Arquivo da tag: Suíça

6 estações de esqui para aproveitar o melhor da temporada de neve no hemisfério norte!

Enquanto no hemisfério sul – e especialmente aqui no Brasil – estamos no auge do verão, as estações de esqui mais charmosas e famosas do hemisfério norte já estão cobertas de neve e repletas de atrativos para a alta temporada. E para os apaixonados por esportes de inverno, iniciantes ou não, já é hora de se programar e aproveitar o que há de melhor e mais exclusivo em termos de esqui e snowboard.

Pensando nisso, a Interpoint Viagens e Turismo, agência de viagens especializada em viagens de luxo e experiências de esportes de inverno, selecionou 6 estações de esqui imperdíveis na Europa e nos Estados Unidos.

  • Lech, Arlberg – Áustria
(Foto: Divulgação)

No oeste da Áustria, na região de Arlberg, a simpática cidade de Lech surge como um dos melhores destinos para a prática de esqui no mundo. Com a vantagem de ser um dos picos mais nevados de toda a Europa, Lech oferece cerca de 340 quilômetros de pistas para todos os níveis de dificuldade e é o único lugar de toda a Áustria para a prática de Heli Ski – modalidade na qual permite acesso a pontos de neve virgem por meio de um helicóptero. Outra grande vantagem que o vilarejo dispõe é a proximidade dos chalés com as pistas, evitando longos deslocamentos por meio de teleféricos.

  • Snowmass, Aspen – USA
(Foto: Divulgação)

Em solo norte-americano, no estado do Colorado, situa-se um dos complexos de esqui mais balados do país. Com mais de 12 km² de pistas, declives, snowparks e halfpipes, o pico mais alto da montanha está a incríveis 3.813 metros e conta com o mais longo ski lift vertical dos Estados Unidos. A região também oferece uma grande variedade de condomínios e hotéis de alto padrão e reúne ruas com grifes internacionais, galerias de arte, cafés aconchegantes, bares, pubs e restaurantes e vida noturna pra lá de agitada. 

  • Courchevel, França
(Foto: Divulgação)

No velho continente, há a icônica estação de Courchevel, uma das mais luxuosas e badaladas do mundo. Separada por vilarejos nomeados de acordo com a sua altitude, a região, que é a mais alta, faz parte do complexo Les 3 Vallés, que consiste na junção das três maiores estações do destino – Courchevel, Méribel e Val Thorens -, para tornar-se a maior área esquiável interligada do mundo.

  • Crans Montana, Suíça
(Foto: Divulgação)

Do outro lado dos Alpes, na Suíça, em um vasto planalto, está situado o complexo de Crans Montana. Composto da junção de duas estações de esqui, as quais formam o maior resort do país, o local agrada tanto os esquiadores principiantes quanto os mais experientes. 

  • Jackson Hole, Wyoming – USA
(Foto: Divulgação)

Aproveite o espírito do Velho Oeste no ski resort Jackson Hole: música country, fachadas de madeira, natureza intocada, paisagens alucinantes. Para quem sabe esquiar, o lugar oferece uma mistura de terrenos verticais e intermediários para aperfeiçoar qualquer tipo de manobra de ski ou snowboard. A estação de ski também tem ótima infraestrutura para crianças e iniciantes. Destaque para passeios em trenós puxados por cachorros, excursões em cross-country para os vizinhos Parque Nacional de Yosemite e National Elk Refuge, com seus grandes paredões e a possibilidade de vista de alces e búfalos.

  • Mammoth, Califórnia – USA
(Foto: Divulgação)

Mammoth Mountain é, inquestionavelmente, uma das melhores montanhas para esqui alpino do mundo. Com 3.500 acres de áreas esquiáveis e 3.369 metros de altura, a região recebe, em média, mais de 9 metros de neve anualmente e é muito procurada por todos os estilos de esquiadores. Escolha entre os grandes bumps ou os enormes bowls, caso tenha experiência. Para os iniciantes, há quilômetros de pistas demarcadas que rendem muita diversão. 

