Arquivo da tag: Arquitetura

Cerâmica Atlas apresenta nova coleção com texturas e nuances inspiradas em pedras e tijolos

14 novos revestimentos cerâmicos com impressão em alta definição permitem personalizar ambientes internos e externos com beleza e praticidade

Opção imbatível para quem busca beleza e praticidade, os revestimentos com texturas e nuances inspiradas em pedras e tijolos vêm ganhando cada vez mais força em projetos residenciais e corporativos. Alinhada com esta tendência, a Cerâmica Atlas, referência nacional em pastilhas e revestimentos, apresenta uma nova safra de peças cerâmicas com o visual de tijolos aparentes, mármores e pedras.
ViewImage.jpg
Peça Fiji, no formato 12 cm x 24 cm, é um dos destaques da nova coleção (Foto: Guilherme Gongra)
Para proporcionar uma aparência tão fidedigna ao revestimento, a Atlas aposta na impressão em alta resolução. Após a preparação da massa, as peças recebem em sua superfície um acabamento impresso a partir de imagens transmitidas via computador à máquina-impressora. Isso permite reproduzir detalhes como veios, texturas e variações de tonalidade muito próximas aos apresentados pelos materiais naturais, além de permitir à Atlas estabelecer uma base infinita para exercer sua criatividade em novas peças ou fabricar materiais sob encomenda, o que eleva o potencial produtivo a um nível inédito na cinquentenária história da empresa.
No intuito de oferecer soluções completas para diferentes tipos de espaços, os novos revestimentos permitem personalizar fachadas, ambientes internos e externos, inclusive piscinas, com excelente custo-benefício, pois dispensa os cuidados exigidos pelos materiais naturais, seja na aplicação ou na manutenção, além de apresentar uma maior durabilidade do que estes materiais, reforçada pela pequena absorção de água do material cerâmico (entre 3 e 6%).
As peças também oferecem diferentes opções de combinações e paginação, com as variações em junta reta (sob encomenda, mediante consulta), amarrada e à granel. Um exemplo da variedade de opções é a referência Fiji, cujo visual que remete ao da pedra natural e que pode ser encontrada nos formatos 10 x 10 cm ou 12 x 24 cm.
Anúncios

Dicas certeiras para escolher a bancada da cozinha

Com grande experiência em projetos de cozinha, a arquiteta Luciana Tomás orienta os pontos que devem ser observados para a bancada dos sonhos

Na hora de projetar a cozinha, mil perguntas e mil opções permeiam as escolhas para equipar um dos ambientes mais queridos da casa. Há tempos, a bancada ganhou o status de elemento funcional e deixou de ser apenas o espaço onde está a cuba. Saindo da tradicional receita ‘parede + janela’, tornou-se elemento central que recebe os familiares e os amigos em torno do fogão.

ViewImage.jpg
Luciana Tomás dá dicas para uma bancada na cozinha. (Foto: Divulgação)

Para esclarecer dúvidas e ajudar na escolha da bancada perfeita para cada estilo, a arquiteta Luciana Tomás, que atua principalmente na capital paulista, destaca que a escolha do projeto deve relacionar quatro pontos fundamentais – estética, durabilidade, praticidade e higiene.

No que diz respeito ao visual, a profissional explica que a bancada deve combinar com tudo na cozinha. “Durante a fase do projeto, é sempre importante colocar juntas todas as amostras dos materiais. Azulejos, armários, revestimentos e a pedra da bancada devem apresentar harmonia entre cores e acabamentos”, conta Luciana.

Ainda sobre os materiais, a arquiteta lista algumas características a serem consideradas. Embora bastante higiênico, o aço inox na bancada pode riscar com mais facilidade. Luciana indica como boas soluções:

·  Granito – dê preferência ao preto, que por ser um material poroso, não apresenta manchas de absorção de água, gordura ou outros alimentos. Para as demais cores de granitos, a sugestão é que o acabamento escolhido seja o brilhante, pois apresentam poros mais fechados;

·    Porcelanatos – indicados por sua resistência;

·   Pedras compostas: de várias marcas e opções de materiais, apresentam resistência e amplia a possibilidade para um design mais moderno ao projeto.

Pensando na cuba, Luciana explica que o modelo escolhido define o vão a ser feito na bancada. Assim, ela pontua que a peça deve ser escolhida desde o início do projeto para que seja estudada a melhor adaptação dentro da bancada.

