Arquivo da tag: Verus Editora

Sucesso na Coreia do Sul, doramas ganham os jovens brasileiros e inspiram “Pule, Kim Joo So”, novo livro da Verus

image005.jpgFebre na Ásia, os doramas chegaram com força no Brasil. Também chamados de “dramas coreanos” ou “k-dramas”, são séries televisivas caracterizadas pelas reviravoltas e pelo impacto emocional. “Pule, Kim Joo So” traz para a literatura a dramaticidade dos doramas e marca a estreia de Gaby Brandalise na Verus.

A trama gira em torno de Marina, uma jornalista desiludida com o seu emprego e atormentada com as agressões do ex-namorado policial. Ela trabalha no aeroporto de Curitiba e é lá que encontra So, um coreano que está perdido, machucado – e aparentemente com problemas com a polícia. Sem pensar muito, Marina decide ajudá-lo. Ainda que milhares de quilômetros separem o Brasil da Coreia do Sul, ela e So vivem situações parecidas. Por muito tempo eles estiveram presos em suas próprias histórias e é a necessidade de mudar que vai unir o casal.

Seguindo a estética dos doramas, “Pule, Kim Joo So” aposta também na agilidade para fazer com que a experiência do leitor seja quase como “assistir a história”.

Logo que surgiram, os k-dramas foram umas das únicas formas de entretenimento permitido na Coreia. Inicialmente transmitidas via rádio, as produções recentemente se expandiram e pegaram carona na onda K-pop para atingir diversas partes do mundo.

Anúncios

O destino das famílias Capuleto e Montecchio após “Romeu e Julieta”

A autora Melinda Taub cria a sua versão para o que aconteceu em Verona após a maior tragédia da literatura

image004.jpgInspiração para a série “Still star-crossed”, que teve a produção assinada por Shonda Rhimes, “À sombra de Romeu e Julieta” expõe o futuro das famílias Capuleto e Montecchio após o trágico destino dos jovens amentes. Com a morte de Romeu e Julieta, os rivais prometem paz, mas não é o que acontece na prática. O clima beligerante ainda predomina e ameaça a cidade de Verona, o que faz com que o príncipe Escalo intervenha com uma solução para manter a ordem: casar oficialmente um membro de cada dinastia. Os escolhidos são Benvólio, primo de Romeu, e Rosalina, prima de Julieta.

Além de não amar o seu prometido – e vice-versa –, Rosalina ainda nutre sentimentos por Escalo, numa paixão de infância não correspondida. Ela está decidida a não subir ao altar por obrigação, mas, para isso, precisa descobrir uma maneira de acalmar os ânimos dos Capuleto e Montecchio. Com o tempo, ela percebe que uma conspiração ronda a cidade, o que pode estar por trás da atual guerra entre as duas famílias.

Em seu romance de estreia, Melinda faz uma homenagem a Shakespeare e acrescenta aventura e suspense aos desdobramentos do clássico “Romeu e Julieta”. A maioria dos personagens principais aparece ou é citado na obra original. Benvólio, por exemplo, está presente em toda a primeira metade da peça, enquanto Rosalina, apesar de nunca ter aparecido no palco, é frequentemente mencionada nos dois primeiros atos.  A autora também optou por, na medida do possível, manter a fala dos personagens fiel ao registro e vocabulário shakespearianos. Há ainda sutis referências a outros sucessos do autor, como “Hamlet” e “Muito barulho por nada”. Em nota escrita ao final do livro, Melinda Taub fala sobre a sua inspiração para escrever o livro.

“(…) Em algumas peças, os cenários que Shakespeare cria são muito entrelaçados ao enredo – é difícil imaginar Elsinore depois de Hamlet, por exemplo – mas, em Romeu e Julieta, ele criou um mundo tão pulsante de vida que é impossível não imaginar o que aconteceu depois.”, afirma.

Melinda Taub ganhou um fichário quando fez sete anos e logo se sentou para escrever sua primeira história naquelas folhas. O fichário já não existe faz tempo, porém a escrita nunca mais parou. Ela escreve comédia para uma variedade de veículos de TV, internet e peças de teatro. Melinda mora em Nova York e adora assistir ao maior número possível de adaptações de Shakespeare.

“Seduzida até domingo”, penúltimo livro da série “Noivas da semana”, chega às livrarias em novembro pela Verus

image005.jpgMeg Rosenthal é a nova administradora da agência de casamentos Alliance. Como uma boa mulher de negócios, descobre um resort de luxo em uma ilha particular conhecido pela discrição de seus funcionários, onde ricaços e celebridades frequentam e conseguem ter privacidade. Meg acredita que o local possa ser interessante para os seus clientes e decide ir pessoalmente verificar até que ponto o resort é, de fato, isolado de qualquer influência externa.

