mixologia 

O Frank Bar completou dois anos e tem muitos motivos para comemorar, a começar pelos diversos prêmios conquistados, desde sua abertura em abril de 2015, variando entre melhor bar, melhor carta de drinques e melhor bartender. Spencer Amereno certamente é o grande artista que faz do bar, situado no lobby do Maksoud Plaza, um sucesso.

improved whiskey cocktail_spencer amereno_frank bar_maksoud_foto leo feltran_0004.jpg
Frank Bar lança nova carta de coquetéis. (Foto: Divulgação)

E a nova carta criada por Amereno não poderia ser diferente, afinal são meses de estudos, testes e trabalho árduo para apresentar versões exclusivas de famosos drinques, assim como grandes novidades aos amantes da coquetelaria. A edição 2017/2018 conta com 20 drinques, sendo 17 exclusivos, além de uma variada seleção de bebidas para apreciar doses também. Tudo isso integrado a um ambiente vintage, sofisticado e decorado com poltronas de couro vermelhas, uma luz mais baixa e uma equipe bem carismática.

Os drinques da nova seleção estão divididos em quatro seções: SimulacrumStratumCircumlocution e Opus. A coquetelaria teve um boommundial e o Brasil está conhecendo um novo conceito de drinques, do qual tem gostado bastante. O artesanal caiu nas graças do brasileiro, mas é preciso muita criatividade e inspiração para apresentar realmente um diferencial. “Não basta apenas oferecer uma releitura sem conceito, a ideia é continuar na vanguarda e ‘remar contra a maré’. Todo ano precisamos inovar mais que no passado”, afirma Spencer Amereno.

A primeira seção Simulacrum é focada em grandes ícones da coquetelaria, mas vai contra a mentalidade purista, de que o drinque deve seguir a receita à risca. É a escolha para quem quer viajar no tempo e entender o clima de quando e onde um drinque foi criado, com grandes interpretações e toques especiais do Head Bartender do Frank Bar.

Nesta divisão são citadas histórias de grandes nomes como Jerry Thomas, que teve enorme influência no século XIX e chamava muita atenção fazendo malabarismo com os utensílios do bar, usando abotoaduras, colares e anéis de diamantes. Ele lançou o Bar-Tender´s Guide em 1862 e trouxe pela primeira vez a receita de um “cock-tail”. Baseado em Thomas foi criado o ‘Improved Whiskey Cocktail’, com uma mistura de Bourbon Woodford Reserve, tintura de absinto, estragão mexicano, folha de pitanga, charuto e Jerry Thomas Own Decanter Bitters.

Outros influenciadores que também aparecem são Harry Johnson, russo que venceu como um dos cinco melhores e mais científicos bartenders da época em New Orleans; Emilio “Maragato” Gonzalez, espanhol que migrou para Cuba e trabalhou no famoso El Floridita; Harry Macelhone, determinante na coquetelaria do começo do século XX e conhecido por seu trabalho no Harry´s New York Bar;  Santiago Policastro, considerado pai de todos os barmen latino-americanos; Don The Beachcomber, grande responsável pelo início do tiki-craze; Jorge Gasparó, que publicou o Guia Prático do Bartender, em que aparece pela primeira vez a tequila como base para uma mistura; Kazuo Uyeda, o inventor do hard shake e mestre da coquetelaria japonesa; e Harry Craddock, o último a ter feito um drinque antes da Prohibition em 1920 e inspiração para dois drinques do Frank Bar: ‘(Dry) Alaska’ e ‘Chrysanthemum’ feitos à base de gim e vermute, respectivamente.

Já a Stratum trata-se de uma camada da seção anterior, mas não é focada no autor e sim no drinque como influência. São coquetéis pouco populares, para não dizer esquecidos, e que precisam ser trazidos à tona, pois suas receitas têm potencial para se adequar ao paladar moderno, mas contando com um toque mais que especial de Spencer Amereno. Há três variações a serem experimentadas: ‘Ambrosia’, com Poire Williams Eua de Vie, Havana Club 7, marmelada de laranja vermelha com sour beer, Espumante Brut e CO²; ‘Mamie Taylor’, já apresentado na ação Segunda Dewar´s, e ‘Fernet Cocktail’, com um perfil de baunilha, amargo e resinoso.

