Arquivo da tag: Plataformas Digitais

DAVID BOWIE :: ÁLBUM “LIVEANDWLL.COM” ESTÁ DISPONÍVEL NAS PLATAFORMAS DIGITAIS :: WMG

“Liveandwell.Com”, álbum ao vivo de David Bowie, anteriormente disponível apenas em quantidades limitadas para assinantes do BowieNet em 2000, agora com duas faixas bônus, “Pallas Athena” e “V-2 Schneider”, ambas lançadas como singles de 12 polegadas sob o nome “The Tao Jones Index” – nome usado pelo artista e banda quando faziam apresentações surpresa em tendas dance de festivais ao redor do mundo, chega, pela primeira vez, em todas as plataformas digitais.
 
“Liveandwell.Com”, gravado em Nova York, Amsterdã, Rio de Janeiro e no festival de Phoenix do Reino Unido durante a turnê Earthling de 1997, chega com  12 faixas. O projeto foi produzido por David Bowie, co-produzido por Reeves Gabrels e Mark Plati, mixado por Mark Plati, no Looking Glass Studios, em Nova York, Estados Unidos. Os músicos nas gravações ao vivo são David Bowie (vocais, guitarra, saxofone), Zachary Alford (bateria), Gail Ann Dorsey (baixo, vocais, teclados), Reeves Gabrels (guitarras, sintetizadores, vocais) e Mike Garson (piano, teclados, sintetizadores).

Confira a tracklist completa de “Liveandwell.Com”

1 – I’m Afraid Of Americans (Radio City Music Hall New York, 15th October, 1997)
2 – The Hearts Filthy Lesson (Long Marston, Phoenix Festival, 18th July, 1997)
3 – I’m Deranged (Amsterdam, Paradiso, 10th June, 1997)
4 – Hallo Spaceboy (Rio de Janeiro, Metropolitan, 2nd November, 1997)
5 – Telling Lies (Amsterdam, Paradiso, 10th June, 1997)
6 – The Motel (Amsterdam, Paradiso, 10th June, 1997)
7 – The Voyeur Of Utter Destruction (As Beauty) (Rio de Janeiro, Metropolitan, 2nd November, 1997)
8 – Battle for Britain (The Letter) (Radio City Music Hall New York, 15th October, 1997)
9 – Seven Years In Tibet (Radio City Music Hall New York, 15th October, 1997)
10 – Little Wonder (Radio City Music Hall New York, 15th October, 1997)
11 – Pallas Athena (Amsterdam, Paradiso, 10th June, 1997)
12 – V-2 Schneider (Amsterdam, Paradiso, 10th June, 1997)

O melhor da trilha sonora de Tony Hawk’s Pro Skater agora no seu fone

Trilha sonora de Tony Hawk’s Pro Skater 1 e 2 já está disponível nas plataformas digitais. (Foto: Divulgação)

Na última terça (12) a Activision anunciou o remaster Tony Hawk’s™ Pro Skater™ 1 and 2, que será lançado para PlayStation® 4, PlayStation® 4 Pro, dispositivos da família Xbox One, incluindo Xbox One X, e para PC pela Epic Games Store.

Um dos aspectos mais marcantes da franquia é a trilha sonora, que marcou uma geração e traz de volta grandes clássicos para este remaster. E enquanto o jogo não está disponível os fãs poderão ir matando a saudade das faixas que marcaram a série nessa playlist especial.

