Arquivo da tag: Referências

Bruce Springsteen e “A Música da Minha Vida”

Por Renata Lakatos

Recheado de referências políticas, preconceito racial e aceitação de costumes forçada, o filme A Música da Minha Vida traz elementos estranhos àqueles que não estão acostumados com o choque cultural vivido por imigrantes, causando um misto de inquietação e incômodo aos espectadores.

Inspirado no livro de memórias do jornalista Sarfraz Manzoor (Greetings from Bury Park) o filme conta a história do adolescente Javed (Viveik Kalra) – um britânico filho de paquistaneses – da pequena cidade de Luton, Inglaterra, no final da década de 80.

“A música da minha vida” já está nos cinemas. (Foto: Divulgação)

Javed encontra na poesia uma fuga para escapar do preconceito e da intolerância, mas falta-lhe a coragem para enfrentar as inflexibilidades do pai (Kulvinder Ghir), um paquistanês bastante tradicional que deseja que o filho tenha uma vida boa, mas que obedeça às regras por ele estabelecidas sem discussão.

Na escola, seu colega Roops (Aaron Phagura) apresenta-lhe as músicas do “Chefe”, Bruce Springsteen, e Javed encontra nas letras do músico de New Jersey a inspiração que precisava para mudar sua vida, tomando as rédeas do seu pensamento e conseguindo enfrentar o pai para defender suas ideias. Ao mesmo tempo, o jovem se dá conta, com desgosto, dos abusos que sofrem da sociedade da época pelo simples fato de serem imigrantes, tendo que lidar com o ódio e provocações diariamente.

A Música da Minha Vida é um filme incrível, que traz uma trilha sonora magnífica como pano de fundo para uma história rica e muito bem construída.

Creed 2 – Imagem e semelhança

5 itens que faz de Creed 2 a versão rejuvenescida de Rocky IV

Por Antonio Lemos

Rocky é uma das franquias de cinema mais queridas pelo público e pela crítica. O filme que conta a saga de Balboa (Sylverter Stallone) foi reinventado com outro protagonista. Em Creed: Nascido para Lutar, de 2015, ele apresentou ao mundo Adonis Creed, vivido por Michael B. Jordan. É o filho do grande amigo de Rocky, Apollo Creed (Carl Weathers), que foi morto em cima de um ringue. O filme foi um enorme sucesso, deu uma nova indicação ao Oscar para Stallone, e provocou uma sequência, Creed 2.

Como escrevi na coluna passada, a continuação de Creed é a cópia rejuvenescida de Rocky IV, lançado em 1985, seja pela história e até alguns diálogos. Então, resolvi elencar algumas referências comparando o longa de 33 anos atrás com o atual.

Tessa Thompson, Bianca, dá forças para Adonis na luta final. (Foto: Divulgação)

Trajetória de Rocky e Adonis

No filme de 1985, Balboa recupera o cinturão dos pesos pesados ao derrotar Clubb Lang em Rocky III (1982), então, decide se aposentar e viver ao lado da esposa Adrian (Talia Shire). No entanto, durante uma exibição, o amigo de Rocky, Apollo Creed, é impiedosamente espancado até a morte pelo russo recém-chegado Ivan Drago (Dolph Lundgren), e decide retornar e vingar o amigo, lutando contra Drago numa luta na Rússia no dia de Natal.

Em Creed II, Adonis saiu mais forte do que nunca de sua luta contra ‘Pretty’ Ricky Conlan, em Liverpool, começa a sua trajetória rumo ao campeonato mundial de boxe, contra toda a desconfiança que acompanha a sombra de seu pai e com o apoio de Rocky. Porém, o passado está mais presente do que nunca e precisa enfrentar um adversário que possui uma forte ligação, simplesmente o filho do homem que matou Apollo, Viktor (Florian Munteanu).

Bem vs Mal

Sentindo os sintomas da chamada “década perdida” e da paranoia causada pela Guerra Fria, conflito ideológico envolvendo os Estados Unidos (Capitalismo) e União Soviética (Socialismo), Stallone decidiu que os próximos passos para Rocky seria mergulhar de cabeça nesse tema. Outros filmes norte-americanos de ação tiveram esse enredo de colocar um ianque como mocinho e “vilanizar” qualquer pessoa do Leste Europeu.

Mais de 30 anos depois, o contexto político foi alterado com o capitalismo mandando e desmandando no Planeta, no entanto, o terrorismo, brigas por recursos naturais (petróleo) e rusgas entre líderes políticos seguem à tona. Pelo menos, a sequência de Creed e a aparição da família Drago não tem nada a ver com os conflitos ideológicos, por mais que o presidente dos EUA, Donald Trump, queira apagar incêndio com querosene.