É nesta viagem que ela conhece Valentino Masini, dono do hotel. O primeiro contato entre os dois, quando ela ainda estava reservando sua estadia, não foi dos melhores. Mas assim que a visitante chega à ilha de Valentino, ele percebe que Meg é especial. Como trabalho está em primeiro lugar, Meg não vai se deixar seduzir por um empresário italiano bonitão em um terno feito sob medida.

“Seduzida até domingo” é o penúltimo livro da série “Noivas da semana”, que já vendeu mais de dois milhões de exemplares nos Estados Unidos e teve os direitos de publicação comprados por 11 países.

Sobre a autora:

Catherine Bybee foi criada no estado de Washington, nos Estados Unidos. Depois de se formar no ensino médio, mudou para o sul da Califórnia onde mora até hoje. Atualmente ela é escritora em tempo integral e vive com o marido e dois filhos

“Todas as garotas desaparecidas” é novo thriller da Verus

image003.jpgHá dez anos, Nicholette saiu de sua cidade natal e deixou para trás todas as lembranças que existiam na pequena Cooley Ridge. Agora ela tem um apartamento próprio, um emprego e um noivo. Sua vida seguiu em frente, ou quase.  Quando seu irmão mais velho pede que retorne para ajudar a vender a casa do pai, que sofre de Alzheimer, Nic vê que esta é uma possibilidade de confrontar seu pai pessoalmente sobre uma carta que ele havia lhe mandado algumas semanas antes. Na mensagem, ele afirmava ter encontrado Corinne, melhor amiga de Nic e o motivo dela ter deixado a cidade.

Nicholette tinha dezoito anos quando Corinne desapareceu. As duas estavam em um parque de diversões, mas a amiga sumiu sem deixar pistas. A investigação policial concluiu que ela simplesmente fugiu, mas Nic conhecia a amiga e sabia que não era apenas isso.

Logo ao chegar a Cooley Ridge, Nic descobre que seu ex-namorado está envolvido com Annaleise Carter, a jovem vizinha que foi o álibi do grupo de suspeitos para a noite do sumiço de Corinne. E então, poucos dias depois, Annaleise desaparece.

Agora, Nic precisa desvendar o sumiço de sua vizinha e, no processo, vai descobrir verdades chocantes sobre seus amigos, sua família e o que realmente aconteceu com Corinne naquela noite, dez anos atrás.

Em seu primeiro livro adulto, Megan Miranda aposta em um thriller psicológico ágil que ganhou destaque em veículos como The New York Times, Entertainment Weekly e The Wall Street Journal.  “Todas as garotas desaparecidas” chega às livrarias este mês pela Verus.

Megan Miranda é autora de diversos livros juvenis. Ela cresceu em New Jersey, se formou no Instituto de Tecnologia de Massachusetts e vive na Carolina do Norte com o marido e os dois filhos.

Verus lança segundo volume da série “Desventuras de um garoto nada comum”, de Rachel Renée Russell

image004 (1).jpgNinguém disse que a vida no Fundamental II seria fácil. Mas até que Max consegue transformar as suas encrencas em verdadeiras aventuras.

Depois de ficar preso no armário do Colégio South Ridge durante o final de semana prolongado – e só conseguir escapar pela tubulação de ar – agora ele tenta evitar que ladrões roubem os computadores do laboratório da escola. Essa é a oportunidade que o garoto precisava para mostrar que pode ser o herói que o South Ridge precisa.  Mas antes ele precisa sair ileso de toda esta situação. Para isso, Max conta com a ajuda de Erin, sua melhor amiga.

Rachel Renée Russell é a aclamada autora da série best-seller “Diário de uma garota nada popular”, que atingiu a marca de um milhão de exemplares vendidos no Brasil.

“Desventuras de um garoto nada comum” entrou para a lista dos mais vendidos do New York Times já na semana do lançamento e teve os direitos vendidos para 16 países.  A obra narra as descobertas de Max no colégio. Por anos, o garoto estudou em casa, até, finalmente, ser matriculado. Um colega valentão, novas amizades, mudança de rotina e situações hilárias são alguns dos desafios deste garoto nada comum.

“Caos no colégio” é o segundo volume da série e chega às livrarias este mês pela Verus.

Rachel Renée Russell é autora número um na lista de livros mais vendidos do New York Times. Tem mais de vinte e cinco milhões de livros impressos pelo mundo, traduzidos para 36 idiomas. Ela adora trabalhar com as suas duas filhas, Erin e Nikki, que a ajudaram a escrever e a ilustrar os seus livros.

