Arquivo da tag: Escritora

J.K Rowling lança nova história original com capítulos disponíveis online e gratuitamente para crianças em isolamento social

(Foto: Site The Ickabog)

J.K. Rowling anunciou na última terça-feira, 26 de maio, em seu site (www.jkrowling.com) e nas suas redes sociais a publicação online e gratuita de O Ickabog, obra escrita há mais de dez anos como uma história de ninar para seus filhos mais novos. Rowling decidiu compartilhar a história favorita de sua família para ajudar a entreter crianças, pais e cuidadores confinados em casa durante o isolamento social provocado pelo Coronavírus.

A história foi lançada às 11h (no horário de Brasília) e dois dos primeiros capítulos já foram publicados no site www.theickabog.com. Serão 34 capítulos no total, publicados todos os dias úteis da semana até 10 de julho. Escrito para ser lido em voz alta, O Ickabog é um conto de fadas ambientado em uma terra imaginária. É uma história independente, não relacionada a qualquer outra obra de J.K Rowling e vai agradar crianças e jovens, assim como toda a família. A história será traduzida para outros idiomas e disponibilizada no site logo após a estreia da versão em Inglês.

Em novembro de 2020, O Ickabog será publicado nas versões impressa, e-book e audiolivro. J.K. Rowling irá ceder os royalties das vendas do livro a projetos e organizações que ajudam os grupos mais afetados pela COVID-19 – mais detalhes serão anunciados posteriormente.

Para que as crianças se envolvam enquanto a história se desenrola, J.K. Rowling convida pequenos e jovens artistas a ilustrar o enredo e seus vívidos personagens. Os pais e responsáveis são convidados a submeter as artes de seus filhos em uma competição oficial de ilustrações realizada pelas editoras que publicam J.K Rowling em todo o mundo. Os desenhos escolhidos em cada país irão ilustrar o livro publicado em seus territórios. A competição tem lançamento hoje no Reino Unido, Irlanda, Austrália, Nova Zelândia, Índia, EUA e Canadá e, em breve, será lançada nos demais países, em uma colaboração verdadeiramente internacional entre a autora e jovens artistas de todo o mundo. J.K. Rowling não fará parte do processo de seleção, mas fará sugestões de cenas e personagens a serem desenhados diariamente durante a publicação dos capítulos online.

Usando a hashtag #TheIckabog, as crianças (ou pais/responsáveis no caso das crianças menores de 13 anos) são incentivadas a postar pinturas e desenhos nas redes sociais. J.K. Rowling poderá aparecer no Twitter ocasionalmente para comentar algumas de suas ilustrações favoritas. Uma seleção de imagens também será publicada em uma galeria no site de O Ickabog.

Mais informações sobre a história, seus capítulos e links para as competições de ilustração podem ser encontradas em www.theickabog.com.

J.K. Rowling apresenta sua história em www.jkrowling.com/j-k-rowling-introduces-the-ickabog/

“A ideia para O Ickabog me ocorreu enquanto eu ainda escrevia Harry Potter. Escrevi a maior parte do primeiro rascunho entre meus intervalos nos livros da série com a intenção de publicá-lo depois de Harry Potter e as Relíquias da Morte.

No entanto, após o último livro de Potter, eu quis fazer uma pausa nas publicações, o que acabou durando cinco anos. Naquela época, escrevi Morte Súbita, sob o pseudônimo de Robert Galbraith, escrevi O Chamado do Cuco (The Cuckoo’s Calling). Depois de um pouco de hesitação (e também após o meu paciente agente registrar The Ickabog – desculpe, Neil), decidi que queria me afastar dos livros infantis por um tempo. Foi assim que o primeiro rascunho de O Ickabog subiu para o sótão, onde permaneceu por quase uma década. Com o tempo, passei a pensar nele como uma história que pertencia aos meus dois filhos mais novos, porque eu lia para eles à noite quando eram pequenos, o que sempre foi uma lembrança feliz da família.

Algumas semanas atrás, durante o jantar, considerei timidamente a ideia de tirar O Ickabog do sótão e publicá-lo gratuitamente para crianças em isolamento social. Meus filhos, agora adolescentes, ficaram emocionados e entusiasmados com a ideia. Então a caixa empoeirada com os rascunhos desceu as escadas e, nas últimas semanas, estive imersa em um mundo fictício que nunca imaginei visitar novamente. Enquanto trabalhava para terminar o livro, comecei a reler os capítulos todas as noites para a família. Essa foi uma das experiências mais extraordinárias da minha vida de escritora, pois os dois primeiros leitores do Ickabog me contaram do que se lembravam quando eram pequenos e exigiram a reposição das partes que mais gostavam (e eu obedeci).

Acho que O Ickabog funciona como série porque foi escrito como um livro para ser lido em voz alta (talvez tenha sido moldado inconscientemente pelo modo como o li para meus próprios filhos), mas é adequado para que crianças de 7 a 9 anos leiam sozinhas.

