Arquivo da tag: Filme brasileiro

ALEMÃO 2, DIRIGIDO POR JOSÉ EDUARDO BELMONTE, E PRODUZIDO PELA RT FEATURES, LANÇA TEASER INÉDITO

Filme, que tem no elenco Gabriel Leone, Vladmir Brichta e Leandra Leal, chega aos cinemas em 31 de março

Sequência do sucesso de 2014, ALEMÃO 2 lançaum teaser nessa quarta-feira. Com uma montagem de diversas manchetes de telejornais, o teaser situa o público nos 9 anos que passaram desde a ação do primeiro filme, e depois mostra em ação alguns dos principais personagens do novo longa. Produzido pela RT Features, e, novamente, com direção de José Eduardo Belmonte, o filme chega aos cinemas de todo o país no dia 31 de março, com distribuição Manequim, novo selo da Vitrine Filmes dedicado a longas de grande alcance de público.

Vladmir Brichta, Gabriel Leone e Leandra Leal são os protagonistas do longa no papel de policiais civis, cuja missão é capturar o traficante Soldado (Digão Ribeiro), que domina o morro depois da falência das UPPs – Unidade de Polícia Pacificadora. A trama se passa nove anos depois da ação militar que visava acabar com presença do tráfico no Complexo do Alemão.

Graças a pistas dadas por um informante, Bento (Danilo Ferreira), a prisão acontece, sob o comando da delegada Amanda (Aline Borges). Porém, o grupo sofre uma emboscada, planejada pelo chefe da facção rival, e é ser perde nas vielas do morro enquanto é perseguido por traficantes.

Uma das motivações para ALEMÃO 2 veio pela possibilidade de aprofundamento do tema, com maior tempo de maturação. À época da produção do primeiro longa, o debate sobre a eficácia das UPPs ainda estava sendo travado, com as primeiras vozes dissonantes ao que consideravam o modelo recém-implantado como uma panaceia para o problema crônico da violência no Rio de Janeiro. Tentei trazer esse tema, de forma mais articulada e aprofundada, sem perder as características do gênero cinematográfico ao qual ALEMÃO 2 consegue se filiar mais que o primeiro: é um filme policial, é um filme de ação”, explica o diretor.

O roteiro do filme é assinado por Thiago Brito e Marton Olympio (“Sequetro Relâmpago” e a série “Cidade dos Homens”), o filme fez sua estreia mundial no Festival do Rio, em dezembro passado. ALEMÃO 2 também traz no elenco Zezé Motta, Mariana Nunes, Demick Lopes e Ricardo Gelli. Coproduzido pela Fox Filmes, tem produção executiva de Marília Garske e Mariana Coelho, direção de produção de Flavia Rosa e Sílvia Sobral, fotografia de Fabrício Tadeu, som de Gabriela Bervian maquiagem de Luiz Gaia, direção de arte de Ana Paula Cardoso e figurino de Kika Lopes.

ALEMÃO 2 será lançado no Brasil pela Manequim Filmes.

No complexo do Alemão, o policial civil Machado e seus comandados, Ciro e Freitas, executam uma missão secreta: a prisão de um grande líder do tráfico de drogas. Supervisionados pela delegada Amanda e seguindo as pistas de um informante, a ação sofre uma emboscada. Foragidos, os policiais são caçados por traficantes. Enquanto isso, no centro de operações, Amanda conduz uma investigação sobre o ocorrido e orienta o grupo a sair do Alemão com vida.

PROTAGONIZADO POR MONICA IOZZI, MAR DE DENTRO FAZ UM RETRATO HUMANIZADO DA MATERNIDADE

Exibido na Mostra Internacional de São Paulo e no festival Cine de las Americas, filme chega aos cinemas em 7 de abril

(Foto: divulgação)

Mais de uma década atrás, quando começou a pensar no longa que viria a ser MAR DE DENTRO, a diretora e corroteirista Dainara Toffoli foi questionada inúmeras vezes se a maternidade, em si, daria um filme. “Queriam saber qual seria a trama, qual seria a grande história. Para a maioria das pessoas, falar sobre maternidade não seria suficiente. Foram muitos anos para conseguir o financiamento. Percebi que a maternidade real, não idealizada, era um tema tabu. Mas eu precisava falar sobre isso e tinha uma intuição forte de que as mulheres iriam se identificar. Não é à toa que a Eliane Ferreira, produtora do filme, é mulher e mãe. Desde o início, sentíamos a mesma urgência. E esta parceria foi muito importante para que não desistíssemos depois dos inúmeros nãos.”