Nova série de Audrey Carlan chega às livrarias pela Verus

image003.jpgApós o sucesso de “A garota no calendário”, a Verus lança “Corpo”, primeiro volume da série Trinity, de Audrey Carlan.

Aos 24 anos, Gillian já passou por momentos mais dolorosos que muita jovem da mesma idade. Por anos ela viveu um relacionamento abusivo com o seu último namorado até conseguir o suporte de uma importante organização beneficente de apoio a mulheres que sofrem violência doméstica. Agora ela está livre e segura trabalhando como gerente nesta mesma instituição.

Em um bar, após uma cansativa viagem de trabalho, Gillian conhece Chase. A atração entre os dois é imediata, até ela descobrir que o executivo é o presidente do conselho de sua empresa. Gillian precisa decidir entre o medo de confiar em um homem novamente e o desejo de ter Chase ao seu lado.

Audrey, que começou com uma publicação independente na internet, foi contratada pela editora Waterhouse Press em 2015. Atualmente possui mais de 20 livros publicados e é best-seller do The New York Times. “Corpo”, nova série erótica da autora, chega às livrarias este mês.

Audrey Carlan mora em algum lugar da Califórnia com seus dois filhos e o marido. Quando não está escrevendo, está dando aulas de yoga, bebendo um bom vinho com suas melhores amigas ou devorando um romance super apimentado.

“Brumas do tempo”, de Karen Marie Moning, é o novo romance de época da Verus

image004.jpgSéculos separam Adrienne, uma jovem moradora de Seattle nos dias de hoje, de Falcão, um sedutor lorde escocês conhecido por ser um conquistador de batalhas (e também de donzelas).  Nenhuma mulher resiste ao seu charme, mas nenhuma despertou de fato o seu interesse. Até Adrienne aparecer nas highlanders escocesas do século XVI.

Ela cresceu em um orfanato, de onde fugiu assim que completou dezoito anos. Na faculdade, viveu um noivado conturbado até, finalmente, conseguir escapar. Mesmo longe, Adrianne ainda não conseguiu superar o passado e está certa de que nunca irá conseguir se relacionar com outro homem novamente. Até que em uma noite ela acorda na Escócia de 1513. Longe de seu tempo, a jovem acaba se casando com Falcão, de quem jura que irá manter a distância. Mas o poder de sedução do lorde irá comprometer a determinação dela.

“Brumas do tempo” é o primeiro livro de Karen Marie Moning publicado no Brasil. A obra, um romance histórico e sensual, abre a série Highlanders e chega às livrarias em setembro pela Verus.

Karen Marie Moning se formou em direito na Universidade de Purdue, onde também fez cursos de filosofia, escrita criativa e teatro. Seus quase vinte romances entraram nas listas de mais vendidos do New York Times e do USA Today e ganharam inúmeros prêmios, incluindo o prestigiado RITA Awards.

Babi A. Sette estreia na Verus com o romance de época “Não me esqueças”

image003 (1).jpgBabi A. Sette vai lançar seu romance histórico “Não me esqueças” na Bienal do Livro do Rio. O livro é a sua estreia na Verus, editora que vem revelando novos talentos nacionais, como Carina Rissi, Ana Beatriz Brandão e Eduardo Spohr.

A história se passa no século XVIII e apresenta Elizabeth, uma jovem de 21 anos apaixonada pela leitura e por tudo o que envolva a cultura celta. Há anos seus sonhos são ocupados por um lobo misterioso que até lhe renderam o apelido de “lobinha” entre os irmãos. A concorrida sociedade londrina nunca chamou a atenção de Lizzie, mas o zelo do marquês Henrique Devonport fez com que ela aceitasse o pedido de casamento do rapaz. Mas, ao flagrá-lo aos beijos com outra mulher, a jovem decide trocar de vez os concorridos salões de baile pelas estradas desertas e sinuosas das Highlands escocesas.

E é neste cenário digno de contos de fadas que Lizzie irá conhecer Gareth MacGleann, um enigmático e temperamental líder de clã que luta para manter suas tradições e seu povo em segurança. De alguma forma a presença de Gareth está ligada aos sonhos de Elizabeth. Vindos de mundos totalmente diferentes, os dois irão viver uma paixão proibida.

Para mergulhar ainda mais no universo celta, Babi viajou para a Escócia em um intenso trabalho de campo sobre mitos e simbologias. Várias particularidades dos celtas, considerados os primeiros povos civilizados a ocupar a Europa, estão retratadas em “Não me esqueças”.