Postarei um capítulo (ou dois ou três) todos os dias úteis entre 26 de maio e 10 de julho no site do Ickabog. Planejamos publicar algumas traduções em breve, inclusive em português, e divulgaremos mais detalhes no site quando estiverem disponíveis.

O Ickabog é uma história sobre a verdade e o abuso de poder. E para evitar uma pergunta óbvia: a ideia me surgiu há mais de uma década, por isso não tem a pretensão de ser lida como uma resposta a qualquer coisa que esteja acontecendo no mundo neste momento. Os temas são atemporais e podem se aplicar a qualquer época ou país.

Ao decidir publicar, pensei em como seria maravilhoso se as crianças confinadas ou que precisassem de distração durante este tempo estranho e difícil que estamos vivendo ilustrassem a história para mim. Haverá sugestões sobre as ilustrações que precisamos para cada capítulo no site do Ickabog, mas ninguém deve se sentir limitado por essas ideias. Eu quero ver a imaginação correr solta! Criatividade, inventividade e empenho são as coisas mais importantes: não estamos necessariamente procurando a habilidade mais técnica!

Em novembro de 2020, O Ickabog será publicado em inglês nos formatos impresso, e-book e audiolivro, seguido pelas edições em outros idiomas. Os melhores desenhos de cada território serão incluídos nos livros publicados em seus respectivos países. Como os editores de cada local precisarão decidir quais imagens funcionam melhor para suas próprias edições, não julgarei pessoalmente as ilustrações. No entanto, se pais e responsáveis postarem o desenho de seus filhos no Twitter usando a hashtag #TheIckabog, poderei compartilhar e comentar! Para saber mais sobre o concurso de ilustrações, acesse o site The Ickabog quando for lançado em seu território.

Prometo ceder todos os direitos autorais de O Ickabog, quando publicado, para ajudar grupos particularmente afetados pela pandemia da Covid-19. Mais detalhes estarão disponíveis no final do ano.”

Chapeuzinho Vermelho como você nunca viu

Jovem escritora brasileira surpreende ao fazer releitura do clássico da literatura. Sob a Capa Vermelha, de Mariana Vitória, traz uma Chapeuzinho mitológica e medieval

Imagine uma menina com uma capa vermelha. Qual personagem vem primeiro à sua cabeça? A resposta é um tanto óbvia: Chapeuzinho Vermelho. Agora, já parou para pensar como seria este clássico da literatura se a garota fosse uma adolescente e vivesse na era medieval? Com uma trama envolvente, Mariana Vitória reuniu mitologia com fantasia e criou a surpreendente releitura: Sob a Capa Vermelha, obra do gênero young adults – ou jovens adultos, publicada pela Galera Record.

O livro conta a história de Norina, que inicia uma jornada sombria ao viajar para o outro lado do mundo com o objetivo de salvar a sua mãe Ros. A personagem sempre temeu os “Indomados”, mesmo sem nunca ter saído de casa e visto um deles. Apesar disso, precisará sair em uma missão em busca de sua mãe.

Galera lança livro de Mariana Vitória. (Foto: Divulgação)

Nor (Norina) terá que se passar por uma princesa que está morta chamada Rhoesemina, garota que dada como desaparecida pela família. A proposta foi feita pela vilã Viira – também chamada de Rainha das Rainhas – que pretende usar essa esperança para o seu bem e encontra na inocência de Nor a peça que faltava para o seu plano.  Em troca, a protagonista terá a sua mãe de volta, caso leve a filha de Viira para casar com o príncipe de Gizamyr.

Esta fantasia épica é repleta de intrigas, aventuras, traição e romance. Um prato cheio para os fãs de livros ao estilo de Game of Thrones, inclusive a obra foi comparada ao clássico mundial por se tratar de um romance medieval, com lugares, idiomas, reinos e povos criados pela autora para dar vida ao livro.

“Não podia esquecer as coisas que vira dentro dela, a saudade, o sofrimento e o amor que sentia, tão intenso que machucava. Era verdade que teria preferido uma vida como a dela (…) mas havia aprendido a amar as quatro paredes de casa, de um modo ou de outro, e por isso era grata.” Sob a Capa Vermelha – pag. 128

A forma criativa que Mariana conta a história de Norina e Ros condiz com seu perfil jovem. A escritora conquistou o concurso “Sua história nos dez anos da Galera”, feito em comemoração aos dez anos da Galera Record, da editora Record.

Ficha técnica:
Título: Sob a Capa Vermelha
ISBN: 978-8501115027
Editora: Galera Record
Formato: 22,6 x 15,2 cm
Páginas: 364
Preço: R$ 41,70/E-book R$ 17,94

Estrelando Mônica Martelli, Arezzo lança campanha #ArezzoEssenciais

Nesse inverno, o que é essencial para você?

Arezzo apresenta coleção ESSENCIAS com peças que se destacam pela sua versatilidade em versões ainda mais incríveis. Os clássicos se renovam e se convertem em peças-chaves e atemporais para os looks do dia a dia.

