Arquivo da tag: Teatro

Harry Potter e a Criança Amaldiçoada – Roteiro da peça será publicado como livro!

Por Legião dos Heróis

Boas notícias para os fãs da franquia criada por J.K. Rowling e que encantou toda uma geração de seguidores: Harry Potter e a Criança Amaldiçoada, a peça que será lançada em duas partes em Londres, vai ter seu roteiro publicado como um livro ainda esse ano!

Conforme anunciado pelo Pottermore, o roteiro será publicado no dia 31 de julho – o aniversário de Harry Potter -, em edições digitais e impressas. Trata-se da oitava história de Harry Potter, situada dezenove anos após os acontecimentos de Harry Potter e as Relíquias da Morte. A trama se foca ao redor de Harry, agora um auror no Ministério da Magia, e seu filho Alvo Severo Potter, recém-chegado na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts.

Harry Potter ganhará novo livro. (Foto: Divulgação)
Harry Potter ganhará novo livro. (Foto: Divulgação)

Além disso, o site confirmou novas edições especiais para Harry Potter e a Pedra Filosofal, em comemoração aos 20 anos do livro no ano que vem. Animais Fantásticos e Onde Habitam, e outros livros da Biblioteca de Hogwarts (Quadribol Através dos Séculos Os Contos de Beedle, o Bardo) também receberão novas edições especiais.

“Galileu Galilei” com Denise Fraga volta ao Tuca

A importância dessa revisita a Bertolt Brecht é justamente o seu caráter popular, já comprovado no grande êxito de Alma Boa de Setsuan, que ficou em cartaz por dois anos e meio, com mais de 220 mil espectadores.  Foi durante esse período que surgiu a ideia de montar Galileu Galilei.

“Cada vez que eu lia o texto, um frisson invadia meu peito. A origem de um projeto de teatro para mim é quase como uma fofoca. Ao ler o texto é como se eu escutasse algo no ouvido que eu não pudesse deixar de passar adiante. A necessidade de me apoderar das palavras de um autor e dar comunicabilidade ao que parece encarcerado no papel é o que me move, me empurra pro palco.  Quando vejo, já estou lá, tentando fazer voar tal ideia.  Tomei coragem e resolvi ser Galileu”, diz Denise, que, a partir de maio, dará vida ao grande cientista italiano redesenhado por Brecht, que se apropria desta situação histórica e, com afiado humor e ironia, abre ramos da riqueza desse conflito para além do acontecimento.

Denise Fraga volta ao palcos com "Galileu Galilei", no TUCA, dia 29/01. (Foto: João Carlos)
Denise Fraga volta ao palcos com “Galileu Galilei”, no TUCA, dia 29/01. (Foto: João Carlos)

Denise Fraga convidou Cibele Forjaz para dirigir essa montagem, realizando um desejo que alimentava há anos. “Quando Denise me convidou, juntou a fome com a vontade de comer: o desejo de trabalhar com ela e a vontade de voltar ao texto de Brecht que já havia montado no final dos anos 90.Denise é uma atriz que sempre admirei de longe e que me ganhou totalmente quando trabalhamos juntas numa leitura de “Ponto de Partida”, de Gianfrancesco Guarnieri”, diz Cibele.  “Ela tem um desejo obsessivo de ensaiar, assim como eu. Somos operárias do teatro e nos reconhecemos profissionalmente!”. Por sua vez, Denise vê em Cibele uma sensibilidade única que “nos leva para o campo dos sonhos, nos fazendo acreditar numa história ao mesmo tempo em que vemos a mágica do fazer teatral.  Brecht ia adorar Cibele.  Cibele adora Brecht.  Esta senhora da luz não ilumina não só o palco com suas lindas imagens,  mas faz brilhar cada linha de uma ideia.”

Brecht costumava falar em seus diários da necessidade de DIVERTIR PARA COMUNICAR e empregou essa receita em toda a sua obra. “Ele se faz valer de uma boa história, do humor e do entretenimento para deixar claras as suas ideias. A grande estrela deGalileu Galilei é o poder da palavra. A clareza de raciocínio, o humor, o fio inebriante por onde Brecht escolhe contar essa história nos leva passo a passo a um profundo estado de reflexão”, relata Fraga.

Na Itália do século XVII, Galileu consegue construir um telescópio melhor que os existentes e explorar os céus como nunca antes haviam conseguido.  Com os satélites de Júpiter, ele finalmente comprovaria a doutrina de Copérnico de que o Sol é o centro do Universo e de que a Terra se move e gira em torno dele. Galileu passa a defender e a propagar esta ideia, apesar de saber que ela era contrária ao dogma da Igreja.  Entretanto, este homem apaixonado, o cientista genial movido por uma nova verdade, vê os senhores do poder estabelecido se negarem à obviedade dos fatos.