Para mais informações sobre pacotes e destinos:
Interpoint Viagens e Turismo
Tel: +55 11 3087-9400
www.interpoint.com.br 

Descubra as maravilhas da Suíça no verão

Campanha do Switzerland Tourism propõe diversas experiências para o viajante curtir a estação mais vibrante do ano

No verão, as maravilhas naturais da Suíça – extensos vales emoldurados pelas majestosas montanhas dos Alpes e uma série de lagos –, sem contar as cidades que são lindas e superorganizadas, ficam ainda mais irresistíveis, convidando os visitantes para explorações outdoor além das atrações compostas por inúmeros festivais e eventos. Para ajudar os turistas a se programar para a estação mais vibrante do ano, o Switzerland Tourism, escritório oficial de promoção turística no Brasil, selecionou algumas experiências imperdíveis.

As key stories de verão seguirão o tema “Back to Nature”, reunindo experiências ao ar livre que inspiram os visitantes a descobrir a Suíça pelo viés de suas belezas naturais. Assim, o foco são as rotas de bicicleta, que vão de singelas pedaladas nas ciclovias das pitorescas cidades suíças a percursos radicais de mountain bike nos Alpes. Mas não é só: a iniciativa também propõe uma viagem pelos inovadores conceitos gastronômicos praticados nos restaurantes de Zurique e sugere, em vários outros cantos do país, passeios charmosos e aulas e degustações de queijos e chocolates, as delícias suíças por excelência, além de vinhos surpreendentes.

image001.jpg
Verão na Suíça é local de belas paisagens. (Foto: Divulgação)

Suíça sobre duas rodas

Não bastassem os impressionantes 12 mil quilômetros de ciclovias sinalizadas, na Suíça os bikers encontram toda uma diversidade cultural e cênica enquanto circulam sobre duas rodas, em percursos que podem ser feitos na cidade; nas estradas (mais informações em MySwitzerland.com/roadcycling), passando por colinas suaves e pelos dramáticos passes alpinos, dos quais 17 situam-se acima de 2 mil metros de altitude; e nas montanhas (informações em MySwitzerland.com/mtb), que rendem tanto descidas emocionantes por trilhas nos Alpes como percursos moderados pelos pré-Alpes e ao redor de lagos cintilantes. Não importa se o viajante quer apenas uma pedalada descontraída ou um desafio épico: na Suíça ele encontrará diversas rotas incríveis e perfeitamente sinalizadas, além de hotéis que oferecem o melhor serviço para o ciclista e sua “magrela”, como lugares para guardá-la, limpeza de artigos esportivos e pessoal preparado para dar informações sobre as rotas. Esses meios de hospedagem podem ser pesquisados em MySwitzerland.com/bikehotels.

A gastronomia inovadora de Zurique

Qualquer que seja o roteiro em terras suíças, Zurique é a porta de entrada para os encantos do país, especialmente para quem chega de avião. Metrópole dinâmica, com infraestrutura excepcional, vida noturna diversificada e rico patrimônio cultural, a cidade ainda exibe conceitos únicos de restaurantes e ideias gastronômicas inovadoras, como o primeiro “restaurante no escuro” do mundo: o Blindekuh abriu as portas em 1999 e, desde então, foi mundialmente replicado. Na região de Zurich-West, o Frau Gerolds Garten fica entre edifícios de escritórios modernos e fábricas antigas – um oásis urbano onde, no verão, um restaurante ao ar livre divide espaço com um jardim, lojas e arte. Ali perto, os arcos de um viaduto histórico foram transformados em lojas e mais restaurantes, a exemplo do Viadukt, com um cardápio de pegada leve e saudável. A propósito, Zurique é um paraíso para vegetarianos e veganos: a cidade abriga o restaurante vegetariano mais antigo do mundo, o HausHiltl, de 1898, com pratos que passeiam pelos sabores do mundo todo, e ele ainda oferece aulas de culinária. Porém, a passagem pela cidade não fica completa sem uma degustação dos deliciosos chocolates suíços – é preciso provar também a hüppen, biscoito recheado de creme de chocolate e especialidade local. O negócio, então, é visitar a fábrica da Lindt, onde um maître chocolatier mostra como saborear o chocolate com os cinco sentidos. Ou, então, fazer algum dos muitos tours que Zurique dedica a essa doce iguaria.

