Arquivo da tag: Drama

HBO MAX ANUNCIA O INÍCIO DA PRODUÇÃO DA QUARTA TEMPORADA DA ACLAMADA SÉRIE DRAMÁTICA ´SUCCESSION

(Foto: divulgação)

A HBO Max anuncia o início da produção da quarta temporada da série dramática da HBO vencedora do Emmy® SUCCESSION, ambientada na cidade de Nova York. Criada por Jesse Armstrong, a série explora temas como poder e dinâmica familiar através dos olhos do patriarca Logan Roy (Brian Cox) e seus quatro filhos adultos, Kendall (Jeremy Strong), Siobhan (Sarah Snook), Roman (Kieran Culkin) e Connor (Alan Ruck). As três primeiras temporadas estão disponíveis na HBO Max.

Na quarta temporada de dez episódios, a venda do conglomerado de mídia Waystar Royco ao visionário tecnológico Lukas Matsson se aproxima cada vez mais. A perspectiva desta venda sísmica causa angústia existencial e divisão familiar entre os Roys, pois eles antecipam como serão suas vidas quando o negócio for concluído. Uma luta pelo poder se instala à medida que a família pondera um futuro no qual sua influência cultural e política é severamente reduzida.

As duas primeiras temporadas da série obtiveram 23 indicações ao Emmy® e nove vitórias, incluindo Melhor Série de Drama, para a segunda temporada. A terceira temporada, que estreou em outubro, liderou o SAG Award para Melhor Elenco em Série de Drama.

O elenco da quarta temporada inclui: Brian Cox, Jeremy Strong, Sarah Snook, Kieran Culkin, Alan Ruck, Matthew Macfadyen, Nicholas Braun, J. Smith-Cameron, Peter Friedman, David Rasche, Fisher Stevens, Hiam Abbass, Justine Lupe, Scott Nicholson, Zoë Winters e Jeannie Berlin. Elenco adicional a ser anunciado.

Criado por Jesse Armstrong; executivo produzido por Jesse Armstrong, Adam McKay, Frank Rich, Kevin Messick, Jane Tranter, Mark Mylod, Tony Roche, Scott Ferguson, Jon Brown, Lucy Prebble, Will Tracy e Will Ferrell. Jesse Armstrong é o showrunner.

STARZPLAY ANUNCIA ESTREIA DE SÉRIE DRAMÁTICA ‘BECOMING ELIZABETH’ PARA 12 DE JUNHO, SOBRE A ADOLESCÊNCIA NÃO CONTADA DA RAINHA ELIZABETH I

A STARZPLAY, plataforma de streaming premium internacional da STARZ, divulgou trailer e cartaz e marcou para o dia 12 de junho a estreia de Becoming Elizabeth, sua próxima série de drama que vai explorar a fascinante e não contada história dos primeiros anos de vida da rainha mais icônica da Inglaterra.

Becoming Elizabeth estreia no domingo, 12 de junho, na plataforma de streaming premium STARZPLAY em todos os territórios disponíveis, e nas plataformas de streaming e sob demanda da STARZ nos EUA e Canadá.

Muito antes de ascender ao trono, a jovem Elizabeth Tudor, interpretada por Alicia von Rittberg (“Corações de Ferro”, “Charité”, “Genius”), era uma adolescente órfã que se envolveu na política sexual da corte inglesa. A morte do rei Henrique VIII faz com que o filho de nove anos dele, Edward, interpretado por Oliver Zetterström (“The Midnight Gang”, “The Romanoffs”), assuma o trono e ponha em movimento uma perigosa disputa pelo poder. É quando Elizabeth, Edward e sua irmã Mary, interpretada por Romola Garai (“The Hour”, “The Miniaturist”), se vêem como peões em um jogo entre as grandes famílias da Inglaterra e as potências da Europa que disputam o controle do país.