A ideia da Terra não ser o centro do Universo ameaçava convenientes estruturas de poder.  Estávamos em 1609,  em pleno movimento da Contra Reforma.  Galileu tinha muito prestígio e amizades dentro do próprio clero e acreditou que, com este escudo, poderia seguir em frente para instalar seu novo esquema de mundo.  Ledo engano.  Foi perseguido pela Santa Inquisição, processado duas vezes, e, ameaçado de tortura, foi obrigado a negar, abjurar, suas ideias publicamente. Somente em 1992, mais de três séculos após a sua morte, a Igreja reviu o processo da Inquisição e decidiu pela sua absolvição.

Mas não é só da biografia de Galileu que Brecht quer falar.

“Privilegiando a vida à história, o homem ao herói, seu Galileu Galilei nos faz acreditar  que a história do mundo foi construída por homens que tinham suas fraquezas e suas dúvidas misturadas a seus atos de coragem e clareza. Homens que acordam, lavam o rosto, tomam seu café́ com leite e, mobilizados por suas ideias e projetos, muitas vezes, se enredam em terríveis jogos de poder”  – completa Denise.

Brecht coloca em xeque o herói, seu significado social, a discutível necessidade de sua existência numa sociedade que compromete sua liberdade em seus inevitáveis jogos de poder.  Com isso, chama toda a plateia para compartilhar de sua questão

O espetáculo da diretora Cibele Forjaz desvenda o fazer teatral diante do público, com atores que manipulam o cenário e fazem a contra-regragem, totalmente disponíveis artisticamente para contar a história que Brecht reinventou, trazendo à cena uma profusão de formas, conceitos, parodias grotescas, cenas pungentes, emoção e muito riso, um estranhamento carnavalizado com a intenção de, talvez, criar um espetáculo genuinamente épico brasileiro.  O elenco mistura atores parceiros de longa data de Denise e de Cibele, em sua Cia Livre: Ary França, Rodrigo Pandolfo, Lúcia Romano, Maristela Chelala, Vanderlei Bernardino, Jackie Obrigon, Luís Mármora, Silvio Restiffe e Théo Werneck – como ator e músico.  “Juntamos um time de dar água na boca. Nosso super objetivo em comum: contar muito bem a história de Brecht-Galilei!”, fala Cibele

A trilha sonora de Lincoln Antônio e Théo Werneck cria novas canções, ambientes sonoros e reinventa músicas originais de Hanns Eisler para a obra original de Brecht. Márcio Medina cria um interessante espaço cenográfico valorizando as inúmeras analogias ao movimento circular sugerido pelo texto. Os figurinos de Marina Reis passam pela Renascença chegando até o futuro próximo, ora identificando épocas, ora sugerindo a atemporalidade das questões e, finalmente, a luz de Wagner Antônio contribui para criação de climas e espacialização, valorizando  a ótica e a luz tão estudadas por Galileu.

Se, em A Alma Boa, a questão principal era: “Como ser bom e ao mesmo tempo sobreviver no mundo competitivo em que vivemos?”, em Galileu, ela extrapola os limites do individual e pergunta: “Como posso ser fiel ao que penso sem sucumbir ao poder econômico e político vigente? Como contribuo para o avanço social sem me preocupar unicamente com meu conforto individual?”

Galileu Galilei é uma profunda e divertida reflexão sobre o que somos, o que viramos, o quanto abandonamos de nós, a luta de classes, o “ser mandado” e “ser patrão”, a tirania do poder econômico, as liberdades de escolha e o preço a pagar por elas.

A quantos absurdos conseguiremos nos submeter com cara de paisagem?

“O que eu espero é divertir as pessoas com um espetáculo festivo e fazê-las sair do teatro pensando em qual será a nossa alternativa para escapar desta areia movediça. Reiterar a fé na ideia de que o conhecimento e a razão humana ainda são os  melhores instrumentos de luta contra a repressão, a injustiça, a miséria e o único caminho possível para o avanço social.” –  acredita Denise.

GALILEU GALILEI – Teatro Tuca (672lugares)

Rua Monte Alegre, 1024 – Perdizes

Informações: 3670.8455

Vendas: www.ingressorapido.com.br e 4003.1212

Bilheteria: de terça a domingo a partir das 14h. Aceita dinheiro e todos os cartões, crédito e débito. Não aceita cheque. Acesso para deficiente. Ar-condicionado. Vallet no teatro aos sábados e domingos – R$ 20. Estacionamento conveniado: Píer Park da Rua Monte Alegre, 835 – R$ 14.

