Arquivo da tag: Europa

Desfrute o inverno em terras alentejanas

Clima frio e paisagens pitorescas convidam a um roteiro fascinante pela região portuguesa

O inverno reserva ótimas surpresas nos cenários pitorescos do Alentejo, em Portugal. A estação mais fria do ano é a época ideal para relaxar próximo à lareira e se deliciar com pratos quentes e premiados vinhos que só os alentejanos são capazes de produzir. Para aqueles que querem fugir do calor tropical, separe um bom agasalho e embarque em uma adorável viagem pela maior e mais encantadora região de Portugal.

Alentejo - Credito Manuel Gomes da Costa.JPG
Alentejo oferece diversas opções no inverno europeu. (Foto: Manuel Gomes da Costa)

Mesmo com as baixas temperaturas, os constantes dias de sol convidam para atividades ao ar livre. Uma ótima opção é explorar as planícies com campos de plantações que aguardam a mudança de estação durante a tarde. O passeio é a certeza de presenciar um deslumbrante pôr do sol.

Os amantes de esportes podem realizar um passeio de bicicleta, moto ou jipe para aproveitar as paisagens bucólicas que ganham um tom mais opaco durante o inverno, mas sem perder o seu charme. Também é possível praticar caminhada, slide, rapel e até mesmo escalada. Cidades como Mértola, Beja, Alandroal e Serpa são os pontos mais procurados pelos visitantes para essas atividades.

O clima frio e úmido também é perfeito para provar os pratos quentes típicos da culinária alentejana, como o ensopado de borrego – como é chamado o cordeiro com menos de um ano. Antes da adoção da carne de porco, era o carneiro que predominava na gastronomia regional, principalmente em ensopados, cozidos e guisados. É uma verdadeira iguaria, temperado com hortelã e ervas aromáticas.

É nessa estação que se pode visitar os olivais centenários e ainda ver de perto o lugar onde os frutos são processados e dão origem ao azeite, parte fundamental da cozinha local. Vale uma visita ao Largar do Marmelo, em Ferreira do Alentejo, que já atingiu os 10 milhões de oliveiras e exibe um edifício de arquitetura moderna e tecnologia de ponta.

Para uma completa programação de inverno no Alentejo, é claro que uma verdadeira experiência em vinhos não pode ficar de fora. Uma taça de um bom tinto encorpado produzido na região é irresistível, principalmente nas baixas temperaturas. A grande variedade de vinícolas oferece a chance de degustar excelentes opções da bebida, além de visitas às caves e adegas.

Anúncios

Delícias da tradicional gastronomia Tcheca de Natal

As ruas iluminadas com decorações festivas nas cidades históricas cobertas de neve, bem como as belas melodias ouvidas em todos os lugares, sempre criam essa típica atmosfera de Natal tcheco, assim como o aroma dos tradicionais pratos de natal. Que tal experimentar um delicioso doce de Natal ou a típica carpa frita macia ou uma salada de batata sem igual?

Mercado de Natal na Praça da Cidade Velha Staroměstské náměstí (Praça da Cidade Velha), Praga,  até  6 de janeiro

ViewImage

Em qual mercado de Natal, é possível provar todos os pratos especiais da cozinha tcheca ao mesmo tempo? De acordo com a rede de notícias americana CNN, o mercado de Natal na Praça da Cidade Velha está entre os dez mais bonitos do mundo, portanto, é digno de sua visita. Além de um rico programa cultural suas barraquinhas oferecem uma vasta gama de produtos, e várias dessas barracas são gourmet com pratos especiais de Natal e bebidas para aquecer o corpo e a alma.

Advento e Natal em Český Krumlov
Český Krumlov, Boêmia do Sul, até 6 de janeiro

ViewImage (1)

Na pitoresca Cidade de Český Krumlov, que fica na Boêmia do Sul é possível passar um Natal fabuloso.  Os passeios pelo centro medieval desta cidade mágica ficam ainda mais agradáveis graças aos mercadinhos que acontecem no Advento, no tradicional estilo tcheco, na praça Svornosti. O aroma do ponche festivo, do vinho quente e dos doces natalinos invadem as ruas e, no mercado de artesanato que fica no primeiro pátio do Castelo são vendidos produtos tradicionais. Em muitos lugares da cidade, acontecem programas especiais de Natal para crianças e adultos e, desta forma, toda a família poderá desfrutar desta excepcional atmosfera festiva!

