Arquivo da tag: Verus Editora

Fenômeno dos animes chega às livrarias

Inspirado no filme homônimo, your name., de Makoto Shinkai, narra a vida de uma jovem do interior do Japão que faria qualquer coisa para conhecer Tóquio

image004.jpgO ditado “cuidado com o que deseja” se encaixa perfeitamente na trama de Your name., animação japonesa que virou fenômeno mundial, faturou dezenas de prêmios, como o Japan Awards e o 42° Prêmio da Associação de Críticos de Cinema de Los Angeles, e, em outubro, ganha também as livrarias brasileiras pela Verus. Isso porque Mitsuha é uma jovem que mora no interior do Japão, mas faria qualquer coisa para conhecer Tóquio. Sua cidade é tão pequena que está fora da área de previsão do tempo e mal é reconhecida pelo Google Maps. Não há nenhuma livraria, dentista ou McDonald’s. Durante uma visita ao templo, Mitsuha desabafa sua insatisfação em morar no vilarejo e afirma que “preferia ser um cara bonito em Tóquio na próxima vida”. De certa forma ela consegue o que queria.

Em um sonho estranho, a garota acorda no corpo de um rapaz desconhecido e vive aquele dia como ele pelas ruas de Tóquio, o que significa correr para o colégio, fazer social com os amigos que ela nem sabe o nome, e depois ir para o trabalho em um restaurante de massas. É assim que ela percebe o quanto o ritmo da vida na cidade pode ser diferente do que ela está acostumada a viver quilômetros dali.

Mas Mitsuha não é a única a ter esse sonho tão vívido. Bem longe do dia-a-dia no campo, Taki, um adolescente da capital japonesa, também passou por situação semelhante. No caso do rapaz, ele sonhou que era uma garota de uma cidade nas montanhas. Esse é só começo da história de dois jovens compartilhando corpos, relacionamentos e vidas. Eles não sabem como esse fenômeno acontece, mas Taki e Mitsuha estão intrinsecamente ligados.

Your name. traça uma linha tênue entre o sobrenatural e a realidade, conforme acompanha as inquietações dos protagonistas que estão determinados a fazer parte da vida um do outro. O livro já vendeu mais de 3,4 milhões de exemplares e teve os direitos vendidos para 13 países. O anime esta disponível na Netflix.

Nascido em Nagano, no Japão, em 1973, Makoto Shinkai despontou no mundo da animação em 2002, com o curta Vozes de uma estrela distante, que ele produziu praticamente sozinho. Your name., sua animação mais recente, foi sucesso de crítica e público e se tornou o anime de maior bilheteria da história do Japão. Este romance foi escrito durante a produção do filme de mesmo título.

Do e-book para o papel

Depois de figurar entre os 100 e-books mais vendidos da Amazon, a escritura Raiza Varella lança “Caçadora de estrelas” pela Verus

image005.jpgAs vidas de dois melhores amigos de infância convergem em uma história de amor e resiliência no romance de estreia de Raiza Varella na Verus. Em Caçadora de estrelas, que chega às livrarias em outubro, a autora questiona sobre individualismo e mostra que, na busca pela estrela que nos completa, é necessário se descobrir primeiro.

Eva tem o dom de atrair problemas e caras errados. Não necessariamente nessa ordem. Ela já teve até namorado que a largou para fugir com o circo. No seu relacionamento mais recente, Eva se mudou para Londres com o namorado que prometeu uma vida muito melhor do que a que ela tinha em São Paulo. Chegando à terra da rainha, o emprego do namorado não era tão maravilhoso assim, as gorjetas de Eva mal cobriam as contas e, para completar, ela ainda pegou o namorado na cama… com outro!

Não existe adjetivo que defina melhor Eva que: determinada. E assim como ela não pensou duas vezes em largar a sua família, com apenas um bilhete de despedida, antes de se aventurar pelo velho continente, ela também não precisa de muito para juntar suas coisas e partir no primeiro voo para São Paulo.