Horários:

Sextas e Sábados às 21h | Domingos às 19h

Ingressos:

Sextas R$ 50 | Sábados e Domingos R$ 70

Duração: 140 minutos

Recomendação: 12 anos

FRIENDZONE estreia no Teatro Gazeta em 23 de janeiro

Youtubers iniciam temporada neste mês na cidade de São Paulo

O nome da peça já diz muito, FriendZone, uma comédia jovem  que conta com a presença dos integrantes do Galo frito, o 3º maior canal do YouTube: Cadore e Mederi, Pathy dos Reis (youtuber com mais de 1 milhão de inscritos) e Mary Lessa (protagonista da premiada série Julie e os Fantasmas). FriendZone estreia em 23 de janeiro de 2016, às 18h e permanence em cartaz até 9 de fevereiro (Horários especiais nos serviços abaixo). A direção é de Marco Zenni.

FriendZone tem como referência os textos abordados em Sitcoms americanos e também ingleses – séries como Friends, Glee, Seinfield, Coupling, Evebody Loves Raymond e outras. Na montagem, os personagens abusam das situações do cotidiano jovem e seus conflitos, tendo como referência o novo cenário, com linguagens e costumes do dia a dia. Uma comédia atual, com textos rápidos e uma abordagem moderna, diferenciada. Uma peça para ver, se divertir, dar boas risadas e refletir sobre as boas e velhas amizades.

"Friendzone" estreia dia 23 de janeiro, no Teatro Gazeta. (Foto: Divulgação)
“Friendzone” estreia dia 23 de janeiro, no Teatro Gazeta. (Foto: Divulgação)

SERVIÇOS

FriendZone

com Cadore e Mederi, Pathy dos Reis e Mary Lessa

Direção: Marco Zenni

Temporada: de 23 de janeiro a 9 de fevereiro de 2016

HORÁRIOS ESPECIAIS NO CARNAVAL

23, 30 de janeiro – às 18h

6, 8 e 9 de fevereiro – às 18h

7 de fevereiro – às 16h

Local: Teatro Gazeta – Av. Paulista, 900 – Térreo – São Paulo

Gênero: Comédia / Youtubers / Jovem

Duração: 60 minutos

Ingressos: R$ 60,00 (Inteira) e R$ 30,00 (meia – carteirinha de estudante, idosos e doadores de sangue para cada apresentação)

Capacidade: 680 lugares

Classificação: 14 anos

Bilheteria: de terça a quinta das 14h às 20h e de sexta a domingo das 14h até o horário do último espetáculo

Estacionamento: Convênio Multipark – R$ 20,00 por 3h – Av. Paulista, 867 e Rua São Carlos do Pinhal, 303 – subsolo
Acesso para deficiente, portadores de mobilidade reduzida e obesos

Mais informações: 11 3253-4102

O Novo Rei do Beleléu

Em 2014 a Cia. Ouro Velho estreou sua primeira montagem com o espetáculo O LUGAR DE ONDE SE VÊ, que se propunha a apresentar o universo teatral para as crianças, revelando seus princípios básicos – como a importância da imaginação e da brincadeira infantil – e introduzindo personagens clássicos da dramaturgia mundial como Hamlet, Cyrano de Bergerac e Arlequim. Obteve com esse trabalho diversas críticas positivas, nas revistas Crescer e 03 estrelas da Veja SP.

"O Novo Rei do Beleléu" estreia no Teatro Sérgio Cardoso no dia 16 de janeiro. (Foto: Divulgação)
“O Novo Rei do Beleléu” estreia no Teatro Sérgio Cardoso no dia 16 de janeiro. (Foto: Divulgação)

A Cia. prepara agora a estreia de sua nova peça O NOVO REI DE BELELÉU que nasce, trilhando caminhos parecidos. Desta vez, busca na cultura popular brasileira reafirmar a importância da Arte em nosso dia-a-dia. Baseada no universo dos folguedos populares – como a Folia de Reis e o Boi-Bumbá – a fábula de Lara Hassum e Paulo Marcos propõe uma reflexão sobre o lugar da Arte e dos sonhos em um mundo cada vez mais gerido por valores duvidosos, como a ganância, a intolerância e a indiferença.

O espetáculo dirigido por Paulo Marcos estreia dia 16 de janeiro na sala Paschoal Carlos Magno, do Teatro Sérgio Cardoso e tem um elenco formado por Aline Gonçalves, Tássia Melo, Lara Lassum, Aline Penteado, Taís Luna e Danilla Figueiredo.

Em termos dramatúrgicos, O NOVO REI DE BELELÉU pode ser classificado como um Auto Pastoril moderno. A trama revela pastores, reis magos, cortejos, a estrela guia e, por fim, o nascimento de um bebê. Trata-se, portanto, de uma representação típica do mito da Natividade.  Por se tratar do elemento central da fábula, a encenação foi buscar referências a esse mito na cultura popular brasileira, adentrando o universo dos folguedos tradicionais, como as diversas formas de Reisados, Bois Bumbá, Festas do Divino e manifestações relacionadas como o Coco, a Ciranda, o Maracatu e o Repente, além de algumas formas estéticas já reelaboradas, como o Movimento Armorial.