O longa chega aos cinemas em 7 de abril, com distribuição da Califórnia Filmes e produzido pela Muiraquitã Filmes em coprodução com a Elástica Filmes e o Telecine.

Protagonizado por Monica Iozzi, MAR DE DENTRO tem como personagem central Manuela, uma mulher independente e bem sucedida, que descobre uma gravidez não-planejada. Uma série de problemas emergem, até que a maternidade se concretiza em sua vida, e ela descobre que terá de aprender como ser mãe, mesmo sem gostar da maternidade.

Monica, cada vez mais se destacando como atriz e surpreendendo quem a conhece apenas da comédia aponta MAR DE DENTRO como um começo em busca de outros gêneros em sua carreira. “Quem me conhece da novela na televisão nunca me viu nesse outro registro. Então deverá ser uma surpresa pra quem me acompanha. Mas acho que devo deixar claro que gosto sim de fazer humor, que sou muito grata a tudo que o humor me proporcionou até agora.” 

Para a atriz, o fato de ser uma história que mostra uma mulher que vive uma situação limite a atraiu muito para o projeto. “Mas o primeiro ponto que me chamou a atenção é que a Manu não tem o perfil que estamos acostumados a ver das mulheres. Ela é uma mulher realmente que adora o trabalho, que é bem sucedida e muito exigente. E ela também tem uma relação livre com um cara e está tudo bem com isso também. Então, me atraiu muito poder mostrar uma mulher assim com um olhar mais contemporâneo.”

Dainara, que assina o roteiro com Elaine Teixeira, acredita que há muita solidão e, até mesmo, um luto na maternidade. “Chegamos do hospital com um bebê no colo e uma dura e solitária rotina desaba sobre nossas cabeças. Para a sociedade, a mulher grávida ou com criança pequena é um certo fardo destituído de suas antigas capacidades. Assim, quando a mulher decide ter um filho, ela precisa saber que é uma rotina que vai enfrentar, na maior parte das vezes, sozinha. A licença paternidade é de cinco dias. Um bebê exige 24 horas de atenção. Ter um filho custa caro e não há uma rede de apoio. Quando vemos, estamos tentando dar conta de tudo e abrindo mão das nossas aspirações. Com tanta idealização, o que sobra para a mulher é cobrança, cansaço e um sentimento de culpa constante.”

A produtora Eliane Ferreira aponta que MAR DE DENTRO traz uma outra visão sobre a maternidade, comumente romantizada no cinema. “Ou é a maternidade excessivamente idealizada, em que o filme normalmente acaba quando o filho nasce. É a realização de ser mãe, ‘pronto, consegui, sou feliz para sempre’. Ou é algo retratado totalmente fora do padrão, problemática. Mas acredito que esta repetição de abordagem possa ter a ver com o fato de o cinema ter sido feito, por muito tempo, majoritariamente por homens. O olhar masculino sempre foi tão dominante que, mesmo para as mulheres que fazem cinema, talvez falar sobre maternidade desta forma realista como fazemos em aqui, ou em outras abordagens de outros projetos de cinema, poderia parecer fragilidade.”

Dainara acrescenta que, esta suposta fragilidade não condiz com a realidade. “Na verdade, a maternidade é de uma potência enorme. Por isso, quis mostrar o puerpério, algo absolutamente do espaço da mulher e dos homens trans sobre o qual falta reflexão. Hoje se fala do puerpério, mas esta é uma palavra muito nova na nossa cultura. Ser mãe é virar bicho. Peito inchado, melecado e vertendo leite. Exaustão. Fadiga. Aquela sensação constante de se ver como a vítima em um filme de vampiro: sugada e insone. É horrível e, pode ser, belo ao mesmo tempo,” completa ela.

O equilíbrio entre força e doçura é uma das chaves da narrativa de “Mar de Dentro”. Ainda que a situação financeira de Manuela seja confortável, ao encarar a maternidade praticamente sozinha em uma cidade que mais isola do que une as pessoas, ela vive um processo crucial de autodescoberta. Em vez de romantizado, o processo de se tornar mãe é visto com humanidade e com todas as contradições que ele traz.