CONFIRA “SCOOB! THE ALBUM”, TRILHA SONORA COMPLETA DA ANIMAÇÃO DE SCOOBY-DOO

Projeto inclui o novo single “On Me” de Thomas Rhett e Kane Brown ft. Ava Max

Warner Music divulga álbum de “Scoob”. (Foto: Divulgação)

A Atlantic Records acaba de divulgar oficialmente “Soob! The Album”, a trilha sonora oficial do longa da Warner Bros., uma distribuição nacional Warner Music Brasil. A versão animada do longa de aventura e ação de Scooby-Doo, uma realização Warner Bros. Pictures e Warner Animation Group, chega para entreter a família toda. A trilha sonora do longa, disponível em todas as plataformas digitais, chega acompanhada da colaboração épica de Thomas Rhett & Kane Brown, com a sensação global pop Ava Max, “On Me”. Hoje, também marca a estreia do vídeo oficial que traz uma mistura de cenas de ação ao vivo gravadas durante a quarentena, com animações do filme, disponível no YouTube.

“Scoob! The Album” estreou mais cedo nesta semana o single principal do projeto, “Summer Feelings”, do cantor e compositor Lennon Stella com colaboração do múltiplas vezes nominado ao Grammy, cantor, compositor e produtor Charlie Puth. Produzida por Invincible (“I Like It” – Cardi B), “Summer Feelings” gerou aclama imediata da crítica.

Além de “Summer Feelings” e “On Me”, “Scoob! The Album” traz também outras músicas inéditas e colaborações exclusivas, que inclui uma empolgante variedade de grandes artistas e nomes em amplo desenvolvimento do mercado, entre eles: Jack HarlowSage The Gemini Ft. BYGTWO3Galantis Ft. FaouziaPink Sweat$Rico NastyRare AmericansR3HAB Ft. A R I Z O N APlested e Token, além da icônica música-tema do Scooby-Doo, com Best Coast. Confira a tracklist completa abaixo.

“Scoob! The Album” tem produção executive assinada por Xplicit. Além de incluir parceiros chave envolvidos na criação do álbum, que conta com Music Supervisor, Gabe Hilfer, A&R da Olly Sheppard e Executivos Responsáveis pela música para a Warner Bros. Pictures, Darren Higman e Niki Sherrod.

Confira a tracklist completa de “Scoob! The Album”:
 

  1. Lennon Stella Feat. Charlie Puth – Summer Feelings
  2. Thomas Rhett and Kane Brown Feat. Ava Max – On Me
  3. Jack Harlow – Yikes
  4. Sage The Gemini Feat. BygTwo3 – Tick Tick Boom
  5. Galantis Feat. Faouzia – I Fly
  6. Pink Sweat$ – I Like It
  7. Rico Nasty – My Little Alien
  8. Rare Americans – Back Up Plan
  9. R3HAB Feat. A R I Z O N A – Feel Alive
  10. Plested – 25 Hours
  11. Token – Homies
  12. Best Coast – Scooby Doo Theme Song

TRÊS ÁLBUNS DE MUITOS SUCESSOS E GRANDES PARCERIAS DO CANTOR DANIEL DISPONÍVEIS EM PLATAFORMAS DIGITAIS

O terceiro e último volume de Meu Reino Encantado será lançado a partir do dia 01/05.  As edições I e II já estão nas plataformas de streaming

Álbuns de Daniel estão disponíveis nas plataformas digitais. (Foto: Divulgação)

O volume III de Meu Reino Encantado, do cantor Daniel, ganha as plataformas digitais a partir do dia 01/05. Os dois primeiros volumes, I e II, já estão disponíveis nas plataformas de streaming. Nesse terceiro lançamento, entre as faixas musicais, estarão sucessos como MerceditaDesatino,Sertanejo de Coração e Pescador e Catireiro em parcerias celebradas com Perla, Rionegro & Solimões, Bruno & Marrone e Abel e Caim. “Esse projeto é muito particular porque eu idealizava fazer com o saudoso João Paulo. Sempre cantarolávamos esse tipo de música, pois são influências, desde infância, adolescência ouvindo em casa. Nos bastidores, em quarto de hotel, nós sempre catávamos uma viola para ensaiar essas músicas”, relembra Daniel.