De volta para casa, mas não sem antes ter passado vergonha no avião com um desconhecido após um ataque de pânico durante uma turbulência, Eva descobre que a sua antiga vida está de pernas para o ar. Seu pai não só se casou sem ela saber como uma das filhas da madrasta é a atual namorada do seu melhor amigo! E por falar em Gabriel, ele roubou o seu gato e parou de falar com ela desde o seu retorno. Eles são melhores amigos de infância e sempre estiveram presentes em todos os momentos da vida do outro. Gabriel era aquele que recolhia os cacos do coração de Eva, decepção após decepção amorosa. Mas há um tempo ele não a via apenas como uma amiga. Foi fácil transformar a amizade em algo mais, mas Eva nunca percebeu. E ele estava mantendo esse sentimento bem trancado, principalmente depois de Eva ter ido para Londres, mas agora que ela está de volta, esse sentimento vem à tona.

A história vai se desenvolvendo com a readaptação de Eva à rotina em sua casa, permeada de algumas reviravoltas do destino, nem todas boas. Com narrativas intercaladas entre Gabriel e Eva, Raiza escreve um romance capaz de emocionar os leitores.

Raiza Varella é apaixonada por livros, animais e séries de tv quase tanto quanto por fast-food e finais felizes… quase! Ela se aventurou pela primeira vez no mundo da escrita com uma trilogia romântica com um toque de conto de fadas e agora publica seu primeiro romance pela Verus. Formada em direito e fissurada por amores impossíveis, durante o dia mora em São Paulo com o marido, o filho, um cão e uma gata cheios de personalidade. À noite se muda para onde suas histórias a levam.

 

Nova série erótica de Audrey Carlan chega às livrarias

Autora chega ao Brasil para turnê de lançamento em Curitiba, São Paulo e Rio de Janeiro

image005.jpgOs leitores brasileiros já conheceram Mia Saunders, protagonista da série “A garota do calendário”, de Audrey Carlan, que já vendeu 700 mil exemplares no país. Agora chegou a vez de conhecerem Parker Ellis e seus melhores amigos Bogart Montgomery e Royce Sterling. O trio é sócio na International Guy, uma agência voltada para mulheres, disposta a realizar qualquer sonho, mesmo que isso inclua viajar o mundo para tornar suas clientes mais confiantes e poderosas. O público é variado. De ricaças a atrizes de Hollywood, passando por CEO’s de multinacionais bilionárias e membros da realeza.

Apesar de levar uma vida de playboy, Parker teve uma infância simples nos arredores de Boston, onde morava com a família. O beisebol o colocou em Harvard com bolsa integral e foi lá que ele conheceu seus dois melhores amigos.  Agora o seu negócio lhe dá estabilidade o suficiente para, por exemplo, comprar o bar onde seu pai trabalhou como barman por anos, além da conveniência de viajar por todos os continentes. Porém, nessa mistura de trabalho com diversão, às vezes é difícil resistir às mulheres que aparecem em seu caminho.

A série será dividida em quatro volumes, cada um deles com três histórias. No primeiro, a International Guy vai a Paris para ajudar a herdeira Sophie Rolland a assumir o comando de um império de perfumes. Em seguida, os rapazes retornam aos Estados Unidos e, em Nova York, auxiliam a famosa atriz Skyler Paige a recuperar a paixão por seu trabalho. De volta ao antigo continente, em Copenhague, eles encorajam a princesa Christina Kaarsberg a abraçar a coroa.

Audrey Carlan virou um fenômeno no gênero erótico. Sua primeira série, “A garota do calendário”, que foi publicada inicialmente de forma independente, alcançou a lista dos mais vendidos do The New York Times e já vendeu mais de três milhões de exemplares no mundo. “International Guy” também é uma série erótica e um de seus volumes se passa no Rio de Janeiro. A autora já esteve na Cidade Maravilhosa quando lançou “A garota do calendário”, em 2016, e voltará ao Brasil para lançar o primeiro volume de “International Guy”. São Paulo (12/09), Curitiba (13/09) e Rio de Janeiro (15 e 16/09) serão as cidades contempladas com a turnê.

Audrey Carlan mora em algum lugar da Califórnia com seus dois filhos e o marido. Quando não está escrevendo, está dando aulas de yoga, bebendo um bom vinho com suas melhores amigas ou devorando um romance super apimentado.