Desse modo, a criação musical e coreográfica do espetáculo baseia-se diretamente nesses ritmos e danças tradicionais, executados ao vivo pelo próprio elenco.  A ambientação cênica e a caracterização de personagens, com figurinos, adereços e maquiagens, remetem à arte da xilogravura e às capas do cordel, tão valorizadas pelo Movimento Armorial.

SINOPSE: As coisas não vão nada bem no Reino de Beleléu. O Velho Rei morreu e uma terrível epidemia de Tanto-Faz atingiu a população. Os únicos que podem salvar a pátria são os poucos Sonhos que restaram, mas para isso eles precisam encontrar aquele que está predestinado a ser o Novo Rei de Beleléu.

FICHA TÉCNICA:

Dramaturgia: Lara Hassum e Paulo Marcos

Direção geral e musical: Paulo Marcos

Elenco: Aline Gonçalves, Tássia Melo, Lara Lassum, Aline Penteado, Taís Luna e Danilla Figueiredo.

Preparação Corporal: Lu Carion

Figurino, adereços e maquiagem: Mônica Sanches

Iluminação: Carlos Gaúcho

Danças Brasileira: Erika Coracini

Percussão: Rômulo Nardes

Coordenação de marketing: Marcel Soares e Taís Luna

Assessoria de Imprensa: Fabio Camara

SERVIÇO:

 LOCAL: Sala Paschoal Carlos Magno – Teatro Sérgio Cardoso (Rua Rui Barbosa 153 – Bela Vista), 144 lugares.

DATA: 16/01 até 21/02 (Sábado e Domingo 16h). Apresentação extra no dia 25 de janeiro às 16h. Não haverá apresentação no carnaval dias 06 e 07 de fevereiro.

INFORMAÇÕES: 3288 0136

INGRESSOS: R$ 20,00

DURAÇÃO: 60 min

CLASSIFICAÇÃO: 14 anos

Roleta-Russa

Após uma temporada de dois meses no Viga Espaço Cênico, com excelente repercussão de público e crítica (03 estrelas da Revista Veja SP), o espetáculo Roleta-Russa volta no dia 07 de janeiro no Espaço Parlapatões para uma nova temporada.

A peça é uma adaptação de Suicidas de Raphael Montes, um dos livros de maior repercussão no meio literário nos últimos anos, com mais 20 mil exemplares vendidos e traduzido para mais de 10 idiomas.

Para os palcos, o espetáculo foi adaptado e dirigido por César Augusto e traz um jovem elenco formado pelos atores Dan Rosseto, Diogo Pasquim, Emerson Grotti, Felipe Palhares, Gabriel Chadan, Helio Souto, Lorrana Mousinho, Maria Dornelas e Virgínia Castellões.

"Roleta Russa" será apresentado no Espaço Parlapatões, em São Paulo, em janeiro. (Foto: Divulgação)
“Roleta Russa” será apresentado no Espaço Parlapatões, em São Paulo, em janeiro. (Foto: Divulgação)

A história se passa em um porão, onde estão nove jovens e uma Magnum 608. Meninos e meninas universitários da elite carioca, aparentemente sem problemas, decidem participar de uma roleta russa. Depois de um ano da morte desses jovens, uma nova pista, um manuscrito é encontrado.

Numa trama de suspense noir, o público é convidado a tentar desvendar a história como realmente aconteceu. Rompendo as relações de tempo e espaço, o espetáculo apresenta um suspense arrebatador, com uma dose de humor irônico, personagens dúbios e tramas que se entrelaçam até a solução surpreendente que só se mostra nas últimas palavras.

A peça, além de apresentar um clima de suspense entre os personagens, aborda alguns temas delicados como preconceito e o desrespeito à diversidade, com casos de homofobia e de pessoas portadoras de necessidades especiais como a síndrome de down; a auto-afirmação; a aceitação a falta de discernimento; o orgulho; o egoísmo; a mania de grandeza; a rebeldia.

FICHA TÉCNICA:

Texto: Raphael Montes

Adaptação e direção: César Baptista

Elenco: Dan Rosseto, (ALE) Diogo Pasquim (OTTO), Emerson Grotti (DAN) Felipe Palhares (NOEL), Gabriel Chadan (LUCAS), Helio Souto (ZAK), Lorrana Mousinho (Maria João), Maria Dornelas (RITINHA) e Virgínia Castellões (WALÉRIA).