Banquete de Natal com quatro pratos no Chateau Mcely Mcely, Boêmia Central, 24 de dezembro

Quem quiser festejar a Noite de Natal como um rei deve visitar  o Chateau Mcely,  palácio barroco que preparou pacotes especiais de Natal repletos de atividades, luxo e excelente gastronomia. Na Noite de Natal a ceia terá quatro pratos e quem quiser vir somente para o 24 de dezembro poderá optar pelo restaurante Piano Nobile onde serão servidos pratos tradicionais com muito luxo e também  o  “houbový kuba”, tradicional  prato natalino, sopa de pescado, carpa frita com salada de batata terminando com um delicioso pão de mel.

 

Que tal um vinho quente enquanto percorre a região de Lednice – Valtice (Lednicko-valtický areál)
Lednice, Morávia do Sul, de dezembro a março

ViewImage (2)

Natal não seria Natal sem boa comida e bebida.  A bebida tcheca mais tradicional do período do Advento é o vinho quente perfumado com especiarias. Ele pode ser degustado, por exemplo, enquanto se navega pelo rio Dyje Royal, através do parque de inverno do Palácio de Lednice que faz parte da área Lednicko-valtický,  a região com o maior número de importantes monumentos arquitetônicos e paisagens naturais da Europa. É possível navegar de barco nos fins de semana, bem como feriados, durante os meses de inverno, de dezembro a março.

Receita para preparar o tradicional prato tcheco “houbový kuba” 

ViewImage (3)

Na República Tcheca a tradição é de não se comer carne até a  ceia da Noite de Natal. Por isso esse prato, que não leva carne é o mais indicado para o almoço. É um prato tradicional da cozinha tcheca preparado com cevada perolada e cogumelos.

Ingredientes: 500 g de cevada perolada, 300 g de banha de porco, 100 g de cebola, 50 g de cogumelos secos, 5 dentes de alho, manteiga, sal, pimenta, manjerona e cominho.

Método de preparo: Lavar a cevada e deixar de molho durante a noite. Coloque para ferver em uma panela com um pequeno pedaço de manteiga até que ela amoleça. Em seguida, adicione os cogumelos hidratados e a cebola previamente frita em banha. Adicione sal, pimenta, cominho, alho esmagado e manjerona. Espalhe a mistura em uma assadeira previamente untada. Asse por cerca de 30 minutos a 180 graus. Sirva com um pequeno pedaço de manteiga e decore com ervas frescas.

Mônaco investe na gastronomia orgânica

A gastronomia é uma experiência à parte em Mônaco. Combinando restaurantes estrelados, cozinhas internacionais e quitutes próprios, o principado oferece deliciosos roteiros gastronômicos obrigatórios aos viajantes. Os alimentos orgânicos e refeições saudáveis, inclusive, estão marcando uma presença cada vez maior nos estabelecimentos monegascos. O Elsa, por exemplo, é o primeiro restaurante 100% orgânico a ganhar uma estrela Michelin, cuja filosofia culinária celebra o essencial e a simplicidade. Localizado dentro do hotel Monte-Carlo Beach, o local conseguiu tal reconhecimento depois de uma pesquisa extensa sobre os melhores ingredientes orgânicos, que resultou em uma parceria com 15 produtores locais, e seu processo delicado de cozimento. O que originou-se daí foi uma gastronomia saudável, colorida e que respeita os ciclos da natureza. O menu é composto de excelentes azeites de oliva, pães de farinha orgânica preparados no local duas vezes ao dia, carne branca, aves e cordeiro de fazendas orgânicas, além de peixes, vegetais frescos e frutas sazonais. Até mesmo os vinhos que harmonizam com os deliciosos pratos da casa são orgânicos.

sbm_bh_restaurant_elsa_dish_0024.jpg
Gastronomia orgânica é destaque em Mônaco. (Foto: © MONTE-CARLO Société des Bains de Mer)

O chef Paolo Sari, que comanda a cozinha do Elsa, é um grande incentivador da gastronomia orgânica. Rigoroso ao selecionar seus ingredientes, faz questão de saber a origem de cada um, oferecendo uma cozinha transparente ao público. Ele foi o responsável pela organização do Festival Orgânico de Mônaco, cuja segunda edição ocorreu em outubro de 2017. Durante os quatro dias de evento, o público foi convidado a descobrir novos produtos e práticas ecológicas, participando de um mercado orgânico de produtores locais, competição de inovações ecológicas, demonstrações e jantares de gala. O evento também envolveu as crianças monegascas, que cozinharam ao lado de chefs do principado e participaram de concursos culinários e competições esportivas.