Diálogos

Em Rocky IV, Balboa quer largar a carreira após a morte de Apollo. No entanto, Drago tem apetite em desafiar o ‘Garanhão Italiano’. Com receio de perder o marido, Adrian aconselha para que não aceite o desafio e o ‘Garanhão Italiano’ questiona para sua esposa se “não seria capaz de derrotar Drago” e aceita lutar – bem, não é com essas palavras, mas o contexto é esse.

No filme de B. Jordan, o diálogo é parecido, só que, ao invés de Adrian, Rocky busca aconselhar o jovem que não é uma boa ideia. Adonis pergunta se não seria capaz de vencer Viktor, e bravo, resolve aceitar o desafio e que irá lutar seja com ou sem Balboa. No primeiro momento, o jovem troca de treinador e se dá mal ao ser gravemente ferido.

“Olhar para dentro”, motivação e treinamento

Como derrotar uma máquina de dar socos? A resposta de 33 anos atrás se resume ao filme atual: “olhar para dentro”, motivação e treinamento. Os dois estão com aquela sensação de “terra arrasada”, família consolidada e ignoram suas esposas quando decidem lutar contra os Drago. No caso de Rocky, a presença de Adrian na Rússia, enquanto ele treina para a revanche foi uma motivação extra para conseguir o objetivo de vingar o amigo. Já Adonis, tem o nascimento da filha Amara para continuar firme para vencer Viktor.

Quanto aos treinamentos, Balboa encarou o frio russo e condições precárias para fazer a luta da sua vida. Adonis precisou se esforçar o dobro para encarar o filho de Ivan e Balboa leva seu pupilo ao deserto falando que, para lutar de igual para igual teria que conhecer o “inferno”.

Lutas nos dois países

Estados Unidos e Rússia foram sedes dos embates entre Rocky&Adonis vs Família Drago. No filme de 1985, Las Vegas foi o palco da fatídica luta entre Apollo vs Ivan. Com direito a show de James Brown, Creed mostrou o seu lado dançarino ao dar os primeiros jabs no adversário, mas o final todos sabem: nocaute com requintes de crueldade, morte de Apollo e Drago foi declarado vencedor.

Na atual versão, o primeiro embate acontece em solo americano, com Adonis soltando uns golpes, mas assim como há mais de 30 anos, Drago filho parte para cima, golpeia diversas vezes e o seu treinador, Tony “Little Duke” (Wood Harris), filho do antigo treinador de Apollo, Tony Evers (Tony Burton), queria jogar a toalha para encerrar a luta, mas Adonis não permitiu – mesma cena em Rocky IV. Adonis ficou gravemente ferido, manteve o cinturão, pois Viktor foi desclassificado por aplicar um golpe ilegal.

Para uma revanche, nada como lutar na casa do adversário e Moscou foi o palco. No confronto entre Balboa vs Drago ‘pai’, um clima totalmente hostil, o público a favor de Ivan, todos de pé para o hino soviético e o chefe de Estado nas tribunas. O ‘Garanhão’ resistiu a todos os rounds e venceu por nocaute, com direito ao público russo aplaudir o ianque.

Já no confronto entre Adonis vs Viktor, o Estádio Luzhniki (palco da abertura e encerramento da última Copa do Mundo) foi o cenário e a Rússia inteira estava do lado do filho de Ivan. Clima hostil e a entrada do filho de Apollo foi de arrepiar com a sua esposa Bianca cantando de forma desafiadora contra o público. Viktor mostrou o seu cartão de visitas, mas Adonis conseguiu resistir, cresceu no embate e eis que uma tolha resolvesse a parada, quando Drago ‘pai’ jogou para dentro do ringue enquanto seu filho estava prestes a ser nocauteado. Do mesmo jeito que aplaudiu Balboa, o público fez o mesmo com Adonis, que a partir de agora passa a construir o seu legado.

Que venha o terceiro filme e quais referências teremos?

CONFIRA NÚMEROS E CURIOSIDADES DE JOGADOR N°1

Dirigido por Spielberg, longa está em cartaz nos cinemas brasileiros

A Warner Bros. Pictures divulga números e curiosidades sobre o longa Jogador Nº1, dirigido por Steven Spielberg e estrelado por Tye Sheridan, Olivia Cooke, Mark Rylance e Ben Mendelsohn. O filme segue em cartaz nos cinemas brasileiros. Confira abaixo:

jogador-numero-1
“Jogador Nº1” está em cartaz nos cinemas. (Foto: Divulgação)

1º       … longa-metragem ambientado em um universo virtual do diretor que mudou o jogo e cujos filmes revolucionários transformaram as bilheterias, reformularam a cultura, conquistaram Oscars e inspiraram gerações de criadores… incluindo o autor e co-roteirista de Jogador Nº1, Ernest Cline.