Com relação à torneira, a orientação é posicionar o jato d’água na direção do ralo. “Para não errar, consulte as especificações do fabricante da peça”, relaciona. Instaladas na própria bancada, na parede ou, em alguns casos, diretamente na cuba de inox, a distância da torneira em relação à cuba pode variar de acordo com o modelo. “No caso do granito, é normal prevermos um distanciamento aproximado de 3cm entre a cuba e torneira de mesa, para não afetar a resistência da pedra que corre o risco de quebrar se a medida for menor que isso”, completa.

Luciana ainda enumera cuidados que devem ser implementados visando a conservação dos materiais utilizados na bancada:

·    Para a limpeza da cuba de aço inox, use panos e buchas macias e evite produtos de limpeza como polidores e saponáceos, que podem prejudicar a superfície do material;

·    Granito: é um produto poroso, mas a selagem anual da pedra garante a impermeabilidade para a não absorção de líquidos. Vale ainda destacar que não devem ser usados, durante a limpeza, produtos químicos abrasivos ou limpadores com ingredientes ácidos. Alimentos como, vinagre, suco de limão e refrigerante também podem danificar o granito caso a limpeza não seja feita de imediato;

·   Porcelanatos: efetuar a limpeza com água e detergente neutro.

·   Pedras compostas: pano úmido e produtos de PH neutro.

Marrs Green: a favorita na opinião popular

Há um ditado que diz: A voz do povo é a voz de Deus. Muitas vezes, essa máxima prevalece. Eleita pela Pantone, a cor Greenery foi desbancada pela Marrs Green, que caiu no gosto dos consumidores

ViewImage.jpg
Canto de leitura projetado por Carmen Calixto tem poltrona estofada com tecido na cor Marrs Green. (Foto: Henrique Queiroga)

A Pantone, fornecedora profissional de padrões de cores para a moda e o design, determinou o Greenery, um verde musgo, como a cor de 2017. Mas, após uma pesquisa realizada pelo projeto World’s Favourite, descobriu-se que entre os consumidores, outra cor, com tom até similar ao Greenery, é mais popular: o Marrs Green.

Formado pela mistura de tons de verde, azul e cinza, essa cor – de fato – caiu no gosto popular e a prova disso é que seu uso já se faz presente em diversas composições do décor. “Desde que usada de maneira correta, esse tom combina com todos os estilos de decoração proporcionando aos espaços alegria e leveza”, explica a arquiteta Carmen Calixto.

Certamente esses foram os motivos que fizeram com que a Marrs Green fosse eleita a favorita de milhares de pessoas em mais de cem países. Porém, por ser um tom que não passa desapercebido, é importante ficar atento a alguns detalhes, como explica a arquiteta Carmen: “O Marrs Green é uma cor fresh, mas marcante. Sendo assim, para não errar, é indicado usá-la de maneira pontuada. Caso a pessoa opte por usar em grandes áreas – como numa parede, por exemplo – é interessante mesclá-la com o tom branco para não criar uma sensação de ambiente infantil e também para não enjoar”, comenta Carmen.

Uma outra boa dica para não errar no uso dessa cor é usá-la em adornos. “Os adornos, por serem peças menores, criam elementos de cor na composição sem – no entanto – demarcá-la demais. Em nossa loja, os objetos em Marrs Green têm tido grande saída e isso se deve ao seu alto poder de personalizar os espaços transmitindo uma agradável sensação de frescor e aconchego aos ambientes”, destacam Míriam Gatti, designer de produto, e a arquiteta Gabriela Brasil, sócias-proprietárias da loja Oca Brasil.

Na Oca, cachepôs, vasos e porta velas nesse tom são os itens mais procurados. “São objetos que despertam um sentimento afetivo, de lembranças do lar e de momentos agradáveis; principalmente relacionados à espiritualidade e a natureza”, encerram Míriam e Gabriela.

Quarto que abraça

Criar um quarto que ultrapasse as barreiras do aconchego e permita uma experiência única de prazer e relaxamento não é fácil, mas é possível! O segredo está na decoração

No final de um longo dia de trabalho tudo o que se deseja é chegar em casa logo, tomar um banho, jantar e, enfim, relaxar no quarto para recarregar as energias para o dia seguinte. Por isso mesmo, esse ambiente é um dos mais importantes da casa. Não é à toa que os projetos contemplam nesse espaço uma decoração mais acolhedora.