Figurinos: Rodrigo Reinoso

Trilha sonora: César Baptista

Iluminação: Luiz Antonio Farina

Direção de produção: Felipe Palhares, Helio Souto e Virgínia Castellões

Fotos: Leekyung Kim

Assessoria de Imprensa: Fabio Camara

SERVIÇO:

LOCAL: ESPAÇO PARLAPATÕES – Praça Franklin Roosevelt, 158 – Centro. 98 lugares.

DATA: 07/01 até 26/02 (Quintas e Sextas 21h)

INFORMAÇÕES: (11) 3258-4449

INGRESSOS: R$ 50,00 (inteira) e R$ 25,00 (meia)

DURAÇÃO: 120 minutos

CLASSIFICAÇÃO: 16 anos

“Até que o casamento nos separe” reestreia em Janeiro no Teatro Gazeta

São Paulo recebe o humorado espetáculo curitibano que aborda o tema mais polêmico dos casais: o relacionamento 

O espetáculo “Até que o casamento nos separe” entrou em cartaz em 2015 São Paulo e, devido ao sucesso de público, reestreia em 16 de Janeiro no próprio Teatro Gazeta. Assistido por mais de 8 mil pessoas, a peça  nasceu em Curitiba e já passou por Cuiabá, Brasilia, Porto Alegre, Fortaleza e Campinas. Os atores paranaenses Marco Zenni e Lilian Marchiori permanecem em cartaz até 9 de fevereiro, todos os sábados às 22h no Teatro Gazeta, em São Paulo.

"Até que o Casamento nos Separa" reestreia em janeiro, em São Paulo. (Foto: La photo)
“Até que o Casamento nos Separa” reestreia em janeiro, em São Paulo. (Foto: La photo)

SINOPSE

 “Até que o Casamento nos Separe”, um espetáculo que vai além da narrativa teatral, contando com o stand-up comedy e improviso, divertindo ainda mais a peça, que fica mais interativa e inusitada. No roteiro estão todos os conflitos, momentos e fatos comuns na vida de um casal, que não precisa ser necessariamente casado, arrancando gargalhadas do público, pois são fatores em que todos já se identificaram, identificam ou vão se identificar, uma vida à dois.

SERVIÇOS

Até que o casamento nos separe

com Marco Zenni e Lilian Marchiori

Direção: Marco Zenni

Autor: Afonso Padilha, roteirista do Porta dos Fundos

Temporada: de 16 de Janeiro a 9 de fevereiro de 2016

Todos os sábados às 22h

Local: Teatro Gazeta – Av. Paulista, 900 – Térreo – São Paulo

Gênero: Comédia / Stand up e Improviso

Duração: 60 minutos

Ingressos: R$ 60,00 (Inteira) e R$ 30,00 (meia – carteirinha de estudante, idosos e doadores de sangue para cada apresentação)

Capacidade: 680 lugares

Classificação: 16 anos

Bilheteria: de terça a quinta das 14h às 20h e de sexta a domingo das 14h até o horário do último espetáculo

Estacionamento: Convênio Multipark – R$ 15,00 por 3h – Av. Paulista, 867 e Rua São Carlos do Pinhal, 303 – subsolo
Acesso para deficiente, portadores de mobilidade reduzida e obesos

Mais informações: 11 3253-4102

O Natal Encantado das Princesas chega para alegrar o final de ano

Carol Hubner interpreta a fada madrinha no musical de Natal

A história traz as princesas encantadas que estão super animadas para a comemoração natalina, porém uma explosão mágica pode ocasionar alguns imprevistos à Fada Madrinha. Ela, então, tentará contornar esses “pequenos” probleminhas para presentear todas as princesas.

A união da magia do Natal e do mundo encantado das princesas é o grande trunfo da montagem, assim não tem como não se divertir e resgatar a época de esperança que o Natal proporciona.

O Natal Encantado das Princesas esta em cartaz no Teatro Bibi Ferreira. (Foto: Divulgação)
O Natal Encantado das Princesas esta em cartaz no Teatro Bibi Ferreira. (Foto: Divulgação)

Carol Hubner interpreta a fada madrinha atrapalhada e dona da hospedaria que todas as princesas vivem a qual precisa acabar com todos os probleminhas para que todas as princesas sejam presenteadas no Natal.

“O Natal Encantado das Princesas” tem texto de Ronaldo Ciambroni e produção de Luiggi Francesco que juntos resolveram desmistificar o universo clássico das histórias em geral e nos brindam com mais uma divertida e educativa história. Ainda conta com a direção de Sebastião Apollônio e coreografia do Roberto Azevedo.

A montagem é desenvolvida sobre base musical gravada e fica em cartaz até o dia 20 de dezembro sempre às 17h30.

 

Serviço

O NATAL ENCANTADO DAS PRINCESAS.

Classificação: Livre.

