Arquivo da tag: Suspense

ALÉM DE “A CASA SOMBRIA”: OUTROS FILMES DE TERROR E SUSPENSE DA SEARCHLIGHT PICTURES

Filme de David Bruckner e estrelado por Rebecca Hal, em exibição nos cinemas, é mais um dos títulos que provam a excelência do estúdio nos gêneros

Dirigido por David Bruckner (O Ritual), A Casa Sombria – da Searchlight Pictures – está em cartaz nos cinemas e conta a história de Beth (Rebecca Hall), uma viúva que lida com a morte inesperada do marido e vive sozinha em uma casa à beira do lago que ele construiu. Quando passa a ter visões perturbadoras de uma presença na casa, a protagonista começa a vasculhar os pertences de seu marido, ansiando por respostas. O que ela descobre são segredos terríveis e um mistério que está determinada a resolver.

Fundada em 1994 como Fox Searchlight Pictures, a Searchlight Pictures hoje faz parte da The Walt Disney Studios. Seus títulos arrecadaram mais de US$ 5,3 bilhões em todo o mundo e acumularam mais de 100 prêmios, incluindo estatuetas do Globo de Ouro, do BAFTA e do Oscar. A Casa Sombria, que conquistou 86% no Rotten Tomatoes – site especializado que compila as principais críticas de filmes e séries – não é o primeiro, nem o último filme de terror e suspense da Searchlight Pictures. Confira, abaixo, outros longas que provam a excelência do estúdio nos gêneros – incluindo lançamentos futuros!

Extermínio – Os Dias Estão Contados (2002)

(Foto: divulgação)

Nesse filme dirigido por Danny Boyle e estrelado por Cillian Murphy, um vírus poderoso, que deixa as vítimas em um estado permanente de raiva assassina, transformou o mundo em uma terra aparentemente desolada e devastada. Agora, um pequeno grupo de sobreviventes deve lutar para se manterem vivos, sem saber que o pior ainda está por vir. O filme ganhou uma sequência, Extermínio 2, em 2007 – ambos disponíveis no Star+.

REC (2007)

(Foto: divulgação)

REC é o primeiro de uma franquia de quatro filmes no estilo found footage, subgênero do terror que passa uma ideia documental, com elementos que criam um clima realista. No filme, um repórter de televisão e um cinegrafista acompanham uma equipe de emergência para um prédio escuro, ficando presos dentro de algo assustador. O filme espanhol foi muito bem recebido pelos críticos, com 89% de aprovação no Rotten Tomatoes, e recebeu prêmios na época, como Prêmio de Melhor Filme do Fantasporto (Festival Internacional de Cinema Fantástico do Porto) em 2008 e Melhor Indie/Produção Estrangeira no Reaper Award 2009.

Cisne Negro (2010)

(Foto: divulgação)

Assim como A Casa Sombria, o clássico Cisne Negro se encaixa no gênero de suspense psicológico. No filme de Darren Aronofsky, Natalie Portman vive uma bailarina que luta para manter sua sanidade mental durante o maior desafio de sua carreira: interpretar a Rainha Cisne em uma adaptação de “O Lago dos Cisnes”. Ela é instigada ao máximo por seu determinado diretor artístico e ameaçada por uma sedutora bailarina rival.

O filme, que está atualmente disponível no Star+, recebeu 257 indicações e 92 vitórias a diversos prêmios, incluindo cinco indicações ao Oscar nas categorias de Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Fotografia, Melhor Montagem e Melhor Atriz – em que Natalie Portman venceu a categoria, assim como em muitos outros prêmios, como nos Prêmios Globo de Ouro, Screen Actors Guild e BAFTA. Além disso, Cisne Negro foi a quinta produção de terror a ser nomeada na categoria de Melhor Filme, depois de O Exorcista (1973), Tubarão (1975), O Silêncio dos Inocentes (1991) e O Sexto Sentido (1999).

Casamento Sangrento (2019)

(Foto: divulgação)

Também disponível no Star+, o filme é protagonizado por Samara Weaving e acompanha uma noite de núpcias que toma um rumo sinistro quando os sogros da noiva a obrigam a participar de um jogo aterrorizante.

Espíritos Obscuros (2021)

(Foto: divulgação)

No dia 28 de outubro, estreia nos cinemas nacionais Espíritos Obscuros, filme dirigido por Scott Cooper (Coração LoucoTudo por Justiça) e produzido pelo aclamado Guillermo Del Toro (A Forma da ÁguaO Labirinto do Fauno). Na trama, uma professora (Keri Russel) da cidadezinha do Oregon e seu irmão (Jesse Plemons), o xerife local, descobrem que um jovem estudante (Jeremy T. Thomas) está abrigando uma criatura sobrenatural.