Outras importantes peças na busca implacável pelo poder incluem a viúva do rei Henrique, Catherine Parr, interpretada por Jessica Raine (“The Informer”, “Patrick Melrose”); Thomas Seymour, papel de Tom Cullen (“Weekend”, “Black Mirror”), o novo tio do rei, que rapidamente se casa com a viúva Catherine, mas logo se interessa pela adolescente Elizabeth;  e o Duque de Somerset, interpretado por John Heffernan (“The Pursuit of Love,” “The Crown”), que não perde tempo em reivindicar o cargo de Lorde Protetor para si mesmo quando o velho Rei morre.

A série dramática também é estrelada por Jamie Blackley (“Greed”, “The Last Kingdom”);  Alexandra Gilbreath (“Tulip Fever”, “Provoked Wife” da Royal Shakespeare Company); Jamie Parker (“1917”, “Harry Potter and The Cursed Child”); Leo Bill (“Rare Beasts”, “In Fabric”); Bella Ramsey (“Game of Thrones”, “The Last of Us”); Ekow Quartey (“This Way Up”, “A Midsummer Night’s Dream” da Shakespeare’s Globe); Alex Macqueen (“Sally4Ever”, “Peaky Blinders”) e Olivier Huband (“I Hate Suzie”, “A Discovery of Witches”).

Becoming Elizabeth foi criada e escrita pela premiada dramaturga e roteirista de televisão Anya Reiss (“Spur of the Moment”, “The Acid Test”), que também atua como produtora executiva junto de George Ormond (“National Treasure”, “Great Expectations”), da The Forge, e George Faber (“Shameless”, “The White Queen” da STARZPLAY),  com produção de Lisa Osborne (“Little Dorrit”, “Man in an Orange Shirt”).

PROTAGONIZADO POR MONICA IOZZI, MAR DE DENTRO FAZ UM RETRATO HUMANIZADO DA MATERNIDADE

Exibido na Mostra Internacional de São Paulo e no festival Cine de las Americas, filme chega aos cinemas em 7 de abril

(Foto: divulgação)

Mais de uma década atrás, quando começou a pensar no longa que viria a ser MAR DE DENTRO, a diretora e corroteirista Dainara Toffoli foi questionada inúmeras vezes se a maternidade, em si, daria um filme. “Queriam saber qual seria a trama, qual seria a grande história. Para a maioria das pessoas, falar sobre maternidade não seria suficiente. Foram muitos anos para conseguir o financiamento. Percebi que a maternidade real, não idealizada, era um tema tabu. Mas eu precisava falar sobre isso e tinha uma intuição forte de que as mulheres iriam se identificar. Não é à toa que a Eliane Ferreira, produtora do filme, é mulher e mãe. Desde o início, sentíamos a mesma urgência. E esta parceria foi muito importante para que não desistíssemos depois dos inúmeros nãos.”

O longa chega aos cinemas em 7 de abril, com distribuição da Califórnia Filmes e produzido pela Muiraquitã Filmes em coprodução com a Elástica Filmes e o Telecine.

Protagonizado por Monica Iozzi, MAR DE DENTRO tem como personagem central Manuela, uma mulher independente e bem sucedida, que descobre uma gravidez não-planejada. Uma série de problemas emergem, até que a maternidade se concretiza em sua vida, e ela descobre que terá de aprender como ser mãe, mesmo sem gostar da maternidade.

Monica, cada vez mais se destacando como atriz e surpreendendo quem a conhece apenas da comédia aponta MAR DE DENTRO como um começo em busca de outros gêneros em sua carreira. “Quem me conhece da novela na televisão nunca me viu nesse outro registro. Então deverá ser uma surpresa pra quem me acompanha. Mas acho que devo deixar claro que gosto sim de fazer humor, que sou muito grata a tudo que o humor me proporcionou até agora.” 

Para a atriz, o fato de ser uma história que mostra uma mulher que vive uma situação limite a atraiu muito para o projeto. “Mas o primeiro ponto que me chamou a atenção é que a Manu não tem o perfil que estamos acostumados a ver das mulheres. Ela é uma mulher realmente que adora o trabalho, que é bem sucedida e muito exigente. E ela também tem uma relação livre com um cara e está tudo bem com isso também. Então, me atraiu muito poder mostrar uma mulher assim com um olhar mais contemporâneo.”