Horário: 17h30

Temporada: De 22 de novembro a 20 de dezembro

Datas das apresentações: Dia: 22/11 (Domingo); 29/11 (Domingo); 05/12 (Sábado); 06/12 (Domingo); 13/12 (Domingo); 19/12 (Sábado); 20/12 (Domingo).

Local: Teatro Bibi Ferreira (Av. Brigadeiro Luiz Antônio, 931).

Capacidade: 300 Lugares pessoas. Acesso para deficientes.

Site: www.teatrobibiferreira.com.br.

Duração: 70min.

Ingressos:  R$ 50,00 (inteira) e R$25.00 (Meia).

Bilheteria: (11) 3105-3129

 

FICHA TÉCNICA:

Produção: Tchesco Produções. Texto: Ronaldo Ciambroni. Adaptação de Natal: Carmen Sanches. Roteiro: Nicoly Gagliano. Direção: Sebastião Apollônio. Coreografia: Roberto Azevedo. Produção Executiva: Luiggi Francesco. Diretora de Produção: Carmen Sanches.  Elenco: Carol Hubner, Maíra Natássia, Daniel Iasi, Barbara Winter, Alexandre Battel, Alexandra Bastida, Bianca Almeida e Mariana Fuzka.

WICKED, O MUSICAL BLOCKBUSTER VISTO POR QUASE 48 MILHÕES DE PESSOAS NO MUNDO, CHEGA PELA PRIMEIRA VEZ AO BRASIL EM 2016

A partir de 04 de março no Teatro Renault, o Brasil começará
 a desvendar os segredos das Bruxas de Oz
É um clássico que atravessa gerações. Um poderoso ciclone leva pelos ares uma casa com uma garota e seu cãozinho até um desconhecido, porém encantado lugar. Desse momento em diante, acontecimentos e personagens fantásticos ajudam a narrar a odisseia da menina Dorothy em busca do poderoso Mágico de Oz.
Wicked conta a história antes de Mágico de Oz. (Foto:  Joan Marcus 2015)
Wicked conta a história antes de Mágico de Oz. (Foto: Joan Marcus 2015)
Mas… e se essa aventura conhecida em todo o mundo guardar segredos ainda não contados? E se existir uma história por trás dessa história? São essas interrogações e suas respostas surpreendentes que costuram o enredo extraordinário de WICKED, o musical para todas as idades de maior sucesso no mundo nos últimos anos, que chega pela primeira vez à América do Sul.
Assistido por mais de 48 milhões de pessoas no mundo e com um faturamento superior a US$3.9 bilhões, WICKED tem atualmente 5 produções ao redor do planeta (Nova York, Londres, Austrália, uma turnê no Reino Unido e uma turnê nos EUA). No Brasil, a montagem original, com letras em português, estreia para o público em geral dia 04 de março de 2016, no Teatro Renault, em São Paulo. Haverá uma sessão especial para Vips e convidados no dia 03 de março.
Apresentada porGrupo Bradesco Seguros e apoio de Raízen, a produção no país é uma parceria de Marc Platt,Universal Pictures, The Araca Group, Jon B. Platt e David Stone com a TIME FOR FUN. Bradesco Cartões é o meio de pagamento preferencial e seus clientes contam com pré-venda exclusiva entre e20 de dezembro de 2015.
Wicked chega para temporada no Brasil em 2016. (Foto:  Joan Marcus 2015)
Wicked chega para temporada no Brasil em 2016. (Foto: Joan Marcus 2015)
Entre 21 de dezembro e 10 de janeiro, todos os clientes da TIME FOR FUN que já tenham adquirido ingressos de outros shows da empresa, usando um cadastro no site da Tickets For Fun, poderão adquirir seus ingressos. Já o público em geral conta com ingressos a partir de 11 de janeiro de 2016na bilheteria do Teatro Renault, pela internet (www.ticketsforfun.com.br) e pontos de vendaespalhados pelo país.
Baseada no best-seller do escritor Gregory Maguire, a superprodução estreou nos palcos em 2003 e conta com efeitos especiais de tirar o fôlego, figurinos e cenários deslumbrantes. WICKED traz músicas e letras originais de Stephen Schwartz (Pippin, Godspell e ganhador do Oscar porPocahontas e Príncipe do Egito), libreto de Winnie Holzman (My So Called Life, Once And Again eThirtysomething). O musical é dirigido por Lisa Leguillou, baseada na direção original do ganhador de dois prêmios Tony Joe Mantello (Take Me Out, Love! Valour! Compassion! e Monólogos da Vagina) e coreografia do ganhador do Tony, Wayne Cilento (Aida, The Who’s Tommy e How To Succeed…).
Sinopse