Mas para que as pessoas se sintam realmente à vontade nesse ambiente é necessário ser criterioso com a decoração. Ela faz toda a diferença para criar um clima intimista e relaxante. A designer de interiores Melina Mundim tem o dom e a sensibilidade em captar tudo que é necessário para criar um quarto que ultrapassa o conceito de conforto e faz as pessoas se sentirem abraçadas, culminando no máximo de descanso. “Para um quarto ser realmente acolhedor e relaxante ele precisa assumir a função primordial: ser um quarto. Local de recolhimento. Para tanto, no máximo uma poltrona para leitura. Depois dessa premissa, a composição certa de materiais e texturas ajuda o olhar a também ver o aconchego”, destaca a designer.

Apto Lourdes
Projeto Melina Mundim: Cortina de madeira com reposteiro em linho, cama fofinha, criado mudo em madeira maciça, iluminação indireta da arandela e abajur ajudam a criar um clima extremamente acolhedor ao quarto. (Foto: Rodrigo Tozzi)

Melina conta quais recursos lança mão para garantir uma atmosfera tão prazerosa no quarto: “Um dos principais requisitos é a iluminação. De preferência a indireta com arandelas, abajures e sancas. Não é necessário iluminação geral no quarto, nem de muita iluminação. A luz deve sempre ser amarela”.

Outras opções amarram a decoração e ajudam a tornar o quarto mais confortável. “Para aquecer o espaço, uso papel de parede ou revestimentos como tijolinhos, bem como painéis de madeira. Cabeceiras de tecido também são um coringa para este efeito. Uma cama fofinha é muito convidativa para o descanso. As cortinas também fazem diferença. Sempre que possível, utilizo as de tecidos pesados e fartos”, detalha a designer.

A profissional aponta que quartos multiuso desfavorecem o descanso, mas esclarece que o perfil do morador é quem vai determinar o tipo ideal de projeto. “Eu gosto de criar ambientes com sentimento. Tenho a preocupação de como o espaço vai ser utilizado, se estará agradável para a convivência familiar. Gosto muito de casa com história, com lembrança” completa Melina.

Em um de seus vários projetos, em destaque na foto acima, com o intuito de criar um quarto que fosse o mais acolhedor possível para um viúvo que viaja muito a trabalho, a designer trabalhou com tons sóbrios que combinassem com a personalidade do cliente, porém, com pitadas de texturas. “O papel de parede é de palha marrom. A cortina de madeira com reposteiro em linho, bem masculino. O criado mudo em madeira maciça de design dá personalidade. A iluminação indireta da arandela e abajur ajudam no clima acolhedor, ao mesmo tempo em que as peças são em metal”, enumera Melina.

Arquiteto fala sobre a importância do projeto de arquitetura para espaços pequenos

Quando uma empresa pequena decide abrir um escritório é comum que o próprio dono defina como o ambiente será ocupado. No entanto, quando falamos de projetos de arquitetura para áreas pequenas, o trabalho de um profissional é tão importante ou mais do que para uma grande empresa.

A arquiteta Sonia Acciaris, sócia da Casa 3 Arquitetura e especialista em projetos corporativos conta que pequenos espaços precisam de soluções ainda mais bem pensadas. “É comum que escritórios pequenos precisem de um projeto que otimize o espaço, tornando-o não só esteticamente bem composto, como também funcional, tanto para a equipe quanto para os clientes”.

ViewImage.jpg
Casa 3 arquitetura dá dicas para decoração de espaços pequenos. (Foto: Divulgação)

A ocupação criativa de um escritório tende a garantir um ambiente harmonioso de trabalho, criando uma sensação de amplitude visual mesmo que a área seja realmente reduzida. “A utilização de um mobiliário apropriado, assim como o melhor aproveitamento das características arquitetônicas do espaço, garante um local de trabalho confortável e agradável para todos os usuários”.

Sonia conta que, quando o ambiente agrada aos colaboradores, a produtividade fica garantida. “Além disso, mesmo em um ambiente pequeno é possível se passar credibilidade aos clientes, principalmente quando se percebe que o espaço foi projetado pensando prioritariamente no desenvolvimento das atividades da empresa e no conforto dos usuários”.

A arquiteta lembra que todo o detalhe pensado influencia na forma como o espaço é percebido e é por isso que é tão importante contar com um projeto feito por um arquiteto ao se abrir um escritório, mesmo se tratando de uma empresa em área reduzida.