Dainara, que assina o roteiro com Elaine Teixeira, acredita que há muita solidão e, até mesmo, um luto na maternidade. “Chegamos do hospital com um bebê no colo e uma dura e solitária rotina desaba sobre nossas cabeças. Para a sociedade, a mulher grávida ou com criança pequena é um certo fardo destituído de suas antigas capacidades. Assim, quando a mulher decide ter um filho, ela precisa saber que é uma rotina que vai enfrentar, na maior parte das vezes, sozinha. A licença paternidade é de cinco dias. Um bebê exige 24 horas de atenção. Ter um filho custa caro e não há uma rede de apoio. Quando vemos, estamos tentando dar conta de tudo e abrindo mão das nossas aspirações. Com tanta idealização, o que sobra para a mulher é cobrança, cansaço e um sentimento de culpa constante.”

A produtora Eliane Ferreira aponta que MAR DE DENTRO traz uma outra visão sobre a maternidade, comumente romantizada no cinema. “Ou é a maternidade excessivamente idealizada, em que o filme normalmente acaba quando o filho nasce. É a realização de ser mãe, ‘pronto, consegui, sou feliz para sempre’. Ou é algo retratado totalmente fora do padrão, problemática. Mas acredito que esta repetição de abordagem possa ter a ver com o fato de o cinema ter sido feito, por muito tempo, majoritariamente por homens. O olhar masculino sempre foi tão dominante que, mesmo para as mulheres que fazem cinema, talvez falar sobre maternidade desta forma realista como fazemos em aqui, ou em outras abordagens de outros projetos de cinema, poderia parecer fragilidade.”

Dainara acrescenta que, esta suposta fragilidade não condiz com a realidade. “Na verdade, a maternidade é de uma potência enorme. Por isso, quis mostrar o puerpério, algo absolutamente do espaço da mulher e dos homens trans sobre o qual falta reflexão. Hoje se fala do puerpério, mas esta é uma palavra muito nova na nossa cultura. Ser mãe é virar bicho. Peito inchado, melecado e vertendo leite. Exaustão. Fadiga. Aquela sensação constante de se ver como a vítima em um filme de vampiro: sugada e insone. É horrível e, pode ser, belo ao mesmo tempo,” completa ela.

O equilíbrio entre força e doçura é uma das chaves da narrativa de “Mar de Dentro”. Ainda que a situação financeira de Manuela seja confortável, ao encarar a maternidade praticamente sozinha em uma cidade que mais isola do que une as pessoas, ela vive um processo crucial de autodescoberta. Em vez de romantizado, o processo de se tornar mãe é visto com humanidade e com todas as contradições que ele traz.

Mônica aponta que há uma pesquisa que revelou que aproximadamente 47% das mulheres são demitidas ou então acabam perdendo posições na hierarquia do trabalho nos dois anos seguintes à maternidade. “É justamente em tudo isso que Mar de Dentro dá uma pincelada.”

A diretora ressalta que em seu filme, além da maternidade em si, está discutindo outras questões relacionadas ao tema, como a vida profissional da mulher que acaba de ter um filho, ou o desejo e o prazer feminino. “Este é um filme de mulheres. Há dez anos ninguém falava sobre isso. Tateamos um lugar que depois se tornou mais que um assunto, virou uma luta. Foi um processo duro, mas recompensador”, finaliza.

Monica, por sua vez, acrescenta que, apesar de ter a mulher e assuntos relacionados com ela, ao centro, MAR DE DENTRO é um filme que deve ser visto também pelo público masculino. “Há alguns temas que são difíceis de interessar aos homens porque para a grande maioria são questões que pertencem ao universo feminino única e exclusivamente. Há a velha questão do pai que é um puta paizão se ele troca uma fralda ou a do ‘meu marido é ótimo, ele me ajuda tanto.’ Mas acho também que tem uma coisa que talvez esse filme consiga furar um pouquinho, que é essa bolha. Isso porque realmente não é uma história que vai na linha de ‘que linda a maternidade’. Tem outras questões.

