Arquivo da tag: Origem

Rogério Campos fala sobre o nascimento das histórias em quadrinhos no Sesc

Rogério Campos, um dos principais editores de quadrinhos do País, responsável pela publicação de nomes como Alan Moore, Robert Crumb e Will Eisner, e criador da Conrad e da Veneta, onde é hoje diretor editorial, participa da série Autografias do Centro de Pesquisa e Formação do Sesc, no dia 30 de maio, para falar sobre o seu livro Imageria – O Nascimento das Histórias em Quadrinhos.

Rogério Campos dá palestra sobre a origem dos quadrinhos no CPF Sesc. (Foto: Acervo Pessoal)
Rogério Campos dá palestra sobre a origem dos quadrinhos no CPF Sesc. (Foto: Acervo Pessoal)0

No livro, Campos apresenta os primeiros 500 anos da história dos quadrinhos mundiais. São mais de cem HQs criadas entre os séculos XV e XX, que ajudaram a estabelecer a base da linguagem cinematográfica e influenciaram tanto o design gráfico como a literatura. Dos temas religiosos às histórias sensacionalistas de crimes reais, passando pela crítica de costumes, o autor mostra a grande variedade de assuntos e estéticas retratados nos quadrinhos antigos. Além de Outcault, Töpffer e Hogarth, o livro traz autores fundamentais como Grandville, Gustave Doré, Hokusai (o inventor dos mangás), Winsor McCay, e retrata o início do gênero no Brasil, com Sisson e Angelo Agostini.

O Nascimento das Histórias em Quadrinhos.

Dia 30 de maio de 2016. Segunda, das 19h30 às 21h30.

Recomendação etária: 16 anos. Número de vagas: 30.

Grátis. mediante inscrição.

Atividade com tradução em libras. Solicitação deve ser feita no ato da inscrição, com no mínimo dois dias de antecedência da atividade.

Informações e inscrições pelo site (sescsp.org.br/cpf) ou nas unidades do Sesc no Estado de São Paulo.

Centro de Pesquisa e Formação – CPF Sesc

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 – 4º andar.

Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 10h às 22h. Sábados, das 9h30 18h30.

Tel: 3254-5600

 

Origem do Kibe

A iguaria, que veio do Iraque, foi criada para matar a fome das classes menos abastadas

O kibe, que teve sua origem em regiões como o Mediterrâneo e o Iraque, foi criado para ser consumido pelas classes menos favorecidas, já que a carne era misturada ao trigo para render mais e alimentar todas as famílias destas localidades.

Arabesco ensina a origem do kibe. (Foto: Divulgação)
Arabesco ensina a origem do kibe. (Foto: Divulgação)

Conhecido a princípio como “bolinho de carne”, seu nome vem da palavra kubbeh, que em árabe significa “bola”.

 Graças aos imigrantes libaneses que vieram ao Brasil, a receita árabe ganhou muitos fãs e pode ser encontrado em diversas versões. Atualmente são incorporados recheios como queijo, presunto, entre outros.  O prato também pode ser preparado cru, assado e frito, conforme a preferência.

No Restaurante Arabesco, tradicional casa árabe localizada em Perdizes e na Avenida Paulista, a receita é encontrada em quatro opções: kibe cru, frito, assado e grelhado. O kibe cru vem acompanhado de cebola, cebolinha e hortelã e custa R$33,20. Já os kibes assados e grelhados, R$28,80, enquanto o kibe frito sai por R$6,50.

 Serviço:

Arabesco Perdizes

Rua Dr. Homem de Melo, 494 (Esquina com Rua Monte Alegre) – Perdizes

Tel: (11) 3872-8164

Horário de funcionamento: segunda a sábado das 10h às 23h

Estacionamento no local com manobrista

Aceita todos os cartões de crédito

Site: www.arabesco.com.br

Arabesco Paulista

Avenida Paulista, 1765- loja 1 (Edifício Scarpa) – Cerqueira César

Tel: (11) 3289-5664

Horário de funcionamento: segunda a sexta das 10h às 23h

Aceita todos os cartões de crédito

Site: www.arabesco.com.br