“Nem sempre damos a devida importância a um ambiente corporativo, mas desde a cor da parede à disposição dos móveis, passando pela iluminação, tudo interfere em como enxergamos a empresa. E nenhum empresário quer deixar de ser levado a sério porque errou na escolha de um detalhe. Por isso, é sempre importante contar com um projeto personalizado de arquitetura corporativa”.

Ela lembra que profissionais especializados em arquitetura corporativa são capazes de indicar as melhores formas de utilização do espaço, assim como indicar como unir estética e funcionalidade e, ainda, respeitando a legislação: “Também é importante levar em consideração a legislação vigente para que o projeto fique adequado e atenda a todas as normas e exigências dos órgãos reguladores”.

Sonia finaliza lembrando que a arquitetura corporativa existe justamente para ajudar as empresas a se instalarem corretamente e fazer uso do espaço disponível de forma eficiente e econômica. “Se uma empresa não consegue se adaptar ao espaço que possui, é provável que a falta de um projeto corporativo personalizado esteja realmente afetando-a”.

 

Praticidade e sofisticação unidos em apartamento para jovem no centro de Florianópolis

Os ambientes escuros e um bom espaço de bar foram umas das poucas exigências feitas pelo cliente

Neste projeto, tudo foi pensado para se adequar ao gosto e estilo do proprietário, que adora receber visitas e viajar. Os arquitetos do StudioVert trouxeram um ar cosmopolita e sofisticado ao local com referências internacionais.

O proprietário adquiriu seu primeiro imóvel no centro de Florianópolis pelo fácil acesso ao trabalho, e solicitou que a duração da obra não fosse muito extensa, já que desejava mudar-se o quanto antes. Apenas itens pontuais do imóvel foram modificados: pintura, revestimentos do banheiro e a inclusão de uma parede de elemento vazado esmaltado (elemento V) para separar a cozinha da circulação íntima e dar personalidade ao projeto.

ViewImage (2).jpg
StudioVert apresenta apartamento apartamento prático. (Foto: Divulgação)

“As paredes de todos os ambientes receberam tinta acetinada de Tubarão Cinza (Suvinil) e caprichamos na marcenaria, que mescla MDF preto, MDF metalizado cinza e lâmina de madeira”, explica o arquiteto Antônio Medeiros.

No living com home e jantar integrados o destaque vai para o bar, que foi especialmente desenhado para o cliente, um bom apreciador de vinhos. O espaço abriga duas adegas refrigeradas com fundo em espelho, dando profundidade e iluminação cênica com efeitos diferenciados.

Para quebrar a base escura e sóbria foram utilizados móveis soltos com cores marcantes – sofá em capitonê azul turquesa, mesa de jantar em laca amarela e mesa de centro em vidro berinjela, os quais juntamente com tapete de listrar diagonais, desenhados pelos próprios arquitetos, trouxeram vida ao espaço. O papel de parede aveludado com arabescos atribui um ar de “boutique” e sofisticação ao apartamento.

“No banheiro social trouxemos um toque de cor e divertido através do revestimento hexagonal Chez Moi Bleu da Portobello, e deste fabricante também foi selecionado o sofisticado porcelanato esmaltado Noir Saint Laurent para compor o banheiro da suíte, que tem móveis em espelho e bancada esculpida em silestone preto”, explica a arquiteta Roberta Feijó.

A suíte master repete a paleta sóbria para dar unidade ao conjunto, e recebe papel de parede listrado e cabeceira imponente Sierra Móveis.

EM SEU 14º ANO NA CASA COR GATTAI PARTICIPA DE DOIS AMBIENTES

A Gattai Estruturas em Aço estará presente em mais uma edição da Casa Cor São Paulo, maior mostra de arquitetura e decoração da América Latina, e pelo segundo ano consecutivo a Boutique do Aço fará os corrimãos de acessibilidade do evento. A empresa também participará de dois lindos ambientes, da Paola Ribeiro e do Olegário de Sá e Gil Cioni.

Denilson Machado.jpg
Espaço de Paola Ribeiro. (Foto: Denilson Machado)

No espaço da arquiteta, a Gattai realizou o pergolado e a cobertura de vidro que completou o ambiente externo harmonizando com o jardim vertical, unindo beleza e conforto para o local.