O ator Rafael Losso, que interpreta o principal personagem masculino do filme, destaca a importância de ter uma diretora mulher à frente dessa história. “Pensando na história do cinema, quantos homens não quiseram contar ou contaram histórias de mulheres? E receberam prêmios por isso. Ou quanto a gente já não roubou histórias que, na verdade, deveriam estar sendo contadas por mulheres. As mulheres têm o direito de fazer o que elas quiserem. Pensando em MAR DE DENTRO e na vivência da Dainara, pensando também em outras mulheres, um diretor poderia contar a história da Manuela, mas não da forma como ela conta. Foi um prazer trabalhar com ela.

Desde sua estreia na Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, o filme recebeu diversos elogios. José Geraldo Couto, no site do Instituto Moreira Salles, escreveu que o longa tem “narrativa eficiente […] que faz aflorar questões sobre o lugar da mulher numa sociedade machista.” Isabel Wittmann, em Estante da Sala, diz que “O ponto forte do filme está nos pequenos detalhes: nas rotinas, nas descobertas, nas delicadezas, na forma como mostra como cada pessoa tem um palpite, mas, no final, o que resta é a solidão da mãe e suas escolhas, ainda que em um contexto tão privilegiado. MAR DE DENTRO não romantiza a maternidade, mas a trata com uma beleza melancólica.”

Luiz Zanin, de O Estado de S. Paulo, escolheu MAR DE DENTRO como um de seus longas favoritos do festival: “Um tratamento simples e honesto sobre a questão da maternidade. Em meio a muitas firulas e poucos resultados, o cinema brasileiro (pelo menos pela amostra apresentada), esse tipo de obra, que deseja se comunicar sem baratear suas ideias, merece ser destacado. É melhor que muito filme-cabeça pretensioso.”

‘Vozes do Passado’, com Julia Ormond e Emma Draper, estreia em 21 de janeiro

DRAMA PSICOLÓGICO COM TOQUE SOBRENATURAL ESTARÁ DISPONÍVEL PARA COMPRA E ALUGUEL NAS PLATAFORMAS DIGITAIS

O longa “Vozes do Passado” (Reunion), com Julia Ormond (“The Walking Dead”, “Filhos do Ódio”), estará disponível a partir de 21 de janeiro para compra e aluguel nas plataformas digitais Claro Now, Vivo Play, iTunes/Apple TV, Google Play e YouTube Filmes. Com distribuição da Synapse Distribution, o filme poderá ser encontrado nas versões dublada e legendada.

Ellie (Emma Draper) retorna à sua casa de infância para passar um tempo com a sua mãe, Ivy (Julia Ormand), de quem há muito tempo se afastou. Grávida de seu primeiro filho, ela passa a ser assombrada por memórias, despertadas pela antiga residência. Conforme se reaproxima da mãe, ela revive momentos sombrios e acaba desenterrando a verdade oculta do passado.

Filmado na Nova Zelândia, “Vozes do Passado” foi escrito e dirigido por Jake Mahaffy (“Free in Deed”, “Wellness”). Nas palavras do diretor, “a realidade de Ellie é manipulada, testando, assim, a memória de seu passado e a percepção de seu presente”. Ele acrescenta: “Enquanto a consciência da personagem cresce e ela confronta seu próprio ponto de vista em evolução, consequentemente ela se lembra de seu passado de forma diferente”. 

