Arquivo da tag: Creed 2

Creed 2 – Imagem e semelhança

5 itens que faz de Creed 2 a versão rejuvenescida de Rocky IV

Por Antonio Lemos

Rocky é uma das franquias de cinema mais queridas pelo público e pela crítica. O filme que conta a saga de Balboa (Sylverter Stallone) foi reinventado com outro protagonista. Em Creed: Nascido para Lutar, de 2015, ele apresentou ao mundo Adonis Creed, vivido por Michael B. Jordan. É o filho do grande amigo de Rocky, Apollo Creed (Carl Weathers), que foi morto em cima de um ringue. O filme foi um enorme sucesso, deu uma nova indicação ao Oscar para Stallone, e provocou uma sequência, Creed 2.

Como escrevi na coluna passada, a continuação de Creed é a cópia rejuvenescida de Rocky IV, lançado em 1985, seja pela história e até alguns diálogos. Então, resolvi elencar algumas referências comparando o longa de 33 anos atrás com o atual.

Tessa Thompson, Bianca, dá forças para Adonis na luta final. (Foto: Divulgação)

Trajetória de Rocky e Adonis

No filme de 1985, Balboa recupera o cinturão dos pesos pesados ao derrotar Clubb Lang em Rocky III (1982), então, decide se aposentar e viver ao lado da esposa Adrian (Talia Shire). No entanto, durante uma exibição, o amigo de Rocky, Apollo Creed, é impiedosamente espancado até a morte pelo russo recém-chegado Ivan Drago (Dolph Lundgren), e decide retornar e vingar o amigo, lutando contra Drago numa luta na Rússia no dia de Natal.

Em Creed II, Adonis saiu mais forte do que nunca de sua luta contra ‘Pretty’ Ricky Conlan, em Liverpool, começa a sua trajetória rumo ao campeonato mundial de boxe, contra toda a desconfiança que acompanha a sombra de seu pai e com o apoio de Rocky. Porém, o passado está mais presente do que nunca e precisa enfrentar um adversário que possui uma forte ligação, simplesmente o filho do homem que matou Apollo, Viktor (Florian Munteanu).

Bem vs Mal

Sentindo os sintomas da chamada “década perdida” e da paranoia causada pela Guerra Fria, conflito ideológico envolvendo os Estados Unidos (Capitalismo) e União Soviética (Socialismo), Stallone decidiu que os próximos passos para Rocky seria mergulhar de cabeça nesse tema. Outros filmes norte-americanos de ação tiveram esse enredo de colocar um ianque como mocinho e “vilanizar” qualquer pessoa do Leste Europeu.

Mais de 30 anos depois, o contexto político foi alterado com o capitalismo mandando e desmandando no Planeta, no entanto, o terrorismo, brigas por recursos naturais (petróleo) e rusgas entre líderes políticos seguem à tona. Pelo menos, a sequência de Creed e a aparição da família Drago não tem nada a ver com os conflitos ideológicos, por mais que o presidente dos EUA, Donald Trump, queira apagar incêndio com querosene.

Diálogos

Em Rocky IV, Balboa quer largar a carreira após a morte de Apollo. No entanto, Drago tem apetite em desafiar o ‘Garanhão Italiano’. Com receio de perder o marido, Adrian aconselha para que não aceite o desafio e o ‘Garanhão Italiano’ questiona para sua esposa se “não seria capaz de derrotar Drago” e aceita lutar – bem, não é com essas palavras, mas o contexto é esse.

No filme de B. Jordan, o diálogo é parecido, só que, ao invés de Adrian, Rocky busca aconselhar o jovem que não é uma boa ideia. Adonis pergunta se não seria capaz de vencer Viktor, e bravo, resolve aceitar o desafio e que irá lutar seja com ou sem Balboa. No primeiro momento, o jovem troca de treinador e se dá mal ao ser gravemente ferido.