A Riviera suíça: très gourmand

Montreux e Lausanne, às margens do Lago Genebra, estão entre as cidades suíças mais famosas. E saborosas. Montreux abriga o badalado Festival de Jazz, que todos os anos, em julho, faz ferver a cidade, e é de lá que parte o Trem do Chocolate (de maio a outubro) e o Trem do Queijo (de janeiro a março). O primeiro visita Gruyères, terra do laticínio homônimo, e a fábrica da Cailler-Nestlé, em Broc, com direito à degustação de chocolates. Já o Trem do Queijo leva a Château-d’Oex, onde os participantes aprendem como o leite é processado em queijo e, em seguida, saboreiam uma deliciosa fondue orgânica servida em um restaurante local. O que pouca gente sabe é que aquelas redondezas, mais especificamente a região de Lavaux, são repletas de vinhedos, os quais são considerados Patrimônio Mundial da Unesco. Distribuídos em uma superfície de 800 hectares em forma de terraços, os parreirais podem ser vislumbrados em um tour a bordo do Trem do Vinhedo, que parte da estação de Chexbres-Village e faz paradas ao longo do caminho, onde os participantes percorrem uma trilha educativa, que conta a história dos vinhedos e especifica as variedades de uvas cultivadas ali, e, claro, provam os preciosos vinhos locais no Vinorama, um centro de degustação bem em meio à plantação de uvas.

 

Passeio de iate em Lucerna. E experiência na neve também

No verão, Lucerna, às margens do lago homônimo, oferece um tour glamouroso: um passeio a bordo do moderno iate MS Saphir. Com características únicas com o teto reversível no convés superior, terraço aquático no convés principal e mobiliário customizado, a embarcação proporciona uma deliciosa experiência de luxo. Pegue o audioguia informativo, disponível em português e em mais dez línguas, e aproveite as informações sobre as principais atrações da Baía de Lucerna à medida que elas se revelam. E não é porque é verão que o turista não tem direito a curtir uma experiência na neve – e, de quebra, cheia de emoção. Acessada pelo teleférico Ice Flyer, a Titlis Cliff Walk é uma cênica e estreita ponte suspensa construída no alto da montanha Titlis, que se estende por cem metros a 3.041 metros de altitude e a 500 metros do chão, na qual o visitante precisará de nervos tão fortes quanto os cabos de aço que sustentam a estrutura. A travessia começa em um túnel subterrâneo escavado na formação rochosa e desemboca na ponte, que termina em uma plataforma de observação com uma parede de vidro e descortina um visual estonteante dos Alpes.

 

Mais delícias e pedaladas na região de Berna

Tanto quanto o leite, o encanto da paisagem montanhosa e as histórias que envolvem a fabricação do queijo caracterizado por ser cheio de buracos também são ingredientes importantes para a produção do verdadeiro emental, que teve origem na região de Berna. No vilarejo de Affoltern, vale visitar o Emmental Show Dairy, que mostra o processo de feiúra do queijo tanto da maneira artesanal como por métodos mais modernos. O espaço reúne dois restaurantes que servem especialidades regionais e lojas, que vendem de souvenires a doces e, claro, o especialíssimo queijo emental. Outra experiência literalmente deliciosa no Vale do Emental é a realizada na fábrica da centenária Kambly, a marca de biscoitos mais popular da Suíça, situada em Trubschachen. Além de comprar todas as opções de bolachas da empresa – são mais de cem variações! – e fazer um pit stop na cafeteria local, ali crianças e adultos participam de oficinas comandadas pelos mestres confeiteiros da Kambly e ajudam a assar e decorar bolachinhas e pretzels. Para descobrir a vizinhança de maneira ativa, aproveitando os dias quentes e longos do verão, aposte nas bicicletas elétricas (e-bikes), alugadas em pontos como Berna, que, em maio de 2018, inaugura seu sistema público de compartilhamento de bicicletas, o PubliBike.

