Arquivo da tag: Quinta do Olivardo

Quinta do Olivardo, em São Roque, celebra as raízes da Festa Junina

No Brasil, festejos estão ligados à cultura caipira, mas pouca gente sabe que esta tradição nasceu em Portugal

A chegada da temporada junina está animando os apaixonados pelos festejos caipiras e a Quinta do Olivardo, localizada em São Roque, mais uma vez, se destaca com a 2ª edição da Festa Junina Portuguesa da casa, que será realizada no dia 24/06, das 10 às 21h. A entrada é gratuita.

Será a oportunidade de o público conhecer de perto as raízes e as tradições desta festa que teve início em Portugal e depois caiu na graça dos brasileiros. Uma das tradições lusitanas são os manjericos.

Sem título.jpg
Quinta do Olivardo celebra festa junina no dia 24 de junho. (Foto: Divulgação)

Enquanto no Brasil, os casais apaixonados trocam correios elegantes, em Portugal os mancebos apaixonados entregam às moças um manjerico, um pequeno vaso de barro com um pezinho de manjericão. Conta a lenda que ao ganhar o manjerico, a moça deve cultivar com carinho a planta para que ela cresça e com ele o amor do casal perdure para sempre.

Os vasos são enfeitados com uma dobradura de papel em formato de uma flor de cravo e ao centro, é colocado uma bandeirola com um versinho apaixonado. E, durante a festa junina da Quinta do Olivardo, o público poderá vivenciar esta tradição.

Atrações para a família toda

A partir das 14h, um grupo de recreação animará as crianças com uma gincana que promete reunir toda a família. Às 16h, será a vez das tradicionais quadrinhas juninas se apresentarem e o público também poderá participar.

Às 18h, será a acesa a tradicional fogueira para, a partir das 19h, o grupo Guito Show Folk Music Brasil iniciar o grande baile, com a apresentação dos clássicos que animam as festas juninas.

Além de todas estas atividades, a 2ª Festa Junina Portuguesa da Quinta do Olivardo terá algumas delícias de tirar o fôlego, como a famosa a sardinha na brasa, o pão no prego, bolinho de bacalhau, linguiça no pão, mini espetada madeirense, queijo coalho assado, pastel de bacalhau, cuscuz, caldo verde, bolo do caco. Entre as bebidas: vinho quente, quentão, chocolate quente, vinhos Quinta do Olivardo e sucos de uva Quinta do Olivardo.

A origem da festa junina

A tradição da festa junina chegou ao Brasil junto com a coroa portuguesa. Nesta época, era comemorada apenas pela elite e era conhecido como Festa dos Santos Populares e Joanina, em homenagem a São João. Quem dançava a quadrinha eram apenas os nobres da corte, com seus vestidos bem rodados, enfeitados com rendas e pedras.

Diferentemente do Brasil, onde a festa é comemorada durante os meses de junho e julho, em Portugal os festejos são realizados em apenas um dia, no dia de São João ou Santo Antônio.

Como Chegar

A Adega e Restaurante Quinta do Olivardo está localizada no km 4 da Estrada do Vinho, em São Roque (SP), com acesso pelo km 58,5 da Rodovia Raposo Tavares (SP-270). Fica a 60 km de São Paulo e a 45 km de Sorocaba. Informações adicionais, fotos e vídeos estão disponíveis no site www.quintadoolivardo.com.br.

Serviço:

Festa Junina Portuguesa da Quinta do Olivardo

Data: 24 de junho

Horários: das 10 às 21h

Atrações:

14h – Gincana

16h – Quadrilha

18h – Fogueira

19h – Show banda Guito Show Folk Music Brasil

Endereço: km 4 da Estrada do Vinho, em São Roque (SP), com acesso pelo km 58,5 da Rodovia Raposo Tavares (SP-270). Fica a 60 km de São Paulo e a 45 km de Sorocaba.

Entrada gratuita

Pisa da uva mistura tradição e aromas na Quinta do Olivardo, em São Roque

Festa que celebra boa safra fortalece tradição do vinho artesanal

O período de colheita da uva das videiras de São Roque/SP está se aproximando e a tradicional festa da Pisa da Uva da Quinta do Olivardo já tem data para começar: 14, 21 e 28 de janeiro.

A comemoração reúne pessoas de várias partes do país que visitam a casa para participar da colheita dos frutos. No local, eles revivem a tradição de pisar as uvas no lagar – uma construção feita em pedras, com formato retangular, usada para separar a polpa das cascas dos frutos, usando apenas os pés.

uva3.jpg
Quinta do Olivardo realiza tradição de pisar nas uvas. (Foto: Divulgação)

Tradicionalmente, janeiro é o mês que as uvas terminam seu processo de amadurecimento e estão prontas para serem colhidas. As principais variedades cultivadas nas terras são roquenses são: Lorena e Niágara branca, rosada e violeta.