“Olhar para dentro”, motivação e treinamento

Como derrotar uma máquina de dar socos? A resposta de 33 anos atrás se resume ao filme atual: “olhar para dentro”, motivação e treinamento. Os dois estão com aquela sensação de “terra arrasada”, família consolidada e ignoram suas esposas quando decidem lutar contra os Drago. No caso de Rocky, a presença de Adrian na Rússia, enquanto ele treina para a revanche foi uma motivação extra para conseguir o objetivo de vingar o amigo. Já Adonis, tem o nascimento da filha Amara para continuar firme para vencer Viktor.

Quanto aos treinamentos, Balboa encarou o frio russo e condições precárias para fazer a luta da sua vida. Adonis precisou se esforçar o dobro para encarar o filho de Ivan e Balboa leva seu pupilo ao deserto falando que, para lutar de igual para igual teria que conhecer o “inferno”.

Lutas nos dois países

Estados Unidos e Rússia foram sedes dos embates entre Rocky&Adonis vs Família Drago. No filme de 1985, Las Vegas foi o palco da fatídica luta entre Apollo vs Ivan. Com direito a show de James Brown, Creed mostrou o seu lado dançarino ao dar os primeiros jabs no adversário, mas o final todos sabem: nocaute com requintes de crueldade, morte de Apollo e Drago foi declarado vencedor.

Na atual versão, o primeiro embate acontece em solo americano, com Adonis soltando uns golpes, mas assim como há mais de 30 anos, Drago filho parte para cima, golpeia diversas vezes e o seu treinador, Tony “Little Duke” (Wood Harris), filho do antigo treinador de Apollo, Tony Evers (Tony Burton), queria jogar a toalha para encerrar a luta, mas Adonis não permitiu – mesma cena em Rocky IV. Adonis ficou gravemente ferido, manteve o cinturão, pois Viktor foi desclassificado por aplicar um golpe ilegal.

Para uma revanche, nada como lutar na casa do adversário e Moscou foi o palco. No confronto entre Balboa vs Drago ‘pai’, um clima totalmente hostil, o público a favor de Ivan, todos de pé para o hino soviético e o chefe de Estado nas tribunas. O ‘Garanhão’ resistiu a todos os rounds e venceu por nocaute, com direito ao público russo aplaudir o ianque.

Já no confronto entre Adonis vs Viktor, o Estádio Luzhniki (palco da abertura e encerramento da última Copa do Mundo) foi o cenário e a Rússia inteira estava do lado do filho de Ivan. Clima hostil e a entrada do filho de Apollo foi de arrepiar com a sua esposa Bianca cantando de forma desafiadora contra o público. Viktor mostrou o seu cartão de visitas, mas Adonis conseguiu resistir, cresceu no embate e eis que uma tolha resolvesse a parada, quando Drago ‘pai’ jogou para dentro do ringue enquanto seu filho estava prestes a ser nocauteado. Do mesmo jeito que aplaudiu Balboa, o público fez o mesmo com Adonis, que a partir de agora passa a construir o seu legado.

Que venha o terceiro filme e quais referências teremos?

Creed 2 – Mais pontos positivos do que negativos

Tirando o enredo previsível, continuação do longa de Michael B. Jordan e Sylvester Stallone apresenta aspectos para não tirar os olhos da telona

Por Antonio Lemos

Rocky é uma das franquias de cinema mais queridas pelo público e pela crítica. Para quem é fã e assistia aos filmes durante a infância, os cinco longas contanto a saga de Rocky Balboa (Sylverter Stallone) não sai do nosso imaginário. Ainda teve o sexto, lançado em 2006, quando o “Garanhão Italiano” mostrou para todos que idade não tem diferença ao lutar de igual para igual contra Mason Dixon (Antonio Tarver), onde acabou perdendo por pontos.

A franquia continuou com o personagem sendo apresentado como treinador em Creed: Nascido para Lutare continua na bela sequência, com lançamento programado para o dia 24 de janeiro, com personagens maduros e base sólida para uma eventual continuação. Assim, esta pessoa que vos escreve e fã de Balboa resolveu listar pontos positivos e negativos, saindo um pouco de fazer a resenha e deixando no ar alguns spoilers (já adianto, não foi fácil escolher).

