Arquivo da tag: Geek Brasil

Fortnite com RTX ON! Ray Tracing chega a um dos jogos mais populares do planeta

NVIDIA e a Epic Games levam ao game visuais incríveis, NVIDIA DLSS e a nova tecnologia NVIDIA Reflex a milhões de jogadores

Ray Tracing chega ao Fortnite. (Foto: divulgação)

A NVIDIA e a Epic Games anunciam que Fortnite – um dos Battle Royale mais populares do mundo e fenômeno cultural com mais de 350 milhões de jogadores – está recebendo suporte ao Ray Tracing, à NVIDIA DLSS e a outras tecnologias inovadoras, tornando o game mais bonito e ainda melhor de jogar.

A novidade foi apresentada hoje como parte do evento especial GeForce, no qual o fundador e CEO da NVIDIA, Jensen Huang, revelou as novas GPUs GeForce RTX Série 30.

“A Epic Games está transformando o Fortnite, que já é uma sensação da cultura pop, em uma vitrine de como os jogos competitivos vão melhorar com a tecnologia”, disse Matt Wuebbling, vice-presidente de marketing global da GeForce da NVIDIA. “Os jogadores do Fortnite estão prestes a experimentar os visuais impressionantes com Ray Tracing, taxas de quadros aceleradas por IA com a tecnologia NVIDIA DLSS e nosso novo pacote de tecnologia de eSorts de baixa latência, o NVIDIA Reflex.”

As GPUs NVIDIA RTX são as únicas no mercado com suporte de hardware para Ray Tracing e IA. Os jogadores irão experimentar esses recursos em todos os modos Fortnite, bem como em um novo mapa de modo criativo especial, chamado RTX Treasure Run, que foi projetado especificamente para destacar o Ray Tracing.

“A GeForce RTX Série 30 é a prova da dedicação da NVIDIA ao Ray Tracing e à Inteligência Artificial”, disse Marcus Wassmer, diretor de engenharia de gráficos da Epic Games. “O Ray Tracing de segunda geração, o uso inovador de IA com DLSS e um grande aumento de desempenho bruto tornam a GeForce RTX Série 30 uma potência verdadeiramente impressionante para a tecnologia gráfica em jogos.”

Ray Tracing chega ao Fortnite:

Fortnite vai adicionar quatro novas funções de Ray Tracing para uma experiência mais imersiva:

  • Reflexos – Recria a forma como a luz reflete em superfícies brilhantes e metálicas, incluindo espelhos naturais lisos, como vidros de janela, e superfícies mais ásperas, como metal escovado.
  • Sombras – Modela com precisão o sombreamento em muitas superfícies enquanto aprimora a superfície e os detalhes de contato, e corrige problemas associados às técnicas tradicionais de sombra.
  • Iluminação global – Calcula a iluminação do mundo com uma precisão cada vez maior, iluminando ambientes, jogadores e personagens de Fortnite com detalhes, fidelidade e clareza sem precedentes.
  • Oclusão de ambiente – Onde objetos ou superfícies se encontram, a luz é ocluída, criando sombras sutis que podem destacar o menor dos detalhes da superfície.

Com tudo isso, o Ray Tracing trará um novo nível de detalhe e realismo aos modos Battle Royale, Creative e Save the World de Fortnite.

Usando IA para aumentar o desempenho e a qualidade da imagem no Fortnite

O NVIDIA DLSS, que usa IA e é alimentado por RTX Tensor Cores, é uma rede neural de deep learning que aumenta as taxas de quadros e gera belas e nítidas imagens para os jogos. Ele fornece aos jogadores mais desempenho para maximizar as configurações de qualidade e aumentar a resolução de saída.

NVIDIA Reflex chega ao Fortnite

Fortnite é um dos primeiros jogos a oferecer suporte a NVIDIA Reflex, que mede e reduz a latência do sistema. O Reflex permite que os jogadores melhorem a capacidade de resposta, aumentem a precisão da mira e ajustem seu sistema para a batalha.