O início de Meu Reino Encantado ocorreu em 2000, com o primeiro volume contando com 16 canções, com sucessos como Tocando em Frente, Avenida BoiadeiraCuitelinho, em parcerias com Almir Sater, Rick e Renner e Pena Branca, além da faixa que dá nome ao álbum, que Daniel divide com o pai, José Camillo. “Tive a ideia de dar início ao projeto e convidar alguns cantores, pessoas que eu admirava muito. A primeira pessoa que queria que estivesse em meu projeto era o meu pai, que tanto pra mim quanto para o João Paulo, era nosso professor. Quando pedi que ele escolhesse uma canção, a escolha foi Meu Reino Encantado. O produtor na época, Manoel Nenzinho Pinto, sugeriu que o nome do álbum fosse esse também”, esclarece o cantor.

Na sequência, em 2003, o volume II foi uma homenagem a Tião Carreiro & Pardinho, em releituras de grandes sucessos gravados pela dupla. O resultado foi a sinergia já característica com o pai e também nomes como Gino e Geno (Paixão Dupla), João Mulato & Douradinho (Moradia), Rolando Boldrin (cobra venenosa), entre outras parcerias. Em 2005, o terceiro e último álbum é lançado com nomes como Abel e Caim, Bruno & Marrone e Moacyr Franco.

Motivo de orgulho e carinho, o cantor celebra o repertório dos álbuns, que contempla modas de viola ao estilo do campo e músicos que foram e são ídolos tanto no período da dupla quanto para Daniel. “Fui um dos últimos a gravar com Pardinho [da dupla Tião Carreiro & Pardinho], gravei também com Pena Branca [da dupla Pena Branca & Xavantinho]. Não imaginava que teria o prazer de fazer três projetos dessa forma, dividindo a parceria com todos eles, satisfazendo um desejo pessoal e comemorando.  A música raiz me fascina, porque tem uma veracidade muito grande e é atual em todos os aspectos”, emociona-se.
 
O primeiro volume de Meu Reino Encantado foi lançado após os dois primeiros álbuns da carreira solo de Daniel, que foram Adoro Amar Você (1998) e Vou Levando a Vida (1999).

Confira a tracklist completa do álbum
“Meu Reino Encantado III”:

  1. Desatino (Part. Rio Negro & Solimões)
  2. Jeitão Caboclo (Part. José Camilo)
  3. Proposta (Part. Zé Henrique & Gabriel)
  4. Pescador e Catiteiro (Part. Caim e Abel)
  5. Mercedita (Part. Perla)
  6. Sertanejo de Coração (Part. Bruno & Marrone)
  7. Mala Amarela (Part. José Camilo)
  8. Gente da Minha Terra (Part. Amarai & Filho)
  9. A Volta do Boiadeiro (Part. Lourenço & Lourival)
  10. Poeira (Part. Dua Glacial)
  11. Na Barba do Leão (Part. Os Filhos de Goiás)
  12. O Último dos Carreiros (Part. André & Andrade)
  13. Bica D’Água (Part. Raul Gil)
  14. Dia de Visita (Part. Moacyr Franco)
  15. Desatino (Bônus)

DUA LIPA ESTREIA ÁLBUM “FUTURE NOSTALGIA”

Aguardado álbum de Dua Lipa chega nas plataformas digitais. (Foto: Divulgação)

Turnê pela Europa e Reino Unido com datas remarcadas

Um dos álbuns mais aguardados do ano, “Future Nostalgia” da cantora Dua Lipa, chega às plataformas digitais. O projeto, segundo da carreira da artista, traz o sucesso global “Don’t Start Now”, o hit “Physical” e o single “Break My Heart”, lançado nesta semana para aquecer a chegada do álbum. 

“Future Nostalgia” terá ainda quatro edições especiais: vinil neon pink; disco com a arte de capa; CD; cassete metalizado e um box deluxe com vinil, music book, poster e uma carta assinada pela cantora – por enquanto, apenas a versão CD está prevista para o Brasil.  