Outra empresa que vem ajudando a desenvolver a cena dos orgânicos no principado é a Terre de Monaco. A start-up, criada pela empreendedora Jessica Sbaraglia, desenvolve hortas orgânicas nos tetos, sacadas e terraços dos imóveis do principado. O serviço é oferecido tanto para pessoas físicas quanto hotéis, restaurantes e outras organizações. Foram tantas adesões que Mônaco é hoje um dos maiores empreendimentos agrícolas urbanos privados do mundo e muitos restaurantes já utilizam ingredientes desses jardins orgânicos em seus cardápios, como o Blue Bay, restaurante estrelado do hotel Monte-Carlo Bay.

Há vários outros restaurantes que têm uma proposta de comida saudável no Principado. O Eqvita, que tem o tenista Novak Djokovic como um dos sócios, oferece um menu praticamente vegano, com exceção dos ovos orgânicos servidos no café da manhã, sem glutén, lactose nem açúcar refinado. O local promove a conexão com o que é bom, com a natureza, com nossos corpos e com as outras pessoas e acredita no poder dos ingredientes naturais para energizar e fortalecer. O menu sazonal é composto de ingredientes locais frescos e muitos produtos são feitos na casa, como os pães, compotas, chutneys, molhos, leites e queijos veganos. Já o Organic Detox Bar é especializado em sucos funcionais que ajudam diversas funções do corpo e oferece programas detox para purificar o organismo. O L’Inattendu e o Eat Juice são outros exemplos que oferecem raw food, comidas orgânicas e menus veganos. Para quem gosta de cerveja, a Brasserie de Mônaco é uma cervejaria que produz as bebidas com ingredientes orgânicos e é excelente para um happy hour.

A cena orgânica de Mônaco não para de crescer. Há cada vez mais restaurantes e eventos relacionados à causa no principado. Além de oferecer uma comida mais saudável, a experiência é deliciosa e permite uma conexão maior com a natureza e seus ciclos.

Pamukkale e suas águas termais em um paraíso de algodão

Localizado na costa oeste da Turquia, as piscinas termais propícias para banhos impressionam pela beleza e o aspecto criado a partir da formação calcária em montanhas

 Localizado na costa oeste da Turquia, Pamukkale já começa a esbanjar charme no próprio significado do nome: Pamuk é Algodão e Kale, Castelo. Ou seja, um lindo “Castelo de Algodāo” com águas termais que atingem 35 graus Celsius e formam um dos cenários mais magníficos do mundo.

Pamukkale2.jpg
Pamukkale é um dos Patrimônios Mundial da Unesco. (Foto: Divulgação)

Declarado como Patrimônio Mundial da Unesco, desde 1988, o local traz uma formação calcária em montanhas que atingem até 200 metros de altura.

Nessa mesma região está a conhecida como “Cidade Sagrada” Hierápolis, construída em II A.C., que foi atingida por vários terremotos ao longo dos séculos e hoje é possível visitar suas ruínas, que normalmente está inclusa em um mesmo ingresso para acessar as piscinas naturais.

Formação do calcário em Pamukkale

As águas termais contêm bicarbonato de cálcio e com a perda do seu dióxido de carbono, surge a acumulação de calcário que traz diversas cores e formações de maneira peculiar. Acredita-se, de acordo com estudos científicos, que a região data de 14 mil anos e era comumente usada para banhos com a intenção de cura medicinal e de rejuvenescimento.

Curiosidades do local

Próximo à Pamukkale existe a Antique Pool, também conhecida como Piscina Sagrada ou Piscina de Cleópatra. Crenças dizem que ela foi construída por solicitação da rainha e, atualmente, com um valor de ingresso é possível que o visitante deslize por suas límpidas e mágicaságuas.

