Arquivo da tag: Teatro

Em solo “Cor de Chumbo”, Lilian de Lima é vedete que espera por seu general. E passa os mais de 50 anos de espera por mudanças no Brasil

O espetáculo musical “Cor de Chumbo” faz parte do projeto Teatro Mínimo, uma série de espetáculos intimistas, baseados essencialmente no trabalho de interpretação do ator. A temporada estreia em 9/out e vai até 6/nov. Em cena estão a atriz e o pianista Gustavo Fiel. A direção musical e de Willian Gudes e a direção e dramaturgia da peça é de Milton Morales.

Lilian de Lima apresenta seu novo solo em temporada que começa dia 09 de outubro, no Sesc Ipiranga. (Foto: Divulgação)
Lilian de Lima apresenta seu novo solo em temporada que começa dia 09 de outubro, no Sesc Ipiranga. (Foto: Divulgação)

Sesc Ipiranga recebe o solo que, entre músicas e atrações de uma vedete num cabaré, fala sobre os resquícios da ditadura, militar e civil, que permanecem cravados em nossa sociedade. A atriz (protagonista do premiado “Cantata para um Bastidor de Utopias’ da Cia do Tijolo, em que faz Mariana Piñeda ) interpreta um texto que relembra um país, apaixonado, porém ainda à espera de mudanças.

COR DE CHUMBO se passa no Brasil da década de 70, no entanto os temas, as questões que a peça levanta são absolutamente atuais. Esta fenda larga em nossa educação, este esquema arquitetado pelos engendramentos do poder para omitir e manipular a informação, obriga-nos, mais de 50 anos depois, a continuar falando sobre a ditadura militar e civil brasileira.

É evidente que os resquícios da ditadura permanecem cravados em nossa sociedade nos dias de hoje. Vezes sutis, vezes escancaradas, as condutas de coerção seguem perpetuando um modelo repressor plantado naqueles dias, e que dá frutos hoje ainda. Falar do passado é elucidar o presente e vigiar o futuro. Esse assunto não se esgota porque a ditadura não acabou. Esse assunto não se esgota porque não podemos deixar que aqueles anos de chumbo voltem. Nunca mais.

E se Patrícia pode ser a vedete que espera por seu general, ela pode ser ao mesmo tempo uma nação que espera práticas democráticas mais livres e francas. Patrícia pode ser o artista brasileiro, que espera, que acredita na chegada de uma política cultural verdadeiramente efetiva como instrumento de mudança social. Ou pode ser ainda a amante subjugada, a mulher que espera por um homem, e que submete-se ao abuso e à violência em nome da promessa de uma vida melhor.

Patrícia vive hoje. É artista, é amante, é tantas, é todas. Patrícia canta, deseja, limpa, apanha, canta, ama, canta, canta. Patrícia é Pátria dividida entre a conveniência da ordem estabelecida e uma vontade, ainda que inerte, de mudar tudo ao redor.

Serviço para o roteiro

Temporada – de 9 de outubro a 6 de novembro.

Sextas feiras às 21h30 e sábados às 19h30

Ingressos – R$ 20 inteira, R$ 10 meia e R$ 6 para beneficiários do Sesc.

Indicação etária – 14 anos

Duração: 70 min

Gênero : musical

Sinopse

Cotidiano de uma casa de shows nos anos 70, horas antes de abrir. A casa é gerenciada por Patrícia, uma ex-prostituta que agora faz shows musicais e é a atração principal da casa. Patrícia é amante de um general, que, naquela noite virá assistir ao show. Enquanto ensaia e passa as músicas, acompanhada por um músico, conversa sobre o cotidiano, o medo da violência em tempos de ditadura e seu relacionamento amoroso. Um retrato íntimo dos anos de chumbo no Brasil.

F I C H A T É C N I CA

Atriz, Cantora

Lilian de Lima

Pianista

Gustavo Fiel

Composições inéditas

William Guedes, Milton Morales Filho, Rodrigo Mercadante e Lilian de Lima

Direção musical, arranjos

William Guedes

Texto, direção

Milton Morales Filho

Luz

Aline Santini

Lázaro Ramos e Taís Araújo estreiam peça que reinventa o último dia de Martin Luther King

Montagem que já passou por Londres e Broadway chega a São Paulo com direção de Lázaro Ramos e mostra que um mártir americano pode tocar o coração dos brasileiros  – com patrocínio exclusivo do Santander

Há quase cinquenta anos, no dia 4 de abril de 1968, o mundo se despedia de Martin Luther King Jr, o pastor protestante e ativista político que se tornou ícone por sua luta pelo amor ao próximo e pelo repúdio à segregação racial norte-americana. Vale lembrar que somente entre 1883 e 1959, cerca de cinco mil negros foram linchados nos estados do Sul do país – e é este o momento histórico que a jovem dramaturga Katori Hall desconstrói na ficção O Topo da Montanha, peça que estreou aclamada em Londres, em 2009, ganhou versão na Broadway, em 2011, e que agora chega ao Brasil, em São Paulo, no Teatro Faap, no dia 09 de outubro de 2015, protagonizada e também produzida por Lázaro Ramos e Taís Araújo, com direção de Lázaro Ramos e codireção de Fernando Philbert.