Eventos

Uma programação variada de atividades durante os dias mais quentes do ano ajuda a tornar a viagem à Suíça ainda mais movimentada a partir de abril. Entre as opções há exibições de arte, feiras, festivais, atividades gastronômicas e muito mais. A 21ª edição do show de rock SnowpenAir, por exemplo, ocorre em 7 de abril, em KleineScheidegg, tendo a escocesa Amy Macdonald como a atração principal. Já os amantes da literatura têm a chance de participar do 23º Festival Internacional de Literatura, em Leukerbad, de 29 de junho a 1º de julho.

Aqueles que apreciam um bom uísque podem provar variedades da bebida de todo o mundo durante os dois dias do Jungfrau Whisky Festival, em Intelaken, em 4 e 5 de maio. Já as crianças fazem a festa no Festikids Openair, em Fribourg, em 11 de junho. A agenda completa pode ser acessada no link https://www.myswitzerland.com/en-ch/service-updates/events.html.

Suíça selvagem

Da quase extinção para um dos grandes atrativos dos Alpes Suíços, a cabra montesa é o animal queridinho das montanhas

A região de Interlaken, na Suíça, oferece uma gama de possibilidades de atividades a todo turista que visita o país. Conhecida como a capital da aventura, Interlaken é uma região de beleza única. Um dos lugares com as vistas mais belas e um conjunto de montanhas com paisagens de tirar o fôlego, o destino também é uma ótima pedida para aqueles que querem observar animais selvagens de perto.

A região de Interlaken na Suíça é conhecida por ser um famoso ponto de observação de animais selvagens_ Créditos - Switzerland Tourism.jpg
Alpes Suíços oferece atividades a todos os turistas. (Foto: Switzerland Tourism)

De junho a outubro, a montanha Niederhorn torna-se um dos principais pontos de observação animal. Com a privilegiada vista do Lago Thun e dos Alpes da região, o passeio torna-se ainda mais atraente.

O personagem principal desse espetáculo selvagem é o íbex-dos-alpes, mais conhecido como cabra montesa. Esse belíssimo animal pode atingir até 100 kg e um metro de altura, sendo que seus chifres podem chegar a um metro. Ou seja: uma presença imponente para a atividade de observação.

A majestosa espécie adorna o brasão de mais de 50 cidades e vilarejos na Suíça. Ela é o símbolo do grupo ambientalista suíço Pro-Natura e também está no logotipo da marca de cerveja local Calanda.

Com habilidades de escalada que deixam até os mais talentosos alpinistas com inveja, a cabra montesa é um atrativo para aqueles que procuram se aproximar dos animais e, de quebra, realizar essa tarefa com o cenário impressionante dos Alpes Suíços.

Existem ainda cerca de 15.000 espécimes de íbex na Suíça, o que é relativamente surpreendente, pois na primeira metade do século passado eles foram caçados até sua quase extinção. Em Niederhorn, pode-se ver muitos desses animais de perto. “Os íbex não são caçados aqui, por isso são tão amigáveis”, explica Urs Grossniklaus, especialista em vida selvagem e guia turístico da região há mais de 10 anos.

Serviço:

Passeio de observação da vida selvagem em Niederhorn

Preço: Grupos (19,50 francos suíços para crianças e 39 francos suíços para adultos) | Tour privado (a partir de 300 francos suíços)

Duração: aproximadamente 5 horas

Mais informações: https://goo.gl/fPzG0F

Três roteiros clássicos de viagens de trem na Europa

Conheça os destinos que não podem faltar em sua primeira visita ao Velho Continente

Europa reúne os destinos mais procurados por viajantes do mundo todo e, para conhecer as suas belas paisagens, nada melhor do que utilizar a sua extensa malha ferroviária.

Além de conforto e pontualidade, os trens proporcionam uma viagem segura e tranquila até mesmo para os turistas de primeira viagem, com estações bem localizadas, conectividade com os transportes públicos e sem a necessidade de check-in.

A Rail Europe, líder em distribuição de bilhetes e passes dos trens europeus, elaborou três roteiros clássicos de viagem pelo Velho Mundo imprescindíveis no itinerário de suas férias. 