(Foto: divulgação)

STAR+ APRESENTA O NOVO TRAILER E AS PRIMEIRAS IMAGENS DA ÚLTIMA TEMPORADA DE “THIS IS US”, QUE ESTREIA EXCLUSIVAMENTE NA PLATAFORMA EM JANEIRO DE 2022

A série dramática que conquistou nossos corações, retorna com a sexta e última temporada para encerrar uma história inesquecível com novos laços, relatos, memórias e muita emoção; As primeiras cinco temporadas já estão disponíveis no Star+

THIS IS US. (Foto: Ron Batzdorff/NBC)

This Is Us,a aclamada e multipremiada série dramática, vencedora de quatro Prêmios Emmy®, escrita e produzida por Dan Fogelman (Amor a Toda Prova), retorna com sua última temporada para finalizar a cativante história dos Pearson.

Com uma narrativa inovadora e emotiva, a série que já conta com cinco temporadas, conquistou os espectadores com a história da família Pearson ao longo dos anos, em uma comovente viagem através do tempo, entre o passado, o presente e o futuro. De Jack (Milo Ventimiglia) e Rebecca (Mandy Moore) como jovens pais na década de 1980, até seus filhos adultos, Kevin (Justin Hartley), Kate (Chrissy Metz) e Randall (Sterling K. Brown), em busca de amor e realização no presente.

O drama, que tem conquistado milhões de fãs ao longo de suas temporadas, revela como os menores eventos da vida impactam na formação de cada um, e como as conexões compartilhadas com outras pessoas podem transcender o tempo, a distância e até a morte.

Completam o elenco da série Susan Kelechi Watson (Beth), Chris Sullivan (Toby), Jon Huertas (Miguel), Caitlin Thompson (Madison), Faithe Herman (Annie), Eris Baker (Tess), Lyric Ross (Deja), Asante Blackk (Malik) e Griffin Dunne (Nick).

Os produtores executivos de This Is Us incluem Dan Fogelman, Isaac Aptaker, Elizabeth Berger, John Requa, Glenn Ficarra, Ken Olin, Charlie Gogolak, Jess Rosenthal e Steve Beers, e a série é produzida pela 20th Television.

18ª temporada de Grey´s Anatomy ganha data de estreia no Sony Channel

A partir de 25 de janeiro de 2022, os fãs poderão conferir episódios inéditos da série exclusivamente no canal, às terças-feiras, 21h

18ª temporada de Grey’s Anatomy estreia janeiro de 2022 no Sony. (Foto: divulgação)

O Sony Channel anunciou a data mais esperada do ano: a 18ª temporada de Grey´s Anatomy chegará exclusivamente ao canal em 25 de janeiro de 2022. A partir dessa data, os fãs poderão conferir episódios inéditos da nova temporada toda terça-feira, às 21h.

Uma das produções televisivas mais premiadas e assistidas da atualidade, Grey’s Anatomy é transmitida em mais de 250 países, reconhecida recentemente pelo People’s Choice Awards como a série favorita de 2020. No Brasil, de acordo com um levantamento realizado pelo Google Trends, a obra de Shonda Rhimes foi a série mais pesquisada do ano passado.

Grey´s Anatomy retorna ao Sony Channel, casa dos grandes dramas médicos, após um ano difícil em que Meredith Grey (Ellen Pompeo) ficou entre a vida e a morte, enquanto todos no hospital lutavam para salvar vidas em meio a pandemia. No primeiro episódio da nova temporada, Bailey (Chandra Wilson) parece decidida a contratar novos médicos, mas está tendo problemas para encontrar opções viáveis. Owen (Kevin McKidd) e Teddy (Kim Raver) tentam dar o próximo passo em seu noivado, e Meredith tem uma oportunidade surpreendente ao conhecer um médico do passado de sua mãe.