‘A Casa Sombria’ – Terror “água com açúcar”

Protagonizado por Rebecca Hall, longa decepciona fãs do gênero

Por Antonio Lemos

(foto: divulgação)

Assistindo ao trailer, dava para imaginar que ‘A Casa Sombria’ iria prender e assustar os fãs do gênero terror. Nada feito. Apesar do nome, o longa não tem nada de assustador, e nem a boa atuação de Rebecca Hall – de ‘Godzilla vs Kong’, ‘Iron Man 3’, entre outros – foi capaz de segurar a produção de David Bruckner durante quase 110 minutos de duração.

Na trama, Beth (Hall) está em processo de luto por conta do suicídio inesperado do marido, Owen (Evan Jonigkeit). Segundo a personagem, eles estavam juntos há 14 anos. Ela tenta o melhor que pode para se manter bem, mas acaba tendo dificuldades por conta de sonhos e visões perturbadoras de uma presença na casa construída pelo casal em frente a um rio e afastado de tudo.

Em determinado momento, a protagonista começa a descobrir que o doce e gentil Owen não tinha nada de bonzinho. Ele esconde segredos obscuros – desde livros, estátuas, que parece àqueles bonecos de vudu e mulheres parecidas com a personagem, dando a crer que havia um relacionamento fora do casamento -, todos pertinentes à aparição de uma sinistra casa invertida do outro lado de um lago, que espelha a própria residência que moram.

Geralmente vimos em filmes de suspense/terror aquele ator/atriz principal fazer de tudo para solucionar o mistério. ‘A Casa Sombria’ é ao contrário. Bruckner consegue deixar o espectador tanto quanto confuso com Hall, que, quando imaginamos que o negócio é real, na verdade, é um dos ‘trocentos’ sonhos durante as noites de sono.

As duas partes usa altas doses de mistério e referências ao obscurantismo e macabro, porém, quando chega a reta final, o filme começa a criar aquele potencial de te enganar quando você acha que tem todas as respostas possíveis e um verdadeiro desfecho. O filme esquece todo o clima de terror psicológico e suspense, abusa dos clichês com o duelo do “ser humano do bem contra o espírito do mal” e dá uma solução bem “água com açúcar” com o desfecho da protagonista.

A conclusão deixa a desejar. Primeiro, deixa em aberto se teria alguma continuação, depois, pelo fato de contradizer com o próprio enredo. Por fim, o luto é romantizado e subjetivizado sobre aceitação da perda, que soa mais engraçada do que profundo. Além disso, o lado obscuro de Owen deixa um verdadeiro buraco. Afinal de contas: o que motivaria o personagem de Jonigkeit a fazer tudo isso?

‘A Casa Sombria’ não entrega o que vendeu nos trailers, sem uma conclusão digna e nem o ato final que mudou o tom do longa. Bruckner foca mais na atuação de Hall para entregar uma trama focada no luto e na aceitação da perda. Se procura terror, espíritos e suspense, o filme, que estreiou nesta quinta-feira (23), não é indicado.

[Teaser Oficial e Primeiras Imagens] Leonardo DiCaprio e Jennifer Lawrence tentam salvar o mundo no teaser de Não Olhe para Cima

Estreia na Netflix: 24 de dezembro
Nos cinemas: 09 de dezembro
Direção: Adam McKay
Roteiro: Adam McKay
História: Adam Mckay & David Sirota
Produção: Adam McKay, p.g.a. & Kevin Messick, p.g.a.

Direção de Fotografia: Linus Sandgren, ASC, FSF
Designer de Produção: Clayton Hartley
Edição: Hank Corwin, ACE
Figurino: Susan Matheson
Trilha Sonora: Nicholas Britell

Elenco: Leonardo DiCaprio, Jennifer Lawrence, Rob Morgan, Jonah Hill, Mark Rylance, Tyler Perry, Timothée Chalamet, Ron Perlman, Ariana Grande, Scott Mescudi, Himesh Patel, Melanie Lynskey, Michael Chiklis, Tomer Sisley, Cate Blanchett e Meryl Streep
 

Sinopse: A estudante de astronomia Kate Dibiasky (Jennifer Lawrence) e seu professor, Dr. Randall Mindy (Leonardo DiCaprio), descobrem que um cometa está prestes a colidir com a Terra, mas ninguém parece se importar. Alertar a humanidade sobre o impacto fatídico da rocha do tamanho do Monte Everest não será nada fácil. Com a ajuda do Dr. Oglethorpe (Rob Morgan), eles embarcam em um tour midiático que vai do gabinete da indiferente presidente Orlean (Meryl Streep) e seu filho bajulador Jason (Jonah Hill) até as ondas de rádio do The Daily Rip, um programa matinal bem-humorado  apresentado por Brie (Cate Blanchett) e Jack (Tyler Perry). A apenas seis meses da colisão, chamar a atenção da mídia e de um público obcecado pelas redes sociais se mostra um desafio chocantemente cômico – o que será preciso fazer para o mundo apenas olhar para cima?