“A tecnologia NVIDIA Reflex fornece aos desenvolvedores novos recursos para minimizar a latência em seus jogos. Estamos observando uma excelente capacidade de resposta e controle do jogador com o Fortnite rodando na GeForce RTX Série 30 ”, disse Nick Penwarden, vice-presidente de Engenharia da Epic Games.

Latência do sistema é o tempo que leva para as ações de um jogador aparecerem como pixels no monitor. Em títulos como Fortnite, o modo de baixa latência NVIDIA Reflex reduz dinamicamente a latência do sistema em até 42% em cenários vinculados à GPU.

Novo mapa Fortnite RTX Treasure Run mostra o Ray Tracing

A NVIDIA e a Epic colaboraram com os principais criadores de conteúdo do Fortnite no novo mapa RTX Treasure Run, que destaca as novas tecnologias que Fortnite está recebendo. O mapa coloca os jogadores na entrada de um museu, onde são desafiados a uma caça ao tesouro que destaca diferentes efeitos de Ray Tracing.

Ao longo do caminho, os jogadores podem explorar um corredor de espelhos, um castelo medieval e uma selva, além de escalar uma estátua gigante e explorar um laboratório de ciências reduzido para descobrir a maioria dos tesouros no menor espaço de tempo. RTX Treasure Run estará disponível em breve.

Os novos recursos serão lançados em breve no Fortnite Capítulo 2 – Temporada 4 para jogadores de PC e farão de Fortnite um título emblemático para tecnologias de jogos de última geração.

CCXP19: painéis da Disney dominam terceiro dia de festival

Auditório Cinemark XD foi um dos lugares mais concorridos no sábado, na CCXP, e sempre permaneceu lotado. (Foto: Vans Bumbeers)

Ryan Reynolds, Joe Keery e elenco de novo filme da saga Star Wars atraem legiões de fãs de todo o país, e “Frozen 2” tem pré-estreia exclusiva no Auditório Cinemark XD

O terceiro dia de CCXP19 reservou muitas emoções e diversão para os fãs do maior festival de cultura pop do planeta. Em um sábado dominado por conteúdos da Disney no Auditório Cinemark XD, o público finalmente teve o esperado encontro com o elenco de “Star Wars: A Ascensão Skywalker” e pôde conferir em primeira mão a estreia de “Frozen 2”. Os fãs também curtiram o painel sobre “Free Guy – Assumindo o Controle” que contou com a presença de Ryan Reynolds e Joe Keery, além de ficarem por dentro das novidades do Disney+ e os próximos lançamentos da Marvel em um painel com ninguém menos do que Kevin Feige. E não faltaram atrações para quem preferiu circular pelos corredores da CCXP19.

No Artists’ Alley by Bruttal, a diversidade marcou presença. Dentre os mais de 500 artistas que expõem suas criações, 82 apresentam obras com temática LGBTQI+ e sete quadrinistas são trans. Jocosa, mais conhecida como The Joco, tem 20 anos e é de Belo Horizonte (MG). A artista participa pela primeira vez do festival. “É importante que a gente trabalhe aqui, lado a lado, mostrando que a diversidade está presente em todos os lugares. É fundamental olhar o trabalho de todos os artistas com muito carinho e incentivar o público”, avaliou.

Para quem preferiu se divertir à moda antiga, a arena Board Games by Hershey’s Mais              foi parada certa. Recheada com 30 tipos de jogos de tabuleiro da Galápagos Jogos, o espaço já recebeu milhares pessoas interessadas em conhecer um pouco mais desse universo e relembrar os clássicos dos board games. Ali, na fila, a diversão também estava garantida, já que era possível jogar “Dobble”, um jogo de cartas, enquanto esperava a vez de sentar à mesa. Ao longo do dia, mais de 2.100 partidas aconteceram. Dentro da arena, os jogos “Jingle Speed” e “The Resistance” foram os mais disputados entre o público.