A cantora ainda contou quando foi o momento em que descobriu que era a hora de experimentar um novo projeto. “Eu estava fazendo um show numa rádio em Las Vegas (Estados Unidos) e saí para uma caminhada, só pra clarear as ideias, e, enquanto estava andando, eu ouvia OutKast e No Doubt e pensei ‘o que tem de especial nesses álbuns que eu ainda adoro e me sinto tão conectada a eles? Por que eu sinto que eles não envelhecem? E como eu posso incorporar essa sensação de nostalgia das minhas memórias e inspirações favoritas da infância para algo novo e moderno?’”, contou a artista.  

A cantora aproveitou este lançamento para divulgar as datas remarcadas da turnê pela Europa e Reino Unido, todas a partir de janeiro de 2021. Os shows passam por oito países e novas apresentações estão a caminho. Para conferir a agenda completa, clique aqui

Confira a tracklist completa de “Future Nostalgia”: 

1. Future Nostalgia  
2. Don’t Start Now 
3. Cool 
4. Physical 
5. Levitating 
6. Pretty Please 
7. Hallucinate  
8. Love Again 
9. Break My Heart 
10. Good In Bed 
11. Boys Will Be Boys

WIZ KHALIFA ESTREIA “BAMMER”, COLABORAÇÃO COM MUSTARD

(Foto: Divulgação)

Faixa é sampleada e homengeia “Don´t Give Me No Bammer Weed”, lançada em 1992, pelo RBL Possee

A superestrela Wiz Khalifa  lança o novo single da carreira, “Bammer (feat. Mustard)”, já disponível em todas as plataformas digitais. A nova faixa, sampleada com uma homenagem à “Don´t Give Me No Bammer Weed”, do RBL Possee, de 1992, chega depois do destaque recente do artista no filme “Sonic the Hedgedog”, junto com Ty Doll $ign, Lil Yachty e Sueco the Child, com a música “Speed Me Up”, que também ganhou um clipe.
 
O álbum de 2018 de Wiz Khalifa, “Rolling Papers 2”, certificado ouro pela RIAA, é uma prova do sucesso contínuo do rapper. O projeto, que inclui os singles de sucesso “Something New (feat. Ty Dolla $ign)” e “Hopeless Romantic (feat. Swae Lee)”, fez uma estreia espetacular no chart em julho de 2018, entrando na lista Billboard 200 na segunda posição.

Wiz – que atualmente co-estreia como Death na aclamada série da Apple TV, “Dickinson” – está começando o ano com uma série de datas para shows, incluindo uma apresentação no “Wellness Retreat”, uma apresentação sem precedentes como co-headline triplo, juntamente com Snoop Dogg e Cypress Hill para um set do Morrison, no mundialmente famoso Red Roks Amphitheatre, na quinta-feira, dia 16 de abril. Além disso, Wiz estará, ao lado de outras superestrelas, em uma apresentação no Portimão, no Rolling Loud Portugal, entre 08 e 10 de julho.

ANITTA LANÇA A PARCERIA ”MEU MEL” COM O TRIO MELIM

A faixa é a terceira lançada do projeto “Brasileirinha”

O terceiro single do projeto “Brasileirinha” está entre nós! Anitta se uniu ao grupo Melim na faixa “Meu Mel”. O lançamento vem após a parceria “Some Que Ele Vem Atrás”, com Marília Mendonça, e após “Combatchy”, com Mc Rebecca, Luísa Sonza e Lexa. A música foi liberada nas plataformas digitais e o videoclipe, dirigido por Phill Mendonça, chega às 12h no canal oficial de Anitta no YouTube. “Foi muito divertido ter o Melim nessa parceria. “Meu Mel” tem uma sonoridade super gostosa e gravar o clipe da faixa com eles em um luau em um navio foi perfeito! Espero que todo mundo curta muito a música e o clipe e se jogue nessa vibe com a gente”, comenta Anitta.