Não Olhe para Cima foi escrito e dirigido pelo ganhador do Oscar Adam McKay (A Grande Aposta) e tem um elenco estrelado que conta ainda com Mark Rylance, Ron Perlman, Timothée Chalamet, Ariana Grande, Scott Mescudi (mais conhecido como Kid Cudi), Himesh Patel, Melanie Lynskey, Michael Chiklis e Tomer Sisley.

A lenda de Candyman: Muito mais do que apenas um mito

Por Gabriela Fontes

A Lenda de Candyman. (Foto: divulgação)

O filme não se trata apenas de mais uma história de terror, seu vilão é mais frio e violento. Sua narrativa é crua, trazendo desconforto com cada mensagem política e manifesto contra o racismo, nos mostrando que os verdadeiros vilões não são monstros escondidos em espelhos ou embaixo de nossas camas, mas sim vivem como qualquer pessoa normal com sua verdadeira face em meio ao sofrimento dos negros.

O roteiro assinado por Jordan Peele (‘Nós’ e ‘Corra’), Win Rosenfwld (‘Infiltrados na Klan’) e Nia (‘The Marvels’), usa uma das lendas urbanas mais conhecidas dos Estados Unidos para mostrar a realidade vivida pela população negra de Chicago.

A invocação

A Lenda de Candyman. (Foto: divulgação)

A Lenda de Candyman conta a história de um pintor promissor e pouco conhecido no meio da arte, que vem buscando se reinventar para se manter relevante. Após perceber que estava fazendo o mesmo de suas obras antigas, busca inspiração na lenda urbana de Candyman, um assassino que aparece por meio de reflexos a quem falar seu nome cinco vezes em frente a um espelho.

O filme mescla o sobrenatural, nos mostrando a forma com que Candyman mata suas vítimas, e a realidade com a tensão racial nos bairros e a violência policial para com a população negra. A ideia do longa é debater temas presentes com a tensão psicológica já usada por Peele em outros filmes e mais uma vez que o terror não precisa ser apenas de forma abstrata, mas sim que podemos encontrar crueldade em cada esquina.

Contudo, o longa pouco passa tanta tensão se tratando de seus outros personagens. Enquanto o protagonista vive em uma atmosfera aterrorizante, seus coadjuvantes estão claramente seguros, não trazendo qualquer tipo de preocupação ao telespectador a respeito do que poderia acontecer com os mesmos.

Veredito

O filme mostra claras referências ao de 92 (‘O mistério de Candyman’), ainda que sua magia seja menor. Isso não o torna ruim, claro. Ele cumpre o que havia prometido nos trailers e ainda mostra a essência de Peele em cada cena de violência, com seu humor ácido e trilha sonora que incomoda até mesmo o mais ignorante dos ouvintes.

‘Caminhos da Memória’ – Filme para pensar e viver o presente

No primeiro trabalho de Lisa Joy nas telonas, filme mostra um clima futurista, resgate das memórias do protagonista, mas derrapa no roteiro

Por Antonio Lemos

Caminhos da Memória estreia nos cinemas. (Foto: divulgação)

Como seria se você pudesse pegar um registro de sua memória para conferir onde guardou seus objetos pessoais? Ou melhor: relembrar as boas lembranças de muitos anos atrás? Essa é a temática de ‘Caminhos da Memória’ (“Reminiscence”), lançamento da Warner Bros Pictures, que chega aos cinemas em 19 de agosto. Conhecida por seu trabalho como co-criadora de ‘Westworld’, série sci-fi da HBO, Lisa Joy usa e abusa do clima futurista e o resgate das memórias durante quase duas horas de filme.

“Você vai embarcar numa jornada. Uma jornada pela memória. Só o que tem a fazer é seguir a minha voz.”. Vocês ouvirão muito Nick Bannister (Hugh Jackman) dizer isso durante o longa, que passa no futuro – que pode ser bem próximo como podemos imaginar – com Miami e cidades costeiras submersas por conta do aquecimento global, calor intenso a ponto de as pessoas dormirem durante o dia e trabalhar em busca da sobrevivência no período noturno, e um cenário de desigualdade social com os ricos sãos e salvos em terra firme, enquanto os pobres estão largados nas ruas e com água para todo lado.