Lazaramo Ramos e Thais Araújo estão em cartaz no Teatro FAAP. (Foto?: Jorge Bispo)
Lazaramo Ramos e Tais Araújo estão em cartaz no Teatro FAAP. (Foto?: Jorge Bispo)

O Topo da Montanha faz alusão ao último discurso de Martin Luther King  (I’ve Been to the Mountaintop) realizado em Memphis, na Igreja de Mason, no dia 3 de abril de 1968, um dia antes de seu assassinato, cometido na sacada do Hotel Lorraine. É exatamente neste cenário, do quarto 306 – e na sequência de suas derradeiras palavras públicas –, que Martin Luther King, interpretado por Lázaro Ramos, conhece Camae, encenada por Taís Araújo, a misteriosa e bela camareira em seu primeiro dia de trabalho no estabelecimento. Repleta de segredos, ela confronta o líder em clima de suspense e simultaneamente debochado. Deste modo, em perfeito jogo de provocações, faz o reverendo se lembrar que, como todos, é humano. Por meio do humor e da emoção, faz rir e pensar com retórica atual, seja para americanos ou brasileiros.

 

A escrita, diga-se, faz sentido mesmo quando comparada à situação política daqueles tempos. Para citar uma frase do espetáculo: “parem a guerra do Vietnã e comecem a lutar contra a pobreza” – vista sob a ótica do presente, ela ainda parece possível ser proferida e ressalta as características de um líder que “teve a força de amar aqueles que jamais puderam o amar de volta”. “Este texto me perseguiu como ator por dois anos, por meio de pessoas que diziam que tinha de fazê-lo no Brasil. E é contemporâneo porque é uma história também sobre enfrentar medos. Sobre os trilhos da coragem e do afeto”, resume Lázaro. “Tínhamos muito receio de que o texto fosse americano demais e não tocasse as pessoas. Mas o tempo e uma boa tradução nos convenceram que as questões do amor e da igualdade são relevantes e próximas a todos nós”, complementa Taís.

 

A boa tradução para o português a que se refere Taís é de Silvio José Albuquerque e Silva, responsável por dar vida a temas universais e ainda envolventes. “Hall revela um líder ao mesmo tempo radical e pragmático, profético e imprevidente, sonhador, sedutor, frágil e, sobretudo, humano”, resume Silvio.

 

O Topo da Montanha chega ao Brasil com patrocínio exclusivo do Santander e tem como transportadora oficial a Avianca.

 

Lázaro e Taís, a dupla que sucumbiu a um líder americano

 

Também produtores da versão brasileira, Lázaro Ramos e Taís Araújo continuam a trajetória de sucesso ascendente da montagem. O Topo da Montanha fez sua primeira aparição em Londres, em 2009, ocasião na qual encantou espectadores ingleses e recebeu o prêmio Lawrence Olivier como melhor peça estreante. Já em 2011, aterrissou na Brodway, em Nova York, encenada por Samuel L. Jackson e Angela Basset. De lá para cá, um caminho de acasos levou Lázaro Ramos e Taís Araújo a ela.

 

O primeiro a vê-la, em Manhatan, foi um amigo do casal que a mencionou a Lázaro Ramos. Mais tarde, o diretor João Falcão apresentou ao ator o texto original, em inglês, ainda se dispondo a dirigi-lo. Feita uma primeira tradução, a conclusão da dupla Taís e Lázaro parecia irrevogável: o script era distante da realidade brasileira e demasiado americano, portanto não envolveria ninguém do lado de baixo da linha do Equador.

 

Mas o tempo passou, e Lázaro Ramos entrevistaria Joaquim Barbosa. Seu chefe de gabinete, Silvio Albuquerque, admirador e conhecedor de Martin Luther King, entregou uma nova tradução a ele – inicialmente deixada de lado até que Taís a lesse. “A nova tradução era muito boa e ora eu ri, ora me emocionei. Finalmente fazia sentido e tive a convicção de que era viável para o Brasil. Insisti para que Lázaro a revisse e, mais tarde, com a impossibilidade do João Falcão dirigir, pressionei para que ele a assumisse”, relembra Taís. “Dirigir não estava em meus planos, principalmente porque conciliar a direção com a atuação era algo que eu sempre disse que não faria. Taís, minha grande parceira de cena e de vida, me convenceu a encontrar e acreditar na força de Martin Luther King”, prossegue Lázaro.