Sucesso entre os leitores, Ana Beatriz Brandão lança novo livro pela Verus

image003.jpgUm dos nomes da nova geração da literatura, Ana Beatriz Brandão lança este mês “Sob a luz da escuridão” pela Verus. Depois de dois romances que arrancaram lágrimas dos leitores, a autora explora agora um universo mais sombrio, um mundo pós-apocalíptico que foi marcado por guerras nucleares. Novas espécies foram criadas, parte da população tem dons especiais, mas a luta pela sobrevivência permanece.  Dos romances contemporâneos até uma saga distópica, passando pela fantasia – gênero dos primeiros livros de Ana Beatriz publicados – a autora mostra sua versatilidade e se firma no cenário nacional.

“Desafiar a mim mesma com gêneros e assuntos novos é uma das minhas coisas preferidas na hora de escrever. É muito bom descobrir o que se consegue fazer com possibilidades diferentes, e muitas vezes, você acaba se identificando com um gênero que nunca pensou que fosse escrever! Se desafiar sempre, esse é meu lema.”, diz Ana Beatriz.

Quando um poderoso ditador tomou o poder e se uniu a outros países, a democracia foi colocada em xeque. Rico, dono de uma das maiores indústrias farmacêuticas do mundo, ele tinha dinheiro o suficiente para ter o que quisesse (e quem quisesse). Com o tempo, começou a perseguir pessoas por religiões, etnias, idades, e o mundo entrou em colapso. Nesse universo pós-apocalíptico que conseguiu se manter, ainda que em frangalhos, depois das Terceira e Quarta Guerras Mundiais, vivem Lolli e Jazz. Elas são metacromos, o que significa que possuem poderes extraordinários, desenvolvidos graças a mutações do DNA humano diante da radiação das bombas nucleares das grandes guerras.

Por um tempo, elas foram mantidas presas no Instituto, conhecido por capturar aqueles que apresentam poderes. Mas, uma vez resgatadas do local, elas buscam respostas sobre suas origens enquanto lutam para sobreviver. Não muito longe dali, Evan, um vampiro milenar, lidera com mãos de ferro uma das mais poderosas áreas do planeta. Mas quando, por obra do destino, ele reencontra Lolli, que por muito tempo pensou estar morta, tudo desmorona e o vampiro é obrigado a enfrentar o passado e os seus sentimentos pela sua antiga parceira de combates.

Ana Beatriz Brandão descobriu cedo que contar histórias era sua paixão e desde então não parou mais. Agora, aos 18 anos, é uma das autoras mais novas da Verus e já assinou contrato para adaptar seus dois primeiros livros. Um filme baseado em “O garoto do cachecol vermelho” e “A garota das sapatilhas brancas” está em fase de pré-produção pela JCG Filmes.

A autora também estará na Bienal do Livro de São Paulo. No dia 5 de agosto ela divide uma mesa de bate-papo com as também autoras do Grupo Editorial Record, Carina Rissi e Laura Conrado e, no dia 11 de agosto, autografa no estande da editora.

Sobre a autora:

Ana Beatriz Brandão sempre sonhou em viver em um mundo cercado de magia.  Pela Verus a autora já lançou “O garoto do cachecol vermelho” e “A garota das sapatilhas brancas”.

“Tempo de partir”, novo romance de Jodi Picoult, explora a relação familiar e o luto

image003.jpgSucesso de critica com mais de vinte e cinco livros publicados, Jodi Picoult é considerada referência no romance. Não é a toa que já vendeu mais de 30 milhões de exemplares e teve algumas de suas obras adaptadas para o cinema e para a televisão. É o caso de “A guardiã da minha irmã” (no Brasil, o filme ganhou o título de “Uma prova de amor”), protagonizado por Cameron Diaz.

Quem lê os livros da autora está acostumado a encontrar uma trama sólida que aborda questões sociais relevantes, sempre atuais. Suas histórias já falaram desde suicídio até a doação de órgãos. Em “Tempo de partir”, a autora vai até os santuários de elefantes para expor a caça a estes animais.

Alice Metcal dedicou sua vida profissional à pesquisa do comportamento dos elefantes diante de situações de estresse pós-traumático, como o luto. Mas após uma tragédia no santuário de elefantes de New Hampshire, onde trabalhava, Alice desaparece. Esse é o ponto de partida para a trama, mas a verdadeira protagonista é Jenna Metcal, filha de Alice. Ela tinha apenas três anos quando a mãe sumiu e a única pessoa que poderia ajudá-la a entender este episódio é seu pai. Porém, após o trauma do acidente ele é internado às pressas numa clínica psiquiátrica.