Estrelas e novidades da Disney no Cinemark XD

Nem mesmo o clima congelante de “Frozen 2” conseguiu foi páreo para o calor humano no Auditório Cinemark XD. Lotado por fãs, o espaço recebeu a pré-estreia do filme – com lançamento marcado para 2 de janeiro – emocionando o público e levando muitos fãs às lágrimas. O clima foi às alturas quando os diretores subiram ao palco e foram ovacionados pelos presentes. Os vencedores do Oscar de Melhor Animação por “Frozen”, Chris Buck e Peter Del Vecho, contaram histórias de bastidores e do desenvolvimento da nova aventura de Anna e Elsa.

Ainda no universo das animações, Dan Scanlon mostrou trechos de “Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica” – que estreia no dia 5 de março –, enquanto, no painel de “Um Espião Animal”, o público pode conferir a cena que mostra a transformação do agente secreto em um pombo, com as participações de Nick Bruno e Troy Quane. Os fãs do estúdio também puderam conhecer um pouco mais sobre os bastidores da criação “Star Wars: Galaxy’s Edge”, área temática de Star Wars nos parques da Disney, por meio do conteúdo apresentado por Scott Trowbridge.

A programação deste sábado no Auditório Cinemark XD contou também com o bate-papo entre os atores Ryan Reynolds e Joe Keery, junto do diretor Shawn Levy. Reynolds parecia não acreditar na empolgação do público e sorria a cada vez que era interrompido pelos gritos dos fãs. Ele ainda surpreendeu ao dizer que “Free Guy – Assumindo o Controle” foi o filme que ele mais gostou de fazer em sua carreira. Outro elenco aguardado que subiu ao palco hoje foi o de “Star Wars: A Ascensão Skywalker”. Com uma afinidade visível aos olhos do público, o diretor J. J. Abrams e os atores Daisy Ridley, John Boyega e Oscar Isaac falaram sobre suas cenas preferidas e o que mais os emocionou nas filmagens, além de uma breve homenagem à saudosa Carrie Fisher.

No painel da Marvel, um dos mais aguardados da CCXP19, a participação do produtor e presidente da Marvel Studios, Kevin Feige, presenteou quem estava no Auditório Cinemark XD com conteúdos exclusivos. O teaser de “Eternos” foi visto pelos fãs brasileiros com exclusividade antes de ser lançado mundialmente, assim como trechos especiais de “Viúva Negra”, estrelado por Scarlett Johansson e com estreia marcada para abril. O todo-poderoso da Marvel ainda adiantou que algumas produções do Disney+ devem ficar prontas no fim de 2020, quando a plataforma chega ao Brasil.

Grandes nomes dos quadrinhos, TV e games

Maurício de Sousa participou de painel no auditório Ultra e fez a alegria dos fãs. (Foto: Marcelo Paixão)

A programação do Auditório Ultra começou com a presença cativante de Mauricio de Sousa. O criador da Turma da Mônica relembrou sua trajetória, que teve início com a publicação de uma tirinha estrelada pelos os personagens Bidu e Franjinha, em 1959. “Em seis anos, eu estava em 400 jornais no Brasil, e mais ninguém alcançou esse número”, contou. Na sequência, o público conferiu um bate-papo sobre o filme “Jaspion”, ainda sem data de estreia, com participação do diretor Rodrigo Bernardo, que contou os desafios da produção. À tarde, foi a vez do MMO “World of Warcraft”, com a autora Christie Golden, que falou sobre o processo criativo do game e suas obras literárias, além de declarar que adoraria escrever para a série “Loki”, do Disney+.

Os quadrinistas da Chiaroscuro Studios também tiveram uma participação no festival para falar sobre a produção de HQs brasileiras de super-heróis. Em seguida, o universo do terror e suas possibilidades, mesclando drama e outros estilos, foram debatidas por Takashi Shimizu, diretor do filme “O Grito”. Com a sala lotada, a presença de dubladores do anime “Dragon Ball” levantou a plateia, que vibrou com a atuação de seus personagens favoritos e comemorou os 35 anos da franquia japonesa. O penúltimo painel foi conduzido por cinco artistas que trabalharam em histórias do Homem-Morcego, incluindo Frank Miller e Neal Adams, para celebrar os 80 anos do personagem. “Batman não é um super-herói. O Batman é você em sua melhor versão. Por isso, as pessoas gostam tanto de ler as histórias dele”, afirmou Adams.