 

É um encontro, afinal, completo para o casal Taís Araújo e Lázaro Ramos – que à parte a vida conjugal comum, os trabalhos na televisão e no cinema, possuem carreiras sólidas também nos palcos. A carioca Taís Araújo faz desta sua décima peça teatral como atriz e a segunda como produtora – já esteve no elenco de Orfeu da Conceição; Personalíssima; Gimba; Liberdade para as Borboletas; Solidores; O Método Grönholm; Amores, Perdas e Meus Vestidos; Disse que Disse e Caixa de Areia. Já o soteropolitano Lázaro realizou mais de 20 espetáculos com o Bando de Teatro Olodum de 1994 a 2002, entre eles; Sonhos de Uma Noite de Verão, Ó Pai Ó e Ópera dos 3 Vinténs. Após sair de Salvador, destaque para A Máquina; Mamãe Não Pode Saber e o Método Grönholm, além de ter dirigido e escrito os infantis As Paparutas; A Menina Edith e a Velha Sentada, bem como esteve à frente da direção dos adultos Campos de Batalha e Namíbia, Não.

 

Ficha Técnica

 

Texto de Katori Hall

Direção de Lázaro ramos

Codireção de Fernando Philbert

Tradução de Silvio Albuquerque

Consultoria Dramatúrgica de Angelo Flávio

Assistência de direção Thiago Gomes.

Com Lázaro Ramos e Taís Araújo

Preparação vocal de Edi Montecchi

Cenografia de André Cortez

Iluminação de Valmyr Ferreira 

Figurinos de Teresa Nabuco

Trilha sonora de Wladimir Pinheiro

Fotos de Jorge Bispo

Projeto gráfico da Estação Design

Revisão de Regina Stocklen

Assessoria de imprensa de Antonio Trigo

Serviços de camareira de Solange Carneiro

Administração geral de André Mello

Administração e assistência de produção RJ de Marta Tramonte

Produção executiva de Carmem Oliveira e Viviane Procópio

Direção de produção de Radamés Bruno

Produção da BR Produtora

Produtores associados e realização de André Mello, Lázaro Ramos e Taís Araújo

 

 

Serviço

 

Teatro Faap (http://www.faap.br/teatro)

  1. Alagoas, 903, Higienópolis, São Paulo – SP

Televendas: 11 3662 7233 e 3662 7234

Lotação: 506 lugares / Classificação: 12 anos

Estacionamento limitado e vagas para deficientes.

 

Quando? Sexta, 21h30, sábados, 21h e domingos às 18h – 80 minutos de duração. Ingressos a R$90. Aceita Visa, Mastercard.

 

Descontos para estudantes, professores da rede pública de São Paulo, aposentados, maiores de 60 anos e ainda desconto de 50% em cima do ingresso cheio para clientes e funcionários do banco Santander – com direito a um acompanhante.

Lisbela o Prisioneiro – O MUSICAL Realizará turnê por Curitiba, Joinville e Uberlândia

Sucesso em São Paulo e no Rio de Janeiro com mais de 25mil espectadores,  musical realizará turnê em setembro e outubro de 2015

O texto original do pernambucano Osman Lins, escrito em 1964 que já foi filme e especial de TV, foi adaptado para os palcos pelas mãos da escritora Francisca Braga que apresentará ao público um universo musical circense, repleto de criatividade e imaginação.

Na trama Leléu (Luiz Araújo) é um artista mambembe que chega na cidade de Vitória de Santo Antão com seu circo, após se engraçar com a mulher de um matador de aluguel, o vilão Vela de Libra (Dan Rosseto). Na cidade Leléu conhece Lisbela (Ligia Paula Machado) que está de casamento marcado com Douglas (Beto Marden), porém ambos se apaixonam, tornando-se prisioneiros deste amor.

Musical Lisbela e o Prisioneiro fará turnê pelo Brasil. (Foto: Divulgação)
Musical Lisbela e o Prisioneiro fará turnê pelo Brasil. (Foto: Divulgação)

O elenco composto por 08 atores, 08 músicos e 03 acrobatas circenses apresentarão diversos números de circo como trapézio, lyra, tecido acrobático, corda indiana, malabares, clown, mágica e acrobacias de solo coordenados pelo artista circense Roger Pendezza que optou por uma concepção baseada no artista mambembe brasileiro. Além disso o espetáculo ainda tem coreografias de ballet, forró, samba, roller dance e ballet contemporâneo, idealizadas por Ligia.