Lutas de “Creed 2” são um dos pontos altos do filme. (Foto: Divulgação)

Michael B. Jordan & Tessa Thompson

Para começar a conversa, outra vez a dupla Michael B. Jordan e Tessa Thompson mostraram uma bela química, e que os papéis de Adonis Johnson e Bianca caíram no colo. O personagem de B. Jordan emociona com palavras, dores e vontade de construir o seu legado, espantando todos os fantasmas da morte do seu pai Apollo Creed (Carl Weathers). Já Tessa mostra a capacidade da personagem de enfrentar suas limitações físicas e seguir lutando pelo seu sonho. Outro grande ponto da atuação da atriz está na apresentação de Adonis na luta final contra Viktor Drago (Florian Munteanu). Diante do Estádio Luzhniki – palco da abertura e encerramento da última Copa do Mundo – lotado e um cenário totalmente hostil, ela aparece como um ponto de luz, interpreta uma canção de arrepiar em tom desafiador e acompanha seu marido até o ringue.

Trilha sonora

O segundo ponto positivo deste longa fica por conta da trilha sonora. A mistura do rap e da black music com o tema clássico do Rocky é sensacional. Juntar o novo com o clássico às vezes preocupa o pessoal mais antigo, mas ouvir “Gonna Fly Now” no ápice do filme faz o nosso coração saltar e o derramamento de lágrimas é inevitável. Ótimo gosto e o tema clássico do ‘Garanhão Italiano’ continua sendo atual mesmo com mais de quatro décadas de existência.

As atuações de Sylverster Stallone e Dolph Lundgren

Se as atuações de Michael B. Jordan e Tessa Thompson são dignos de Oscar (isso deixo para os especialistas), o que dizer de Sylverster Stallone e Dolph Lundgren? Mais de trinta anos depois, Rocky Balboa e Ivan Drago se encontram após a épica luta em Moscou, no qual o ‘Garanhão Italiano’ sai vencedor, enquanto Drago é escorraçado da Rússia e passa a viver na Ucrânia. O personagem de Stallone sobrevive ao câncer, porém, está em conflito consigo mesmo sobre se reconciliar com seu filho e conhecer seu neto. Balboa segue nos emocionando com suas palavras e brilha sem ofuscar o protagonista. Já Lundgren recria o icônico Drago tentando reescrever o passado e mudar o presente com o filho Viktor. Seu personagem está frustrado, deprimido, derrotado e cheio de raiva. Seu filho carrega os mesmos sentimentos do pai, e ao mesmo tempo, perturbado pela gana de Ivan em reerguer o nome da família após aquele Natal de 1985. Ver os quatro (Rocky, Adonis, Ivan e Viktor) em cima do ringue um encarando o outro é de arrepiar até o último fio de cabelo. Dá a impressão de que teríamos duas lutas no mesmo espaço e uma faísca viraria explosão naquele barril de pólvora.

Lutas

Desde o seu primeiro confronto, que valia a chave de seu Mustang, até a batalha épica em Moscou, o diretor Steven Caple Jr. acerta em cheio em dar bastante realidade, fazendo com que o telespectador fique com os olhos grudados na tela, sem querer perder sequer um detalhe. Tirando a luta em que Adonis vence e recupera o seu carro, o primeiro confronto contra Viktor mostra o russo com fome de vitória e como ele é uma máquina de dar socos (na vida real, o ator que interpreta Viktor é pugilista profissional). No embate final, em solo europeu, Johnson é outro lutador, resiste a vários golpes – como Balboa resistia – e seu final é digno de um protagonista que agarrou com unhas e dentes o papel de dar continuidade ao legado de Stallone, além de dar sequência ao seu próprio. Sem dúvidas é uma das lutas mais épicas do cinema.

Mensagem do filme

Para fechar, o filme deixa uma mensagem. Se na saga de Stallone, o recado transmitido era “Não importa o quanto você bate, mas sim o quanto aguenta apanhar e continuar. O quanto pode suportar e seguir em frente.”, em Creed II a mensagem é simples e clara: “Não importa o quão poderoso é seu adversário e quantas vezes você é jogado na lona, é preciso ficar de pé frente as adversidades e vencê-las a todo o custo, nem que essa vitória venha a base de grandes sacrifícios.”. Adonis buscava a luta perfeita para honrar a morte de seu pai e construir o seu legado. E conseguiu.