Mônica aponta que há uma pesquisa que revelou que aproximadamente 47% das mulheres são demitidas ou então acabam perdendo posições na hierarquia do trabalho nos dois anos seguintes à maternidade. “É justamente em tudo isso que Mar de Dentro dá uma pincelada.”

A diretora ressalta que em seu filme, além da maternidade em si, está discutindo outras questões relacionadas ao tema, como a vida profissional da mulher que acaba de ter um filho, ou o desejo e o prazer feminino. “Este é um filme de mulheres. Há dez anos ninguém falava sobre isso. Tateamos um lugar que depois se tornou mais que um assunto, virou uma luta. Foi um processo duro, mas recompensador”, finaliza.

Monica, por sua vez, acrescenta que, apesar de ter a mulher e assuntos relacionados com ela, ao centro, MAR DE DENTRO é um filme que deve ser visto também pelo público masculino. “Há alguns temas que são difíceis de interessar aos homens porque para a grande maioria são questões que pertencem ao universo feminino única e exclusivamente. Há a velha questão do pai que é um puta paizão se ele troca uma fralda ou a do ‘meu marido é ótimo, ele me ajuda tanto.’ Mas acho também que tem uma coisa que talvez esse filme consiga furar um pouquinho, que é essa bolha. Isso porque realmente não é uma história que vai na linha de ‘que linda a maternidade’. Tem outras questões.

O ator Rafael Losso, que interpreta o principal personagem masculino do filme, destaca a importância de ter uma diretora mulher à frente dessa história. “Pensando na história do cinema, quantos homens não quiseram contar ou contaram histórias de mulheres? E receberam prêmios por isso. Ou quanto a gente já não roubou histórias que, na verdade, deveriam estar sendo contadas por mulheres. As mulheres têm o direito de fazer o que elas quiserem. Pensando em MAR DE DENTRO e na vivência da Dainara, pensando também em outras mulheres, um diretor poderia contar a história da Manuela, mas não da forma como ela conta. Foi um prazer trabalhar com ela.

Desde sua estreia na Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, o filme recebeu diversos elogios. José Geraldo Couto, no site do Instituto Moreira Salles, escreveu que o longa tem “narrativa eficiente […] que faz aflorar questões sobre o lugar da mulher numa sociedade machista.” Isabel Wittmann, em Estante da Sala, diz que “O ponto forte do filme está nos pequenos detalhes: nas rotinas, nas descobertas, nas delicadezas, na forma como mostra como cada pessoa tem um palpite, mas, no final, o que resta é a solidão da mãe e suas escolhas, ainda que em um contexto tão privilegiado. MAR DE DENTRO não romantiza a maternidade, mas a trata com uma beleza melancólica.”

Luiz Zanin, de O Estado de S. Paulo, escolheu MAR DE DENTRO como um de seus longas favoritos do festival: “Um tratamento simples e honesto sobre a questão da maternidade. Em meio a muitas firulas e poucos resultados, o cinema brasileiro (pelo menos pela amostra apresentada), esse tipo de obra, que deseja se comunicar sem baratear suas ideias, merece ser destacado. É melhor que muito filme-cabeça pretensioso.”

Festas, crushes e muito axé: Carnaval está chegando à Netflix

 Quatro amigas em Salvador em pleno feriado de carnaval: um sonho não é mesmo? Prepare seu abadá para a maior folia do ano, pois Carnaval – nova comédia brasileira da Netflix – está chegando. Giovana Cordeiro vive Nina, aspirante a digital influencer que descobre a traição do namorado por um vídeo viralizado nas redes sociais. Em busca do seu primeiro milhão de seguidores e com muita vontade de se tornar famosa, a jovem consegue uma viagem para Salvador com tudo pago – a famosa permuta.   E ela não vai sozinha: ela terá ao seu lado as inseparáveis amigas Michele (GKay), Vivi (Samya Pascotto) e Mayra (Bruna Inocencio).

Enquanto Michele é a amiga sincerona e pegadora que não tem tempo pra perder, Vivi é a geek do grupo, experimentando as delícias da folia pela primeira vez longe dos seus games e séries. Já Mayra é a mais espiritualizada, amiga de infância da Nina e que vai precisar superar seus medos e ansiedades. Nessa jornada, todas vão descobrir que a individualidade de cada uma torna esse grupo tão inseparável.

Além das protagonistas, o elenco conta com Flavia Pavanelli no papel da influenciadora superstar Luana – inspiração para Nina e que vai ‘aconselhar’ a wannabe influenciadora na busca por mais seguidores e engajamento – e talentos arretados como Micael Borges, Jean Pedro, Nikolas Antunes e  Rafael Medrado. 