A região guarda o maior cemitério da antiga Anatólia, com mais de mil sepulturas e os visitantes podem ver entre os restos da antiga necrópole os sarcófagos e túmulos.

6 razões para visitar as vinícolas do Alentejo

Confira os motivos para conhecer a vasta oferta enoturística da região portuguesa

Já se sabe que o Alentejo é um dos mais importantes destinos do mundo quando o assunto é enoturismo. Com seus cenários pitorescos e campos dourados, o destino reúne os mais premiados rótulos, além de uma vasta oferta de vinícolas por todo o seu território.

São mais de 250 produtores e vinhas que se estendem por mais de 20 mil hectares, com muitas variedades de uvas e tipos de produção, que resultam em aromas e notas exclusivos. O ideal é aproveitar as pequenas distâncias, percorrer o maior número de lugares e vivenciar experiências únicas.

Confira abaixo os principais motivos para se esbaldar e visitar mais de uma vinícola durante sua estadia na maior região portuguesa.

Quinta do Quetzal - CREDITO GONCALO VILLAVERDE.JPG
Alentejo possui rota de vinho para os apaixonados. (Foto: Gonçalo Villaverde)

1) Apreciar as melhores paisagens do Alentejo
Em cada canto da região há uma vinícola a ser descoberta. Em sua maioria, as propriedades estão localizadas um pouco mais distantes das cidades alentejanas e impressionam por seus campos de vinhas e outros tipos de vegetação. Por isso, esta é a oportunidade perfeita para se deslumbrar nos panoramas bucólicos e desvendar os pequenos tesouros ao longo das estradas alentejanas.

2) Conhecer os variados tipos de produção
Prepare-se para ver os variados processos da fabricação do vinho. Há vinícolas com produção em grande escala e outras que prezam pela simplicidade de uma técnica centenária e muito mais lenta. Para o estágio de armazenamento, há métodos distintos também: o mais comum é usar barris de carvalho francês. Porém, algumas fazem a fermentação em depósitos de inox, o que dá um sabor diferente à bebida. A Herdade do Rocim, na pequena vila de Cuba, utiliza a talha – técnica ancestral de fermentação em grandes recipientes feitos de barro – e a Adega Ervideira envelhece um de seus mais famosos vinhos nas águas do Lago Alqueva.

3) Em cada vinícola uma atração diferente
Além das visitas guiadas às caves e adegas, são inúmeras as atividades para se fazer nas vinícolas. Na Quinta do Quetzal, nos arredores de Beja, os visitantes são brindados com exposições de arte contemporânea. Já a Adega Mayor, em Campo Maior, proporciona passeios de balão de ar quente e piqueniques. Em meados de setembro, os visitantes podem colocar a mão na massa e participar das vindimas, o período de colheita, e da pisa das uvas.

4) Degustar os pratos da gastronomia singular
Na região do Alentejo, ‘bebe-se bem’, mas ‘come-se’ melhor ainda. Uma das mais autênticas gastronomias de Portugal, a experiência em vinhos fica ainda mais completa quando estes são harmonizados com as deliciosas comidas típicas, como carne de porco e cordeiro. A Herdade da Malhadinha Nova, em Albernoa, conta com um restaurante com pratos sofisticados, todos inspirados na culinária local. A Adega Cartuxa, em Évora, famosa devido ao conceituado Pêra-Manca, tem um cardápio perfeito para acompanhar a degustação.

5) Vinhas a perder de vista
Quanto mais vinícolas visitar, mais irá aprender sobre as influências de sabores. Uma das características do vinho alentejano é a mescla de diferentes frutos da vinha. A Herdade do Esporão, em Reguengos de Monsaraz, planta mais de 40 tipos para produzir suas marcas. Entre as castas mais 
usadas estão Aragonês, Trincadeira e Touriga Nacional, entre os tintos; e Antão Vaz, Roupeiro e Arinto, nos brancos. As variedades de solos encontrados no destino também determinam esses sabores.