Da ilustração à animação

Quem passou pelo Auditório Prime teve a oportunidade de participar da masterclass da ilustradora norte-americana Jöelle Jones – a primeira mulher a desenhar duas edições seguidas da série principal do Batman. “Me concentro no caminho e nos pequenos detalhes antes de projetar o final”, contou a artista ao falar sobre seu processo de criação. No painel seguinte, o quadrinista argentino Eduardo Risso, conhecido pela obra “Noite das Trevas: uma história real do Batman”, explicou composição e narração gráfica de seus trabalhos.

A representatividade LGBTQI+ nos quadrinhos, muito percebida no Artists’ Alley deste ano, também foi tema de painel com Lorelay Fox. “A dica que dou para quem ainda não se sente representado é se representar por si só”, comenta. Já a nova plataforma de quadrinhos do Omelete, a Bruttal, foi apresentada de forma irreverente pelos artistas Felipe Portugal, Raoni Marques, Thiago M. Martins e Yuri Moras. O Auditório Prime também foi palco de conversas sobre “Dungeons & Dragons” e as novidades sobre os próximos lançamentos da Galápagos Jogos, bate-papo sobre o jornal “O Pasquim” – com Francisco Ucha, Duayer, Ricky Goodwin e Ricardo Leite –, a presença da primeira YouTuber brasileira de animação, AnyMalu, e um painel sobre as técnicas e o modelo de negócio dos Webtoons, as webcomics sul-coreanas publicadas online.

Disputas acirradas de eSports

A Oi Game Arena trouxe conteúdo inédito para o festival: a Copa Team Fight Tactics CCXP. Foram quatro partidas disputadas por os oito convidados, distribuidos entre streamers, jogadores profissionais e influencers. O campeão foi Leomane, seguido por Milt (2º lugar) e Ken Harusame (3º lugar). Dentre os participantes também estava presente MiiT, treinador do time de League of Legends da PaiN Gaming.

Empoderamento, música, esporte e talk show

O protagonismo feminino entrou em pauta no Creators Stage durante a tarde deste sábado. Com a participação especial de Mônica Sousa, Camila Achutti, Karina Dauch e Maia Malu, Paulo Silveira mediou um bate-papo sobre o “Change The Game”, iniciativa que incentiva e premia mulheres do mundo dos jogos e programação. “Me sentia incomodada com a falta de representatividade nesse meio. Os meninos falavam que não era meu lugar, então decidi criar o meu próprio jogo”, conta a estudante Isabela Fernandes, de Belo Horizonte (MG), uma das vencedoras do concurso.

O palco teve ainda uma apresentação e quiz musical da dupla Rolandinho e Bruno Bock, do canal Pipocando, e a banda NerdStones, que tocou músicas de “Game of Thrones”, “Friends”, “La Casa de Papel” e “De Volta para o Futuro”. A estudante paulistana Beatriz Sueco, 15 anos, conta que ver o Pipocando ao vivo foi um dos melhores momentos do festival. “Acompanho o canal deles desde o começo, e fiquei muito emocionada em vê-los tão de perto”, disse.

O canal “Ilha de Barbados” e o YouTuber Felipe Castanhari discutiram assuntos como relacionamentos e cotidiano. Depois, foi a vez do time do jornalismo esportivo da Globo tomar conta em um painel sobre os Jogos Olímpicos de Tóquio em 2020 e o aumento do número de mulheres nas delegações esportivas brasileiras. Dentre os atletas medalhistas, estavam Daiane dos Santos, Diego Hypólito, Claudinei Quirino, Fabi Alvim, Flávio Canto e Lars Grael, que subiram ao palco para contar como representaram o Brasil nos jogos olímpicos.

Por fim, apresentador, ator e comediante Fábio Porchat dividiu o palco com Otaviano Costa, Tati Lopes e Fernanda Paes Leme para a gravação do programa “Que história é essa, Porchat?. Guilherme dos Santos, 29 anos, esteve no festival especialmente para ver Porchat e conta que gosta muito do programa original: “Vim neste palco só pra ver esse quadro e estou muito feliz”, finaliza.