Jungfraujoch - Top of Europe - Suíça.jpg
Rail Europe dá dicas de roteiro de trem pele Europa. (Foto: Divulgação)

1. Roteiro: Londres – Paris – Bruxelas – Amsterdã

Os principais destinos da Europa e que todo turista deve conhecer. Em Londres, visite os museus – a maioria tem entrada gratuita – e os icônicos pontos turísticos London Eye, Big Ben e Palácio de Buckingham. A bordo do trem Eurostar, após 2h20 de viagem, a chegada em Paris já evidencia a arquitetura magnífica da capital da França. Reserve tempo para admirar a Torre Eiffel enquanto descansa do itinerário intenso de passeios.

Os trens da Thalys levam os viajantes com rapidez e comodidade para Bruxelas. Caminhe por entre as pequenas ruas da metrópole belga e experimente as delícias típicas: chocolate, cerveja e batatas fritas. A mesma companhia faz o trajeto até Amsterdã. Com sua vida noturna agitada, é ideal para quem busca muita diversão. O passeio de barco pelos canais e o emocionante Museu Anne Frank são atividades obrigatórias.

2. Roteiro: Veneza – Florença – Roma

A partir da romântica Veneza, onde o melhor é se perder por entre as ruas estreitas e admirar as obras-primas da arquitetura em meios aos canais, se inicia o roteiro pelas principais cidades turísticas da Itália. O trem de alta velocidade até Florença sai da estação Santa Luzia diariamente e a viagem tem 2h de duração. Capital do Renascimento, é um museu a céu aberto e com opções para todos os gostos.

Ao embarcar para Roma, reserve um lugar na janela para admirar as paisagens bucólicas durante o trajeto de 1h30. Além disso, programe-se para não perder nenhum detalhe da capital, que reúne um acervo vasto e impressionante de arte, esculturas e construções majestosas.

3. Roteiro: Zurique – Lucerna – Interlaken

A Suíça conta com uma eficiente rede ferroviária, o que proporciona facilidade de locomoção aos turistas que visitam o país. Em Zurique, percorra o centro histórico, a orla e faça um passeio de barco pelo lago. A menos de 1h de trem da capital, Lucerna encanta por suas belezas arquitetônicas – com suas charmosas construções medievais – e naturais, pois está rodeada pelos alpes nevados.

Um dos principais destinos turísticos do país, Interlaken está a cerca de 2h de Lucerna, viajando de trem. É o ponto de partida para a famosa subida ao complexo “Top of Europe”, a estação de trem mais alta da Europa. O local conta com um parque de diversões nas alturas, além de muita neve, esculturas de gelo e vista de tirar o fôlego.

Nestlé comemora 150 anos com exposição na House of Switzerland (Baixo Suíça) no Rio de Janeiro

Mostra trará curiosidades sobre os produtos adorados pelos brasileiros, como o Leite Moça, Farinha Láctea e Nescafé, além de apresentar para brasileiros e turistas do mundo inteiro a história e a tradição da Nestlé com o Brasil

A partir do dia 1º de agosto, poucos dias antes da abertura oficial de um dos maiores eventos esportivos do mundo, brasileiros e turistas terão a oportunidade de estarem mais próximos da Suíça. No ano em que a Nestlé celebra seu aniversário de 150 anos, nada mais emocionante do que comemorar a data no Brasil – país que faz parte da história da Nestlé desde 1921 – durante a realização desse evento esportivo fantástico.

Nestlé realiza exposição para comemorar seus 150 anos. (Foto: Divulgação)
Nestlé realiza exposição para comemorar seus 150 anos. (Foto: Divulgação)

Depois do enorme sucesso do “Baixo Suíça“, forma amistosa como a House of Switzerland foi apelidada pelos cariocas na Copa de 2014, a Casa volta a ser construída no coração da Cidade Maravilhosa, num espaço de 4.100 m² distribuídos em três casas e um parque ao ar livre situados na margem da Lagoa Rodrigo de Freitas. Totalmente sustentável, a construção seguiu os padrões da norma europeia (European Passive House) e a previsão é de que 450 mil pessoas ao longo de agosto e setembro passem pelo local para celebrar as culturas do Brasil e da Suíça.