Já no escritório de Olegário e Gil, a serralheria artística para o corrimão, o vidro e o reforço metálico interagiram no cenário dos arquitetos, resultando em detalhes refinados para o acabamento do projeto.

A assinatura da Boutique do Aço originou-se em uma decoração única e contemporânea pela versatilidade do aço, destacando a qualidade e seu atendimento personalizado.

“Em nosso 14º ano na Casa Cor São Paulo, nossa intenção é sempre levar o melhor das estruturas metálicas e serralheria artística para os ambientes de nossos parceiros. A Gattai preza pela qualidade de nossos produtos e tenho certeza de quem comparecer ao evento admirará os projetos”, afirmou o sócio-diretor da Gattai Estruturas em Aço, Antonio Gattai.

Serviço:
CASA COR
Data: 23 de maio a 23 de julho
Horário: Terça a domingo das 12h às 21h
Local: Jockey Club d São Paulo – Av. Lineu de Paula Machado, 1075
Mais informações: casacor.abril.com.br ou (11) 3037- 6857Denilson Machado.jpg

Conforto, masculinidade e tons neutros

Arquitetos assinam apartamento de jovem solteiro no centro de Florianópolis

 Transformar um apartamento antigo em uma planta atual, jovem e integrada. Esse foi o maior desafio dos arquitetos Antônio Medeiros e Roberta Feijó, da StudioVert Arquitetura, ao conceber o projeto para um jovem solteiro no centro de Florianópolis; o cliente deixou claro o seu desejo: ambientes contemporâneos, confortáveis, com um toque masculino e neutro.

ViewImage.jpg
Tons neutros ditam a tendência para ambientes integrados. (Foto: José Luis Somensi)

Um dos principais pedidos do cliente foi a valorização da área social. Para isso, a solução da dupla foi remover as paredes da cozinha e integrá-la ao living, e inverter a antiga sala de jantar com o home.

Dessa maneira, foi utilizado a base sóbria na paleta de cores fendi, com pinceladas de preto e cinza. A madeira entra trazendo calor e aconchego em contraponto aos móveis soltos em inox e vidro (como a mesa de centro e lateral, no home). O piso foi substituído por porcelanato padrão concreto no formato 1M X 1M. O rebaixo de gesso escondeu a estrutura e acentuou a contemporaneidade através de rasgos e iluminação indireta. A porta de entrada foi revestida com a mesma lâmina utilizada na marcenaria e ganhou um puxador imponente. Já no hall, a parede foi revestida em espelho com arandela “fileto” embutida e bancada com vaso suspenso com arranjo conceitual.

Para valorizar a parede principal, disfarçando as portas que dão acesso tanto à área de serviço como à área íntima, foi feito um grande painel em espelho junto com um revestimento cimentício “castelatto”. No centro desta parede se destacam a ilha com acabamento em laca e bancada em silestone compondo com o vidro argentado bronze da torre. A mesa de jantar em vidro se encaixa nesta e recebe cadeiras design madeira Studio Ambientes e banco com um encosto em tecido.

O painel do home no formato “L” dá continuidade ao espaço. Nele, foi aplicado o vidro preto disfarçando a TV, a madeira e a laca fendi, dando unidade ao conjunto. “O proprietário é grande admirador de fotografias, sendo assim reunimos o acervo pessoal do mesmo para compor a parede de fotografias black & White e utilizamos luminárias balizadoras no rodapé imponente dando mais charme ao espaço”, explica o arquiteto Antônio Medeiros.

Na suíte master a palavra de ordem foi conforto: cabeceira e cama baixa estofados e revestidos em camurça cinza. Detalhe do papel parede cobrindo a parede/forro e recebendo iluminação indireta. O outro dormitório abrigou o closet e o office. “Nele repetimos a paleta sóbria com destaque ao papel de parede mais ousado, com espelho apoiado com moldura preta”, explica a arquiteta Roberta Feijó.

Para finalizar, o box foi integrado ao quarto através de um pano de vidro. O banheiro recebeu pastilhas coloridas, espelhos amplos, bancadas em porcelanato e nichos embutidos.