Grey’s Anatomy – 18ª temporada
Classificação indicativa: 14 anos
#GreysNoSony
Terças, às 21h – Episódios inéditos a partir de 25 de janeiro de 2022
Sony Channel nas principais operadoras:
SD – Claro: 133 / SKY: 137 || HD – Claro: 633 / SKY: 537 / Vivo: 91, 847, 641 / Oi: 45

Streaming Watch Brasil disponibiliza a série de drama Your Honor 

Lançado no ano passado, o drama conta com o regresso de Bryan Cranston, ator principal de Breaking Bad

Your Honor chega ao Wathc Brasil. (Foto: Skip Bolen/SHOWTIME)

Lançado em dezembro, a série Your Honor, muito bem avaliada pelos telespectadores, já está disponível no streaming brasileiro Watch Brasil. O lançamento traz, depois de anos, o regresso de Bryan Cranston, o personagem principal e icônico de Breaking Bad. A série gira em torno da história de uma família que vive em Nova Orleans, o pai, Michael Desiato, é juiz e muito respeitado na cidade, e seu filho adolescente, Adam, acaba cometendo um crime sem intenção. Adam atropela uma pessoa e foge da cena do crime, sem prestar socorro ou nenhuma assistência para a vítima. 

Desesperado, o jovem chama seu pai para ajudá-lo e para resolver o ocorrido. Qualquer pai faria de tudo para proteger seu filho, porém, a vítima do acidente é conhecida da família, e para piorar, é o primogênito de um mafioso famoso que vive na cidade. Para resolver, sem que ninguém saiba, o crime do filho, o juiz acaba se envolvendo em uma trama perigosa de mentiras, trapaças, esquemas e perigo. 

A série conta com as atuações de Bryan Cranston, Hunter Doohan, Lilli Kay, Michael Stuhlbarg e Hope Davis e foi criada por Peter Moffat. A primeira temporada já está disponível na Watch Brasil, para assistir basta acessar a plataforma e clicar no conteúdo no site https://watch.tv.br/.

NOVA TEMPORADA COMPLETA DO DRAMA “IMPUROS” CHEGA COM EXCLUSIVIDADE AO STAR+ EM 31 DE AGOSTO

INDICADA AO PRÊMIO EMMY® INTERNACIONAL PELO PAPEL DO PROTAGONISTA RAPHAEL LOGAN, A FICÇÃO BASEADA EM CASOS REAIS DOS ANOS 90 RETRATA O CRESCIMENTO DO TRÁFICO DE DROGAS NO RIO DE JANEIRO

(Foto: divulgação)

Star+, o novo serviço de streaming da The Walt Disney Company Latin America voltado para o público adulto que chega ao Brasil no dia 31 de agosto, apresenta a terceira temporada de “Impuros”, série dramática de sucesso do selo Star Original Productions, totalmente desenvolvida no Brasil e realizada pela Barry Company.

A nova temporada, que estreia junto com o lançamento da plataforma, é protagonizada por Raphael Logam (Homens), Rui Ricardo Diaz (Lula, filho do Brasil; Rua Augusta; Gonzaga de pai pra filho), Cyria Coentro (Entre Irmãs), Lorena Comparato (Boca de ouro; Homens; Cine Holliúdy), André Gonçalves (Nada a perder), Sergio Malheiros (Alto Astral) e Leandro Firmino (Cidade de Deus); e dá continuidade à história do narcotraficante Evandro do Dendê (Raphael Logam) e do policial Victor Morello (Rui Ricardo Diaz), que enfrentarão novos conflitos pessoais, familiares e criminais no contexto da guerra do tráfico de drogas na América Latina.

Como nas temporadas anteriores, a aclamada série promete cativar os fãs com uma trama envolvente, personagens complexos e emocionantes, abordando questões atuais da região através da ficção.

Dirigida por René Sampaio (Faroeste Caboclo; Eduardo e Monica) e Tomás Portella (4×100), a produção é escrita por Alexandre Fraga, Debora Guimarães, Gabriel Maria, Rafael Spínola, Victor Rodrigues e Tomás Portella e conta com a produção executiva de Romulo Marinho e Juliana Funaro.

O que esperar da nova temporada?