Ponto negativo: enredo previsível

Depois de apresentar tantos pontos positivos (difícil escolher cinco), qual seria o lado negativo de Creed II? Falar que não tem seria coisa de fã, mas esta pessoa que vos escreve aponta um (se os especialistas tiverem outros pontos negativos, é só falar): o enredo previsível. Não digo no sentido de Adonis vencer a “revanche” contra Drago em Moscou, mas pela história ser a versão repaginada de Rocky IV. Desde a chegada russa aos EUA, o desafio pelo staff de Drago contra Adonis, passando pela primeira luta em solo americano até a última na capital russa, a história se repete como fora em 1985, a exceção fica pelo fato do protagonista não morrer, e sim, ficar gravemente ferido. Em Rocky IV, Apollo morre no 2º round. Mesmo assim, é um filme que vale muito a pena assistir, com muitas referências e a emoção será inevitável.

Teremos Creed 3?

Depois em que Adonis derrota Drago, ficou no ar se há fôlego para o terceiro filme. Acredito que tenha pelo fato do diretor Steven Caple Jr. ter acertado em cheio nessa continuidade, e também, pelo fato do próprio Adonis começar a construir o seu legado. Porém, fica a pergunta: com ou sem Rocky Balboa?

As últimas cenas mostraram que Balboa aos poucos vai sair de cena quando diz para Adonis curtir a sua conquista, enquanto ele fica fora do ringue, e o monólogo do protagonista no túmulo de Apollo. Na sequência, aparece Rocky conquistando o seu objetivo: rever o filho e seu neto com uma mala na mão e a sua tradicional bolinha de borracha. Além disso, o próprio Sylvester Stallone declarou que estaria pronto para gravar o Creed 3 e depois disso sairia de cena, aposentando o personagem, assim como fez com Rambo.

Como será essa “despedida”? A ‘batata quente’ está nas mãos de Caple Jr. e uma das especulações para o terceiro filme é o possível retorno de Clubber Lang, interpretado por Mr. T em Rocky III (1982).

Creed II continua história de Rocky IV

Por Henrique Moita

Em Creed II, continuamos acompanhando a carreira do jovem lutador, Adonis Johnson Creed (Michael B. Jordan), que se torna o campeão de boxe mundial de peso-pesado. O filme também traz de volta Sylvester Stallone no papel do lendário lutador Rocky Balboa. E quem imaginava que a relação entre Rocky e Adonis estaria uma maravilha depois de vários acontecimentos que são mostrados logo no começo do filme, está redondamente enganado. A relação entre ambos da uma grande guinada quando eventos que aconteceram no filme Rocky IV são trazidos à tona.

Confesso aqui que não assisti a nenhum filme da saga de Rocky Balboa, mas isso também não se faz necessário, pois o filme explica muito bem os acontecimentos do filme e quais as consequências para Creed II, no qual se repete a famosa luta entre um Creed e um Drago.

Em “Creed II” Adonis enfrenta Drago, filho do homem que matou seu pai. (Foto: Divulgação)

Para quem não está entendendo, vou dar uma resumida.

Em Rocky IV, Apollo Creed, pai de Adonis, faz uma luta contra Ivan Drago, na qual, Apollo acaba morrendo devido a força dos golpes aplicados pelo rival. Após essa luta, Rocky resolve vingar o amigo e marca uma outra luta contra Drago, na qual sai vitorioso.

Então chegamos em Creed II e agora Adonis terá que enfrentar o filho de Ivan Drago, Viktor, em uma “revanche” depois de 30 anos.

Se em Creed: Nascido Para Lutar, os eventos ocorreram de maneira muito rápida; Creed II conseguiu segurar um pouco a onda na velocidade do filme, porém não deixou de lado uma coisa muito importante: o quanto o roteiro seria óbvio. Se em meia hora de filme já podemos ver a luta que seria a principal entre Adonis Creed e Viktor Drago, fica meio óbvio qual seria o resultado dela e de como seria o final do filme. No entanto, isso não faz com que o filme seja ruim, muito pelo contrário, o filme tem momentos muito bons, com Michael B. Jordan dando um show de atuação, junto com seu par, Tessa Thompson. Inclusive, nas cenas de luta, não deixamos de sentir aflição a cada troca de socos.