6) Quanto mais vinho, melhor
Experimentar uma boa taça de vinho é uma experiência fascinante que permite conhecer o sabor, a textura e o aroma das bebidas de alta qualidade, como as produzidas no Alentejo. Para os apreciadores desta iguaria, a prova vínica já é uma boa razão para ir a diferentes locais e saborear das mais diversas marcas e tipos, como tintos, rosés e brancos. Os iniciantes ainda podem aprender mais sobre como degustar, usando todos os sentidos para obter sensações únicas que só o vinho alentejano proporciona.

Flores e frutos exóticos na Ilha da Madeira

Uma das características mais indiscutíveis da Ilha da Madeira é sua incrível beleza natural. Parte desse mérito se deve ao trabalho de preservação das áreas de natureza do destino, que incluem belos jardins espalhados por seu território, especialmente em Funchal, a capital.

Diversas espécies de flores são cultivadas na Madeira devido a sua localização privilegiada no Atlântico, que proporciona clima ameno o ano inteiro. Entre espécies endêmicas e de outros lugares do mundo, boa parte delas exibe seu encanto independente da estação. Sua extrema importância para a cultura local rendeu até um festival exclusivo: a Festa da Flor, comemorada anualmente durante a chegada da primavera.

_17 - Pico do Areeiro.jpg
Ilha da Madeira tem lindas paisagens e flores. (Foto: Divulgação)

Visitar os jardins madeirenses é como se deparar com um espetáculo de cores e perfumes variados, que harmonizam com o ambiente de forma impressionante, transmitindo uma intensa sensação de tranquilidade. No Parque de Santa Catarina, no centro do Funchal, o turista pode admirar a bela coralina-elegante, que insere seu contraste avermelhado por entre o verde da folhagem das árvores. Já subindo para o Monte, no Jardim de Santa Luzia, o chapéu-chinês chama a atenção por seu curioso formato, que lembra os chapéus utilizados pelos chineses.

O Jardim Tropical Monte Palace possui uma variedade considerável de plantas e flores de diversos países, tornando-se um dos locais mais belos da ilha. Outro local que merece destaque é o incrível Jardim Botânico, com seus magníficos canteiros em formas geométricas precisas. Nele, é possível ver boa parte da flora típica regional, incluindo a múchia-dourada, abundante em terrenos próximos ao mar, e o Sapatinho, uma das flores mais tradicionais da ilha que se desenvolve em até 300 metros de altitude.

Com amplos campos verdejantes e lagos, os Jardins do Palheiro possuem vistas panorâmicas e contemplam árvores com mais de 200 anos de existência, além de raras e valiosas espécies de plantas provindas de diferentes lugares do mundo.

Por sua vez, o famoso Mercado dos Lavradores é o local perfeito para instigar todos os sentidos. É possível adquirir muitas flores cultivadas na ilha, além de se deliciar com frutas exóticas. Alguns exemplos são o tabaibo, a pera-abacate, a anona (com sua polpa aveludada e doce que mescla o sabor de outras frutas tropicais mais conhecidas), as diversas espécies de maracujá, as araçais, entre outras.

Lugares para amantes do vinho na República Tcheca

Que tal o outono com um bom vinho nas mãos e incríveis paisagens? Os caminhos entre os vinhedos do país levam às encostas das montanhas onde as uvas amadurecem para produzir vinhos tchecos de qualidade. Adegas pitorescas e ruas charmosas com inúmeras lojas de vinhos.  A maioria dos vinhedos está na Morávia do Sul, a região mais quente da Tchéquia.

ViewImage.jpg
Amantes de vinhos podem visitar as vinícolas espalhadas pela República Tcheca. (Foto: Divulgação)

Znojmo.
Quem prefere os vinhos brancos deve ir à histórica cidade de Znojmo. Uma vez lá, você não deve deixar de  visitar o mosteiro de Loucký, um antigo centro espiritual, ligado aos aspectos mundanos da vida: bastará  visitar as imensas adegas do lugar. Você visitará o museu da viticultura e a fabricação de barris, ou a cripta românica. Quando  terminar,  poderá provar alguns vinhos. Nos arredores de Znojmo é possível fazer uma infinidade de excursões com o tema do vinho. De bicicleta é ideal para usufruir da beleza das vinhas e da paisagem pitoresca. Além disso, as rotas de ciclismo entre os vinhedos formam uma rede que cobre todo o sul da Morávia. Entre os destinos favoritos, você encontrará as adegas azuis em Nový Šaldorf, a adega pintada em Šatov, decorada com desenhos populares ou a famosa vinha de Šobes no Parque Nacional Podyjí. No início de setembro, no centro histórico de Znojmo, celebra-se a safra histórica tradicional, durante a qual o novo mosto de vinho fermentado da colheita (burcák, em tcheco) está por toda parte.

