Arquivo da tag: Coreia do Sul

INVASÃO ZUMBI 2: PENÍNSULA GANHA NOVOS CARTAZES – CONFIRA O QUE SABEMOS ATÉ AGORA DO NOVO FILME

Paris Filmes apresenta novos cartazes de “Invasão Zumbi 2: Península”. (Foto: Divulgação)

Por Luigi Buratto

“Invasão Zumbi”, que não é uma sequência direta do primeiro filme, se passará quatro anos após o início do apocalipse zumbi na região de Busan, na Coréia do Sul, e será lançado exatamente o mesmo período após o original que saiu em 2016. O longa é aguardado para o segundo semestre de 2020, ainda sem data confirmada devido à pandemia de coronavirus.

De acordo com a sinopse oficial, “Jung-seok, um soldado que conseguiu escapar do apocalipse, revive o terror quando é enviado para uma missão secreta com dois simples objetivos: resgatar e sobreviver. Quando sua equipe acaba se encontrando com novos sobreviventes, suas vidas dependerão apenas caso o melhor – ou pior – da natureza humana prevaleça dada as circunstâncias atuais”.

O filme é dirigido por Yeon Sang-ho e promete ser muito mais épico e com uma história mais ampla do que o seu antecessor, que se passava apenas no trem. Segundo a Paris Filmes, “Invasão Zumbi 2: Península” “revela uma Coreia do Sul completamente destruída devido a um vírus misterioso que transformou seus habitantes em zumbis. Com isso, inicia-se uma luta desesperada para escapar da península abandonada”.

Sucesso na Coreia do Sul, doramas ganham os jovens brasileiros e inspiram “Pule, Kim Joo So”, novo livro da Verus

image005.jpgFebre na Ásia, os doramas chegaram com força no Brasil. Também chamados de “dramas coreanos” ou “k-dramas”, são séries televisivas caracterizadas pelas reviravoltas e pelo impacto emocional. “Pule, Kim Joo So” traz para a literatura a dramaticidade dos doramas e marca a estreia de Gaby Brandalise na Verus.

A trama gira em torno de Marina, uma jornalista desiludida com o seu emprego e atormentada com as agressões do ex-namorado policial. Ela trabalha no aeroporto de Curitiba e é lá que encontra So, um coreano que está perdido, machucado – e aparentemente com problemas com a polícia. Sem pensar muito, Marina decide ajudá-lo. Ainda que milhares de quilômetros separem o Brasil da Coreia do Sul, ela e So vivem situações parecidas. Por muito tempo eles estiveram presos em suas próprias histórias e é a necessidade de mudar que vai unir o casal.

Seguindo a estética dos doramas, “Pule, Kim Joo So” aposta também na agilidade para fazer com que a experiência do leitor seja quase como “assistir a história”.

Logo que surgiram, os k-dramas foram umas das únicas formas de entretenimento permitido na Coreia. Inicialmente transmitidas via rádio, as produções recentemente se expandiram e pegaram carona na onda K-pop para atingir diversas partes do mundo.

Blanc 7 faz primeira turnê no Brasil

Grupo de K-pop irá lançar primeiro álbum com shows nas principais capitais brasileiras

Depois do grande sucesso na 15ª edição do Anime Friends em julho, o Blanc 7, grupo de K-pop sul-coreano, volta em novembro ao Brasil para uma turnê “BIG PICTURE 2017” 1st TOUR IN BRAZIL: BLANC7” de lançamento do seu primeiro álbum.

Trazida pela Storyvent, a boyband formada por sete integrantes irá fazer shows nas principais capitais brasileiras, onde apresentará sucessos como Yeah, Fire, Reflects The Light, Prism Love, World Wide, Hello, além das músicas do novo trabalho.

323107_737254_foto_blanc_7_web_.jpg
Blanc 7 volta ao Brasil, em novembro. (Foto: Divulgação)

Com uma enorme base de fãs, o grupo conquistou os brasileiros pelo seu estilo único e multicolorido, onde o nome Blanc remete a cor branca, resultante da união das sete cores do arco-íris, cada uma representada por um integrante.