Muito antes de Dorothy chegar, duas outras garotas se conheceram na Terra de Oz. Elphaba, nascida com a pele cor verde-esmeralda, é esperta, ardente e incompreendida. Glinda é belíssima, ambiciosa e muito popular. Essa megaprodução, que faz rir e chorar, traz à tona os segredos que levam Elphaba a se tornar uma bruxa “má” e Glinda a ganhar a simpatia dos habitantes da Cidade das Esmeraldas. WICKED, por meio de números e performances surpreendentes, mostra que toda história tem diversos pontos de vista e que ser diferente faz de você alguém único e extraordinário.
O musical que desafia a gravidade
WICKED foi declarado “Um fenômeno cultural” pela Variety e “O melhor musical da década” pelaEntertainment Weekly. Confira alguns de seus números impressionantes:
– Ganhou mais de 100 prêmios internacionais, incluindo um Grammy e três prêmios Tony.
– Desde a estreia em Nova York, foi apresentado em mais de 100 cidades de 13 diferentes países ao redor do mundo (EUA, Canadá, Reino Unido, Irlanda, Japão, Alemanha, Holanda, Austrália, Nova Zelândia, Singapura, Coréia do Sul, Filipinas e México).
– Foi traduzido para cinco línguas (japonês, alemão, holandês, espanhol e coreano).
– Cerca de nove milhões de pessoas assistiram ao WICKED somente na Broadway, em Nova York, desde o início de suas apresentações em outubro de 2003.
– Lá, WICKED bateu o recorde de bilheteria no Teatro Gershwin 22 vezes.
– Essa mesma produção chegou a arrecadar mais de USD 3 milhões em uma única semana (de 29/12/13), até hoje o maior faturamento semanal na história da Broadway.
– O musical arrecada normalmente cerca de USD 1.8 milhão por semana.
– WICKED arrecadou até hoje um total combinado de cerca de USD 2.75 bilhões para suas produções norte-americanas (Broadway, produções locais nos EUA e turnê).
– Na sua primeira década na Broadway, manteve-se na Broadway como o musical com a maior arrecadação por nove anos consecutivos.
– Na turnê nacional pela América do Norte, que já viajou por mais de 865 semanas, cerca de 17 milhões de pessoas já assistiram a WICKED.
– Em Atlanta, a turnê nacional de WICKED arrecadou mais de USD 3 milhões em uma única semana (semana de 8/3/15), a maior arrecadação semanal na história das turnês nacionais.
 – Em Chicago (onde a produção local concluiu uma temporada de mais de três anos e meio e mais de 1500 apresentações), mais de 3.1 milhões de pessoas viram WICKED. A produção arrecadou USD 206 milhões e, na semana de 4/1/09, a bilheteria foi superior a USD 1.7 milhão, fazendo dela a maior bilheteria em Chicago de todos os tempos.
– WICKED estreou uma produção californiana no Teatro Pantages, em Los Angeles, em 21/2/07. A produção, que fez sua última apresentação na cidade californiana em 21/2/09, foi vista por 1.8 milhão de pessoas e arrecadou mais de USD 145 milhões durante as 100 semanas em que ficou em cartaz. Até hoje detém o recorde de bilheteria no Teatro Pantages, com uma arrecadação de quase USD 3 milhões e é a atração com maior faturamento na história do teatro de Los Angeles.
– Em novembro de 2006, o álbum de WICKED, vencedor do Grammy para Melhor álbum de Show Musical, foi certificado com disco de platina pela RIAA (Recording Industry Association of America). Hoje já bateu a marca de três milhões de cópias vendidas (platina tripla).
– O romance Wicked, de Gregory Maguire, publicado em 1995, vendeu cinco milhões de cópias, com 4.5 milhões vendidos a partir de 2003 quando o musical estreou. Estimulado pelo sucesso do musical, o romance ainda aparece na lista de best-sellers após 17 anos de sua publicação inicial.
– THE GRIMMERIE, o livro oficial que acompanha WICKED (sobre o making of do musical) vendeu mais de 250 mil cópias, se tornando um bestseller nesse segmento dentro da história do teatro.
– A venda de produtos licenciados de WICKED (camisetas, bonés, jóias, bichos de pelúcia, etc…) já ultrapassaram o faturamento de USD 150 milhões, fazendo dele o show com merchandising mais bem sucedido da história.
– WICKED estreou no West End de Londres em 27/9/06 no Teatro Apollo Victoria. O musical fez história no teatro londrino vendendo mais de ₤ 100 mil em ingressos na primeira meia-hora das vendas. Desde então, atingiu o recorde de arrecadação de todos os tempos da história do West End durante a semana de 3/1/15, com faturamento superior a ₤ 1 milhão.
– A produção londrina de WICKED está em cartaz há quase nove anos e se apresentou mais de 3,5 mil vezes.