 Viagem no tempo

Na Quinta do Olivardo, o público que visita a casa durante a festa da pisa da uva faz uma viagem ao passado rumo a um tempo em que, em terras lusitanas, a produção de vinhos era totalmente artesanal.

Logo na entrada, os visitantes recebem um chapéu de palha, uma cesta de vime e uma tesoura e, assim como os antigos colonos, são convidados a percorrer os caminhos entre as videiras para colher e, é claro, provar os frutos.

Ao final da colheita, os turistas partem para o lagar para a atividade mais esperada do dia: a pisa. Os cestos recheados de frutos são despejados no lagar e o público, em fila, é convidado para iniciar a pisa. Para deixar a experiência ainda mais envolvente, um grupo folclórico português anima a tarde, relembrando os principais clássicos que agitavam a pisa no século passado. Uma experiência única, que mistura amoras, sabores e sensações.

 Almoço especial

Após a pisa, o público é convidado para degustar um almoço especial. Para a entrada, serão servidos Bolo do Caco – um tipo de pão preparado à base de batata doce-, bolinho de bacalhau e salada verde.

Para o prato principal, a casa vai servir um dos seus destaques: a Espetada Madeirense. A iguaria, preparada à base de suculentos pedaços fartos de contrafilé, temperados com alho, sal e especiarias, que é levado para assar em brasa. O segredo da carne está no espeto, formado por um cabo de louro, que confere aroma e sabor a carne.

A Espetada Madeirense da Quinta do Olivardo também foi premiada no Festival Gastronômico Sabor de São Paulo e está entre os 30 melhores pratos característicos da culinária regional paulista. O festival é promovido pelo Governo do Estado de São Paulo, Revista Prazeres da Mesa e Senac.

O prato integrou ainda o guia “Roteiros Paulistas – o que fazer durante a Copa do mundo Fifa 2014”, um informativo com 236 páginas com sugestões de viagens, locais turísticos, indicações gastronômicas e hospedagem, entre outras informações úteis para os turistas que vieram para a Copa do Mundo.

Durante o almoço, o público poderá, ainda, degustar suco de uva e vinho produzidos pela casa.

O segredo está nos calcanhares humanos

O processo tradicional de pisar as uvas com os pés, diferentemente dos processos mecanizados atuais, separa a polpa da fruta, preservando as sementes intactas, não interferindo no sabor do suco, que pode amargar com a presença do óleo das sementes.

Durante o processo de separação do suco, quanto mais tempo o líquido ficar em contato com as cascas, mais sabor e aroma da bebida serão extraídos. Como diria Olivardo Saqui, proprietário da casa: “O segredo são os calcanhares humanos que trazem mais corpo, sabor e longevidade a bebida”.

A Quinta do Olivardo cultiva hoje mais de oito mil pés de uvas que ladeiam o restaurante. A produção anual da casa é de, aproximadamente, 20 mil litros por ano.

 Como chegar

A Adega e Restaurante Quinta do Olivardo está localizada no km 4 da Estrada do Vinho, em São Roque (SP), com acesso pelo km 58,5 da Rodovia Raposo Tavares (SP-270). As reservas de mesas têm validade até às 13h e podem ser feitas pelos telefones: (11) 4711-1100 e 4711-1923. Informações adicionais, fotos e vídeos estão disponíveis no site www.quintadoolivardo.com.br.

 Serviço: Pisa da Uva na Quinta do Olivardo

Dias:  14, 21 e 28 de janeiro

Horário: a partir das 10h30

Endereço: km 4 da Estrada do Vinho, em São Roque (SP), com acesso pelo km 58,5 da Rodovia Raposo Tavares (SP-270)

Valor: R$ 198,00, incluindo o almoço

Crianças até 8 anos não pagam. Até 12 anos, pagam meia.

 

Tradição do Vinho dos Mortos mistura cultura, sabores e mistério em São Roque/SP

Adega e restaurante Quinta do Olivardo promove mensalmente esta tradição nascida em 1807 em Portugal

O nome causa estranheza e até um certo espanto, porém quando se conhece a fundo a rica história do Vinho dos Mortos, com todos seus detalhes, sabores e aromas, é impossível não querer vivenciar e degustar esta iguaria.

A tradição do Vinho dos Mortos surgiu em Portugal, no ano de 1807, durante a Guerra Peninsular. Conta a história que após a invasão das tropas francesas em Trás os Montes e Beira Alta, as vilas foram saqueadas. Toda a produção de vinho e os alimentos colhidos no campo eram levados pelos invasores.

Quinta do Olivardo promove festival tradicional português. (Foto: Divulgação)
Quinta do Olivardo promove festival tradicional português. (Foto: Divulgação)

Tentando impedir o saque dos vinhos, os colonos enterraram suas garrafas entre as pastagens, plantações de uva e debaixo das adegas e fugiram para salvar suas famílias.