Na parte musical o público se deliciará com canções de grandes nomes da nossa música como Zé Ramalho, Pixinguinha, Dominguinhos, Filipe Catto, Caetano Veloso, João Pernambuco entre outros com os arranjos do maestro e diretor musical Dyonisio Moreno que arranjou as músicas regionais dando uma levada pop rock, mesclando instrumentos regionais com eletrônicos.

A criação do espaço cênico foi inspirada nos circos itinerantes do século passado que eram totalmente móveis permitindo diversas combinações cenográficas durante a peça, como uma grande caixa surpresa. Já os figurinos foram pensados como uma atualização dos tipos clássicos do circo teatro, com o cômico, a trapezista, o apresentador entre outros, só que em um novo desenho, de acordo com as personagens e aproveitando materiais essencialmente brasileiros: rendas, cordas e bordados. Essa criação será feita pelo premiado cenógrafo e figurinista Kleber Montanheiro.

Todo trabalho dessa grande produção é coordenado pelos diretores Dan Rosseto e Ligia Paula Machado e pela supervisora artística Francisca Braga.

FICHA TÉCNICA: 

Autor: Osman Lins

Adaptação e supervisão geral: Francisca Braga

Direção Geral: Dan Rosseto e Ligia Paula Machado

Direção Musical: Dyonisio Moreno

Supervisão Circense: Roger Pendezza

Repertório Musical: Francisca Braga

Elenco: Luiz Araújo (Leléu), Ligia Paula Machado (Lisbela), Beto Marden/Luccas Garcia (Douglas), Millene Ramalho (Inaura), Nill de Pádua (Tenente Guedes), Fernando Prata e Dan Rosseto (Vela de libra/Frederico Evandro), Jonatan Motta (Cabo Citonho), Milene Vianna (Francisquinha).

Acrobatas: Roger Pedenzza, Tarik Henrique e Lucas Garavatti

Músicos: João Paulo Pardal (guitarra e violão), Renan Cacossi (pífano e flauta transversal), Maristela Silvério (piano), Jonatan Motta (violino), Azael Rodrigues (bateria e percussão), Daniel Warchauer (acordeon), Augusto Brambilla (baixo acústico e elétrico)

Coreografias: Ligia Paula Machado e Roger Pendezza

Instrutor de Roller Dance: Alex Bonanza

Cenografia, figurinos e designer de luz: Kleber Montanheiro

Aderecista: Michele Rolandi

Costureira: Euda Alves de Souza

Fotos: Caio Gallucci

Assessoria de Imprensa: Fabio Camara

Assistentes de Produção: Luccas Garcia e Bruno Santos

Direção de Produção: Ligia Paula Machado

Realização: MP – Produção Cultural

 

SERVIÇO:    LISBELA E O PRISIONEIRO – O MUSICAL

 

TEATRO POSITIVO (Grande Auditório)

Rua Prof Pedro Viriato Parigot de Souza, 5.300 – CURITIBA

Ingressos:

Setor: Plateia Superior canto (Meia-entrada: R$ 26,00 / Inteira: R$ 52,00)

            Plateia Superior            (Meia-entrada: R$ 30,00 / Inteira: R$ 60,00)

            Plateia Inferior Lateral (Meia-entrada: R$ 35,00 / Inteira: R$ 70,00)

            Plateia Inferior Central (Meia-entrada: R$ 42,00 / Inteira: R$ 84,00)

Direito à meia entrada:  Menor ou igual à 21 anos, idosos com 60 anos ou mais, professor da rede pública e privada, estudante, cliente Tokio Marine (até 4 ingressos), classe artística com DRT (2 ingressos), cliente Mais Pão de Açúcar, Assinante Jornal Gazeta do Povo, Funcionário Público, Cartão Fidelidade Disk Ingressos, Clube Benefícios do Teatro Positivo,

Horário: 19h30

Data: 20 de setembro de 2015

Classificação: Livre.

Duração: 105 Minutos.