O personagem do “eterno Wolverine” é um veterano de guerra cujo emprego atual envolve o uso de uma máquina capaz de transportar as pessoas de volta às memórias do passado. Ao lado de Watts (Thandiwe Newton), ele dá aos clientes a chance de reviver a época antes da destruição, relembrar um parente falecido, investigar o passado de alguém para solucionar casos criminosos ou descobrir onde você deixou simplesmente um par de chaves. É por meio deste último item que sua vida começa a mudar ao se apaixonar pela estonteante Mae (Rebecca Ferguson). Logo de cara, a química dos dois é capaz de sair faísca, e todo esse jogo de atração e romance vira uma perigosa obsessão após o desaparecimento da moça e Bannister descobrir que ela não é bem aquela mulher por quem se apaixonou.

Os três protagonistas são essenciais para o funcionamento da trama. No papel do investigador, Jackman mostra uma boa química com Ferguson e consegue dar impacto necessário para as cenas de drama. Já Newton passa por um verdadeiro arco, cresce dentro do longa e mostra cumplicidade com Bannister.

‘Caminhos da Memória’ é aquele típico filme no qual precisa ficar com os olhos bem abertos para não ficar perdido. O filme abre espaço para focar nas consequências de olhar muito para trás e não para o presente, e percebemos isso na reta final, onde acontece uma reviravolta e não vamos estragar sua experiência em contar o que rolou. Vale o mistério nessas horas!

O porém do filme de Joy é o seu roteiro, que peca quanto ao desenrolar da trama, e por mais que seja “para pensar”, alguns desfechos nos deixam um pouco perdidos em algumas cenas. A Warner Bros. erra ao vender aquele clima “feliz” em sua conclusão, o que de fato não acontece e nem combina com o trabalho da autora.

No geral, o longa é bem produzido e consegue equilibrar efeitos especiais, trilha sonora e cenários naturais, além de contar com boa atuação romântica da dupla Jackman-Ferguson. A história é boa de assistir, faz pensar sobre não ficar tão apegado com o nosso passado e viver o presente intensamente, mas não espere algo fora do normal e surpreendente.

TEMPO, NOVO FILME DE M. NIGHT SHYAMALAN, GANHA TRAILER E PÔSTER OFICIAIS

Ilha paradisíaca esconde mistérios que fazem com que turistas envelheçam rapidamente 

A Universal Pictures divulga o primeiro trailer e o pôster oficial de Tempo, novo thriller misterioso e arrepiante do visionário cineasta M. Night Shyamalan. No longa, uma família decide relaxar em uma praia isolada durante o feriado e acaba se envolvendo em um grande mistério: todos começam a envelhecer rapidamente, de modo que suas vidas inteiras se resumem a um único dia.

Estrelado pelo vencedor do Globo de Ouro Gael García Bernal (Mozart in the Jungle da Amazon), Vicky Krieps (Trama Fantasma) e Rufus Sewell (The Man in the High Castle da Amazon), Tempo é inspirado na história em quadrinhos Castelo de Areia de Pierre Oscar Lévy e Frederik Peeters. A obra tem estreia prevista para o segundo semestre de 2021. 

(Foto: divulgação)

Crítica: Aqueles Que Me Desejam A Morte

Por Leticia Nunes

Aqueles Que Me Desejam a Morte chega aos cinemas. (Foto: divulgação)

Baseado no livro de Michael Koryta, e com roteiro do próprio, Aqueles Que Me Desejam a Morte, é um novo filme de suspense da Warner se inicia com o contador Jack (Aidan Gillen) assistindo uma explosão pela televisão junto com o Connor, seu filho, e desconfia que ele poderia ser o próximo junto com sua família. Pai e filho seguem em fuga para tentar se esconder, Jack revela para o filho que havia descoberto pontas soltas de pessoas muito perigosas e, com isso, eles estariam em perigo!

Connor assiste ao assassinato do pai. mas ele consegue escapar segundos antes de ser percebido pelos criminosos, então recebe do pai um papel contendo revelações que desvendariam o motivo da série de assassinatos. Apesar de conseguir escapar, por entre uma floresta cerrada do Montana (EUA), Connor sabe que quem matou seu pai não deixará testemunhas. Na fuga, cruza-se com Hannah Faber, uma bombeira que se encontrava na torre de vigia quando tudo aconteceu.