Pensando nisso, a marca selecionou cinco sapatos que tenha o seu DNA e convidou Mônica Martelli para interpretar cinco personagens diferentes: Cientista, Astróloga, Escritora, Executiva e Personal Trainer, representando o que é essencial na vida de cada uma delas.

Nessa coleção a Arezzo explorou seus clássicos modelos em versões reinventados: sejam os scarpins ou as sandálias que são essenciais para quem gosta de se sentir elegante, o tênis essencial para quem prioriza o conforto, o salto bloco para quem não abre mão da tendência, e até mesmo as sapatilhas que são perfeitas para a rotina agitada sem deixar o estilo de lado.

#ArezzoEssenciais já está disponível para todo o Brasil nos pontos de venda da Arezzo e no site da marca.

#EuAchoQueVocêÉMuitoDoidoSim

A artista sensação do Instagram, Nath Araújo ensina como ser você mesmo em obra publicada pela Editora Planeta

Se parar para analisar todas as suas vontades e ideias mais secretas, por exemplo, gostar de leite com manga (isso pode dar muito ruim!), achar que a vida se resolve com um GIF da Gretchen, tentar enganar a própria sombra e até tentar mover objetos com a mente, certamente vai chegar à conclusão de que sua vida, e talvez você, sejam na verdade muitos loucos. E também: muito normais!

Fato é: todo mundo é um pouco “estranho” e todos nós gostaríamos de ser bizarros do nosso jeitinho. Mas como?

Pensando nisso, a Nath Araújo, mineira que virou febre na internet com as séries de desenhos “Quem é você no Instagram” e “Zodíaco da Nanaths”, e conquistou seguidores como, Bruna Marquezine, Grazi Massafera, Maria Casadevall e Manu Gavassi, resolveu ilustrar vontades, angustias e situações pelas quais as novas gerações passam em “Eu acho que você é meio doido, sim”. Publicada pelo selo Outro Planeta, da Editora Planeta, a obra contém tirinhas e ilustrações sobre esquisitice, ansiedade, autoestima e amor-próprio; testes e relatos pessoais da autora que ensina como um meme da Gretchen é capaz de resolver tudo!

Com mais de 400 mil fãs e muito bom humor a jovem que vê seus textos e desenhos viralizarem com frequência abordando questões existenciais de forma poética, sarcástica, divertida e lúdica, agora traz também para a literatura sua irreverência. Com uma linguagem bem moderna, Nath elaborou um mix de textos, ilustrações e reflexões que acabam por abrir mais um pouco do mundo e da intimidade da artista para os seus fãs e leitores com o objetivo de fazer com que eles mantenham sempre sua essência. Ela ainda garante que para sonhar é preciso pensar fora da caixinha, sim. E não adianta questionar se seus sonhos são muito doidos e sim se você é muito louca (o) para concretizá-los.

Biografia de David Bowie revela o homem por trás dos personagens

Obra da jornalista e escritora Wendy Leigh, “Bowie” narra a história do artista desde a infância em Brixton até o derradeiro álbum

Wendy Leigh lança, através do Grupo Editorial Record, a biografia de David Bowie. (Foto: Divulgação)
Wendy Leigh lança, através do Grupo Editorial Record, a biografia de David Bowie. (Foto: Divulgação)

Muito já se falou sobre o quanto David Bowie revolucionou a música, a arte, o comportamento e a moda desde que seu primeiro sucesso, “Space Oddity”, veio ao mundo. Os espectadores se acostumaram a vê-lo em diferentespersonas, fosse Ziggy Stardust, Thin White Duke ou Alladin Sane. Mas sua vida pessoal não costumava ganhar tantos flashes. Isso ficou muito claro em janeiro de 2016, quando Bowie morreu, aos 69 anos, três dias depois de lançar seu último álbum, surpreendendo os fãs que não tinham ideia do câncer contra o qual o artista lutava há mais de um ano.

Em “Bowie”, biografia que a BestSeller lança em maio, a jornalista e escritora Wendy Leigh se dedica a revelar o homem por trás dos personagens. Tendo como base um imenso trabalho de pesquisa e dezenas de entrevistas com amigos, parceiros musicais, ex-namoradas, ex-amantes e fãs, ela conta os bastidores da vida de Bowie, desde a infância em Brixton, no sul de Londres, até o lançamento de “Blackstar”, seu derradeiro disco.

O texto revela a complicada relação com sua mãe, o apoio que recebeu do pai para lançar-se na carreira artística, sua vida sexual intensa e o talento para quebrar tabus, além do problema com as drogas e o casamento com Iman, sua mulher por 24 anos. A obra mostra a jornada de Bowie para tornar-se um dos artistas mais icônicos dos séculos 20 e 21, e ainda fornece detalhes de sua personalidade: da enorme criatividade à também gigantesca ambição, da rebeldia a seu lado mais doce.

O livro tem capa com tratamento metalizado e traz um encarte com fotos de diversos momentos da vida de Bowie: com a famíila, amigos, a primeira esposa, Angie, e alguns de seus icônicos figurinos.