Em resumo, Creed II pode seguir uma linha narrativa óbvia, mas isso não faz com que a história não seja interessante, com ótimas cenas de luta e porque não dizer, deixa até com uma vontade de assistir aos filmes do Rocky Balboa, para nos inteirarmos mais nesse universo criado por Stallone.

CREED II GANHA NOVO TRAILER E ARTES

Michael B. Jordan, Sylvester Stallone e Tessa Thompson reprisam seus papéis, com direção de Caple Jr e produção executiva de Ryan Coogler

A Warner Bros. Pictures divulga novo trailer e artes do aguardado longa Creed II, que conta com os astros Michael B. Jordan e Sylvester Stallone reprisando seus papéis como Adonis Creed e Rocky Balboa, respectivamente. O destaque do vídeo é a tensão que antecede a luta entre Adonis e seu mais novo rival: Viktor Drago, filho do lendário rival de Rocky, Ivan Drago. Já as artes trazem Adonis Creed e Rocky Balboa.

O longa, que tem previsão de estreia para 24 de janeiro de 2019 no Brasil, é a sequência do aclamado sucesso “Creed – Nascido para Lutar”, de 2015, que arrecadou mais de US$ 170 milhões de bilheteria global.

Sobre o filme

A vida se tornou um ato de equilíbrio para Adonis Creed. Entre obrigações pessoais e treinamento para a próxima grande luta, ele encara o desafio de sua vida. Enfrentar um adversário com laços com o passado de sua família só intensifica sua batalha iminente no ringue. Rocky Balboa está lá ao seu lado e, juntos, Rocky e Adonis vão confrontar o legado que compartilham, questionar por que vale a pena lutar e descobrir que nada é mais importante que a família. Creed II é sobre voltar ao básico para redescobrir o que fez de você um campeão e lembrar que não importa para onde você vá, você não pode escapar da sua história.

Também reprisam seus papéis do primeiro filme: Tessa Thompson como Bianca, Phylicia Rashad como Mary Anne, Wood Harris como Tony “Little Duke” Burton e Andre Ward como Danny “Stuntman” Wheeler. O novo elenco é completado com Florian “The Big Nasty” Munteanu como Viktor Drago, Dolph Lundgren retornando ao papel de Ivan Drago e Russell Hornsby como Buddy Marcelle. Creed II será distribuído nos Estados Unidos pela MGM e a Warner Bros. Pictures distribuirá o filme internacionalmente.

Caple Jr. dirige a partir de um roteiro original escrito por Stallone baseado nos personagens da franquia Rocky. O filme é produzido por Irwin Winkler, Charles Winkler, William Chartoff, David Winkler, Kevin King-Templeton e Stallone. Coogler, Jordan e Guy Riedel serão produtores executivos.

Colaborando com Caple Jr. está a equipe criativa liderada pelo diretor de fotografia Kramer Morgenthau (“Thor: O Mundo Sombrio”, “Game of Thrones”); desenhista de produção Franco Carbone (“Os Mercenários”, “Billionaire Boys Club”); figurinistas Lizz Wolf (“Direito de Amar”, “Dreamgirls – Em Busca de um Sonho”); diretor de arte Jesse Rosenthal (“Pantera Negra”, “Trumbo: Lista Negra”); o coordenador de luta Daniel Hernandez (“Vingadores: Guerra Infinita”, “Velozes e Furiosos 8”); assessor técnico de boxe Robert Sale (“Ajuste de Contas”); o coordenador de efeitos especiais Patrick White (“Em Ritmo de Fuga”, “Horizonte Profundo – Desastre no Golfo”) e o produtor de efeitos visuais Crystal Dowd (“Straight Outta Compton: A História do N.W.A.”, “A Escolha Perfeita 2”). As filmagens ocorreram principalmente na Filadélfia, com localizações adicionais no Novo México.