“Conhecemos Anitta numa participação que fizemos no show, fomos de surpresa cantar pra uma sobrinha dela que curtia Melim, e dali fomos nos aproximando, cantamos também no bloco e no programa dela. sempre admiramos a força de trabalho, o profissionalismo e autenticidade que ela tem, quando fomos convidados pro feat ficamos super felizes, como as agendas são muito difíceis de encaixar, aproveitamos a oportunidade de estarmos num cruzeiro juntos fazendo shows e gravamos! Ficou leve, simples e divertido, espero que a galera curta porque nós adoramos” pontua o grupo Melim sobre a colaboração.

Trio Melim e Anitta gravam música. (Foto: Eduardo Bravin)

A faixa foi produzida por Pablo Bispo, Sérgio Santos e Ruxell que comentam: “Sempre incrível trabalhar com a Anitta! É um processo bem natural e com uma energia muito legal. O que acabamos colocando na faixa”. Ainda sobre o processo de gravação e produção da música os produtores completam: “Legal demais trazer uma sonoridade que é um pouco distante do que a Anitta vem lançando. A primeira vez que ela ouviu “Meu Mel” ela já mostrou que tinha adorado. Quando ela propôs trazer o Melim para a faixa foi como uma luva… era perfeito. Esse estilo de Reggae cai muito bem na voz da Anitta e nas vozes do Melim. Juntá-los foi perfeito”.

Os fãs da cantora foram desafiados a desbloquearem conteúdos sobre o lançamento de “Meu Mel” através de um site especial criado para a canção. Além dos conteúdos, Anitta também ressaltou a importância da preservação das abelhas para o ecossistema e disponibilizou receitas de mel vegano.

TIÊ CELEBRA DEZ ANOS DE CARREIRA COM O LANÇAMENTO DE “DiX”

O DVD, com participações especiais de Rael e Cynthia Luz, é o primeiro registro ao vivo da cantora e será lançado em todas as plataformas digitais

No ano de comemoração dos 10 anos de carreira, a cantora Tiê lançou o primeiro álbum e DVD ao vivo, gravados no YouTube Space, no Rio de Janeiro, em junho passado. “DiX”, que significa dez em francês, chega a todas as plataformas digitais e nas lojas físicas de todo o país com 17 faixas, entre elas, releituras, sucessos e inéditas. Com participação de Cynthia Luz e Rael, o projeto conta com produção de Paul Ralphes, direção de Clara Cavour, arte de Rita Wainer, cenário de Nina Becker, figurino de Carol Roquuete e beleza de Brenno Melo.

“Tem um olhar de maturidade diferente nesse trabalho. Estou mais leve, porém ainda muito intensa. O dez representa a ausência e a completude ao mesmo tempo. Ou seja, a falta de um repertório só de inéditas, como estou acostumada a lançar, mas, a totalidade de revisitar o caminho até aqui”, reflete a cantora sobre o novo trabalho. Entre as novidades no setlist, a cantora traz “Não Sei”, uma parceria com o convidado especial Rael. Já Com Cynthia Luz, Tiê revisitou o sucesso “Vou Atrás”, do projeto “Esmeraldas”, lançado em 2014.

Tiê comemora 10 anos de careira. (Foto: Divulgação)

Para retratar a trajetória da cantora no DVD, Rita Wainer criou a identidade visual dentro do conceito de arco-íris. Parceira desde o início da carreira de Tiê, Rita é responsável pelas artes dos quatro álbuns anteriores da cantora. “Trabalhar com a Tiê é tão fácil, sempre foi. Esse projeto foi muito especial. Lembrei de tudo e chorei de orgulho dela. Foi lindo e ainda é começo”, conta Rita. “A criação é tão orgânica, tão junto com ela que nem sei descrever. Não sei onde começa e quem teve qual ideia”, diz.