“E por falar em sexo” realiza as últimas apresentações

Espetáculo termina a temporada nesse final de semana

A montagem “E por falar de sexo” inspirada no texto de Celso Cruz chega ao final da temporada nesse final de semana, dias 24 e 25 de outubro no Teatro Ruth Escobar. A história relata as desventuras de dois casais que buscam entender sua sexualidade e seus próprios sentimentos e acabam passando por diversas situações.

“E por falar em sexo” realiza últimas apresentações nesse fim de semana. (Foto: Divulgação)

Com o texto e direção de Marcelo Medeiros, a história traz o final do relacionamento entre Malú, interpretada por Carol Hubner e Otávio, que após a separação passam por descobertas em seus encontros com Mila e César, passando por uma sequência de situações hilárias e muito sensíveis até o surpreendente desfecho da trama. Uma história cheia de bom humor, delicadeza, cenas picantes e diálogos interessantes.

A trama tem uma intensidade nas interpretações o que faz da montagem um peça envolvente, interessante e ao mesmo tempo hilária trazendo o público para dentro da história. Garantia de diversão e muita reflexão sobre a angústia e solidão vividas nas grandes cidades na atualidade.

O elenco é a força da montagem que conta também com o experiente Victor Wagner, que atuou em muitas novelas de sucesso da extinta rede Manchete ressaltando o seu inesquecível personagem Contratador de Xica da Silva, Danielle Salmória e César Albanese. Além de Carol Hubner, a atriz é muito conhecida pelo seu trabalho em diversas peças nos palcos da capital paulista.

Serviço:

E por falar de Sexo

Local: Teatro Ruth Escobar

Sala: Gil Vicente

Endereço: Rua dos Ingleses, 209

Telefone: (11) 3289-2358

Temporada: 08/05 à 15/10

Quando: Sexta: 21h30 / Sábado: 21h30 / Domingo: 19h30

Valor: R$ 60,00 inteira (R$ 30,00 meia)

Duração: 80 minutos

Gênero: Comédia

Estacionamento: Manobrista na porta do Teatro

Quantidade de lugares: 300

Censura: 16 anos

Ficha técnica:

Elenco: Victor Wagner, Carol Hubner, Danielle Salmoria e César Albanese

Texto: Marcelo de Medeiros

Direção: Marcelo de Medeiros

Assistente de direção: Carol Ghirardelli

Coordenação de Produção: Kauan Medeiros

Cenários: Deise Oliveira

Coreografias: Saldanha Neto

Figurino: Márcio Rodrigues

A PRAÇA VICTOR CIVITA RECEBE O ESPETÁCULO “JOÃO E MARIA”, UMA PRODUÇÃO DO PROJETO CULTURA NA RUA

Além da apresentação, gratuita, em 25 de outubro, a programação
inclui feira de troca de livros e foodtrucks com comidas salgadas e doces

Em 25 de outubro (domingo), às 11h e às 13h, a Praça Victor Civita receberá o projeto “Cultura na Rua”, que apresentará o espetáculo “João e Maria”, da Cia Le PlatduJour. A programação, desenvolvida pelos colégios Albert Sabin, Vital Brazil e AB Sabin, não se restringe apenas a teatro. Na ocasião, o público também contará com uma feira de troca de livros e ambientes para leitura.

Projeto "Cultura na Rua" leva a peça "João e Maria" para a Praça Victor Civita. (Foto: Fernanda Santiago)
Projeto “Cultura na Rua” leva a peça “João e Maria” para a Praça Victor Civita. (Foto: Fernanda Santiago)

Em relação ao espetáculo,recebeu o Prêmio Coca-Cola FEMSA de Teatro, em 2007, de Melhor Cenografia. A criativa montagem conta a história de duas aves, Bicudinha e Bicudona, que querem mudar do ramo de “avoar para o ramo do cantar”. Narradoras da história, as aves vivem em apuros por causa do desmatamento e querem ir embora da floresta.

Enquanto isso, os irmãos J.M. e M.J. enfrentam problemas com a pobreza, pois seu pai, um boneco lenhador com nome onomatopeico, não sabe plantar, mas apenas cortar. Com a comida acabando, a madrasta fica irritada e ordena ao pai que leve os filhos até a floresta, para que não voltem nunca mais. Por fim, as aves acabam ajudando os irmãos, que conseguem se salvar da bruxa Memeia e voltam para casa.

SERVIÇO

PROJETO CULTURA NA RUA

Data: 25 deoutubro (domingo)

Horário: sessões às 11h e às 13h

Local: Praça Victor Civita | Rua Sumidouro, 580, Pinheiros

Ingresso: entrada gratuita

Classificação: livre

Outras informações: 3031-3689 ou www.pracavictorcivita.org.br

*A apresentação acontece no palco da praça, que conta com arquibancada coberta para 290 pessoas. Não é necessário retirar ingressos com antecedência.