Mais de uma década depois, Jenna continua atrás de qualquer pista que possa esclarecer o que aconteceu no santuário de elefantes. Ela não consegue aceitar que alguém que passou toda a sua carreira pesquisando a relação dos elefantes com a dor, especialmente o vínculo entre mãe e filhote, poderia abandonar a própria filha sem nenhuma explicação.

Depois de examinar os diários de pesquisa de sua mãe, fazer incontáveis buscas no Google e tentar encontrar alguma lucidez nas respostas do pai, Jenna apela para Serenety Jones, uma vidente outrora famosa por descobrir o paradeiro de pessoas desaparecidas, mas que caiu em desgraça após algumas previsões erradas, e para o ex-detetive particular, rabugento e alcoólatra, Virgil Stanhope. Conforme os três trabalham juntos, Jenna percebe que ao fazer perguntas difíceis, terá que lidar com respostas ainda mais duras.

O desenrolar da trama inclui reviravoltas e um tributo aos elefantes. A autora traça paralelos entre o comportamento humano e o do animal, reforçando que, além da memória, os elefantes também impressionam pela sua capacidade de conexão e lealdade. As histórias dos animais que aparecem no livro, aliás, são baseadas em situações reais que aconteceram no The Elephant Sanctuary, no Tennessee, nos Estados Unidos.

Jodi também chama a atenção para a caça ilegal aos elefantes, cujos números são alarmantes. A maior parte do comércio é voltada para a produção de marfim. As estimativas atuais apontam que cerca de 380 mil elefantes são assassinados por ano na África.  Nesse ritmo, os elefantes nesse continente terão desaparecido em aproximadamente vinte anos.  No, entanto, como mostra em seu livro, os caçadores ilegais não são a única ameaça a estes animais, que também são capturados para serem vendidos a safaris, zoológicos e circos.

Jodi Picoult é autora de mais de vinte e cinco livros, publicados com grande sucesso de crítica e público em mais de trinta países. A autora estudou redação criativa em Princeton e é mestre em educação pela Universidade de Harvard. Ganhou diversos prêmios e é uma das escritoras mais queridas no mundo inteiro. Jodi, o marido e os três filhos vivem em New Hampshire, nos Estados Unidos. www.jodipicoult.com

Relacionamento de um casal sorodiferente é o foco de “Senhorita Aurora”, novo livro de Babi A. Sette pela Verus

image003.jpgFoi durante um jantar com o marido que “Senhorita Aurora” começou a se desenhar para Babi A. Sette. O romance entre uma bailarina e um renomado maestro que esconde ser soropositivo fez sucesso em ebook e figurou na lista dos mais vendidos na Amazon. Agora, o segundo livro de Babi pela Verus chega também às livrarias.

Para Nicole Alves, balé sempre foi como oxigênio. Aos quatro anos, calçou a sua primeira sapatilha. Dois anos mais tarde, foi aceita na melhor escola de danças do Rio de Janeiro. Os incontáveis treinos, que chegavam a oito horas por dia, a levaram a conquistar uma bolsa de estudos em uma das academias de balé mais conceituadas do mundo, a Companhia de Ballet de Londres. É lá que ela conhece Daniel Hunter, um maestro prodígio de temperamento difícil, que irá reger a próxima montagem de “A Bela Adormecida”.

Grosseiro, Daniel conhece o seu valor no meio musical e usa esta posição a seu favor. Sua influência lhe dá autonomia o suficiente para supervisionar os bailarinos, o que significa mais tempo para infernizar a vida de Nicole, escolhida para o papel de Aurora.

No caminho para o sonho de ter uma sólida carreira no balé, Nicole acaba se envolvendo com Daniel e descobre que ele esconde um segredo: o maestro é soropositivo.