Com equipe de maioria feminina, a diretora Clara Cavour conta que a presença da cenógrafa Nina Becker foi uma escolha estratégica também. “A Nina trabalha como diretora de arte, mas também é cantora. Isso foi muito bom porque ela conhece o lado de lá, sabe como é estar no palco”, explica ela. “O DVD nasceu desse encontro de mulheres. Acredito que isso ficou impresso no trabalho, esse olhar cuidadoso e essa troca generosa. Com certeza o público vai gostar e se surpreender”, complementa a diretora.

Tiê soma quatro discos autorais, turnês internacionais, participações em grandes festivais, dez músicas emplacadas em trilhas sonoras de novelas e diversas parcerias musicais. A artista, que já morou no Japão e em Nova York (Estados Unidos), fez turnê com o Toquinho antes de traçar os projetos solos e gravou ao lado de David Byrne, Jorge Drexler e Luan Santana, vê seu trabalho como uma maneira de externalizar as emoções.

Com passagens em diversos festivais, Tiê já se apresentou no Lollapalooza Brasil (2018), Primavera Sound, em Barcelona (2017), Rock in Rio 2017, ao lado de João Donato e Jorge Drexler (2011), Brazil SummerFest, em Nova York (2018), Rock in Rio Lisboa, SXSW (Texas, EUA), Planeta Terra (São Paulo) e Coquetel Molotov (Recife).

POCAH LANÇA SINGLE E CLIPE DE “PODE CHORAR”

Faixa é primeiro lançamento solo da cantora com o novo nome artístico

Depois de emendar recentemente dois feats de extremo sucesso nas plataformas digitais – “Resenha Lá Em Casa”, de Kevin O Chris (5.500.000 streamings Spotify) e “Para Não”, do MC WM, com Jerry Smith, (2.800.000views no Youtube em apenas uma semana de lançamento) Pocah estreia “Pode Chorar”, a primeira música solo com novo nome artístico e a expectativa não poderia ser mais positiva.

“Pode Chorar” traz discurso feminista e empoderador. Mais uma vez, a cantora mostrará um projeto que fala sobre a liberdade feminina e quebra estigmas e rótulos arcaicos.

Assim, percebemos a preocupação da cantora com as mensagens que a mesma evoca em seu público e nos temas de suma importância que a sociedade debate hoje.  Exemplo disso é a repercussão e engajamento de “Não sou obrigada”. Feminista e cheia de atitude, o single e clipe acumulam números grandiosos – são 36 milhões de visualizações no Youtube e mais de 30.400.00 de streamings no Spotify.

Em forte processo de ascensão, Pocah usa sua voz para promover reflexões e mudanças, e traz, assim, a importância social que a música carrega para atingir as pessoas. “Pode Chorar é muito especial para mim por alguns motivos, dentre eles: o fato de ser meu primeiro lançamento solo com novo nome artístico e pela letra evidenciar uma mensagem muito importante de feminismo e servir de inspiração para meus fãs e para todas as mulheres”, comenta a cantora.

Em trecho da letra, produzida pela Hitmaker Produções, — “Eu hoje vou fazer a festa/ Usar o que ele detesta/ Hoje vou me libertar/ Ele pode implorar / Que vai ser muito pior /Vai aprender a viver só — Pocah enaltece o poder de escolha da mulher, de usar as roupas que a fazem se sentir bem consigo mesma, de ser o que ela de fato é, independente da opinião e vontade do homem. Livre, dona de si, não há padrão que possa moldar uma mulher; ela controla os rumos e caminhos de sua vida.

Já o clipe, dirigido por Philippe Noguchi, traz uma estética sofisticada e diferenciada. Ao mesmo tempo em que ressalta grande referência pop, traz um tipo de fotografia novo, pouco usado em produções audiovisuais do gênero funk, retratando alguns aspectos mais surreais e uma paleta geral de cores mais fria e neutra nos ambientes cenográficos.