Formado por Shinwoo, vocal principal e vermelho, Jean Paul, líder, vocal principal e laranja, Teno, rapper, dançarino e amarelo, D.L., dançarino, vocal e verde, Spax, dançarino, vocal e azul; K-Kid, dançarino, vocal e anil e Taichi. vocal e violeta, a Blanc 7 promete espalhar mais cores pelos nossos palcos e arrebatar novos fãs por aqui.

Grupo BLANC7 é presença confirmada na 15ª edição do Anime Friends

Boyband idol sul-coreana participa do tradicional evento de cultura japonesa, que acontece de 7 a 9 de julho de 2017 no Transamerica Expo Center

Para a 15ª edição do Anime Friends (www.animefriends.com.br), um dos maiores eventos multitemáticos de entretenimento das Américas organizado pela Yamato Cultural, está confirmada a presença do grupo BLANC7. Criado em março de 2017, o grupo idol sul-coreano é fruto da agência Jackpot Entertainment e os integrantes são conhecidos por trabalhos anteriores em musicais, teatro, dança e até mesmo por participarem de outros grupos que, atualmente, não estão mais ativos.

AF17.png
Blanc7 se apresentará no Anime Friends. (Foto: Divulgação)

Sobre o nome, BLANC representa a cor branca e a ideia é que cada componente represente as 7 nuances do arco-íris para espalhar mais cor pelo mundo. Sendo assim, Shinwoo é vocal principal e vermelho; Jean Paul é o líder, vocal principal e laranja; Teno é o rapper, dançarino e amarelo; D.L. é dançarino, sub-vocal e verde; Spax é dançarino, sub-vocal e azul; K-Kid é dançarino, sub-vocal e anil e; Taichi é sub-vocal e violeta.

O grupo acaba de lançar um EP nomeado como “PRISM” – que também é o nome do fandom –, composto por sete faixas e tendo“YEAH” como o primeiro single.  O clipe de “YEAH” chamou atenção dos fãs, principalmente os brasileiros, pelo seu ritmo dançante, sexy e simples. Em abril o grupo passou a promover a faixa secundária, “Fire”, com melodia mais lenta e com uma mensagem inocente sobre o primeiro amor.

A 15ª edição do Anime Friends acontece entre 7 e 9 de julho no Transamerica Expo Center, próximo ao Aeroporto de Congonhas, Marginal Pinheiros, Av. 23 de Maio e do Autódromo de Interlagos, com conteúdos para fãs da cultura japonesa e outras áreas do universo geek.

Para mais informações sobre o Anime Friends, acesse: animefriends.com.br

Autora best-seller da Coreia do Sul chega às livrarias brasileiras pela primeira vez

Gong Ji-Young já vendeu 10 milhões de exemplares de seus livros em 12 países

image005.jpgUma das autoras mais populares da Coreia do Sul, Gong Ji-Young já vendeu 10 milhões de exemplares de seus livros em mais de 12 países. Sua influência na cultura de seu país é tanta que uma de suas obras, “The crucible”, chegou a provocar uma mudança na legislação coreana. Em março, a obra da best-seller chega pela primeira vez ao Brasil, com o lançamento de “Nossas horas felizes”, pela Record.

A trama acompanha a protagonista Yujeong, uma jovem de classe alta que, aos 30 anos, não consegue se conectar com ninguém ou encontrar sentido para a vida. Já tentou o suicídio três vezes e, sem sucesso até nisso, vive uma vida sem qualquer perspectiva. A família também não faz muito esforço para entender seus conflitos, a não ser sua tia Monica, uma freira com quem Yujeong sempre teve uma boa relação.

Para tentar ajudar a sobrinha, a religiosa a convoca a acompanhá-la semanalmente à prisão da cidade, onde ela costuma visitar presos que estão no corredor da morte. Ali, Yujeong conhece Yunsu, jovem condenado por um crime hediondo e que também está ansioso para morrer. A autora intercala os capítulos narrados em primeira pessoa por Yujeong com as anotações do diário de Yunsu, escritas por ele na cadeia. Aos poucos, fica claro que mesmo pertencendo a classes sociais totalmente distintas, com experiências de vida bem diferentes, os dois compartilham um passado de abusos e traumas, físicos e psicológicos.

Nos encontros, os dois refletem sobre morte, amor e perdão. A conexão desenvolvida entre os personagens acaba despertando em ambos, novamente, a vontade de viver.