Quando a guerra terminou e eles puderam voltar para casa se surpreenderam com o que encontraram. Ao desenterrarem as garrafas de vinho já esperavam que a bebida estivesse estragada. Porém, não foi o que ocorreu. O enterro das bebidas deixou o vinho ainda mais saboroso, pois a terra possibilitou que as garrafas ficassem em um ambiente perfeito: escuro e com temperatura constante.

Esta tradição é relembrada e vivenciada todo o terceiro sábado de cada mês na adega e restaurante Quinta do Olivardo, em São Roque (SP). A quinta, especializada na culinária portuguesa possui uma produção própria de vinho e mensalmente convida os turistas para vivenciarem esta grande experiência.

Segundo Olivardo Saqui, proprietário da Quinta do Olivardo, o turista é convidado a enterrar uma garrafa numerada e depois de seis meses ele pode voltar, abrir as covas e desenterrar sua garrafa, degustando a iguaria. “É uma noite mágica. Deixamos a casa iluminada apenas com velas e tochas para deixar o ambiente semelhante ao período de 1807 e, ao som dos tradicionais fados portugueses, interpretados em voz, violão e guitarra portuguesa, conduzimos os turistas entre nossos parreirais que ladeiam a propriedade para enterrar ou desenterrar o vinho. É uma experiência única! ”, frisa Olivardo.

Como Chegar

A Adega e Restaurante Quinta do Olivardo está localizada no km 4 da Estrada do Vinho, em São Roque (SP), com acesso pelo km 58,5 da Rodovia Raposo Tavares (SP-270). Fica a 60 km de São Paulo e a 45 km de Sorocaba. As reservas de mesas podem ser feitas pelos telefones: (11) 4711-1100 e 4711-1923. Informações adicionais, fotos e vídeos estão disponíveis no sitewww.quintadoolivardo.com.br.

Quinta do Olivardo promove primeira festa junina portuguesa do Circuito do Vinho em São Roque/SP

Entre os dias 25 e 26 de junho, público poderá conhecer de perto a tradição dos manjericos e provar as delícias portuguesas que fazem sucesso nas festas juninas

Entre os dias 25 e 26 de junho, a Quinta do Olivardo promove a primeira festa junina portuguesa do Circuito do Vinho em São Roque/SP. Será a oportunidade de o público conhecer as raízes e tradições da festa típica de Portugal que hoje faz sucesso nos quatro cantos do país. A entrada é gratuita.

A festa junina portuguesa traz algumas peculiaridades. Enquanto no Brasil, os rapazes apaixonados entregam correios elegantes para as moças solteiras, em Portugal, os jovens entregam às damas um manjerico, um pequeno vaso de barro com um pezinho de manjericão.

Quinta do Olivardo promove festa junina em junho. (Foto: Divulgação)
Quinta do Olivardo promove festa junina em junho. (Foto: Divulgação)

A entrega dos manjericos é uma tradição no país. Lá, os vasos são enfeitados com uma dobradura de papel em formato de uma flor de cravo e ao centro, é colocado uma bandeirola com um versinho apaixonado. A moça que recebe o presente deve cuidar da planta para que o romance possa continuar. Na festa junina da Quinta do Olivardo, o público poderá vivenciar a tradição dos manjericos.

Não vão faltar os tradicionais doces juninos com origem portuguesa: canjica, arroz doce, doce de abóbora, paçoca, pé de moleque, castanha portuguesa assada, pamonha, maçã do amor, pastel de Belém e bolos de milho, cenoura, fubá e chocolate, entre outras guloseimas.

As delícias não param por aí. Os visitantes poderão degustar outros pratos lusitanos, como a famosa a sardinha na brasa, o pão no prego, bolinho de bacalhau, linguiça no pão, mini espetada madeirense, queijo coalho assado, pastel de bacalhau, cuscuz, caldo verde, bolo do caco, além das tradicionais bebidas:  vinho quente, quentão, chocolate quente, vinhos Quinta do Olivardo e sucos de uva Quinta do Olivardo.

A tradicional quadrilha não vai faltar. O público poderá acompanhar a apresentação da quadrilha da Quinta do Olivardo, de grupos de quadrilhas de algumas escolas infantis de São Roque, além da apresentação da Orquestra de Viola Caipira de São Roque, da Comitiva Brasil Poeira, que promoverá um verdadeiro “arrasta pé” na Quinta do Olivardo.

Para gastar a energia da criançada, a festa terá ainda cama elástica, touro mecânico, gincanas, pescaria, tiro ao alvo, argolas e o circuito de aventuras estará aberto até às 22h. Já os adultos mais aventureiros poderão testar sua força no pau de sebo, concorrendo a um jantar para duas pessoas na Quinta do Olivardo. É animação garantida para toda a família!