1º       … livro de Ernest Cline, cuja história prevê um futuro imerso na cultura pop dos anos 80. Publicado em 2011, Jogador Nº1tornou-se um fenômeno mundial, impresso em 58 países e traduzido para 37 idiomas. Para Cline, ver sua visão ganhar vida através dos olhos do icônico cineasta que ajudou a moldá-la é, “mais do que um sonho tornado realidade – não é nem mesmo um sonho que eu ousaria ter sonhado”.

2        … produções foram feitas: uma filmada no estúdio da Warner Bros. em Leavesden, Inglaterra, que ampliou as fronteiras das tecnologias de produção de filmes digitais; a outra é um filme em live action tradicional filmado em sets e locações reais em todo o Reino Unido – perfeitamente costurado por Spielberg e sua equipe para levar o público em um passeio selvagem para o futuro de Jogador Nº1.

2        … versões do mesmo personagem foram feitas pelo jovem elenco – uma de carne e osso e outra digital – que se unem nos dois mundos para se tornar o grupo de heróis improváveis conhecidos como Os Cinco do Topo:

·         Tye Sheridan como Wade Watts, um tímido solitário cujo avatar, Parzival, é tudo o que ele deseja ser;

·         Olivia Cooke como Samantha (também conhecida como Art3mis no jogo), uma lenda do OASIS que é tão destemida como sua versão digital;

·         Lena Waithe como a melhor amiga de Parzival, Aech, meio-homem, meio-máquina e durona tanto na vida real quanto no OASIS – apenas de um gênero diferente – como Helen;

·         Win Morisaki como o tímido Toshiro (também conhecido como Daito), um poderoso e altamente letal guerreiro samurai no OASIS;

·         Philip Zhao como Sho, um mestre das artes marciais chinês que na vida real é um sarcástico garoto de 11 anos chamado Zhou.

3º       … filme mais difícil que Spielberg já fez, de acordo com ele mesmo, depois dos sucessos lendários ‘Tubarão’ e ‘O Resgate do Soldado Ryan’ – todos difíceis pelo mesmo motivo: o desafio de criar uma experiência cinematográfica que pareça palpavelmente real para o público – colocando-os no barco de pesca Orca nas praias de Amity Island, na linha de fogo de Omaha Beach, e atravessando uma maravilha digital que confunde a linha entre o real e a vida digital.

6        … torres nas Pilhas de Columbus foram construídas a partir de 60 trailers transportados para Leavesden, depois empilhados camada por camada em uma espinha dorsal de vigas de aço pesadas em uma colaboração entre o departamento de arte de Stockhausen, liderado pelo diretor sênior de arte Stuart Rose, e as equipes de efeitos especiais e acrobacias. Uma vez que Spielberg e seu elenco e equipe finalizaram as sequências nas Pilhas no enorme set – tão grande que podia ser visto da autoestrada M25 – os artistas da Digital Domain aumentaram e expandiram em 10 vezes a paisagem urbana decadente vista no filme.

9        … veículos icônicos entre os muitos que se acidentam na Nova York hiper-estilizada durante o trailer do filme – o DeLorean de Parzival; a moto de Kaneda, do anime ‘Akira’, pilotada pela Art3mis; e Aech ao volante do caminhão-monstro Bigfoot em uma corrida virtual com lendas como o Interceptor de ‘Mad Max’, o Mach 5 de ‘Speed Racer’, o Plymouth Fury 1959 do filme ‘Christine – O Carro Assassino’, a van de ‘Esquadrão Classe A’, o carro de F1 de ‘Pole Position’ e o Batmóvel de 1966.

13      … semanas foram necessárias para completar a fotografia principal no Jogador Nº1, com o elenco e a equipe capturando as cenas do OASIS em Leavesden antes de filmar a parte de live action em Birmingham, Londres e Sun Park, Surrey.

14      … meses após a gravação de Jogador Nº1, Tye Sheridan finalmente conseguiu ver Parzival renderizado enquanto estava no palco com seu companheiro de elenco Simon Pegg, dando aos fãs brasileiros uma prévia do filme na Comic Con Experience em São Paulo.

19      … anos depois de fazer sua inesquecível estreia no clássico de animação homônimo de Brad Bird, o Gigante de Ferro retorna à tela grande para unir-se aos Cinco do Topo na épica batalha final de Jogador Nº1.

80%    … das referências da cultura pop no roteiro foram liberadas para aparecer em Jogador Nº1, abrindo caminho para uma colisão épica de ícones como King Kong, Coringa, Mobile Suit Gundam, Gandalf, Chucky, Freddy Krueger, Lara Croft, Duke Nukem, o Master Chief de ‘Halo’, as avestruzes de ‘Joust’, Dizzy Wallin de ‘Gears of War’, Chun-Li, Blanka, Sagot e Ryu de ‘Street Fighter’, e muitos, muitos mais – um feito incrível realizado pelo supervisor de projetos especiais do filme, Deidre Backs.