PARANATEX LANÇARÁ A COLEÇÃO MAGNA CASA NA 3ª ABUP TÊXTIL

Na feira, o público encontrará uma variedade de estampas, como listras e abacaxis, em acabamento semi-impermeável nos tons vermelho, verde, azul, ouro rosé,

image020.jpgA fabricante de tecidos de decoração Paranatex Têxtil lançará a coleção Magna Casa na Abup Têxtil, que acontecerá de 21 a 24 de março, no Centro de Eventos Pro Magno, em São Paulo. Prestes a completar 50 anos, a empresa pesquisou e reuniu as últimas tendências para apresentar aos seus clientes estampas inspiradas em aspectos vindos de várias regiões do mundo, como também na natureza, frutas, figuras geométricas, tapetes kilinsikatstie dye, listras, falsos lisos, além dos estilos étnico africano e folk, com destaque para cultura brasileira representada através das bananeiras.

Nos coordenados, as cores são intensas assim como as referências dos motivos kilinsikats e folks vindas de vários países tais como: Turquia, Irã, Rússia, China, Paquistão, Marrocos, Índia e Indonésia . A Designer Têxtil Angélica Giovannini comenta: “são utilizados, principalmente, os tons de vermelhos, verdes, azuis e amarelos. Numa outra família de inspiração mais natural e tropical, trabalhamos coordenados com desenhos temáticos de folhas de bananeiras, cachos de bananas com fundos coloridos contrastantes, cactos e abacaxis com listras”.

Tecidos que continuam no catálogo da Paranatex

O público que for ao estande da empresa, poderá apreciar outras coleções que não são novidades, mas permanecem linha. São elas: OmegaOlimpoAcrópoleCentauroSantorini e (lisas). Já as estampadas são: Centauro Plus, Omega Plus e Grécia. Inclusive, a cor da Pantone 2017, Greenery, pode ser vista em detalhes de folhas e flores.

Acerte na decoração do quarto infantil

Repaginar esse ambiente não é uma tarefa simples, mas a arquiteta Cris Paola reuniu algumas dicas que vão te ajudar nessa transformação sem nenhum estresse

O bebê já saiu das fraldas há alguns anos e pede para os pais um quarto com as suas cores prediletas e um cantinho todo especial para receber os amigos. Calma, não se desespere! Entender as necessidades dos pequenos é o primeiro passo para a mudança, seguido pela atenção com a praticidade e a segurança deles. Já que o ambiente, independentemente da metragem, é o lugar onde eles têm autonomia e privacidade, vale estudar em cada detalhe.

ViewImage.jpg
Studio Cris Paola dá dicas para decorar o quarto do(a) filho (a). (Foto: Divulgação)

A arquiteta Cris Paola, do Studio Cris Paola, reuniu algumas sugestões para transformar o quarto da criança em um palco das suas melhores brincadeiras e, ao mesmo tempo, um espaço de relaxamento e do início da vida estudantil.

Uso das cores

A escolha do tom do ambiente é essencial, pois ditará a qualidade do sono da criança e influenciará no humor dela. Pensando nisso, as cores predominantes da decoração devem ser neutras. Nuances quentes devem ser evitadas e colocadas apenas pontualmente para garantir uma atmosfera alegre e viva. Mas atenção: nada de pintar o ambiente inteiro com uma paleta intensa, pois além de se tornar cansativa com o tempo também deixará a criança agitada.

Escolha dos Móveis

Antes de comprar o mobiliário é preciso prestar atenção na sua resistência e segurança, que sempre devem estar em primeiro lugar. Isso não significa que as peças precisem ser feias e sem graça. Na seleção da cama, vale investir em um colchão com tamanho de adulto, de modo a gastar uma vez só – depois basta substituir apenas a base da cama, caso ela tenha uma temática infantil. Aposte em um armário com prateleiras ajustáveis, apropriado para acompanhar o seu filho por longos anos em diferentes idades.

Cantinhos especiais

Ter espaços para cada momento é muito importante para que o pimpolho aprenda a se organizar e comece a entender que tudo tem um lugar certo. Mas, não é necessário ter um espaço delimitado para cada coisa. Um cestinho e uma prateleira já são suficientes. Na primeira infância, que se estende até os sete anos, o ato de brincar é muito importante para o desenvolvimento da criança.

Por isso, deixe os brinquedos ao alcance dela. E para que as mamães não fiquem loucas com tantos brinquedos espalhados pelo chão, use e abuse de cestos e bancadas baixas, possibilitando que os pequenos criem suas brincadeiras ou usem para desenhar. Também convém ter um canto de leitura, já que é primordial estimular o hábito de leitura desde cedo. Um tapetinho, uma estante ou mesmo prateleiras compõem muito bem o cenário.