Capacidade do Teatro: 2.300 lugares

Site: http://www.lisbelaeoprisioneiro.com.br

Vendas Disk Ingressos: (41) 3315-0808 (segunda à sábado 8h às 21h, domingo 9h às 18h) /    www.diskingressos.com.br

 

Pontos de Vendas:

Loja DISK INGRESSOS SHOPPING PALLADIUM (segunda a sexta 11h às 23h/ sáb 10h às 22h/dom 14h às 20h)

QUIOSQUE SHOPPING MUELLER (seg a sábado 10h às 22h / dom 14h às 20h)

QUIOSQUE SHOPPING ESTAÇÃO (seg a sábado 10h às 22h / dom 14h às 20h)

Horário de funcionamento da Bilheteria Teatro Positivo: Segunda a Sexta 11h às 15h e 16h às 20h. Sábado 17h às 21h00. Dia do espetáculo, quando não houver expediente, 2h antes do espetáculo. Tel.: (41) 3317-3107

Formas de pagamento: dinheiro / cartão débito e crédito.  

Acessibilidade Estacionamento

 

TEATRO CNEC (JOINVILLE)

Av Getúlio Vargas, 1266, anexo ao Colégio Elias Moreira, Anita Garibaldi, Joinville – SC

Ingresso:

Setor: Platéia Superior Meia-entrada R$ 30,00 / Inteira: R$ 60,00 (+TAXA)

            Platéia Inferior Meia-entrada R$ 40,00 / Inteira: R$ 80,00 (+TAXA)

Direito à meia entrada:  Menor ou igual à 21 anos, idosos com 60 anos ou mais, professor da rede pública e privada, estudante, classe artística com DRT (2 ingressos), cliente Mais Pão de Açúcar, Assinante Gazeta do Povo, Funcionário Público. Desconto 60% Cliente Tokio Marine Seguradora (Até 3 acompanhantes.)

Horário: 19h30

Data: 27 de setembro de 2015

Classificação: Livre.

Duração: 105 Minutos.

Capacidade do Teatro: 600 lugares

Site: http://www.lisbelaeoprisioneiro.com.br

Vendas: www.ticketcenter.com.br

 

Pontos de Vendas:  setor de eventos da CNEC tel (47)3431 0900, Target Idiomas (Unidade Centro) Rua Alexandre Döhler, 317 das 9h até as 20h, sábados das 9h até 12h tel. (47) 3025 2450.

Horário de funcionamento da Bilheteria Teatro: 2h antes do evento.

Formas de pagamento: dinheiro / cartão débito e crédito.  

Acessibilidade Estacionamento

 

TEATRO MUNICIPAL  DE UBERLÂNDIA

Av. Governador Rondon Pacheco, 7070.

Ingressos:

Inteira: R$ 80,00 / Meia-entrada: R$40,00

Direito à meia entrada:  Menor ou igual à 21 anos, idosos com 60 anos ou mais, professor da rede pública e privada, estudante, classe artística com DRT (2 ingressos), cliente Mais Pão de Açúcar, Funcionário Público. Desconto de 60% para clientes Tokio Marine Seguradora(até 4 pessoas).

Data:  02(sexta-feira) e 03(sábado) de outubro de 2015

Horário: 21h00

Classificação: Livre.

Duração: 105 Minutos.

Capacidade do Teatro: 700 lugares

Site: http://www.lisbelaeoprisioneiro.com.br

Vendas: www.megabilheteria.com

Sara Sarres embarca para a China para a Turnê Mundial de “O Fantasma da Ópera”

A atriz Sara Sarres viaja para a China para se juntar ao elenco de O FANTASMA DA ÓPERA – Turnê Mundial, a atriz interpretará Christine, seu papel da temporada de São Paulo em 2005. Sara fará récitas determinadas nas cidades de Guangzhou e Beijing, de setembro de 2015 a janeiro de 2016.

Sara Sarres participa da turnê de "O Fantasma da Ópera". (Foto: Carlo Locatelli)
Sara Sarres participa da turnê de “O Fantasma da Ópera”. (Foto: Carlo Locatelli)
A atriz não esconde a alegria e a satisfação de fazer parte de um projeto internacional tão importante. Sara Sarres vive um momento muito especial em sua carreira, além deste projeto, o espetáculo “O Homem de la Mancha” de Miguel Falabella, protagonizado pela atriz, obteve 11 indicações (Melhor Musical) para a terceira edição do Prêmio Bibi Ferreira, considerada a mais importante premiação de musicais do país. Sara também foi indicada a melhor atriz por Aldonza/ Dulcinéia.  A cerimônia conta com 22 espetáculos concorrendo em 18 categorias de júri e uma categoria de voto popular
Aclamada como uma das maiores atrizes de teatros musicais, protagonizou os espetáculos “O Fantasma da Ópera” (Christine), “Les Misérables” (Cosette), “Cats” (Jellylorum), “Shrek – O Musical” (Fiona), “West Side Story” (Anita), “A Família Addams” (Morticia Alternante), “Cole Porter – Ele nunca disse que me amava” (Bessie), “Comunitá” (Antônia), “O Mágico de Oz (Glinda), “Godspell” (Dir. Miguel Falabella), “A Madrinha Embriagada” (Jane Valadão), que lhe rendeu uma indicação de melhor atriz para o Prêmio Bibi Ferreira e recentemente viveu Dulcineia em “O Homem de La Mancha” sob direção de Miguel Falabella no Teatro do SESI em São Paulo.