Além de acompanharem a todos os jogos pelos telões espalhados pelo local, os fãs de esporte e público em geral também terão mais um atrativo. Em comemoração aos 150 anos da Nestlé, uma exposição inédita sobre a marca que está presente em 99% dos lares brasileiros estará aberta para visitação gratuita. Em um espaço de 50 m², a mostra trará histórias sobre os produtos queridos pelos brasileiros, como o Leite MoçaFarinha Láctea, Chocolate Nestlé Nescafé. Além disso, o restaurante e os bares disponibilizarão café Nespresso Nestlé Água Pureza Vital para os visitantes e convidados.

Entre as curiosidades que fazem parte da exposição estão, por exemplo, a história sobre o famoso Leite Moça. O produto recebeu este nome depois que os brasileiros começaram a identificá-lo como o “leite da moça“, em referência à jovem camponesa suíça estampada no rótulo da embalagem. O leite condensado é também o começo da história da Nestlé Brasil: Em 1921, a empresa instalou a primeira fábrica na cidade paulista de Araras, para a produção do leite condensado. A Farinha Láctea, outro exemplo de produto que também estará na exposição, foi inventado em 1867 pelo fundador da empresa, Henri Nestlé. O produto nasceu com o propósito de ajudar a combater a desnutrição infantil na Suíça e depois de nove anos conquistou os brasileiros.

Você sabia que o Brasil é o 4° maior mercado do Grupo com vendas de CHF 3.9 bilhões? A Nestlé tem 31 unidades industriais, emprega mais de 22 mil colaboradores diretos e gera outros 220 mil empregos indiretos, que colaboram na fabricação, comercialização e distribuição de mais de 1 mil itens.

Hoje, pessoas do mundo todo consomem atualmente mais de um bilhão de porções de produtos Nestlé por dia e mais de 189 países contam com produtos que oferecem soluções em nutrição, saúde e bem-estar. Os negócios da empresa abrangem bebidas, águas, produtos lácteos, confeitos, petcare, e produtos para cuidados da pele. O portfólio conta com mais de 2 mil marcas. Em 2011, a empresa ampliou sua liderança criando a Nestlé Health Science, divisão que tem o objetivo de desenvolver produtos nutricionais destinados aos cuidados com a saúde, para melhorar a saúde do cérebro ou a saúde dos idosos.

Essas inovações ajudarão a Nestlé a abordar os desafios globais da desnutrição, o crescente envelhecimento populacional e a obesidade. Ao celebrar 150 anos, a Nestlé está convencida de que para ter sucesso no longo prazo, precisa criar valor para seus acionistas, as comunidades em que opera, e a sociedade como um todo. É uma convicção que consagra os valores de Henri Nestlé, na medida em que a empresa volta seu olhar para os próximos 150 anos de “Nestlé Faz Bem”.

“Somos uma empresa suíça, com 95 anos de presença só no Brasil, país com o qual firmamos um compromisso sólido e de longo prazo. Portanto é, para nós, motivo de grande honra o fato de celebrarmos os 150 anos da Nestlé no Rio de Janeiro, na House of Switzerland. Nossa missão é valorizar a vida das pessoas, por meio da nutrição baseada em avanços científicos e criar valor para nossos consumidores e também para toda a sociedade. Como empresa líder em nutrição, saúde e bem-estar, investimos e inovamos constantemente em nossas marcas e produtos para, assim, continuarmos por muitos anos nossa rica história”, afirma Juan Carlos Marroquín, presidente da Nestlé Brasil.

Baixo Suíça (House of Switzerland)

Endereço: Lagoa Rodrigo de Freitas, campo de beisebol, perto do Corte do Cantagalo

Funcionamento: do dia 1/08 a 18/09

Horário: Segunda a Domingo, das 11h às 23h.

*Entre os Jogos Olímpicos (de 22.08 a 06.09)

De Terça a Sexta, das 17h às 23h / Sábado e Domingo, das 11h às 23h