Entre música clássica e sapatilhas de ponta, Babi A. Sette abre espaço para o debate sobre relacionamento de  sorodiferentes. Daniel, que contraiu o virus de uma ex-namorada, revela o dia-a-dia de um soropositivo. Ele é uma das 36,7 milhões de pessoas que vivem com HIV no mundo. Os dados são da UNAIDS, programa das Nações Unidas criado para ajudar no combate à AIDS. Mas, assim como 53% dos portadores do vírus, Daniel tem acesso ao tratamento correto e consegue manter uma vida de qualidade. Contudo, os soropositivos ainda sofrem com o preconceito e a falta de informação:

“Pude perceber que, apesar de todo o avanço da ciência com relação ao tratamento e à diminuição do risco de contágio, um dos grandes problemas ainda enfrentados por pessoas que vivem com HIV é o medo de revelar sua condição, assim como acontece com Daniel. O temor da rejeição, do preconceito, de ficar sozinho e de se tornar “a doença” e não mais um ser humano que, por infelicidade da vida ou de suas escolhas, contraiu um virus”, diz Babi.

“Senhorita Aurora” chega às livrarias este mês pela Verus

Sobre a autora:
Formada em Comunicação Social, sente-se metade psicóloga; e outra socióloga. Ama viajar, conhecer pessoas e descobrir lugares. Apaixonada por romances de época, jura que viveria feliz também no século 19. Atualmente, mora em São Paulo com o marido, a filha, um cachorro, um gato e seus personagens.

Larissa Siriani lança seu primeiro romance de época pela Verus

image004 (1).jpgInspirada por personagens reais, Larissa Siriani, autora de “Amor Plus Size”, lança seu segundo livro pela Verus – e o primeiro romance de época. Em “O amante da princesa”, a autora traça o caminho de Maria Amélia de Bragança, princesa e membro da família real portuguesa.  Prometida a Maximiliano Habsburgo, arquiduque da Áustria, ela sequer teve seu casamento celebrado e a união já está fadada ao fracasso. Isso porque o arquiduque é secretamente apaixonado por outra mulher, enquanto Amélia não nutre nenhuma vontade de se casar por obrigação.

O livro começa quando Maximiliano chega ao Palácio das Janelas Verdes, residência dos Bragança em Lisboa para, finalmente, conhecer sua futura esposa – a dois meses do casamento. Junto de sua comitiva está Klaus Brachmann, herdeiro do marquês da Áustria e melhor amigo de Maximiliano. Sedutor, Klaus estava certo de que a estadia em Portugal seria no mínimo tediosa, mas muda de ideia ao conhecer Maria Amélia. A falta de interesse do arquiduque pela futura esposa é a deixa que o rapaz precisava para tentar se aproximar da princesa, apesar desta não ser uma garantia de que suas investidas serão bem sucedidas.

Considerando que Amélia é dona de uma língua ferina, os olhares nada discretos de Klaus só contribuem para aumentar a repulsa da jovem pelo futuro marquês. Até que, durante uma madrugada, os dois se encontram por acaso na biblioteca do palácio. Este é o início de um jogo sensual e proibido.

Com o pano de fundo da Europa no século XIX, a narrativa se altera entre os pontos de vista de Maria Amélia e Klaus. Da necessidade de um casamento forçado à tentativa de tomar as rédeas da própria vida e a consequente descoberta de um amor verdadeiro, Larissa dá nuances de drama a “O amante da princesa”.  A obra será lançada este mês pela Verus.

Nascida em 7 de maio de 1992, Larissa Siriani nunca soube muito bem o que queria fazer da vida — até começar a escrever. Publicou o primeiro livro de forma independente aos dezessete anos e, desde então, nunca mais parou.

É formada em Cinema e, além de escrever, dá aulas de inglês, comanda um vlog literário que leva seu nome e produziu uma websérie para o YouTube inspirada em “Senhora”, de José de Alencar, um de seus clássicos preferidos da literatura brasileira.  Larissa vive em São Paulo com os pais e os irmãos.

Fenômeno da literatura juvenil, “Diário de uma garota nada popular” chega ao décimo segundo volume

image005 (1).jpgOs expressivos 13 milhões de livros vendidos fazem da série “Diário de uma garota nada popular”, de Rachel Reneé Russell, fenômeno mundial e referência na literatura juvenil. As aventuras bem humoradas protagonizadas por Nikki, uma menina bem longe dos holofotes do colégio, já tiveram seus direitos cinematográficos vendidos para a Lionsgate’s Summit Entertainment e, no Brasil, alcançaram a marca de 1,2 milhão de exemplares vendidos.