Pequenos Palhaços reestreia em 5 de Setembro

Cia Dom Caixote reapresenta espetáculo premiado no II Festival de Teatro Cidade de SP

Para comemorar o quinto ano do espetáculo, a Cia Dom Caixote reestreia o espetáculo infantil “Pequenos Palhaços”, em 5 de setembro, às 20h. As apresentações acontecem todos os sábados e domingos de setembro, até o dia 27, na própria sede da Cia, localizada na Pompéia, zona Oeste de São Paulo. Dirigida pelo premiado diretor Luiz Felipe Petuxo, o espetáculo ganhou todos os prêmios nas categorias em que concorreu no II Festival de Teatro Cidade de São Paulo em 2010, no Teatro Bibi Ferreira: melhor espetáculo, direção, figurino, cenário, iluminação, produção, texto original, ator principal e ator coadjuvante.

"Pequenos Palhaços" estreiam dia 05 de setembro. (Foto: Divulgação)
“Pequenos Palhaços” estreiam dia 05 de setembro. (Foto: Divulgação)

Uma carroça, que se transforma em um palco itinerante, na qual o palhaço Caculé vive sob o comando de um patrão ranzinza e mandão. Certo dia, Caculé, recebe a visita de Marina, uma garota que sonha em ser artista, mas tem medo que sua escolha não seja aceita pelo pai. O uso da imaginação está presente em todo decorrer da história. O palhaço Catité é um “amigo imaginário” de Caculé, e mostra acreditar que tudo é possível através da imaginação e, é por meio desta, que os sonhos tomam forma e se concretizam. A peça Pequenos Palhaços aborda questões correlacionadas à família, a luta pelas realizações dos sonhos e às brincadeiras de criança que foram substituídas pela tecnologia. O espetáculo é uma obra divertida e emocionante, voltada para o público infanto-juvenil.

Sinopse: Uma carroça, que se transforma num palco de circo itinerante, tem o palhaço Caculé vivendo sob o comando de um patrão ranzinza e mandão. Certo dia recebe a visita de Marina, uma garota que sonha em ser artista, mas tem medo que a sua escolha não seja aceita pelo pai.

SERVIÇOS

Pequenos Palhaços

Direção: Luiz Felipe Petuxo

Elenco: Agatha Paulita, Daniel San Martin, Paulinho Rocco e Vitor Faria

Dramaturgia: Paulinho Rocco

Figurinos: Guilherme Fraga

Sonoplastia e Maquiagem: Sabrina Caldini

Contraregra: Rafael Parra

ESTRÉIA 05 DE SETEMBRO

Todos os Sábados e Domingos, as 20h00 – Exceto 19 e 20 de setembro, não haverá espetáculo.

Local: Espaço Experimental Dom Caixote  (Avenida Pompeia, 1055 – Perdizes)

Gênero: Infantil

Ingressos: R$ 60,00 – inteira ; R$ 30,00 – meia

Duração: 50 minutos

Capacidade: 42 lugares

Classificação: Livre, indicado para todas as idades

Mais informações: (11) 2645-6937

“Comédia em Preto e Branco a Cores” estreia duas temporadas em Setembro

Rodrigo Capella e Dinho Machado garantem um mês repleto de humor com apresentações no Estudio e no Pikadero, em São Paulo
Depois de quatro anos de apresentações no Comedians Comedy Club, em São Paulo, e em outras cidades como Taubaté, Campinas, Londrina e Belém, o show de humor “Comédia em Preto e Branco a Cores”, estreia em setembro duas novas temporadas. A partir do dia 4, toda sexta-feira, às 21h30, Rodrigo Capella e Dinho Machado levam muitas risadas e diversão ao Pikadero. Já às terças, às 21h, sobem ao palco do Estudio, na Vila Madalena.

"Comédia em Preto e Branco" volta a São Paulo, em setembro. (Foto: Divulgação)
“Comédia em Preto e Branco” volta a São Paulo, em setembro. (Foto: Divulgação)

O “Comédia em Preto e Branco a Cores” tem como conceito uma conversa de bar entre dois amigos, descontraída e informal, que aborda aspectos curiosos e divertidos do cotidiano. Durante todo o show, Rodrigo e Dinho interagem, brincam e improvisam com a plateia, além de mostrarem seus esquetes musicais acompanhados de uma banda.  Mais do que humor, o espetáculo ainda garante muita música e efeitos especiais ao público que o assiste, tornando cada apresentação única e exclusiva.