Os dez novos episódios de Impuros, com duração de 45 minutos cada, mostram Evandro e sua família indo para o Paraguai, onde o traficante expande seu negócio vendendo armas para facções criminosas no Brasil, enquanto continua a lutar pela atenção de sua mãe Arlete (Cyria Coentro). Além disso, a filha de Morello vive uma paixão proibida, confrontando o policial com um dilema: autorizar o romance que mantém a filha longe da cocaína ou intervir, usando o namorado como informante para aproximá-lo de seu maior rival. No primeiro episódio da nova temporada, Evandro é encurralado pela polícia em sua casa e é obrigado a proteger sua família e fugir, mas terá que lidar com novos inimigos após a morte da família Urquiza.

Além de marcar o retorno dos personagens de Evandro e Arlete, os novos episódios reúnem o público com Geise (Lorena Comparato), a mulher de Evandro e mãe de seu filho; Salvador (André Gonçalves), eterno rival de Evandro; Wilbert (Sergio Malheiros), o traficante do Morro do Dendê; Afonso (João Vitor Silva, Verdades Secretas), amigo de infância de Evandro e ex-capitão do Segundo Exército sob a identidade de Tabuada; Inês (Karize Brum, A cara do Pai), filha de Morello; Hermes (Peter Brandão, Babilônia), o braço direito de Evandro; Neves (Cesar Troncoso, O Banheiro do Papa) o traficante paraguaio e Pilar (Julieta Zylberberg, Minha Amiga do Parque), a competente policial internacional. A nova temporada, por sua vez, apresenta Navarro (Nicolás Furtado, El Marginal –  O Cara de Fora), um traficante boliviano que representará uma nova grande ameaça para Evandro.

A nova temporada completa de Impuros chega exclusivamente no Star+ como parte de sua robusta oferta de conteúdo original de alta qualidade criado para a América Latina, incluindo histórias localmente relevantes em uma grande variedade de gêneros para o público adulto. A primeira e a segunda temporadas da série também estarão disponíveis na íntegra para todos os assinantes em 31 de agosto.

NEW AMSTERDAM: O QUE ESPERAR DA TERCEIRA TEMPORADA?

Exibido exclusivamente no STAR Life, no Brasil, os novos episódios vão ao ar às quartas-feiras no canal. Na nova temporada, Dr. Max Goodwin e sua equipe precisam enfrentar os desafios da pandemia, de suas vidas pessoais e do sistema de saúde dos EUA

New Amsterdam, (Foto: divulgação)

No último dia 11 de agosto, o STAR Life estreou com exclusividade no Brasil os dois primeiros episódios da terceira temporada do drama médico “New Amsterdam”. Com exibição semanal às quartas-feiras, às 22h30, a série continua acompanhando o brilhante e encantador Dr. Max Goodwin (Ryan Eggold, Blacklist), que luta para romper as velhas estruturas e voltar a atenção aos pacientes, enquanto tenta equilibrar sua vida profissional e pessoal.

A nova temporada conta com 14 episódios, em que vemos a dedicação de Max e sua equipe em consertar o sistema de saúde quebrado. Entretanto, todos os planos são colocados à prova em meio aos desafio únicos e esmagadores de uma pandemia global. Porém, não importa os obstáculos que enfrentem, estes médicos heróis permanecem esperançosos e comprometidos em revolucionar a área da saúde, um paciente por vez.

Confira abaixo temas que serão abordados na nova temporada!

CUIDADO! O TEXTO ABAIXO TEM SPOILERS

New Amsterdam (Foto: divulgação)

COVID-19 E O SISTEMA DE SAÚDE

A pandemia de Covid-19 é um dos temas que permeiam e tem grande impacto na nova temporada de “New Amsterdam”. Durante os episódios da série vemos o impacto da pandemia no primeiro hospital público dos Estados Unidos, tanto na vida dos pacientes quanto dos médico que ali trabalham. Além da pandemia, os médicos têm que enfrentar a desigualdade do sistema de saúde americano que afeta a vida da população mais precária. 

ROMANCE
Uma principal incógnita buscada pelos fãs é se Max e a Dra. Helen Sharpe (Freema Agyeman) finalmente ficarão juntos. Existe uma química entre eles desde a primeira temporada, só que sempre existiu empecilhos para que o romance acontecesse. Agora, com a chegada do Dr. Cassian (Daniel Dae Kim ) há especulações de que um clima poderá rolar entre o novo médico e Helen. Será que mais uma vez o casal formado por Max e Sharpe não irá acontecer?