O sucesso é tão grande que a série chegou ao seu décimo segundo volume, lançamento deste mês da Verus. Ao longo dos livros, os leitores acompanharam Nikki em diversas situações. Desde a mudança de colégio, passando pelos embates com sua arquiinimiga MacKenzie, até a conquista do seu intercâmbio estudantil.

Agora, a menina está em contagem regressiva para o fim do ano letivo, enquanto lida com grandes questões sobre como vai passar as férias de verão. Ela também enfrenta uma situação inesperada: há um novo (e lindo) garoto interessado nela, mas a última coisa que ela quer é magoar o Brandon, aquele por quem Nikki sempre foi apaixonada! Agora ela precisa lidar com um drama inédito em sua vida e acertar as coisas com seus dois crushes antes que isso se torne uma catástrofe!

Rachel Renée Russell é advogada, mas prefere escrever livros a processos. Ela vive no norte da Virgínia, Estados Unidos, e mantém um blog sobre a coleção: www.dorkdiaries.com . “Diário de uma garota nada popular” já teve os direitos vendidos para mais de 35 países.

Verus lança “A garota dos pesadelos”, livro que encerra a série Anna Vestida de Sangue

image005.png

Cas é um caça-fantasma, ofÍcio transmitido por sua família através das gerações. Durante um de seus trabalhos, ele conhece Anna, um espírito bem diferente daqueles que está acostumado a enfrentar. Em vida, ela era filha de imigrantes finlandeses, mas morreu no dia do seu baile de formatura.  Cas disposto a ajudá-la a descobrir os mistérios que rondam sua morte, mas ele acaba se apaixonando pelo fantasma. No fim de “Anna vestida de sangue”, livro que abre a duologia de Kendare Black, a protagonista se sacrifica para salvar Cas.

Em “A garota dos pesadelos”, continuação da série, já se passaram meses desde que Anna desapareceu, mas Cas não consegue seguir em frente. Ele a vê em todos os lugares e teme que algo ruim possa ter acontecido com a garota. Anna o salvou em mais de uma oportunidade, agora chegou a vez dele de retribuir o favor.

Kendare Blake se formou em escrita criativa na Universidade Middlesex, em Londres, e é autora de seis romances. Ela nasceu na Coreia do Sul, mas não fala uma palavra de coreano, já que foi adotada ainda bebê por um casal americano.  Atualmente mora em Kent, no estado de Washington.

Segundo livro da série “A livraria dos corações solitários” chega às lojas com um novo casal protagonista e mais amor entre prateleiras

image003 (3).jpgNo primeiro volume da série, a Bookend estava à beira da falência quando Posy a herdou. Antes uma comum livraria, o estabelecimento se transformou em referência na venda de romances.  E se Posy estava empenhada em fazer a livraria, agora chamada “Felizes para Sempre”, dar certo, Sebastian, neto da falecida dona, fez o possível para convencê-la a transformar o local em um hotel boutique, mesmo que para isso fosse necessário infernizá-la. Tanta determinação acabou aproximando os dois pelos motivos errados, mas, apesar das diferenças, eles acabaram se casando.

Em “Amor verdadeiro na livraria dos corações solitários”, a “Felizes para sempre” continua a abraçar novos romances. Não só os fictícios que decoram suas prateleiras, mas também os que envolvem seus funcionários.

Verity está solteira há pouco tempo. Seu relacionamento anterior terminou de forma não tão amigável, mas suas colegas de trabalho estão empenhadas em fazê-la superar a situação com um novo pretendente. Já que os apelos de que não precisava de outro namorado não funcionaram, Very inventa um affair imaginário para que suas amigas a deixassem em paz. Mas um mal entendido faz com que Very conheça Johnny e tudo começa a mudar.

Este é mais um romance da série A Livraria dos Corações Solitários, sobre a vida dos funcionários da livraria, um “alegre bando de desajustados”, que por uma razão ou outra desistiram do amor e, ainda assim, o encontram quando menos esperam.

Annie Darling mora em Londres. Suas duas maiores paixões são livros românticos e seu gato.