 Após viajar todo Brasil duas vezes, o show já foi visto por mais de200 mil pessoas em cerca de 720 apresentações.

Dinho Machado é conhecido por sua versatilidade e maneira autêntica de conduzir suas apresentações, em que dança, canta e improvisa. O ator cursou Clown, Comédia Dell’arte e Interpretação para Cinema com Fátima Toledo. Já com uma década de experiência, Dinho aliou o humor que lhe é nato com sua originalidade e rapidez. Receita que o levou a ser convidado para participar dos principais programas da TV aberta e também o convite do canal Porta dos Fundos para participar do vídeo Especial de Natal, logo após a Turnê de Stand UpComedy pelo Japão com Fabio Porchat, Luiz França e Paulinho Serra.

Rodrigo Capella tem como grande diferencial sua versatilidade. Um dos criadores da companhia “DEZnecessários”, Capella teve reconhecimento nacional após sua passagem pela MTV, onde ficou por três anos entre o “Quinta Categoria” e o “Comédia MTV”. Desde 2011, atua no espetáculo “Comédia em Preto & Branco” (agora “Comédia em Preto e Branco a Cores”), com o qual se apresenta há mais de três anos e viaja por todo o Brasil. Além disso, atualmente apresenta “Programa da Sabrina”, junto com ela, na Rede Record.

 

Comédia em Preto e Branco a Cores no Pikadero

Local | Pikadero Fun House

Endereço | R. Júlio Diniz, 176 – Vila Olímpia

Telefone | 11 3045 4146

Datas | Toda sexta-feira,de 04/09 até 25/09

Horário | 21h30

Formas de pagamento | Todos os cartões exceto cheques

Preço | R$40,00 couvert artístico

Censura | 16 anos

Capacidade | 250 pessoas

Duração | 60 minutos

Estacionamento | Vallet R$25,00

Ar condicionado | Sim

Acesso para portadores de necessidades especiais | Sim

 

Informações e compra de ingressos

 

# Horário da bilheteria

Das 16h às 19h (sem taxa de conveniência)

 

# Online

www.pikadero.com.br

 

# Site

http://pikadero.com.br/?page_id=28

 

 

Comédia em Preto e Branco a Cores no Estudio

Local | Estudio

Endereço | Av. Pedroso de morais, 1036 – Pinheiros – São Paulo

Telefone | 3814-7383

Datas | A partir de 8 de setembro, todas as terças-feiras

Formas de pagamento | Visa, Mastercard, Diners e Dinheiro

Preço | R$ 40,00

Censura | 14 anos

Capacidade | 200 lugares

Duração | 80 minutos

Estacionamento | Vallet R$25,00

Ar condicionado | Sim

Acesso para portadores de deficiência especiais | Sim

Studio 5 recebe peça “O Monge e o Executivo”

Espetáculo – que já foi assistido por mais de 35 mil pessoas – fecha a programação do “I Fasest 2015 – I Fórum Amazônico de Saúde, Segurança do Trabalho e Recursos Humanos”

O Studio 5 Centro de Convenções, em Manaus (AM), será palco do espetáculo “O Monge e o Executivo” que será realizado em única apresentação no dia 06 de setembro (domingo), às 19 horas. O evento conta com assinatura da Amazon Produções e encerrará a programação do “Fórum Amazônico de Saúde, Segurança do Trabalho e Recursos Humanos – Fasest 2015”.

ImageProxy (9)

O espetáculo, que está em cartaz desde 2008 e já foi assistido por mais de 35 mil pessoas, é a adaptação do livro homônimo que se tornou um dos maiores best-sellers da atualidade, com mais de três milhões de exemplares vendidos no Brasil. Vagner Molina foi o responsável pela adaptação do livro de James C. Hunter para o teatro.

“O Monge e o Executivo” conta, em 01h30, a história de John Daily, um homem de negócios bem-sucedido que percebe seu fracasso empenhando o papel de chefe, marido e pai. O desespero o leva a tomar uma atitude na tentativa de recuperar o controle da situação e participa de um retiro sobre liderança, comandado por Leonard Hoffman, um famoso empresário que abandonou sua brilhante carreira para se tornar monge. A peça aborda temas como liderança, vida, amor, relacionamentos, caráter e paciência.