Mikulov

 

ViewImage (1)
Mikulov é rota obrigatória para os amantes de vinhos. (Foto: Divulgação)

Outro importante centro de vitivinicultura é a Cidade de Mikulov. No palácio barroco, que domina a Cidade você vai ver a maior exposição nacional de  vitivinicultura  e um barril gigante único. Poderá visitar o palácio com um guia e também o  centro da Cidade. Uma vez  terminado o passeio,  uma degustação de vinhos brancos local espera por você. Mikulov geralmente é muito animado durante o segundo fim de semana de setembro, acontece a vindima de Pálava. Mas os arredores da cidade também merecem  atenção. Sabia que é de lá um dos  mais antigos exemplos da  criação  artística em  cerâmica: a Venus de Věstonice.uma estatueta de cerca de 25 mil anos original de uma aldeia perto de Mikulov?

Vitivinicultura moderna em terras antigas
A uma curta distância da cidade de Mikulov existem outros lugares que os amantes do enoturismo não devem perder. Vale mencionar o  antigo vinhedo  de Sonberk cuja história remonta ao século 13. Seu  vinho era fornecido à corte da Imperatriz Maria Teresa da Áustria. A casa vinícola  que produz vinhos desde 2003 e que foi proclamada  como a melhor vinícola da  República Tcheca  continua  naturalmente na tradição, embora aplique métodos modernos. Prova evidente disso é o novo edifício, um trabalho arquitetônico digno de atenção, que está perfeitamente ligado à paisagem ao pé das montanhas. A vinícola produz autênticos vinhos brancos especiais com um atributo de qualidade, xclusivamente a partir de suas videiras. Vinhos  frutados com um elevado teor de minerais e sabores aromatizantes excitantes, como as variedades Ryzlink rýnský (Riesling do Reno); Pálava (cruzando variedades de Savagnon e Muller Thurgau), Tramín (Savagnin), Sauvignon (Sauvignon) ou Rulandské šedé (Pinot Gris). Em Sonberk você pode fazer duas coisas: provar o vinho e visitar a casa e suas vinhas.

 

No Castello del Nero Hotel & Spa, outono tem atividades que celebram a época de produção do azeite e de caça às trufas

O refinado hotel na Toscana foi laureado por importantes publicações norte-americanas

O Castello del Nero Hotel & Spa, integrante do selo Leading Hotels of the World e localizado em Tavarnelle Val di Pesa, no coração da região vinícola de Chianti, a apenas 30 minutos de Florença e Siena, é uma verdadeira joia da hotelaria toscana. Outrora a luxuosa residência das famílias Del Nero e Torrigiani, que na Idade Média integravam a nobreza florentina, e convertida num empreendimento que preserva o visual e a história de uma construção de 900 anos, a propriedade oferece um serviço do mais alto nível de excelência e exibe uma atmosfera refinada e exclusiva. Com tanto zelo e empenho para oferecer ao hóspede uma experiência inigualável e autenticamente toscana, não é para menos que o hotel-boutique exiba uma extensa lista de prêmios, concedidos por relevantes entidades e publicações ao redor do mundo: só em setembro de 2017 foram duas importantes distinções, conferidas por publicações norte-americanas.

Castello del Nero - Vista aérea.jpg
Castello del Nero oferece diversos roteiros na Itália. (Foto: Divulgação)

O Castello del Nero foi um dos vencedores da Platinum List, premiação realizada pela Celebrated Living, revista da companhia aérea American Airlines, na categoria Best Country House Hotel (melhor hotel de campo). A escolha dos ganhadores começou com um júri de especialistas elegendo seus hotéis, resorts, cruzeiros, passeios, restaurantes e endereços de vida noturna preferidos. Essa seleção foi colocada numa votação online, e os leitores da revista, bem como os usuários do programa de milhagem da American Airlines, escolheram os campeões em cada categoria.