O filme mostra Hannah afastada de suas funções, por estar traumatizada em sua última missão como paraquedista, em que erra os cálculo do vento e não consegue salvar três crianças a tempo de um incêndio. Quando os criminosos resolvem atear fogo à floresta para eliminar todos os vestígios, Connor e Hannah se encontram numa luta desesperada para escapar das chamas e dos criminosos.

O filme faz questão de destacar o trabalho dos bombeiros florestais e as técnicas que eles utilizam para sobreviver ao fogo e às tempestades elétricas na floresta. A maior parte do longa mostra a trajetória dos assassinos (Aidan Gillen e Nicholas Hoult) em paralelo com a trajetória do garoto Connor (Finn Little) .

No fim das contas, a verdadeira heroína de ação é Allison (Medina Senghore), esposa grávida do policial Ethan (Jon Bernthal) que consegue eliminar um dos assassinos e fica com seu esposo na torre até o final do incêndio.

Confira abaixo o Trailler:

ATENÇÃO: A PARTIR DESTE PONTO , O TEXTO CONTÉM SPOILER

Angelina Jolie como bombeira no filme Aqueles que me desejam a morte. (Foto: divulgação)

Confesso que fiquei bem chateada por não saber o que havia naquele papel guardado pelo menino, ficou um pouco fora de contexto. Aparece apenas o personagem Connor prestes a dar entrevista para a imprensa, para revelar o conteúdo do bilhete deixado pelo pai. O filme é totalmente previsível e conseguimos antecipar morte de cada personagem, para um elenco de peso, esperava ser surpreendida.

Além dos protagonistas, o elenco conta com Nicholas Hoult (X-Men), Aiden Gillen (Game of Thrones), Medina Senghore (Happy!), Tyler Perry (Garota Exemplar), Jake Weber (Homeland) e Jon Bernthal (Ford vs. Ferrari).

emily Blunt e Noah Jupe correm perigo em nova cena divulgada de “Um Lugar Silencioso – Parte II

A Paramount Pictures lançou hoje uma cena que traz um pouco do suspense da trama de “Um Lugar Silencioso – Parte II”. No trecho Evelyn Abbott (Emily Blunt) e o filho Marcus Abbott (Noah Jupe) estão no carro quando percebem que algo errado está acontecendo. No final do vídeo, Emily Blunt dá um recado em português: “somente nos cinemas”.

‘Um Lugar Silencioso – Parte II’ estreia em 10 de junho no Brasil
Sinopse
Logo após os acontecimentos mortais, até mesmo dentro de casa, a família Abbott (Emily Blunt, Millicent Simmonds, Noah Jupe) precisa agora encarar o terror mundo afora, continuando a lutar para sobreviver em silêncio. Obrigados a se aventurar pelo desconhecido, eles rapidamente percebem que as criaturas que caçam pelo som não são as únicas ameaças que os observam pelo caminho de areia.

Assista à Amy Adams no trailer de A Mulher na Janela

A psicóloga infantil Anna Fox (Amy Adams) sofre de agorafobia. Confinada em casa, ela começa a observar pela janela a vida aparentemente perfeita dos vizinhos da frente. Um dia, ela acaba sendo testemunha de um crime violento, que vira sua vida de cabeça para baixo. Baseado no best-seller de Tracy Letts, este suspense psicológico revela segredos terríveis e mostra que ninguém é o que parece. Com Amy Adams, Gary Oldman, Anthony Mackie, Fred Hechinger, Wyatt Russell, Brian Tyree Henry, Tracy Letts, Jennifer Jason Leigh e Julianne Moore no elenco.

Estrelando: Amy Adams, Gary Oldman, Anthony Mackie, Fred Hechinger, Wyatt Russell, Brian Tyree Henry, Jennifer Jason Leigh, Jeanine Serralles, Mariah Bozeman e Julianne Moore.

(Foto: divulgação)
Amy Adams é Anna Fox no suspense ‘A Mulher na Janela’. (Foto: divulgação)

‘Um Lugar Silencioso – Parte II’ tem estreia antecipada no Brasil e chegará aos cinemas em junho

Paramount Picrtures antecipa estreia de Um Lugar Silencioso – Parte II. (Foto: divulgação)

A Paramount Pictures informa mudança na data de lançamento de ‘Um Lugar Silencioso – Parte II’ no Brasil. A esperada continuação do suspense dirigido por John Krasinski e estrelado por Emily Blunt, chegará aos cinemas do país 3 meses antes do esperado, em 17 de junho de 2021.   

‘UM LUGAR SILENCIOSO – PARTE II’ – NOVA DATA DE ESTREIA: 17 DE JUNHO DE 2021