Os valores dos ingressos variam entre R$ 50,00 (frisa numerada), R$ 60,00 (cadeira/arquibancada numerada), R$ 70,00 (cadeira lateral numerada), R$ 80,00 (camarote numerado), R$ 90,00 (cadeira central numerada) e R$ 100,00 (cadeira premium numerada). Os ingressos estão à venda no site www.ingresse.com e na bilheteria do Studio 5.  Os valores podem ser parcelados em até 3 vezes no cartão de crédito.

 

FICHA TÉCNICA:

Direção: Adriano Paixão

Produção: Louri Batista

Elenco: Adriano Paixão (Executivo John), Urias Garcia (Monge Simeão), Samuel Mota (sargento Greg), Luis Fernando Albertoni (pastor Lee), Lia Antunes (enfermeira Kim), Joice Jane Teixeira (treinadora Chris), Glória Rabelo (diretora Teresa) e Inayara Boscolo (treinadora Chris)

Serviço:

Peça “O Monge e o Executivo”

Data: 06 de setembro – domingo

Horário: 19h00

Ingressos: de R$ 70,00 a R$ 100,00, à venda no site www.ingresse.com/e na Bilheteria do Studio 5

                                                          Local: Studio 5 Centro de Convenções

Avenida General Rodrigo Otávio, 3555 – Japim

Manaus – AM

Site: http://www.studio5.com.br/centrodeconvencoes/

 

“Deixa Eu Te Contar” encerra temporada em 30 de agosto

Últimos dias da peça com Kéfera Buchmann e Bruna Louise

Kéfera Buchmann e Bruna Louise se despedem do palco do Teatro Gazeta no próximo final de semana. São apenas mais duas apresentações, em 29 (sábado) e 30 (domingo) de agosto. O humorista e diretor de “Deixa eu te contar”, Marco Zenni, nunca esteve tão feliz com o sucesso e a repercussão que a peça teve durante a temporada em São Paulo “estou muito feliz com todo o sucesso, agora mais gente me conhece além dos credores”.

"Deixa Eu Te Contar" realiza duas últimas apresentações no Teatro Gazeta. (Foto: Divulgação)
“Deixa Eu Te Contar” realiza duas últimas apresentações no Teatro Gazeta. (Foto: Divulgação)

“Deixa eu te contar” traz a narrativa de duas jovens bem humoradas, modernas, antenadas e piradas, falando sobre o universo feminino e suas implicações. Mas se engana quem acha que as duas só falarão sobre isso! Já viu mulher falando de um assunto só? Mulher tem opinião para tudo! Com Bruna Louise e Kéfera Buchmann as risadas serão garantidas para todos os gêneros, número, grau, papagaios e afins… E elas juram, de pé junto, que o espetáculo terá apenas os 60 minutos prometidos, já que o autor, Afonso Padilha, disse que não ia escrever mais que isso. E ponto!

Um pouquinho mais sobre o “Deixa eu Te Contar”

Tudo começou com a estreia em 19 de dezembro de 2014, no Teatro Regina Vogue, em Curitiba, e o que era para ser apenas uma apresentação, acabou virando três. Ficou em cartaz no Teatro Gazeta, em São Paulo, por três meses, bem no início de 2015. O espetáculo iniciou a turnê nacional em Abril deste ano, na cidade de Manaus, onde foi gravado os bastidores da produção dando origem a web série: “Minha vida de atriz”. Os episódios tiveram altos números de visualizações e o público teve a oportunidade de entrar no tão desejado mundo da Kéfera: seu canal 5 minutos no Youtube! A proporção deste espetáculo foi muito além do esperado, ao ponto da produção local alinhar a chegada das meninas com a Infraero, evitando confusão com os fãs nos aeroportos.

Ficha técnica

Elenco:    Bruna Louise e Kéfera Buchmann

Direção: Marco Zenni

Autor: Afonso Padilha

Produção: Ana Paula Lima

Crédito da Foto: Gustavo Mafra

SERVIÇOS

Deixa eu te contar

com Bruna Louise e Kéfera Buchmann

Temporada: de 6 de junho a 30 de agosto de 2015

Horário: Sábado às 18h, e Domingo às 16h

Local: Teatro Gazeta – Av. Paulista, 900 – Térreo – São Paulo

Gênero: Comédia

Duração: 60 minutos

Ingressos: R$ 80,00 inteira e R$ 40,00 meia.

Capacidade: 680 lugares

Classificação: 16 anos

Bilheteria: de terça a quinta das 14h às 20h e de sexta a domingo das 14h até o horário do último espetáculo

Estacionamento: Convênio Multipark – R$ 15,00 por 3h – Av. Paulista, 867 e Rua São Carlos do Pinhal, 303 – subsolo
Acesso para deficiente, portadores de mobilidade reduzida e obesos

Mais informações: 11 3253-4102