Com transição de referências no videoclipe, há combate do controle imposto, dos padrões sociais e do machismo enraizado evidenciando, dessa maneira, a liberdade que a mulher traz com sua vida. Isso pode ser exemplificado através de uma das colocações de cena do clipe: diversos quadros na parede com homens nas molduras, formando uma “coleção” de namorados, o que é comumente enxergado por ser uma prática masculina e não feita pelas mulheres.

Importante dizer que Pocah, um dos maiores nomes do funk feminino no país, possui todos seus shows previamente esgotados e agenda lotada até fim desse ano. Fora isso, são mais de 2,9M de ouvintes mensais no Spotify, 1,78M inscritos no Youtube e mais de 12 milhões de seguidores no somatório de suas redes sociais. Com personalidade marcante, Pocah só está começando. O público pode esperar muita coisa boa por vir!

“ORIGINALS”, NOVO ÁLBUM DO PRINCE, JÁ PODE SER OUVIDO EM TODAS AS PLATAFORMAS DIGITAIS

Lançado com exclusividade na semana passada pelo Tidal, versão física está prevista para 28 de junho. Ao todo, são 15 faixas na voz do compositor original, sendo 14 delas inéditas

Prince será para sempre lembrado como um músico impressionante em performances ao vivo, um artista de músicas no topo dos charts e um revolucionário da indústria musical. No entanto, durante todo o tempo que ele passou sob os holofotes nas suas quatro décadas de carreira, Prince também trabalhou incansavelmente nos bastidores para cultivar talentos, escrevendo músicas para os artistas em ascensão que ele respeitava.

Depois de chegar ao público com exclusividade pelo Tidal, os detentores dos direitos do Prince, em parceria com a Warner Bros Records, lançam“Originals”, em todas as plataformas digitais. O álbum de 15 faixas na voz do cantor – sendo 14 delas inéditas – que iluminam o vital papel de bastidores que Prince desempenhou nas carreiras de outros artistas. A versão física está prevista para o próximo dia 28 de junho. As faixas foram selecionadas em colaboração por Troy Carter, em nome dos detentores dos direitos do Prince e JAY-Z.

(Foto: Divulgação)

Em meados da década de 1980, Prince estava dominando as paradas de sucesso, inclusive como compositor e produtor, com músicas que compunha e gravava para outras pessoas. Além de lançar nove de seus álbuns comerciais de maior sucesso, ele também escreveu e gravou inúmeros rolos de material para os artistas como The Time, Vanity 6, Sheila E., Apollonia 6, Jill Jones, the Family e Mazarati. Ocasionalmente, as gravações demo originais de Prince seriam usadas nos álbuns desses artistas com apenas pequenas alterações na instrumentação e a substituição dos vocais. Outras vezes, os artistas confiavam em suas demos para guiá-los em seu próprio processo de gravação, com o primeiro take de Prince como referência para a versão final de suas músicas. O efeito agregado foi uma completa saturação e transformação do panorama da música pop, com Prince liderando e subvertendo a cultura mainstream.

Várias das músicas icônicas encontradas em “Originals” foram grandes sucessos ​​para os artistas que as gravaram. “The Glamorous Life”, de Sheila E., alcançou o primeiro lugar nas paradas dance em 1984, enquanto o enorme sucesso de “Manic Monday” impulsionou o single e álbum, “Different Light”, da banda The Bangles, para o segundo lugar no ranking de música pop. O Ice Cream Castle da Time, apresentando o TOP 20 “Jungle Love”, passou um total de 57 semanas na Billboard 200. E em 1991, Martika teve sucesso internacional com “Love… Thy Will Be Done”, um hit TOP 10 na França, Austrália, Reino Unido e Estados Unidos.

“Originals” puxa a cortina para revelar as origens dessas músicas tão familiares, além de cortes mais profundos de álbuns como “Make-Up”, do Vanity 6, “Baby, You are a Trip”, de Jill Jones, e “My Love”, de Kenny Rogers. O álbum também traz a majestosa versão original de 1984 de “Nothing Compares 2 U”, lançada em 2018 como single.