Já a revista Wine Spectator, uma espécie de bíblia dedicada ao mundo dos vinhos, concedeu ao La Torre, o restaurante do Castello del Nero que ostenta uma estrela no Guia Michelin, pela terceira vez consecutiva, o título Restaurant Award (restaurante do ano), uma das categorias que integram o prêmio Best of Awards of Excellence. Lembrando que, em maio deste ano, o hoteleiro que comanda o hotel-boutique, Fábio Datteroni, foi eleito o Top General Manager (melhor gerente-geral do mundo) durante a edição 2017 do Ultra Summit, um dos mais importantes eventos do segmento de turismo de luxo.

Tamanho reconhecimento e destaque num universo tão vasto como a hotelaria são o resultado do incansável trabalho de uma equipe que busca oferecer não só uma hospedagem de altíssimo nível e um serviço esmerado, mas experiências únicas, que têm tudo a ver com a linda e emblemática região italiana da Toscana, onde o Castello del Nero está situado. No outono europeu (de setembro a dezembro), por exemplo, a propriedade, envolvida por 740 hectares de colinas, vinhas antigas e exuberantes olivais, oferecerá algumas atividades e passeios centrados no azeite, um dos produtos típicos da Toscana e cuja produção se dá nessa época do ano, e na caça à trufas, diamantes da gastronomia que atingem seu ápice nesta época.

Na opção mais completa de passeio, os hóspedes acompanham a colheita da azeitona (fruto que dá origem ao azeite), a qual ocorrerá entre os dias 2 e 20 de novembro. O programa começa com uma visita aos olivais da propriedade, seguido de um encontro com o gerente do hotel, que conduzirá o início da produção própria de azeite extra virgem do Castello del Nero. Os participantes também vão a um tradicional lagar, onde as azeitonas são prensadas para liberar seu “suco” forte e concentrado – o azeite –, e, claro, saboreiam um almoço tipicamente toscano, além de fazer uma degustação do produto símbolo da estação.

Para finalizar a experiência em grande estilo, é uma boa ideia incluir um tratamento no ESPA, o spa do hotel-boutique, que tem entre suas terapias um ritual relaxante feito com… azeite. Crianças podem participar desse tour (com exceção da parte do spa), e, para quem não quer sair do conforto do hotel, há uma versão reduzida do passeio, que exclui a ida ao lagar e estará disponível até o fim de 2017.

Ainda no outono, os amantes das trufas encontram a época ideal para a prática do método milenar de caça a essa iguaria rara e preciosa. No pacote Truffle Hunting, de três noites de estada, os hóspedes têm a chance de acompanhar um caçador profissional e seu fiel cão pelos bosques ao redor em busca das trufas. O almoço servido, claro, tem o ingrediente como grande estrela do cardápio.

O Castello del Nero Hotel & Spa é representado no Brasil pela empresa Key Partners, de Sylvia Leimann.

Serviço

Castello del Nero Hotel & Spa

Strada Spicciano,7

50028 Tavarnelle Val di Pesa | Firenze – ITALIA

reservations@castellodelnero.com

www.castellodelnero.com

Diferentes formas de desfrutar da cerveja na República Tcheca

A Tchéquia é, sem dúvida, o país da cerveja. A tradição da produção de cerveja neste país remonta ao ano 970 e não surpreende que, na República Tcheca, existam inúmeras opções para aproveitar a cerveja. Que tal a viver pessoalmente tudo o que na República Tcheca pode fazer com a cerveja?

Curso de cerveja 

ViewImage (3).jpg
República Tcheca oferece cursos de cerveja. (Foto: Divulgação)

O campeão mundial barista de cerveja, Lukáš Svoboda, que trabalha na taberna Lokál U Bílé kuželky,  ensina o método certo de servir cerveja. Porque há várias maneiras! Também mostra quantos tipos de cerveja há, como trabalhar com eles, tudo isso e explicado  na  Cervejaria Pilsner Urquell, onde você aprenderá com um barista experiente e, como prêmio,  leva uma caneca de meio litro com seu nome, além do certificado do curso.