A terceira parte é a Circumlocution. São drinques já bastante consumidos e podem ser difíceis para se fazer uma nova versão, mas existe criatividade para tudo, ainda mais nas mãos de Amereno. “Tudo pode ser recriado, desde que tenha qualidade e não seja um ultraje ao autor”, complementa Spencer. Aqui pode-se citar o ‘Maverick Negroni’, feito com Gin, Fernando de Castilla Classic Manzanilla, chocolate bitters, Amaro Lucano, óleo de castanha do pará e sal; o ‘Aperol Soyer Au Champanhe’; o ‘Sangre y Humo’, um Bloody Mary mais que renovado; e o ‘Non Compos Mentis’, uma nova versão do White Russian.

E a quarta seção chamada Opus é composta pelas obras de Spencer e tem tudo a ver com a contemporaneidade. São elas: ‘Ataraxia’, um drinque defumado, cítrico, levemente frutado e doce à base de Evan Williams Black; ‘A Smash’, composto por Gin Beefeater, Sencha Noily Prat, folhas de aipo, hortelã bicolor, chutney de manga, limão siciliano e puxuri; e o já conhecido ‘Nahua Cooler’, que tem aroma de lúpulo, é refrescante, lático e leva tequila.

Na seleção também continua um drinque mais que brasileiro criado pelo Sub-Chefe do bar, José Ronaldo, que traz seu toque baiano para a casa. O ‘Café da Manhã Nordestino’ leva Jim Beam Black, manteiga, xarope de café com especiarias, limão tahiti, ovo inteiro e cacau 100%, mais uma vez provando que a criatividade é o principal ingrediente da carta.

SERVIÇO

Frank Bar – situado no lobby do Maksoud Plaza Hotel

Endereço: Rua São Carlos do Pinhal, 424

Funcionamento: Domingos e feriados: 18h à meia-noite; Segundas, terças e quartas: 18h à 1h; Quintas, sextas e sábados: 18h às 2h (com direito a jazz ao vivo)

Preços: R$ 35,00 o coquetel

Four Seasons lança novos coquetéis temáticos com inspirações florais

Receitas buscam influência em ingredientes típicos de cada região

Os bares dos hotéis Four Seasons, em parceria com a vodka elit by Stolichnaya estão celebrando a chegada da primavera no hemisfério norte repaginando drinks clássicos com a adição de chá e café.

Alguns exemplos que estão disponíveis até junho em diferentes locais do mundo:

Four Seasons Hotel lança novos coquetéis. (Foto: Divulgação)
Four Seasons Hotel lança novos coquetéis. (Foto: Divulgação)

The Double Agent no Four Seasons Las Vegas: inspirado no Vesper Martini, este coquetel mistura a Stolichnaya, aperitivo Lillet Blanc, licor St.Germain e bitters cítricos. Para acompanhar, um ramo fresco de alecrim e limão siciliano. Um drink leve e refrescante para os dias quentes.

Blossom no Four Seasons Mumbai: invocando as cores mais vibrantes e fragrâncias florais, este coquetel tem uma infusão de Tanqueray para destacar os sabores da bebida. Adicione suco de laranja para dar um toque de acidez e de cor. O xarope de abacaxi arremata a preparação, adocicando o drink.

April Showers Bring May Flowers no Four Seasons Silicon Valley: um pink Martini, feito com licor da flor de sabugueiro, Cointreu e bitters de ruibarbo, com notas de ervas frescas do sauvignon blanc. As pedras de gelo são feitas a partir do vinho com flores de sabugueiro e vão derretendo aos poucos no copo.

Bouquet no Four Seasons Nova York – entre margaridas e hibiscos, este coquetel é um delicado equilíbrio e aromas florais com um toque apimentado. Uma infusão de vinho do porto, vermute, bitters de laranja e margaridas complementam a Stolichnaya para um sabor único.