Paulistana, Babi começou a escrever há três anos e já tem quatro livros publicados. Ela estará na Bienal do Livro do Rio de Janeiro nos dias 2 e 8 de setembro, às 11h e às 13h, respectivamente, no estande do Grupo Editorial Record.

Sobre a autora:
Formada em Comunicação Social, sente-se metade psicóloga; e outra socióloga. Ama viajar, conhecer pessoas e descobrir lugares. Apaixonada por romances de época, jura que viveria feliz também no século 19. Atualmente, mora em São Paulo com o marido, a filha, um cachorro, um gato e seus personagens.

“A garota das sapatilhas brancas” é o segundo livro de Ana Beatriz Brandão pela Verus

image005.jpgEm 2014, quando estava prestes a lançar o seu primeiro livro impresso, Ana Beatriz Brandão mal podia acreditar no sonho que estava se tornando realidade. A autora, que começou escrevendo fantasia, depois lançou pela Verus o seu primeiro romance. “O garoto do cachecol vermelho” foi um sucesso com os fãs e destaque entre os mais vendidos no estande do Grupo Editorial Record, na Bienal de 2016.

Este ano, a autora lança “A garota das sapatilhas brancas”, spin off com o ponto de vista de Daniel, protagonista do primeiro livro. A obra traz lembranças de Daniel e respostas sobre seu comportamento para que o leitor o conheça melhor. A história mostra o poder das decisões em afetar o futuro.

Engajada, a autora irá destinar parte dos direitos autorais do novo livro para o Instituto Paulo Gontijo e para a Associação Regional de Esclerose Lateral Amiotrófica (ARELA-RS).  Ana repete o mesmo gesto que fez com “O garoto do cachecol vermelho”, quando contribuiu para a Associação Brasileira de Esclerose Lateral Amiotrófica (ABRELA). Em ambos os livros a autora aborda e esclarece sobre a esclerose lateral amiotrófica (ELA) através de Daniel. Isso porque ele herda a doença degenerativa do pai e precisa conviver com o medo e as incertezas de ser um portador. Até conhecer Melissa, uma bailarina tão decidida a entrar para a Juilliard (conceituada escola de artes americana) quanto mimada, mas que guarda um grande trauma.

O lançamento de “A garota das sapatilhas brancas”, com sessão de autógrafos, acontecerá na Bienal do Livro, no Rio de Janeiro, no dia 7 de setembro (quinta-feira) no estande do Grupo Editorial Record a partir das 14h30min.

Aos 17 anos, Ana Beatriz é uma das escritoras mais novas da Verus. A carreira começou cedo, aos 13, e no que depender dela, ainda há muito pela frente.

Ana Beatriz Brandão sempre sonhou em viver em um mundo cercado de magia.  Aos 13 anos começou a escrever seu primeiro livro e não parou mais. De lá para cá, escreveu 17 e publicou três: dois livros fantasia e o romance “O garoto do cachecol vermelho”.

Verus lança o livro interativo “Só se vive uma vez”

Nele, o leitor pode escolher os rumos da história

image003.jpg“Só se vive uma vez” é o segundo volume da série “Pense rápido”, de Bridie Clark. Neste livro interativo, cabe ao leitor construir a história colocando-se na pele da personagem principal e tomando decisões. No final de cada capítulo há opções de rumos a serem seguidos, um convite para criar uma história única a cada vez.

A Academia Kings é uma escola de ensino médio bastante elitizada cujos alunos vêm das famílias mais ricas da cidade. Este pode ser um lugar difícil para um bolsista se acostumar, mas depois de vencer a primeira etapa no livro anterior, chegou a hora de assumir a postura de veterano. É preciso lidar com o estresse de se manter em dia com uma grande quantidade de trabalhos. Sem contar com as festas incríveis de aniversário de dezesseis anos realizadas por boa parte das meninas da classe.  Para bancar isso tudo, talvez seja preciso um trabalho. Mas isso cabe ao leitor decidir. Será que é melhor um emprego como babá na cidade (e fingir não notar o flerte descarado do pai da criança)? Ou um estágio no New York Times — oferecido em forma de suborno? O que escolher: ir para uma superfesta em Palm Beach ou se esbaldar em Kentucky?  Quaisquer que sejam as decisões que você tome, o ano promete ser inesquecível.

Bridie Clark trabalhou como editora de livros e revistas e já escreveu para o New York Times, Vanity Fair, New York Magazine. Seu primeiro romance, “Porque ela pode”, foi publicado em dezenove países. Atualmente vive em Greenwich, em Connecticut, com o marido e a filha.