SPA de cerveja

ViewImage (4).jpg
SPA de cerveja é uma das atrações da República Tcheca. (Foto: Divulgação)

Em várias partes da República Tcheca, há muitos Spas de cerveja  onde é possível, literalmente,  mergulhar na cerveja.

Entre os mais populares, podemos citar, por exemplo, o spa em Štramberk, Morávia, onde se destaca a excelente combinação com o folclore tradicional tcheco e moravo. Ao lado do spa, há também a cervejaria local onde preparam a cerveja chamada Trubač.

Rožnov também tem sua própria cervejaria, onde se prepara cerveja com sabor de mel ou cereja. O spa cervejeiro em Rožnov é caracterizado por sua única interligação com medicina alternativa.

Outro spa de cerveja popular é da cervejaria Chodovar em Chodová Planá onde, além do banho de cerveja, também oferecem o banho de lúpulo que ajuda a combater a insônia e reduz o estresse.

Mini-cervejarias

A cerveja tipo Pilsen chamada Pilsner Urquell, é sem dúvida a mais famosa do mundo. Apesar disso, a República Tcheca tem mais 400 cervejarias e a popularidade das cervejarias menores (mini-cervejarias) é um fenômeno cada vez mais popular.

É possível visitar a aldeia de Dalešice, por exemplo, cuja cervejaria começou no final do século XVI. Sua receita original até hoje continua a ganhar vários prêmios como o “A Cerveja da República Tcheca” do ano de 2016, um dos mais recentes. A cervejaria também é popular graças ao famoso filme checo Postřižiny, que foi filmado na área da cervejaria.

Outra entre as mais apreciadas  das mini cervejarias é a cervejaria Kocour localizada na cidade de Varnsdorf, muito perto do parque nacional České Švýcarsko (Suíça Tcehca) e que  tem sua própria estação de trem.

No meio do rio Moldava, no embarcadouro de um dos barcos, há uma nova minicerveceria praguense. Seu nome é simples: Pivovar (Cervejaria). Aqui pode-se  saborear uma cerveja muito original e deleitar-se com uma vista magnífica de Praga a partir do rio Moldava.

Na cervejaria Novosad em Harrachov, só não se prova a cerveja de fermento. Aqui, também é possível visitar uma das mais antigas fábricas  de vidro da República Tcheca, o museu de vidro e, em particular, um spa de cerveja. Na fábrica, com um pouco de sorte, você pode soprar seu próprio copo de cerveja.

Três parques de esculturas para conhecer na Noruega

A Noruega é um destino que chama a atenção pela sua natureza exuberante e riqueza cultural. Como combinação desses dois fatores, existem alguns parques de esculturas no país que expõem belíssimas peças integradas ao meio ambiente, resultando em atrações turísticas bastante inusitadas.

Confira três ótimos exemplos desses parques de esculturas:

Parque-Ekeberg-small.jpg
(Foto: Divulgação)

Ekeberg

Oslo

O Ekeberg é um parque de esculturas que se destaca em Oslo. Com mais de 100 mil m2, o lugar é ideal para um longo passeio em meio às árvores e obras de arte. Adjacente ao parque também existe um museu que mostra a riqueza histórica e natural da região de Ekeberg, em Oslo. Tanto o museu quanto o parque possuem entrada gratuita. Mais informações

Parque-de-esculturas-de-Muustrø-small.jpg
(Foto: Divulgação)

Muustrø

Inderøy

O parque de esculturas de Muustrø, localizado na região central da Noruega, foi criado para homenagear Nils Aas, artista norueguês de grande reconhecimento. O local abriga 10 de suas esculturas, que são exibidas ao ar livre, rodeadas de incríveis plantas e flores. Mais informações

The-Vigeland-Park-112013-99-0451-small.jpg
(Foto: Divulgação)

Vigeland

Oslo

O incrível Parque Vigeland é o maior parque do mundo construído por um único artista e é uma das atrações mais famosas de Oslo e de toda a Noruega. Este parque de esculturas singular foi a grande obra de Gustav Vigeland, que ficou encarregado do design e do layout do parque que abriga mais de 200 esculturas em bronze, granito e ferro. As estátuas contam a história do ciclo da vida e mostram emoções humanas, provocando uma reação diferente em cada um dos seus visitantes. Mais informações