VIDA PESSOAL E PROFISSIONAL

Nos novos episódios, Max tenta se recuperar da recente morte de sua esposa, enquanto tem que balancear suas responsabilidades como pai solteiro e diretor do hospital. Os outros médicos do hospital também terão que balancear sua vida pessoal e profissional, já que Lauren Bloom (Janet Montgomery) reencontra com sua mãe, Iggy Frome (Tyler Labine) luta para aceitar sua imagem, Vijay Kapoor (Anupam Kher) ganha um neto.

NÃO AO RACISMO

Outro tema (importantíssimo, diga-se de passagem) que foi retratado na nova temporada de “New Amsterdam” é o racismo. Em um dos novos episódios, Max fará de tudo para acabar com qualquer atitude racista dentro do hospital.

STAR LIFE APRESENTA EXCLUSIVAMENTE A TERCEIRA TEMPORADA DE “NEW AMSTERDAM”

A nova temporada estreou na quarta-feira, 11 de agosto, às 22h30 com episódio duplo, no canal. Nos novos episódios, Dr. Max Goodwin e sua inspiradora equipe voltam para revolucionar o sistema de saúde, enfrentando os impressionantes desafios de uma pandemia

(Foto: divulgação)

Na quarta-feira, 11 de agosto, às 22h30 chegou ao STAR Life a terceira temporada de New Amsterdam com episódio duplo de estreia. O drama emocional inspirado no hospital público mais antigo dos Estados Unidos acompanha o novo diretor médico da instituição, o brilhante e encantador Dr. Max Goodwin (Ryan Eggold, Blacklist), que chega para romper com as velhas estruturas e voltar a atenção aos pacientes, enquanto tenta equilibrar sua vida e superar seus demônios pessoais.

Sem aceitar um “não” como resposta, o Dr. Goodwin deverá mudar o status quo e mostrar que não parará por nada, e junto com sua inspiradora equipe de médicos e enfermeiras, tentará romper a burocracia do estabelecimento e sacudi-la por completo, para fornecer o melhor atendimento possível aos pacientes e, assim, restaurar a glória e dar uma nova vida a este hospital único.

Na terceira temporada, composta por 14 episódios, a dedicação de Max e sua equipe em consertar o sistema de saúde quebrado é posta à prova em meio aos desafio únicos e esmagadores de uma pandemia global. Porém, não importa os obstáculos que enfrentem, estes médicos heróis permanecem esperançosos e comprometidos em revolucionar a área da saúde, um paciente por vez.

Enquanto isso, a equipe de Max também deverá passar por suas próprias jornadas pessoais: as mudanças profissionais de Helen Sharpe (Freema Agyeman, Law & Order), o reencontro de Lauren Bloom (Janet Montgomery, Salem) com sua mãe, a saída de Floyd Reynolds (Jocko Sims, Masters of Sex), a luta de Iggy Frome (Tyler Labine, Deadbeat) para aceitar sua imagem e a chegada do neto de Vijgy Kappor (Anupam Kher, Silver Linings).

Além disso, o Dr. Goodwin deve suportar a tristeza pela recente morte de sua esposa, suas responsabilidades como pai solteiro e a doença que ainda vagueia no seu espelho retrovisor. “Como posso ajudar?” não é apenas o bordão de Max, é sua razão de viver, e enquanto ele estiver ajudando os outros, ele poderá encontrar esperança nos lugares mais desolados.

New Amsterdam é inspirada nas memórias do Dr. Eric Manheimer Doze Pacientes: Vida e Morte no Hospital Bellevue e seus 15 anos como diretor médico do hospital. Peter Horton e David Schulner são os produtores executivos da série ao lado de Michael Slovis, David Foster, Aaron Ginsburg e Shaun Cassidy.