Carnaval é uma produção da Camisa Listrada em parceria com a Netflix, com argumento de Lipy Adler, roteiro de Audemir Leuzinger e Luisa Mascarenhas e direção de Leandro Neri, que também assina argumento e roteiro. O filme estreia dia 2 de junho na Netflix.

‘A Sogra Perfeita’, protagonizado por Cacau Protásio, ganha hoje cartaz e trailer

Paris Filmes anuncia a estreia do filme nos cinemas de todo o Brasil, com sessões a partir do dia 24 de dezembro

Com lançamento confirmado nos cinemas, o filme ‘A Sogra Perfeita’ ganha nesta sexta, 27 de novembro, cartaz e trailer oficiais. O longa foi rodado no ano passado, em São Paulo, com produção da Paris Entretenimento e direção de Cris D’Amato. A comédia conta a história de Neide, dona de um badalado salão no subúrbio. Livre e bem-sucedida, ela quer curtir a vida, mas não consegue porque um dos seus filhos, Fábio Júnior, ainda não saiu de casa e depende dela pra tudo. Então, para conquistar sua tão sonhada liberdade, ela vai ter que encontrar a nora perfeita. 

Com roteiro original de Flávia Guimarães e Bia Crespo, a produção marca a estreia de Cacau como protagonista ‘solo’ de um longa e a personagem foi escrita especialmente para a atriz. Rodrigo Sant´Anna faz o papel do cabeleireiro Eddy, solteiro, que quer ser chique e gasta todo o salário comprando roupas de marca em outlets. Também estão no elenco André Mattos, Luis Navarro, Evelyn Castro, Polliana Aleixo, Marcelo Laham, entre outros. O cantor Fábio Júnior, ídolo de Neide e que foi inspiração para o nome do filho dela, faz uma participação especialíssima no papel dele mesmo.

(foto: divulgação)

SINOPSE: Neide está chegando aos 45 anos e é dona do salão de beleza mais badalado do bairro, no subúrbio de São Paulo. Desde que se separou do marido encostado e colocou dois filhos na faculdade, ela sonha em aproveitar a vida de solteira. Paulo Ricardo é advogado e já saiu de casa, mas o outro, Fábio Junior, não dá nenhum sinal de que vai deixar a casa da mãe. Nerd e cheio de manias, ele adora os mimos da casa de Neide. A presença do filho marmanjo é a única coisa que separa Neide da sua tão sonhada liberdade. É aí que Neide cria um ambicioso plano: treinar uma funcionária do salão para se tornar a mulher perfeita para seu filho. A escolhida é Ciléia, moça simples e caipira que se interessa de verdade por Fábio Junior. Neide então faz tudo o que pode para transformar Ciléia e juntar o casal – mas acaba entrando numa confusão maior ainda!

‘Sai de Baixo – O Filme’ já está disponível em streaming

Divirta-se com a família mais trambiqueira do país

A tão esperada reunião da família mais louca do Largo do Arouche finalmente chegou à sua casa. A comédia “Sai de Baixo – O Filme”, que mistura piadas modernas com a nostalgia dos personagens que fizeram história na televisão nacional, estreia nesta terça-feira, 30 de abril, nas principais plataformas digitais de streaming do país: NOW, Looke, Google Play, iTunes, Vivo Play, Microsoft Store e Sky Play.

“Sai de Baixo – O Filme” chega ao streaming. (Foto: Divulgação)

Depois de passagem pelos cinemas, a produção marca a volta dos personagens icônicos da série “Sai de Baixo”, sucesso absoluto na televisão brasileira no final da década de 90. Endividado como sempre e trambiqueiro como nunca, Caco Antibes (Miguel Falabella) sai da prisão e planeja mais um golpe que envolve a família mais famosa do Largo do Arouche: Magda (Marisa Orth), Vavá (Luis Gustavo), Cassandra (Aracy Balabanian) e Ribamar (Tom Cavalcante).

Além dos nomes clássicos da série, novos personagens também vão acrescentar à bagunça. Lúcio Mauro Filho, Cacau Protásio, Katiuscia Canoro e Rafael Canedo completam o elenco, que também conta com participações especiais de Ingrid Guimarães, Daniel Filho, Tatá Werneck, entre outros.